Julho 2019 - Devoção e Fé - Blog Católico

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Assim o Papa Francisco recordou Santo Inácio de Loyola, fundador de sua congregação


Papa Francisco / Santo Inácio de Loyola. Fotos: Bohumil Petrick - ACI / Wikimedia (Domínio público)

Vaticano, 31 Jul. 19 / 09:38 am (ACI).- O Papa Francisco recordou nesta quarta-feira, 31 de julho, Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, congregação na qual o Pontífice fez sua profissão solene.

“Santo Inácio de Loyola, que hoje recordamos, quando era um jovem soldado pensava na própria glória. Depois, em vez disso, foi atraído pela glória de Deus, que deu sentido à sua vida”, escreveu o Santo Padre em sua conta de Twitter.

O Papa Francisco fez sua profissão religiosa solene no dia 22 de abril de 1973 na Ordem dos Jesuítas ou Companhia de Jesus, na qual ingressou em 11 de março de 1958.

Entre 1972 e 1973, foi mestre de noviços na província de San Miguel em Buenos Aires (Argentina), onde também atuou como professor da Faculdade de Teologia, consultor provincial da Ordem e Decano do Colégio.

Em 31 de julho daquele ano, foi eleito Provincial dos jesuítas na Argentina. Tinha 37 anos de idade.

O dia 22 de abril é uma data tradicional na qual os jesuítas pronunciam seus votos após concluírem sua formação religiosa, porque neste dia, em 1542, Santo Inácio de Loyola – fundador da Companhia de Jesus – e seus primeiros companheiros pronunciaram em Roma sua profissão solene depois da aprovação da nova ordem pelo Papa Paulo III.

Anualmente, na proximidade da festa de Santo Inácio de Loyola, o Papa Francisco costuma visitar a Casa Geral da Companhia de Jesus em Roma. Neste ano, o Pontífice realizou esta visita privado no dia 7 de julho.

Na ocasião, conforme informou o então diretor interino da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, o Santo Padre “almoçou com o Prepósito Geral, Padre Arturo Sosa, e com os confrades da Companhia de Jesus”.

Fonte: ACI digital



Orações de Santo Inácio de Loyola


Bom dia irmãos e irmãs de fé. Paz e Bem!
Hoje, 31 de julho, celebramos a memória de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, conhecida como os jesuítas.
Em sua bula de canonização, foi reconhecido como tendo “uma alma maior que o mundo”. Ele é padroeiro dos exercícios espirituais, dos retiros e dos soldados.
Trouxe três orações para rezar com todo o fervor do seu coração.

Adriana dos Anjos-Devoção e Fé Blog

Oração de Santo Inácio de Loyola

Tomai, Senhor, e recebei
Toda a minha liberdade, a minha memória também.
O meu entendimento e toda a minha vontade
Tudo o que tenho e possuo, vós me destes com amor.

Todos os dons que me destes, com gratidão vos devolvo
Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade.
Dai-me somente, o vosso amor, vossa graça
Isto me basta, nada mais quero pedir.

2- Oração Alma de Cristo de Santo Inácio de Loyola

Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro das vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que de Vós me separe.
Do espírito maligno, defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me.
E mandai-me ir para Vós,
para que vos louve com os vossos Santos,
por todos os séculos.
Amem.

3- Oração à Santo Inácio de Loyola

Ó glorioso Santo Inácio, fundador da Companhia de Jesus, presente e atuante em todos os recantos da terra, nós louvamos a Deus pelas graças divinas que recebestes e fizestes frutificar para o bem da Igreja. Fazei que possamos entregar nossa vida a Cristo, como vós entregastes. Possamos viver na mortificação de nosso corpo e fazer verdadeira penitência dos pecados.

Enfim, pedimo-vos humildemente a graça de viver o espírito de oração, de humildade, de confiança em Deus, procurando em tudo e em todas as coisas, a maior glória de Deus.

Santo Inácio, rogai por nós. Amém.

Fonte: Jesuitas Brasil
Para Saber Mais:
Festa de Santo Inácio de Loyola



Hoje é a festa de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus (31 de julho)


REDAÇÃO CENTRAL, 31 Jul. 19 / 05:00 am (ACI).- Neste dia 31 de julho é a festa de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, conhecida como os jesuítas, ordem que desempenhou um papel importante na contrarreforma. O santo mestre dos discernimentos de espíritos é também padroeiro dos exercícios espirituais, dos retiros e dos soldados.

O processo de conversão de Santo Inácio começou ao ler o livro ‘Vida de Cristo’, assim como ‘Flos sanctórum’. Ao refletir sobre essas leituras e a vida dos santos, questionava-se a si mesmo: “E se eu fizesse o mesmo que São Francisco ou São Domingos?”.

São João Paulo II assinalava que Inácio “soube obedecer quando, recuperando-se das suas feridas, a voz de Deus pulsou com força no seu coração. Foi sensível às inspirações do Espírito Santo”.

“Ad Majorem Dei Gloriam”, que significa em latim “Para a maior glória de Deus” foi o lema com o qual o santo mais se identificou, assim como “Rogue a Deus por todos os que como tu desejamos estender o Reino de Cristo, e fazer amar mais o nosso Divino Salvador”.

Uma das grandes obras deixadas por Santo Inácio é o livro ‘Exercícios Espirituais’. O Papa Pio XI indicou em uma oportunidade que o método inaciano de oração “guia o homem pelo caminho da própria abnegação e do domínio dos maus hábitos para os mais altos cumes da contemplação e o amor divino”.

O Papa Francisco, o primeiro Pontífice jesuíta na história da Igreja, ao celebrar a festa do seu fundador em 2013, refletiu e recordou a seus irmãos da Companhia o lema que os identifica ‘Iesus Hominum Salvator’, que os chama a ter sempre como centro Cristo e a Igreja, a quem devem servir.

Santo Inácio morreu no dia 31 de julho de 1556. Paulo V o beatificou em 1609 e foi canonizado por Gregório XV em 1622. Na cidade de Roma (Itália), os restos mortais do santo são venerados na Igreja de Jesus.

Fonte: ACI digital



9 dados sobre a vida de Santo Inácio de Loyola que você deve conhecer

Santo Inácio de Loyola / Crédito: Domínio público

REDAÇÃO CENTRAL, 31 Jul. 19 / 06:00 am (ACI).- Neste dia em que se celebra a festa de Santo Inácio de Loyola, este artigo apresenta alguns dados que marcaram a vida de um dos santos mais famosos da Igreja, fundador da Companhia de Jesus e criador dos exercícios espirituais.

A seguir, alguns dados que todo católico deve saber sobre a vida deste santo:

1. Foi um nobre

Iñigo de Loyola (não adotaria o nome “Inácio” até depois de seus estudos em Paris) vinha de uma família nobre e antiga do País Basco.

Dessa família, um cronista escreveria mais tarde: “Os Loyola foram uma das famílias mais desastrosas que nosso país teve que suportar, uma dessas famílias bascas que portava um escudo de armas sobre sua porta principal, para justificar melhor os erros que eram o tecido e o padrão de sua vida”.

2. Foi libertino

A situação sociopolítica no País Basco feudal do século XVI, na parte mais ocidental dos Pirineus, era extremamente violenta. Como alguns nobres da época, Inácio era conflitivo, violento e vivia uma sexualidade irresponsável.

O soldado espanhol convertido em místico pode ser o único santo com antecedentes policiais de brigas noturnas (obviamente antes de sua conversão).

3. Quase morreu em batalha

Em 1519, aos 28 anos, Inácio exigiu que seu pequeno grupo de soldados lutasse contra uma força invencível de 12 mil tropas francesas em Pamplona, Espanha. Seu valor (ou obstinação) lhe rendeu uma bala de canhão nas pernas, que destroçou uma afetou gravemente a outra.

Os valores de cavaleiro que possuía eram tão elevados que resultaram em um longo período de convalescência na casa familiar Loyola. Este período mudou sua vida, e o mundo, para sempre.

4. Converteu-se ao catolicismo lendo livros espirituais

Enquanto convalescência, leu textos sobre a vida de Cristo e dos santos e decidiu imitá-los. Uma noite, apareceu-lhe a Virgem Maria com seu Filho e, desde então, colocou-se a servir ao Rei dos céus.

Um dado curioso é que antes da invenção de marcadores, copiou passagens da vida de Cristo e dos santos: as palavras de Jesus foram inscritas em vermelho e as de sua Santíssima Mãe em azul.

5. Sua congregação ia se chamar a “Companha de Maria”

Depois de sua conversão, a Virgem apareceu a ele em até trinta ocasiões. Foram tantas que Inácio quis chamar sua nova ordem originalmente “A Companhia de Maria”.

Logo que terminou sua convalescência, foi em peregrinação ao famoso santuário da Virgem de Montserrat, onde adotou o sério propósito de dedicar-se a fazer penitência por seus pecados. Mudou suas luxuosas vestes pelos de um mendigo, consagrou-se à Virgem Santíssima e fez confissão geral de toda sua vida.

