Junho 2015 - Devoção e Fé - Blog Católico

terça-feira, 30 de junho de 2015

Orando com nossas carteiras de trabalho na mão para que Jesus nos ajude nas dificuldades financeiras-Pe Marcelo Rossi


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem! 
Hoje (30 de junho), dia dos Santos Protomártires da Igreja, o Padre Marcelo Rossi continuou as orações com o lema: "Vamos orar com nossas carteiras de trabalho na mão, protegendo nossa situação financeira!".
Trouxe para vocês cinco belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas. 
Que Deus ilumine a todos, uma maravilhosa semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.

Para Saber Mais:
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:
Amados, nosso País atravessa mais uma crise financeira, mas com Fé em Deus, vamos vencer esta tribulação, NESTA SEMANA VAMOS ORAR COM NOSSAS CARTEIRAS DE TRABALHO NA MÃO, PROTEGENDO NOSSA SITUAÇÃO FINANCEIRA!

Infelizmente nosso Brasil passa por mais um momento conturbado, a situação financeira das famílias estão novamente comprometidas e um numero maior de pais e mães se encontram com dificuldades para manter suas contas em dia. Por mais do que nunca vamos orar, para que Jesus nos ajude a atravessar este momento. NESTA SEMANA VAMOS ORAR COM NOSSAS CARTEIRAS DE TRABALHO NA MÃO, PROTEGENDO NOSSA SITUAÇÃO FINANCEIRA!!!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Quando Deus determina algo para a sua vida, quando Ele faz planos, não importa a situação, tempo ou lugar, vai acontecer... O Senhor honra com a sua palavra... Não é preciso entender o seu agir, mas confiar que Ele está agindo."








***********************


Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs



**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé




Santos Protomártires da Igreja de Roma (30 de junho)



A liturgia reformada colocou, com muito acerto, imediatamente após a festa dos Apóstolos Pedro e Paulo, a memória dos demais mártires que foram ceifados pela perseguição do imperador Nero, constituindo-se em preciosa semente que fecundou a gloriosa Igreja de Roma.

Certo dia, um pavoroso incêndio reduziu Roma a cinzas. Em 19 de julho de 64, a poderosa capital virou escombros e o imperador Nero, considerado um déspota imoral e louco por alguns historiadores, viu-se acusado de ter sido o causador do sinistro. Para defender-se, acusou os cristãos, fazendo brotar um ódio contra os seguidores da fé que se espalharia pelos anos seguintes. Nero aproveitou-se das calúnias que já cercavam a pequena e pouco conhecida comunidade hebraica que habitava Roma, formada por pacíficos cristãos. Na cabeça do povo já havia, também, contra eles, o fato de recusarem-se a participar do culto aos deuses pagãos. Aproveitando-se do desconhecimento geral sobre a religião, Nero culpou os cristãos e ordenou o massacre de todos eles. A história diz que o cruel imperador Nero, tocando cítara, deleitava-se do alto duma colina a contemplar o macabro espetáculo.
Há registros de um sadismo feroz e inaceitável, que fez com que o povo romano, até então liberal com relação às outras religiões, passasse a repudiar violentamente os cristãos.

O escritor romano Tácito, relatando esta perseguição, diz que foi ceifada “uma grande multidão de cristãos” submetidos às mais cruéis torturas: “Uns foram revestidos de pele de animais, para simbolizar representações mitológicas e melhor serem devorados pelas feras; outros, metidos em sacos de resina inflamável e amarrados em postes, foram queimados vivos a fim de iluminar ar ruas noite adentro”. O mesmo Tácito reconhece que “foram sacrificados não porque réus de incêndio, mas unicamente para satisfazer à crueldade do imperador” (Annales 15,44).

O Papa São Clemente Romano, contemporâneo destes fatos, escrevendo aos fiéis de Corinto, alude a esta perseguição dizendo: “Uma grande multidão de fiéis suportou ultrajes e torturas e se transformou no mais belo exemplo entre nós. Entre estes também muitas mulheres, sofrendo afrontas atrozes e sacrílegas, percorreram a trajetória segura da fé, obtendo o nobre prêmio, elas que eram fracas no corpo” (cap.6).

A crueldade chegou a um exagero tão grande que acabou incutindo no povo um sentimento de piedade. Não havia