6. Tornou-se um mendigo

Inácio pensou muito sobre os “espíritos” em sua vida: os espíritos que conduzem a Deus e os espíritos nascidos do diabo. Isso o estimulou a viver de uma maneira que os historiadores chamaram seu período de peregrinação.

Durante este tempo, estava decidido a renunciar aos prazeres mundanos. Vestiu-se com um pano de saco e colocou um sapato com sola de corda.

7. Quis converter muçulmanos

Logo depois de completar os exercícios espirituais, Inácio declarou: “Deus quer que converta os muçulmanos!”. Foi até a Terra Santa em 1523, onde pregava nas ruas energicamente e evangelizava a todos os que podia.

Apesar do entusiasmo, só ficou um ano, porque a presença dos maometanos o enfurecia. Regressou para a Espanha e estudou latim, lógica, física e teologia. Também evangelizava as crianças e organizava encontros.

8. Seus companheiros foram chamados “Diabos”

Os primeiros companheiros que teve na Companhia de Jesus, fundada em 1540, foram descritos como os Sete Diabos Espanhóis, não nesse momento, mas no século XIX por um historiador inglês.

Os companheiros (na verdade eram seis e nem todos eram espanhóis) tinha se encontrado com Inácio durante seus estudos em Paris e se reuniram em Roma para tornar-se o núcleo da futura Companhia. Em menos de um século, Inácio de Francisco Xavier seriam canonizados.

9. Quando morreu, já havia milhares de jesuítas

Inácio viveu seus últimos anos em um pequeno quarto de Roma. Dali, governou a Companhia de Jesus e foi testemunho de seu crescimento: de apenas 6 jesuítas em 1541, passaram a 10 mil em 1556, ano de seu falecimento.

Os jesuítas se espalharam por toda Europa, Índia e Brasil durante esses anos.

Fonte: ACI digital



Oração para quem procura um bom marido


Philip Kosloski | Jul 23, 2019

Esta prece é para as mulheres de fé
Não é fácil encontrar um bom candidato para o casamento – alguém com quem você quer passar o resto da vida. Para as mulheres de fé, pode ser especialmente difícil encontrar um homem que compartilhe seus valores e crenças.

Esta é uma situação angustiante, especialmente para as mulheres que sentem que o tempo está passando e a busca por um marido cheio de fé continua a se arrastar.

Para as mulheres que carregam esta cruz, aqui está uma oração para ajudar:

Ó Jesus, o mais querido amigo que tenho, com toda a confiança abro-me o coração para pedir vossa luz e assistência na importante tarefa de planejar meu futuro. Dai-me a luz da vossa graça, para que eu decida sabiamente sobre a pessoa que será meu companheiro ao longo da vida. Querido Jesus, enviai-me tal pessoa que em Vossa sabedoria divina julgais mais adequada para se unir a mim em casamento. Que ele reflita alguns dos traços do Vosso Sagrado Coração. Que ele seja honesto, leal, puro, sincero e nobre, de modo que, com esforços unidos e com amor puro e altruísta, possamos nos esforçar tanto para nos aperfeiçoar em alma e corpo, quanto aos nossos. Abençoai nossa amizade antes do casamento, que o pecado não tenha parte nisso. Que o nosso amor mútuo nos una e que nossa futura casa possa ser como a Vossa em Nazaré.

Ó Maria Imaculada, doce Mãe dos jovens, ao seu especial cuidado, confio a decisão que devo fazer ao meu futuro marido. A senhora é minha estrela guia! Dirija-me para a pessoa com a qual eu possa cooperar melhor em fazer a Santa Vontade de Deus, com quem eu possa viver em paz, amor e harmonia nesta vida e alcançar as alegrias eternas na próxima.

Amém. 

Fonte: Aleteia



Vocação


Filhos e filhas,

Estamos para começar o mês de agosto e a Igreja, como mãe e mestra, nos convida a refletirmos sobre as vocações. Mas antes de começarmos nossa mensagem sobre vocação é necessário sabermos o que esta palavra significa.

A palavra vocação vem do latim vocare que significa chamado. Todos nós somos chamados a algo, a dar um sentido para a vida. Muitos questionam: Qual a diferença entre vocação e profissão? Embora, vocação e profissão se articulem, não podemos reduzir a vocação ao dom nato, a aptidão que cada um tem para determinado trabalho.

Vocação inclui a vida total, contém o propósito de seguir e servir. A vocação possui a dimensão da abertura ao próximo, à solidariedade; a dimensão que se dá na relação do homem na transformação do mundo.

Profissão é a carreira que a pessoa escolhe livremente para seguir e desenvolver, em uma ou mais atividades, visando remuneração ou ganho pessoal. A profissão pode ser mudada de acordo com o mercado de trabalho, ou a vontade de cada indivíduo.

A vocação é uma proposta de Deus ao homem, mas este é livre para acolher ou rejeitar. Nas Sagradas Escrituras, encontramos grandes exemplos de vocação. Abraão, é um vocacionado de Deus. Ele escuta a voz de Deus que chama: “Parte da tua terra, da tua família e da casa de teus pais para a terra que eu te mostrarei” (Gn 12,1). E, Abraão aos 75 anos, se desinstala e vai para onde o Senhor o envia.

No Livro do Êxodo encontramos a vocação de Moisés. Deus chama Moisés (pelo nome) numa chama de fogo, do meio de uma sarça que ardia, mas não se consumia. E ele responde prontamente: “Eis-me aqui”. (Ex 3,1-15). E, Moisés vence a gagueira, usando seu irmão como intérprete. Assume sua vocação e se torna o libertador do povo oprimido. (Ex 3,1-15; 4,1-17; 6,2-13: 6,28-30; 7,1-7).

O primeiro livro dos Reis narra a vocação de Elias, que deixa a corte para viver no meio do povo. Na sua vocação de profeta, Elias fala em nome de Deus, denuncia as injustiças, age na defesa dos pobres (1Rs 18.19).

Sobre a vocação de Jeremias, a narrativa é belíssima, e mais uma vez mostra que o medo e as limitações humanas são inerentes à vocação. Jeremias, que ainda no seio materno foi constituído profeta para as nações (cf. Jr 1,5), de tanto medo, apela para o não saber falar, por ser apenas uma criança (cf. Jr 1,6), depois vai dizer: “Seduziste, Senhor, e eu me deixei seduzir”, demonstrando como compreendeu o mistério da vocação em sua vida (cf. Jr 20,7).

E não podemos falar de vocação sem falar de Maria, a vocacionada do Pai, a cheia de graça. Solicitada por Deus, ela se dispôs inteiramente: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo tua palavra!” (Lc 1,26-38). E se torna o modelo de vocação perfeita.

Então que no mês de agosto, possamos viver nossa vocação em plenitude, amém.

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti


31 de julho de 2019



terça-feira, 30 de julho de 2019

Divulgada música oficial da cerimônia de canonização da Irmã Dulce


Redação da Aleteia | Jul 30, 2019

"Doce Luz" compara Irmã Dulce a uma flor e resume o que a beata representa aos devotos

A música, que recebeu o título de “Doce Anjo”, foi divulgada pelas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) na internet.

A composição é do ator Léo Passos e do cantor e produtor Chico Gomes. A interpretação ficou a cargo do sanfoneiro Waldonys.

“Doce Anjo” deverá ser executada durante a cerimônia de canonização do “Anjo Bom da Bahia” no Vaticano, que acontecerá no dia 13 de outubro de 2019. Também será essa a música oficial da Missa festiva em honra a Irmã Dulce, marcada para o dia 20 do mesmo mês na Arena Fonte Nova, em Salvador, BA.

Ouça agora:
https://youtu.be/B5CheYzR63k




Fonte: Aleteia



Você sabe a qual diocese pertence a lua?


J-P Mauro | Jul 30, 2019

Sim, a lua tem seu próprio bispo!

A diocese de Orlando, nos Estados Unidos, cobre grande parte da área central da Flórida. Ela abrange centenas de cidades, quase 401.000 moradores católicos e, estranhamente, a lua.

O UCatholic explica as circunstâncias incomuns que levaram a jurisdição espiritual da lua ficar a cargo da diocese que inclui a região da Disney, Universal e do Cabo Canaveral:

“A missão espacial Apollo 11 começou com o lançamento no Cabo Canaveral em 16 de julho de 1969. A missão cumpriu a meta nacional proposta pelo Presidente John F. Kennedy em 1961 de mandar um homem à Lua e devolvê-lo em segurança à Terra. Antes, no entanto, quando a Apollo 11 fez o seu famoso voo de Cabo Canaveral para finalmente cumprir esse objetivo, eles nomearam o Bispo Borders como o primeiro Bispo da Lua graças a uma regra obscura do Código de Direito Canônico de 1917, em vigor na época”.

Em 1968, William Donald Borders foi nomeado o primeiro bispo de Orlando. Quando a Apollo 11 foi lançada, um ano depois, ainda havia uma regra que afirmava que qualquer território recém-descoberto cairia sob o bispado de onde a expedição descobridora partira. Como o Cabo Canaveral estava sob a alçada da diocese de Orlando, o bispo Borders era efetivamente o primeiro bispo da lua.

A história conta que, após o sucesso da Apollo 11, o bispo Borders fez uma visita ao Papa Bento VI, durante o qual ele casualmente acrescentou: “Você sabe, Santo Padre, eu sou o bispo da lua”. O papa parecia perplexo até que Borders explicou que, sob o Código de Direito Canônico, ele havia se tornado bispo do “território recém-descoberto”.

O UCatholic observa que, se levada a sério, a Diocese de Orlando se tornaria a maior, com 14,5 milhões de quilômetros quadrados, embora fosse difícil chamá-la de a maior diocese do mundo.

Fonte: Aleteia



Hoje é festa de São Pedro Crisólogo, o homem de palavras de ouro (30 de julho)


REDAÇÃO CENTRAL, 30 Jul. 19 / 05:00 am (ACI).- “Esforcemo-nos por levar sempre em nós a imagem fiel do nosso Criador, não na majestade que só a Ele pertence, mas na inocência, simplicidade, mansidão, paciência, humildade, misericórdia, paz e concórdia, com que Ele Se dignou tornar-Se um de nós e ser semelhante a nós”, dizia São Pedro Crisólogo, Doutor da Igreja, cuja festa é celebrada neste dia 30 de julho.

São Pedro nasceu na Itália por volta do ano 400, estudou as ciências sagradas e foi formado por Cornélio, Bispo de Imola, o qual o ajudou a compreender que no domínio das paixões de si mesmo estava a verdadeira grandeza e que este era o único meio para alcançar o espírito de Cristo. O mesmo prelado conferiu ao santo a ordem diaconal.

De acordo com a tradição, naquela época, o Arcebispo de Ravena faleceu, então o clero e o povo elegeram o seu sucessor e, em seguida, pediram ao Bispo Cornélio, que encabeçava a comitiva desta solicitação ao Papa São Sisto III, em Roma. Pedro – que não era o candidato eleito – fazia parte da comitiva liderada pelo Prelado.

Conta-se que o Pontífice teve uma visão de São Pedro e Santo Apolinário, o primeiro bispo de Ravena, os quais ordenaram que não confirmasse a eleição que estavam levando.

Desta forma e seguindo as instruções do céu, o Santo Padre propôs para o cargo São Pedro Crisólogo, que depois recebeu a consagração e mudou-se para Ravena.

A atividade pastoral do santo conseguiu extirpar o paganismo e corrigir abusos, escutando com igual condescendência e caridade os humildes e os poderosos. Sempre incentivou a comunhão frequente e seus profundos sermões renderam o apelido de Crisólogo, homem de palavras de ouro.

Depois de receber uma revelação sobre a sua morte, que estava próxima, São Pedro Crisólogo retornou para Imola, onde partiu para a Casa do Pai em 31 de julho de 451 (há alguns que afirmam que foi em 3 de dezembro de 450). Foi declarado Doutor da Igreja em 1729 pelo Papa Bento XIII.

Fonte: ACI digital

1 - Oração

São Pedro Crisólogo que dominastes vossas paixões e vos agarrastes à fé em Jesus Cristo para conseguirdes perseverar nas virtudes que vos levaram à santidade, intercedei por nós para que também sejamos perseverantes e entusiasmados tal como o fostes, na exortação aos nosso irmãos que distantes se encontram da Verdade. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

2 - Oração

Dai-nos, Senhor Deus Altíssimo, a Graça de sermos sempre verdadeiros na defesa da verdadeira Doutrina, ensinada e sustentada pelo Magistério Romano, e pela intercessão de São Pedro Crisólogo, concedei-nos a Graça que ardentemente vos pedimos. Amém.



Presença de católicos em risco na Eritreia - Ajuda à Igreja que Sofre


Arquidiocese de Asmara

ÁFRICA

Na Eritreia, o Governo mandou fechar vários centros de saúde de propriedade da Igreja e a sorte de muitas escolas católicas é incerta. A Igreja católica resiste como voz independente no país, e pergunta-se o que fará a população sem esse serviço vital de saúde e educação.

Cidade do Vaticano

“Impediram-nos dar aquele pouco que conseguíamos dar em lugares onde ninguém cuida da população, nem sequer o Estado. Se o Governo nos obrigar a fechar também as escolas, os nossos sacerdotes e as nossas religiosas encontrarão uma forma de sobrevivência. Mas o povo, como fará?” – Esta a amarga pergunta colocada no âmbito de uma conversa com a organização “Ajuda à Igreja que Sofre”, por uma fonte próxima da Igreja na Eritreia, e que, por motivos de segurança, preferiu não revelar o próprio nome.

Tudo – continuou a fonte – acontece na indiferença. E pergunta-se se o mundo vê o que está a acontecer, ou se se dá conta da Eritreia só quando se fala de novos migrantes que dão às costas marítimas da Itália.

Situação dramática

A situação na Eritreia é dramática. Nas últimas semanas foram encerrados 22 centros de saúde, propriedade de congregações religiosas e/ou de dioceses católicas. Tudo em nome de uma lei de 1995, mediante a qual o Estado se declara único gestor das obras sociais no país. Outros 8 centros católicos já tinham sido confiscados entre 2017 e 2018. “Como poderá o Governo levar avante este serviço, quando nos hospitais do Estado faltam instrumentos e recursos adequados?” – pergunta-se.

As estruturas deveriam ser públicas, mas como explica a fonte, não houve nenhuma transferência: os agentes limitaram-se a sigilar tudo, deixando a população sem esse serviço vital. Os pacientes eram de todas as confissões religiosas. De salientar que os católicos na Eritreia são apenas 5% da população. Além disso, em muitos casos, juntamente com os ambulatórios, os cadeados foram postos também nas contíguas residências das religiosas, as quais tiveram de se transferir para outras casas das respectivas congregações. Para muitas delas não é possível sequer sair da Eritreia, porque o governo não permite às mulheres com menos de 40 anos e aos homens com menos de 50 que não tenham feito serviço militar, ir para o estrangeiro.

Destino das escolas católicas

Actualmente, teme-se muito pela sorte de 50 escolas, desde a primária ao ensino secundário, e para mais de 100 jardins de infância geridos pela Igreja católica na Eritreia. É preciso esperar Setembro, com o início das aulas, para se saber com maior certeza do destino destas instituições educativas. Há dez anos atrás, sem pré-aviso, os alunos de uma escola gerida por uma congregação de religiosas foram todos transferidos para um instituto estatal. A escola católica só foi reaberta quatro anos depois.

Seminaristas e noviços sem instituições de educação

No ano passado foi também fechado o único Instituto para seminaristas e religiosas. “Agora – revelou a fonte – já não existe nenhuma estrutura em que candidatos ao sacerdócio e ao noviciado possam estudar. “A polícia chegou mesmo a deter uma religiosa e um sacerdote porque se recusavam a fornecer os nomes dos estudantes”. Além disso, o Governo predispôs que todos os alunos, incluindo os das escolas católicas, tenham obrigatoriamente de frequentar o último ano do ensino superior num instituto militar. Caso contrário, não obtêm o diploma. Também as religiosas que trabalham nos centros sanitários confiscados, não tendo nenhum titulo de estudo, não podem trabalhar noutros hospitais.”

Igreja ortodoxa

Diferente é a situação da Igreja ortodoxa que, há mais de dez anos, cedeu à imposição de entregar ao Estado todas as ofertas e, cujos sacerdotes recebem um salário do Governo. Isto aconteceu em 2006 quando o patriarca Antonios foi colocado em prisão domiciliar, (condição em que se encontra ainda hoje) e substituído por um patriarca escolhido pelo Governo. “Procuraram fazer o mesmo connosco católicos, mas recusamos. A nossa Igreja é a única voz independente e por isso as autoridades nos vêem como um incómodo. Mas se eliminarem a nossa presença, quem pensará no povo eritreu?” – pergunta-se a fonte. 

Fonte: Vatican News



Igrejas são mais do que lugares de peregrinação na Terra Santa


Igreja do Santo Sepulcro. Crédito: Eduardo Berdejo / ACI

WASHINGTON DC, 29 Jul. 19 / 04:00 pm (ACI).- As igrejas, os santuários e os mosteiros no Oriente Médio não são apenas destinos de peregrinação, mas também lugares de identidade e esperança para os cristãos locais que sofrem ameaças existenciais, manifestaram líderes religiosos locais.

“Cristo habitou entre nós em Belém, no Egito, na Galileia e, claro, em Jerusalém. E, por seu Espírito Santo, Ele permaneceu presente ao longo dos séculos em Jerusalém, no Oriente Médio e até os confins da terra", disse o Patriarca Theophilos III de Jerusalém, que acrescentou que "nossos locais sagrados contam as histórias da história de Deus conosco”.

"Ninguém pode negar que esta região, o lugar do encontro divino-humano na história sagrada, é de fato o centro da terra", declarou o Patriarca da Terra Santa em um evento no âmbito de uma reunião mundial sobre liberdade religiosa em Washington, D.C., na semana passada.

Theophilus III se dirigiu aos sacerdotes, líderes civis e religiosos em um evento sobre "Locais sagrados cristãos e lugares sagrados no Oriente Médio", por ocasião da Conferência Ministerial para Promover a Liberdade Religiosa, organizada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos de 15 a 19 de julho em Washington, D.C..

A reunião contou com a participação de líderes religiosos e civis de todo o mundo, além de delegações de 106 países que se reuniram para discutir sobre a perseguição religiosa e estratégias para promover a liberdade religiosa.

O evento "Locais Sagrados" foi patrocinado pela Comunidade Internacional do Santo Sepulcro e pelo Grupo de Trabalho do Instituto Hudson sobre os Cristãos e o Pluralismo Religioso no Oriente Médio.

Os conferencistas se centraram não só no significado espiritual dos locais de peregrinação em todo o Oriente Médio, mas também na importância vital que têm para os cristãos que vivem lá.

Theophilos é o patriarca número 141 da Igreja Ortodoxa Grega em Jerusalém, portanto, o líder cristão mais importante na Terra Santa.

Além disso, afirmou que "os atentados dos radicais contra as propriedades da Igreja em Jerusalém continuam" e que os grupos "sabem muito bem que cada ataque contra um lugar sagrado representa outra ameaça à nossa identidade cristã".

Nesse sentido, comentou que os locais sagrados estão ameaçados em várias frentes, incluindo vandalismo, "intimidação de colonos radicais" e políticas hostis na legislatura do Knesset de Israel.

Segundo o patriarca, essas políticas cobrariam impostos municipais sobre as propriedades da Igreja em Jerusalém, como hospitais e escolas, o que poderia "arruinar" as igrejas. Além disso, outro projeto de lei teria permitido ao Estado confiscar, supostamente em defesa dos inquilinos, terras vendidas por igrejas a compradores privados.

A decisão dos líderes católicos, ortodoxos, gregos e armênios, de fechar temporariamente a Igreja do Santo Sepulcro em fevereiro de 2018, foi por causa destas políticas. "Já era suficiente e também a hora de estabelecer os limites", disse o Patriarca sobre o fechamento, afirmando também que "forças fora do nosso controle ameaçavam a santidade e a integridade de nossos lugares sagrados".

"Manter um só peregrino" fora da igreja "é uma tragédia", disse. No entanto, acrescentou que a solidariedade que milhões de pessoas em todo o mundo mostraram com as Igrejas foi alentadora.

A igreja reabriu depois que Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, interveio nos esforços para impor a política fiscal e a cidade recuou nas propostas. O Patriarca manifestou que, quando a solução foi encontrada, "a luz da Ressurreição brilhou".

Da mesma forma, expressou sua gratidão a Netanyahu e ao presidente israelense Reuven Rivlin por seus esforços para proteger os Lugares Sagrados, assim como "a contínua e fiel custódia dos lugares sagrados" do rei Abdullah II da Jordânia. Do mesmo modo, agradeceu o apoio dos legisladores dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Além disso, destacou a vigília de oração de 11 de julho, que contou com a participação de outros patriarcas e líderes da Igreja na Porta de Jaffa, em Jerusalém, após a decisão da Suprema Corte de Israel contra a Igreja Ortodoxa Grega em um controverso acordo de terras que remonta a 2005.

O acordo envolveu a venda por parte da Igreja, mais tarde disputada, de hotéis dentro do Bairro Cristão da cidade para os colonos israelenses, uma transferência de propriedade que o patriarca disse que poderia afetar a "integridade" do Bairro Cristão de Jerusalém, e possivelmente impedir o acesso de peregrinos a locais sagrados.

Uma declaração conjunta dos patriarcas e dos chefes das igrejas locais em Jerusalém qualificou o acordo de "infrutífero" e disse que ameaçava o acordo de Status Quo da cidade.

Desta forma, Theophilos III disse que pediu aos funcionários locais que se unissem para apoiar Netanyahu e seu trabalho “para manter a rota de peregrinação aberta a todos e para manter o tecido histórico, multiétnico, multicultural e multirreligioso de nossa grande cidade,  Jerusalém".

No evento, discutiu-se sobre a preservação dos lugares sagrados na Terra Santa, assim como na Síria, Iraque e Egito.

Pe. Alexi Chehadeh, do Patriarcado Ortodoxo Grego de Antioquia e Todo o Oriente, contou que centenas de igrejas e mosteiros "em toda a Síria" foram total ou parcialmente destruídos durante a guerra civil que afetou o país, e que isso significou bilhões de dólares para a sua reconstrução.

"Não se pode ignorar a importância simbólica da reconstrução dos lugares sagrados", reforçou o Patriarca e outros líderes cristãos.

Segundo Pe. Chehadeh, muitos locais sagrados do Patriarcado são igrejas que datam do século II ou III, e que reconstruí-los é "cuidar das raízes do cristianismo" e "sinal de um ambiente pacífico" que encoraje os cristãos a retornarem à Síria. Cerca de metade das comunidades cristãs sírias deixaram o país durante a guerra civil.

Pe. Salar Kajo, sacerdote em Teleskov, expressou que o Cardeal Louis Raphael I Sako, chefe da Igreja Católica Caldeéia, deu ordens para iniciar o processo de reconstrução na região de Nínive (Iraque), principalmente nas casas dos sobreviventes do genocídio cristão.

No entanto, o presbítero afirmou que "as pessoas insistiam em começar com os lugares sagrados, igrejas e mosteiros". "Este é o único sinal de esperança que temos, e vamos voltar a esses lugares", disse.

Por sua parte, a fundadora do grupo de órfãos coptos, Nermien Riad, comentou que depois da derrubada do presidente Hosni Mubarak, em 2011, no Egito, a Irmandade Muçulmana "veio depois das igrejas".

Por que eles se dirigiram às igrejas? "Reconhecemos que há uma redução gradual do espaço público para os cristãos no Egito, porque os extremistas querem eliminar os ícones e as estátuas públicas", disse Riad.

Também expressou que a exclusão dos cristãos dos espaços públicos possivelmente chegou ao esporte; atletas cristãos denunciaram atos de discriminação ao se associarem a clubes e à seleção nacional de futebol.

Nesse sentido, afirmou que “as igrejas se tornaram o centro da comunidade cristã e servem como um centro de apoio vital e um local de refúgio para os cristãos, o que os ajuda a enfrentar as mensagens insidiosas que os chamam ‘cidadãos de segunda classe'”.

"O mais importante é o último vestígio de que existimos", concluiu.

Fonte: ACI digital



segunda-feira, 29 de julho de 2019

Portugal: Vandalizam estações da Via-Sacra em Fátima


ADVERTÊNCIA: A imagem pode ferir a sensibilidade do leitor

Via-Sacra, no Caminho dos Pastorinhos / Foto: Wikimedia (Domínio público)

FATIMA, 29 Jul. 19 / 10:55 am (ACI).- Quatro das 14 estações da Via-Sacra no Caminho dos Pastorinhos, em Fátima (Portugal), foram vandalizadas por desconhecidos entre a noite de quinta-feira, 25 de julho, e a manhã de sexta-feira, 26.

As imagens entre a terceira e a sétima estações foram pichadas com tinta spray amarela e escreveram palavras obscenas nas mesmas.

ADVERTÊNCIA: A imagem pode ferir a sensibilidade do leitor


De acordo com o Santuário de Fátima, o ato de vandalismo deve ter ocorrido entre as 20h de quinta-feira e as 8h de sexta-feira, por ser um horário em que não havia vigilância no local.

Em declarações ao site ‘mediotejo.net’, o gabinete de comunicação deste Santuário mariano assinalou que “este ato revela desrespeito por um lugar importante para os crentes”. Além disso, informou que o caso foi entregue às autoridades e que já estão providenciando a limpeza dos monumentos, o que requer um trabalho demorado.

“Prometemos ser breves mas há condicionantes técnicas que têm de ser observadas nomeadamente a escolha e o teste dos produtos que serão mais adequados para remover a tinta amarela da cantaria, que é feita de uma pedra especial”, indicaram.

Por esta razão, o Santuário colocou tapumes em frente de cada estação vandalizada, com uma imagem da referida estação, enquanto dá prosseguimento à limpeza.

Segundo a porta-voz do Santuário, Carmo Rodeia, declarou ao site do ‘Correio da Manhã’, “esta zona não fica no coração do santuário, mas é um espaço devocional muito importante, sobretudo para grupos organizados que visitam Fátima, muitos deles estrangeiros”. “Queremos que as pessoas façam a Via-Sacra sem constrangimento”, acrescentou.


O caso gerou indignação entre os católicos, que lamentaram o crescente “vandalismo contra o patrimônio religioso e cultural” do país, conforme assinalou em sue Facebook o Instituto Santo Condestável.

Diversas pessoas reagiram à publicação, como a internauta Ana Regalla, que assinalou que “nem a terra de Nossa Senhora respeitam”. “Perdoai-lhes Senhor porque não sabem o que fazem”, acrescentou.

“Será isto a democracia e a tolerância religiosa que tantos apregoam?”, questionou um internauta, enquanto outro lamentou que “esta sociedade que permitimos ser criada”.

Conforme assinala o Santuário de Fátima, a Via-Sacra, do Caminho dos Pastorinhos, foi construída com o apoio dos católicos Húngaros na década de 1960. Sua primeira pedra foi abençoada em 21 de junho de 1959 e as estações foram abençoadas em 12 de maio de 1964.

Os painéis das estações, em baixo relevo são da autoria de Maria Amélia Carvalheira da Silva.

Habitualmente, o Santuário promove três momentos organizados de celebrações naquele espaço durante o ano: uma Via-Sacra na Sexta-feira Santa; depois em 21 de março, para assinalar a data das Aparições do Anjo, ocorrida em 1916; e no dia 19 de agosto, para assinalar a aparição de Nossa Senhora nos Valinhos.

Fonte: ACI digital



Cardeal Müller: Falta de sacerdotes não pode ser superada ordenando homens casados


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Jul. 19 / 12:00 pm (ACI).- O Cardeal alemão Gerhard Müller indicou em um recente programa que, embora em algumas regiões haja falta de sacerdotes, isso não significa que o problema possa ser superado apenas "com algumas atitudes práticas", em referência à ordenação de homens casados ​​que será discutida na Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Amazônia.

O estudo sobre a possibilidade da ordenação sacerdotal de pessoas idosas em áreas remotas está no Instrumentum laboris, documento de trabalho do sínodo, publicado em 17 de junho de 2019. O encontro dos bispos será realizado em Roma, de 6 a 27 de outubro.

Durante o programa EWTN News Nightly, de 25 de julho, o jornalista Wyatt Goolsby perguntou ao prefeito emérito da Congregação para a Doutrina da Fé por que é "tão controverso" ordenar homens casados ​​em áreas remotas como a Amazônia, quando a Igreja permite em algumas circunstâncias especiais (como no caso dos anglicanos).

Ao responder a pergunta, o Cardeal Müller disse: “As condições para os sacramentos e especialmente para o sacramento da ordenação são as mesmas em todos os lugares. São necessários aqueles homens que estejam prontos, tenham preparação e estejam dispostos a oferecer sua vida para se converter nos sucessores dos apóstolos, a serviço de um bispo, ou um sacerdote, ou diácono. E, certamente, em algumas regiões há grande falta de sacerdotes, mas não podemos superar isso apenas com algumas atitudes práticas”.

O Prelado disse que o que deve ser feito é "aprofundar a missão e vocação", porque Jesus "nos disse que nem sempre há operários suficientes nas vinhas do Senhor e devemos rezar para que o Senhor da colheita envie alguns operários para a Igreja neste serviço de bispos e sacerdotes ordenados”.

Durante a entrevista, o Cardeal Müller disse que o próximo sínodo deveria ter como base a "revelação de Deus em Jesus Cristo e a doutrina da Igreja Católica", no entanto, existem algumas situações que lhe causam preocupação.

“Neste documento, não vi certas doutrinas sobre o Deus Uno e Trino e sobre a Encarnação; fala-se apenas a partir das experiências de pessoas que vivem na região do Amazonas ou das pessoas que falam da região do Amazonas e querem convertê-la em um novo paradigma para toda a Igreja. Isso não pode ser”, assinalou.

Finalmente, o jornalista perguntou ao Cardeal: "O que diria aos críticos que dizem que você deveria promover a unidade na Igreja neste momento e não necessariamente criticar o que o Santo Padre e os outros bispos estão fazendo?".

O Cardeal Müller foi enfático e indicou que "não critica ninguém".

“Eu não critico ninguém, mas devo dizer que sou responsável pela Doutrina da Igreja como todos os bispos. Ninguém pode dizer apenas seus próprios pensamentos e dizer que estamos fora de toda crítica possível, porque não temos o positivismo do Magistério, mas estamos dizendo que conta o Concílio Vaticano II, que fez com que toda a teologia, toda doutrina e a missão da Igreja se baseiem na Bíblia, na tradição apostólica e nas definições do Concílio que fizemos há muito tempo na história da Igreja”, concluiu.


Fonte: ACI digital



Hoje a Igreja Católica celebra Santa Marta, padroeira das cozinheiras e donas de casa (29 de julho)


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Jul. 19 / 05:00 am (ACI).- Neste dia 29 de julho, a Igrejauniversal recorda a figura da Santa Marta de Betânia, irmã de Maria e Lázaro, padroeira do lar, das cozinheiras, das donas de casa, das faxineiras, das casas de hóspedes, dos hoteleiros, das lavadeiras e das irmãs de caridade.

É a ela que Jesus disse, como narra o Evangelho de São Lucas (10, 41-42): “Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a boa parte, que lhe não será tirada”.

Santa Marta é representada vestida de azul ou verde, com uma cruz, um avental e levando consigo um molho de chaves ou uma tocha. Ela está em atitude de serviço e com um dragão sob seus pés.

Esta discípula de Jesus é geralmente invocada pelos fiéis para pedir sua intercessão ante as coisas urgentes e difíceis, pois foi através de suas súplicas que obteve de Jesus a graça de que seu irmão Lázaro voltasse à vida.

A santa que sempre mostrou um grande afã de serviço é também invocada para que ajude os fiéis a desempenhar seus deveres cristãos com diligência e responsabilidade.

Os Santos Basílio e Gregório Magno a consideram modelo evangélico das almas contemplativas. (Fonte: ACI digital)

Oração à Santa Marta 
(auxílio nas dificuldades da vida)

Ó gloriosa Santa Marta, entrego-me confiante em vossas mãos, esperando o vosso amparo. Acolhei-me sob a vossa proteção, consolai-me nos meus sofrimentos. Em prova do meu afeto e devoção, ofereço-vos esta luz (acende-se uma vela), a acenderei todas as terças-feiras desta novena.

Pela felicidade que tivestes em hospedar em vossa casa o Divino Salvador do mundo, consolai-me em minhas penas. Intercedei hoje e sempre por mim e por minha família, para que tenhamos o auxílio de Deus Todo-Poderoso nas dificuldades da nossa vida.

Suplico-vos, gloriosa santa, que em vossa grande bondade, me consigais especialmente a graça que ardentemente vos peço e que tanto preciso (fazer seu pedido).

Rogo-vos que me ajudeis a vencer todos os obstáculos que se apresentarem em meu caminho, com a mesma sinceridade e fortaleza que vós tivestes ao transpassar o dragão que tendes em vossos pés.

Santa Marta, rogai por nós. Amém.

NOTA: Fazer a novena 9 terças-feiras seguidas, e em cada uma distribuir uma oração. Ao rezar acende-se uma vela.




Cachoeira Paulista terá estátua de 22 metros de Padre Léo


Cachoeira Paulista terá estátua de 22 metros de padre em processo de beatificação

Peças foram levadas para a cidade na última semana e obra deve ficar pronta em novembro. Pe. Léo morreu em 2007 e processo de beatificação foi aberto dez anos depois.

Por G1 Vale do Paraíba e Região (*)
28/07/2019

Cachoeira Paulista (SP) terá uma estátua de 22 metros em homenagem a Padre Leo, religioso que era membro da comunidade Canção Nova e que está em processo de beatificação. As peças da obra, assinada pelo artista plástico Gilmar Pinna, chegaram na cidade na quinta-feira (25). A inauguração está prevista para novembro.

Feita com 20 toneladas de aço, a estátua demorou seis meses para ficar pronta. As peças foram esculpidas no atelier do escultor em Guarulhos (SP).

“O padre Léo tem um microfone na mão, assim como ele fazia na vida dele. Dava palestras e levava fé para as pessoas”, disse o artista.

Segundo a Prefeitura de Cachoeira Paulista, a estátua será instalada no ponto mais alto da cidade e a intenção é estimular o turismo religioso. O local deve receber outras atrações no entorno, mas elas ainda estão em fase de planejamento.

A obra custou R$ 586 mil e foi paga com verba estadual de fomento ao turismo - desde 2018 a cidade faz parte da lista de municípios de interesse turístico de São Paulo e recebe cerca de R$ 600 mil anualmente. O monumento foi o primeiro projeto apresentado pela cidade para receber esse benefício.


Peças da estátua chegaram em Cachoeira Paulista na quinta-feira (25) — 
Foto: Divulgação/ Prefeitura de Cachoeira Paulista

Além da estátua de Padre Léo, Gilmar Pinna também fez um monumento gigante dedicado a Nossa Senhora de Aparecida. O artista transportou a imagem até Aparecida em 2017, mas as peças estão abandonadas no terreno em que seriam instaladas à espera de um estudo de Parceria Público-Privada (PPP) para viabilizar a instalação.

Padre comunicador

Padre Léo foi integrante da comunidade Canção Nova e também apresentador de TV. Ele morreu em 2007 aos 45 anos, vítima de infecção generalizada por causa de um câncer no sistema linfático. O cantor e apresentador Dunga conviveu com o religioso.

"Padre Léo era uma pessoa que reunia uma inteligência rara, um bom humor fantástico e um conhecimento bíblico sem igual. Essas três coisas faziam dele o melhor pregador de sua época. Ele fez um trabalho de recuperação de dependentes químicos que poucas vezes vi", explica.

O pedido de abertura do processo de beatificação do padre foi autorizado em 2017. A Associação Pe. Léo é encarregada de coletar testemunhos de devotos para encaminhá-los ao processo de beatificação. Não há prazo para que o trâmite seja concluído.

* colaborou Caroline Cherulli

Estátua do padre terá um microfone na mão em homenagem à carreira de comunicador — Foto: Divulgação/ Gilmar Pinna

Estátua do Padre Léo tem 22 metros de altura — Foto: Divulgação/ Gilmar Pinna

Cachoeira Paulista terá estátua de Padre Leo — Foto: Divulgação/ Gilmar Pinna

Fonte: G1



Nossos familiares que já partiram desta vida intercedem por nós?


Nikodash - Shutterstock

Aleteia Brasil / Arquidiocese de São Paulo | Jul 18, 2019

Sacerdote responde à dúvida de uma leitora

Em sua coluna no jornal O São Paulo, da arquidiocese paulistana, o pe. Cido Pereira respondeu nesta semana a uma questão bastante recorrente no coração de muitas pessoas:

“Nossos entes queridos intercedem por nós aqui na Terra quando estamos passando por alguma dificuldade ou tristeza?”
Quem pergunta é a Simone Alves, da Casa Verde.

Simone, quantos de nós costumamos dizer: “Minha mãe era uma santa! Meu pai foi um homem maravilhoso! Como meu marido foi um exemplo para os filhos, homem bom, trabalhador, com uma fé imensa no coração”.

Pois então, eu entendo que as pessoas que nos amaram nesta vida continuam amando na eternidade. Isso é muito bonito. Isso é consolador.

Eu vou confessar para você uma coisa: eu tenho certeza que minha querida mãe está no céu e, na hora do aperto, eu peço a ajuda dela, peço mesmo, e alcanço. Porque minha mãe foi uma mulher maravilhosa, confiante em Deus, trabalhadora. Por que não pedir a sua intercessão nos momentos difíceis desta vida?

Se aqui na Terra, nós, os vivos, rezamos por quem se recomenda às nossas orações, se nesta vida tantos pais vivem na presença de Deus intercedendo pelos seus entes queridos, por que não pedirmos ajuda a quem já morreu para que interceda por nós?

Os que morreram e estão no purgatório nada podem pedir para si mesmos, mas podem por nós. Nós oferecemos preces em sufrágio de suas almas. E eles intercedem por nós, para que nos desviemos do caminho do mal e vivamos plenamente a nossa fé. O amor é mais forte que a morte.

Simone, em nome do amor, mantenhamos a comunhão dos santos, não deixando ninguém que morreu sem nossas preces, sem nosso amor.

___________

Pe. Cido Pereira, em O São Paulo


Fonte: Aleteia



domingo, 28 de julho de 2019

Canadá: Censuram e retiram outdoor pró-vida


Imagem referencial / Crédito: Unsplash

OTTAWA, 25 Jul. 19 / 01:00 pm (ACI).- Um outdoor que defendia o direito à vida em todo lugar, foi retirado recentemente do Canadá após reclamações de ativistas pró-aborto e a decisão de um conselho que determina os padrões de propaganda no país.

O anúncio, localizado às margens de uma estrada na cidade de West Kelowna, dizia que "nosso direito à vida não depende do lugar" e mostrava a imagem de uma mulher adulta segurando um bebê e a de outra mulher em um estágio avançado gravidez.

De acordo com ‘Global News Canada’, o grupo pró-vida Kelowna Right to Life Society pagou pela permanência do outdoor na estrada por mais de um ano. No entanto, ativistas pró-aborto apresentaram uma denúncia ao conselho “Ad Standards Canada” alegando que a imagem era enganosa.

Ruth Mellor, uma ativista pró-aborto, disse à agência de notícias que, antes desse, tinha outro outdoor que "indicava que uma mulher que estava quase para dar à luz podia seguir tendo a opção de interromper a gestação". Por isso, classificou a imagem como enganosa.

O conselho concordou com este argumento e escreveu que “é extremamente raro que, no Canadá, se realizem abortos ou possam ser realizados nesta etapa avançada de gravidez; e certamente, não a pedido da mãe grávida”. Também disse que o anúncio era degradante para as mulheres “que podem ter que considerar o aborto como uma opção viável”.

No entanto, o Ministro da Saúde de Quebec, Gaetan Barrete, respondeu a este argumento dizendo que, “legalmente, todas as mulheres têm o direito ao aborto em qualquer momento antes de dar à luz e isso é uma decisão da Suprema Corte”.

Kelowna Right to Life Society também opinou sobre a veracidade da mensagem colocada no outdoor.

"Não acreditamos que seja enganosa, porque, de fato, não existe uma lei contra o aborto no Canadá durante os nove meses de gravidez, portanto, inclusive uma mulher nessa etapa avançada da gestação pode fazer um aborto se encontrar um médico para fazê-lo”, disse Marlon Bartram, diretor executivo da organização pró-vida.

"Nós não acreditamos que discrimine nem exponha negativamente nenhum grupo de seres humanos”, argumentou.

Embora a organização pró-vida tenha tido que retirar o outdoor, Bartram disse que está trabalhando em um novo desenho para ressaltar como os abortos também afetam negativamente os homens.

O aborto é legal no Canadá durante toda a gestação e por qualquer motivo. É um dos poucos países que não têm restrições legais sobre o aborto.

Esta prática é regulamentada no Canadá como qualquer outro procedimento médico; é legal, mas não está aprovada nem limitada por nenhuma lei.

O Canadá carece de uma lei de aborto porque o Parlamento do país simplesmente se recusou a redigi-la. O aborto era completamente ilegal até que o governo do primeiro-ministro Pierre Trudeau descriminalizou o procedimento em 1969, o que permitiu essa prática em algumas circunstâncias e com a permissão de um “comitê de aborto terapêutico”.

O filho de Trudeau é Justin Trudeau, atual primeiro-ministro do Canadá e conhecido por seu partidarismo em favor do aborto, do casamento entre pessoas do mesmo sexo, do feminismo, da eutanásia e da legalização da maconha.

Em 1988, a Suprema Corte do Canadá determinou na decisão R vs. Morgentaler que o requisito do comitê de aborto terapêutico era inconstitucional e ordenou que o Parlamento elaborasse uma lei sobre o aborto.

Nos 30 anos seguintes a esta decisão, o Parlamento ainda não redigiu uma lei. O sistema de saúde do Canadá contempla “atendimento hospitalar gratuito”, o que significa que o aborto está disponível para todos os canadenses.

Fonte: ACI digital



Fé sobre rodas: o trabalho da Pastoral Rodoviária


Todd Lappin CC

Redação da Aleteia | Jul 23, 2019

Conheça o serviço da Igreja que leva a Palavra aos caminhoneiros dos quatro cantos do Brasil

Acordar cedo, passar oito horas (ou mais) atrás de um volante, enfrentar os desafios da estrada (buracos, assaltos, risco de acidente), fazer as refeições e dormir no próprio caminhão, lidar com saudade da família e de casa. Esta é a rotina de muitos caminhoneiros brasileiros – gente que transporta boa parte da riqueza e do crescimento do país.

Porém, em meio a este dia a dia estressante e difícil, esses profissionais estão tendo a oportunidade de dar um tempo na viagem e encontrar a paz na Palavra de Deus. Tudo isso graças ao trabalho da Pastoral Rodoviária, um serviço da Igreja Católica que existe no Brasil desde 1976.

Foi o padre Marian Litewka que idealizou o serviço. Ele nasceu na Polônia e, depois de ordenado, foi enviado ao Brasil como missionário. Ao ver a magnitude do país e o grande número de caminhões que viajavam pelas estradas, percebeu um universo do qual a Igreja não podia permanecer distante. Ele deu início, então, aos trabalhos da pastoral, cujo modelo é único no mundo.

O trabalho de evangelização nas estradas

Seguindo uma programação previamente agendada, os padres celebram em cerca de 1000 postos de combustível no decorrer do ano, transmitindo a Boa Nova aos caminhoneiros, frentistas, mecânicos, borracheiros, donos de postos, profissionais do sexo, comerciantes e vizinhos dos postos. A área de atuação compreende todos os estados brasileiros. Estão envolvidos em tempo integral na Pastoral Rodoviária três sacerdotes da Congregação da Missão (Lazaristas), fundada por São Vicente de Paulo, na França, em 1625. Os padres da Pastoral Rodoviária pertencem à Província de Curitiba-PR.

Os sacerdotes percorrem o país em três caminhões-capela (as capelas estão montadas dentro de furgões). Abrindo a porta traseira do furgão, surge o altar, as caixas de som, o microfone, os folhetos da celebração, as folhas de cânticos e os demais acessórios preparados para fins religiosos. Os serviços prestados pelos padres da Pastoral Rodoviária são gratuitos, compreendendo missas e outros atendimentos pastorais. Atualmente os agentes regionais da Pastoral Rodoviária dão suporte a quem vive nas estradas e a seus familiares.

“Identifico sempre dois pontos firmes na vida dos caminhoneiros: Deus e família. Para os caminhoneiros, porém, faltam oportunidades de progredir na fé e exprimi-la. Aqui está o grande diferencial da Pastoral Rodoviária”, disse o padre Marian Litewka ao site da CNBB.

Nossa Senhora da Estrada

Os padres divulgam a devoção a Nossa Senhora da Estrada, distribuindo, ao final das celebrações, decalques, posters e adesivos com a imagem, bem como rosários. O quadro original de Nossa Senhora da Estrada encontra-se na igreja “Del Gesú” em Roma, na Itália. Foi pintado por um artista desconhecido, há 800 anos. Alguém colocou esse quadro numa capelinha à beira da estrada, no início do caminho que saía de Roma para o interior. Já naqueles tempos, viajar pelas estradas era uma tarefa difícil (mato fechado, rios sem pontes) e perigosa (feras e bandidos). Os viajantes costumavam parar na frente da capelinha à beira da estrada e oravam a Deus, pedindo a proteção por intercessão da Virgem Maria. Com o decorrer do tempo, o pessoal começou a chamar a imagem da Mãe de Jesus Cristo, que estava dentro daquela capelinha, de imagem de Nossa Senhora da Estrada.

Fonte: Aleteia
Veja também:
Oração e Devoção a Nossa Senhora da Estrada



Confeiteiro que recusou fazer bolo de mudança de sexo apresenta moção para anular denúncia


Jack Phillips Crédito: Alliance Defending Freedom

DENVER, 25 Jul. 19 / 11:00 am (ACI).- Na última segunda-feira, os advogados de Jack Phillps, o confeiteiro cristão que se recusou a fazer bolos que expressam mensagens contrárias à sua fé, como a mudança de sexo, entraram com uma moção para anular um terceiro processo judicial contra ele.

"Phillips quer viver sua fé pacificamente como um artista de bolos que serve a todas as pessoas e se recusa a expressar mensagens que violem suas crenças", diz a moção de anulação do dia 22 de julho, apresentada pelos advogados da Alliance Defending Freedom.

Autumn Scardina é o advogado transexual do Colorado (Estados Unidos) que entrou com uma ação judicial na Comissão de Direitos Civis do Colorado em 2017, mas após perder este processo, agora pede 100 mil dólares em danos monetários e gastos legais no terceiro processo que Phillips enfrenta em sete anos.

Phillips é o proprietário da confeitaria Masterpiece Cakeshop, em Lakewood, na cidade Denver. Esta loja focou seu talento em bolos artísticos e está em funcionamento desde 1993.

Além disso, a moção também afirma que, “depois de perder no tribunal, o estado (do Colorado) ficou satisfeito em deixar Phillips continuar com seu trabalho. No entanto, Scardina não permitirá isso”.

Portanto, o confeiteiro solicitou "que o tribunal anule a denúncia para que ele possa voltar à vida que tinha antes de ser atacado pelo Estado e por Scardina por causa de sua fé".

Phillips informou no passado que não se recusa apenas a fazer bolos sobre uniões do mesmo sexo, mas também recusa outros desenhos que vão contra suas crenças, como bolos para o Dia das Bruxas, despedidas de solteiro, divórcios, bolos com álcool nos ingredientes ou que tenham mensagens ateístas.

Em 2018, Phillips venceu uma batalha judicial de seis anos que o levou à Suprema Corte, cuja decisão reafirmou a liberdade religiosa e a liberdade de expressão de Phillips: o confeiteiro se recusou a fazer um bolo que celebra a união entre as pessoas do mesmo sexo em 2012.

Naquela ocasião, Phillips propôs criar outro tipo de bolo para o casal, já que a ideia inicial era contrária às suas crenças religiosas. Além disso, a legislação do Colorado não reconhecia uniões do mesmo sexo como casamentos.

Três meses depois de ganhar o caso na Suprema Corte, Scardina, que se identifica como uma mulher "transgênero", processou Phillips por se recusar a fazer um bolo que celebra a transição de gênero do advogado: rosa por dentro e azul por fora.

Assim, o confeiteiro processou o estado do Colorado, alegando que estava sendo perseguido por suas crenças religiosas. O caso foi abandonado em março de 2019, "depois que a fase de investigação mostrou que o Estado estava mostrando 'hostilidade antirreligiosa', ao continuar perseguindo Phillips", informou ‘National Review’.

Em 5 de junho deste ano, Scardina processou Phillips pela segunda vez, alegando que não quis fazer um bolo de aniversário para ele.

"Masterpiece Cakeshop, sob a direção de Phillips, recusou-se a vender um bolo de aniversário para a Sra. Scardina por causa de sua condição de transgênero", afirma a denúncia.

Phillips iniciou seus negócios em 1993, em Lakewood, no Colorado. Sua loja se chama “Masterpiece”, e especializou-se em bolos artísticos.

Fonte: ACI digital



A Misericórdia do Pai Celeste-17° Domingo do Tempo Comum(Ano C)


A MISERICÓRDIA DO PAI CELESTE

17° Domingo do Tempo Comum
 – Ano C

Evangelho de Lucas 11,1-13

1 Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. 2 Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. 3 Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos 4e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”. 5 E Jesus acrescentou: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, 7 e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’, 8 eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. 9 Portanto, eu vos digo, pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. 10 Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. 11 Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 12 Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? 13 Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”
Reflexão

A MISERICÓRDIA DO PAI CELESTE

O traço mais característico do Pai, transmitido nos Evangelhos, é a misericórdia. Por isso, ao ensinar os discípulos a rezar, Jesus revela-lhes o rosto misericordioso do Pai, e os exorta a contar sempre com ele. Um dado fundamental: é preciso ser perseverante, quando se trata de recorrer ao Pai. Só ele conhece o momento oportuno de atender a quem lhe pede ajuda. Contudo, ninguém perde por esperar.

A argumentação de Jesus funda-se na insuperável misericórdia divina. Se nenhum pai humano, por pior que seja, responderia à súplica de um filho, dando-lhe algo nocivo, quanto mais o Pai celeste. Sua bondade infinita responde generosamente a quem lhe suplica. E ninguém fica decepcionado, pois é garantida a sua intervenção em favor de seus filhos.

A oração do Pai-Nosso é o resumo de tudo de que há de bom e que o discípulo pode desejar obter do Pai. Para rezá-lo, o orante deverá despojar-se de suas ambições pessoais e sintonizar-se com a misericórdia divina. Por isso, seu desejo é ver santificado o nome do Pai celeste, e concretizado seu Reino, na história humana. Seus anseios abrem-se para as relações interpessoais e se manifestam na esperança de ver o pão ser partilhado entre todos, os pecados, perdoados, e o ser humano, livre das insídias do Maligno. Só um coração misericordioso, à imitação do Pai, poderá nutrir tais desejos!

Oração do Dia

Espírito que despoja do egoísmo, sintoniza-me com a misericórdia do Pai, tirando de mim tudo quanto me fecha nos estreitos limites de minhas ambições pessoais.

O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE.




sábado, 27 de julho de 2019

Onde estão os túmulos dos 12 apóstolos?


Quadro da Última Ceia / Crédito: Domínio público

REDAÇÃO CENTRAL, 26 Jul. 19 / 01:00 pm (ACI).- Um artigo de ‘National Catholic Register’ informou sobre os lugares onde, com maior certeza e baseando-se em pesquisas atualizadas por arqueólogos, estariam os túmulos dos 12 apóstolos.

Os doze apóstolos são: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André; Tiago Maior (filho de Zebedeu) e seu irmão João; Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago Menor (filho de Alfeu); Simão, o cananeu, Judas Tadeu e Judas Iscariotes, que entregou Jesus. Em substituição a este último, Matias foi nomeado posteriormente.

São Pedro

O artigo do escritor Thomas Craughwell, indica que durante os últimos 100 anos, os arqueólogos quase confirmaram a localização dos túmulos de São Pedro, São Paulo e São João.

Por volta do ano 64, São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo por Nero na colina do Vaticano. Os cristãos recuperaram seu corpo e o enterraram em um cemitério próximo. Por volta do ano 326, o imperador Constantino nivelou o que restava da arena e da colina e erigiu uma grande basílica com o altar-mor colocado sobre o túmulo de São Pedro. Mas, depois de séculos de restaurações e reconstruções, a localização do túmulo foi perdida. A tradição continuava insistindo que os ossos de Pedro estavam debaixo do altar-mor de sua basílica, mas ninguém o havia visto em séculos.

Em 1939, os trabalhadores cavavam uma sepultura para o Papa Pio XI nas grutas debaixo de São Pedro, quando um deles sentiu que sua pá não encontrava mais terra. Ao passar uma lanterna pelo buraco, a equipe viu o interior de um mausoléu do século II. A exploração revelou uma necrópole romana inteira e perfeitamente preservada que foi coberta a pedido de Constantino. Diretamente debaixo do altar principal de São Pedro, os arqueólogos encontraram um túmulo simples que continha os ossos de um homem robusto e de idade avançada. Inúmeras orações e petições a São Pedro foram encontradas na parede do túmulo, assim como uma inscrição grega que dizia: "Pedro está dentro". Após anos de estudo, São Paulo VI declarou em 1968 que os ossos daquela sepultura pertenciam a São Pedro.

São João

A tradição indica que São João Evangelista morreu em Éfeso, no local onde hoje é a Turquia, por volta do ano 100. No século IV, depois que Constantino colocou fim à perseguição contra a Igreja, os cristãos de Éfeso construíram uma capela sobre o túmulo do apóstolo. No século V, o imperador Justiniano substituiu a capela por uma grande basílica. Depois que a região foi conquistada pelos turcos, a basílica se tornou uma mesquita que, por sua vez, foi destruída por Tamerlão em 1402. Na década de 1920, equipes arqueológicas da Grécia e da Áustria escavaram os restos da basílica e encontraram o túmulo de São João dentro dela. O túmulo estava vazio e ninguém sabe o que aconteceu com o corpo do apóstolo.

Santo André
Santo André, o primeiro homem a quem Cristo chamou para ser apóstolo, foi o irmão de São Pedro. Diz-se que depois da ascensão de Cristo ao Céu, André levou o Evangelho às terras que, atualmente, são a Rússia e a Ucrânia. Depois, em sua velhice, viajou para a Grécia, onde foi martirizado na cidade de Patras. Os cristãos locais o enterraram lá, mas no ano 357, a maioria de seus ossos foram transladados para Constantinopla. Em 1204, os cruzados italianos saquearam o santuário de Santo André e levaram suas relíquias para Amalfi, onde permanecem até hoje.

Em 1964, São Paulo VI devolveu algumas das relíquias de André à Igreja Ortodoxa Grega e elas foram novamente consagradas na basílica construída sobre o que se acredita ser o túmulo original do apóstolo.

São Tiago Maior

No ano 44, Tiago Maior, irmão de São João, foi martirizado em Jerusalém, sendo o primeiro dos apóstolos a dar a vida pela fé católica. Segundo a tradição, seu corpo foi milagrosamente transportado para o norte da Espanha e enterrado em um cemitério cristão (os espanhóis acreditam que durante as viagens missionárias de Tiago através do Mediterrâneo, ele pregou o evangelho na Espanha).

Uma lenda popular diz que as relíquias do apóstolo permaneceram ali, esquecidas, até o ano 814, quando um eremita chamado Pelayo seguiu uma estrela para um campo aberto e descobriu os restos do apóstolo. Hoje, estão consagrados na Catedral de São Tiago em Santiago de Compostela. Curiosamente, sob a catedral, os arqueólogos encontraram um cemitério cristão do primeiro século.

São Tiago Menor

Tiago Menor serviu como o primeiro bispo de Jerusalém e foi martirizado nesta região: jogado do telhado do templo e, como ainda estava vivo, foi espancado e apedrejado até a morte. Segundo a tradição, São Tiago foi enterrado no Monte das Oliveiras, com vista para Jerusalém. No século VI, o imperador Justiniano II transferiu suas relíquias para Constantinopla. Em algum momento, parte ou talvez todas as relíquias de São Tiago foram transladadas para a Igreja dos Doze Apóstolos em Roma, onde estão atualmente no mesmo santuário com as relíquias de seu companheiro apóstolo, São Felipe.

São Felipe

Em julho de 2011, arqueólogos trabalhando na Turquia anunciaram que tinham descoberto o que acreditavam ser o túmulo original de São Felipe. O sarcófago romano do primeiro século foi encontrado nos escombros de uma igreja do quarto ou quinto século, dedicada ao apóstolo. Segundo uma tradição registrada no documento apócrifo do século IV, conhecido como Atos de Felipe, por volta do ano 80, o apóstolo foi preso em Hierópolis, pregado pelos pés em uma árvore, de cabeça para baixo e, finalmente, decapitado.

O local do túmulo de São Felipe se tornou um lugar de peregrinação e os arqueólogos descobriram o caminho que conduzia ao Martyrium ou ao santuário dos mártires. O santuário foi destruído no século VII por um violento terremoto e incêndio; as relíquias de São Felipe foram transladadas para Constantinopla e de lá para Roma, onde foram consagradas com as relíquias de São Tiago Menor, na Igreja dos Doze Apóstolos.

Quando os arqueólogos abriram o sarcófago em Hierópolis, não encontraram ossos humanos no túmulo, por isso é possível que os restos mortais de São Felipe estejam preservados na cripta dos Doze Apóstolos em Roma.

Tomé, Bartolomeu, Mateus, Simão, Judas Tadeu e Matias
A antiga tradição diz que São Tomé viajou mais longe do que qualquer dos outros apóstolos, pregando o Evangelho na Índia, onde foi martirizado por um sacerdote hindu que o perfurou com uma lança. Hoje, uma parte dos ossos de São Tomé é reverenciada na Basílica de São Tomé, em Chennai (Índia). De alguma forma, a maioria de seus restos mortais foi transladada para Edessa, na Mesopotâmia. Em 1258, essas relíquias foram levadas para Ortona (Itália), onde são encontradas em um baú de ouro dentro de um altar de mármore branco na Basílica de São Tomé Apóstolo.

Conta-se que depois de Pentecostes, São Bartolomeu levou o cristianismo para a Armênia, onde foi martirizado depois de ser esfolado vivo. Em 809, as relíquias de São Bartolomeu foram transladadas de seu túmulo na Armênia para Lipar, e depois, em 838, para Benevento, no sul da Itália. Em 983, o imperador romano Otto III ergueu em Roma uma igreja na Ilha Tiberina, no rio Tibre; dedicou a igreja a São Bartolomeu e levou para lá uma parte das relíquias do apóstolo. Tanto Roma como Benevento são os principais santuários de São Bartolomeu.

O cobrador de impostos que se tornou evangelista, São Mateus, pregou na Etiópia, onde foi martirizado durante a celebração da Missa. Em 954, as relíquias de São Mateus foram levadas de seu túmulo na Etiópia para a cidade de Salerno, na Itália. As relíquias são veneradas na cripta da catedral de São Mateus de Salerno.

Todos os anos, milhões de peregrinos visitam a Basílica de São Pedro de Roma, e a maioria deles caminha pelo altar que abriga as relíquias do imensamente popular São Judas Tadeu e de São Simão, menos venerado.

A tradição narra que os dois apóstolos viajaram juntos para pregar o evangelho na Pérsia, onde foram martirizados: Judas foi espancado com um pau até a morte e Simão foi cortado ao meio. Não se tem certeza sobre quando suas relíquias foram transferidas para Roma.

Os onze apóstolos sobreviventes escolheram São Matias para substituir Judas Iscariotes, que traiu Nosso Senhor e depois tirou a própria vida. Diz-se que por volta do ano 326, a Imperatriz Santa Helena encontrou o túmulo de São Matias em Jerusalém e enviou suas relíquias aos cristãos de Trier (Alemanha). Seus restos mortais ainda são venerados na Basílica de São Matias de Trier.

Os restos mortais de São Paulo

Embora Saulo de Tarso – mais tarde chamado Paulo – não fizesse parte dos apóstolos que seguiram Jesus, ele também é conhecido como o apóstolo dos gentios.

Segundo a tradição, São Paulo foi decapitado no mesmo dia em que São Pedro foi crucificado. Constantino não se esqueceu de São Paulo: construiu uma basílica sobre o túmulo do apóstolo na Via Ostiense. Em 2009, o Papa Bento XVI anunciou que, após vários anos de estudo, os arqueólogos do Vaticano se sentiram confiantes de que os restos mortais consagrados em um sarcófago debaixo do altar principal da Basílica de São Paulo Fora dos Muros de Roma são, de fato, as relíquias de São Paulo.

“Os fragmentos ósseos, submetidos ao exame do carbono 14 por parte de especialistas que desconheciam a proveniência dos mesmos, resultaram pertencentes a uma pessoa que viveu entre os séculos I e II. Isto parece confirmar a tradição unânime e incontestável, que se trata dos despojos mortais do Apóstolo Paulo”, disse Bento XVI.

Fonte: ACI digital



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog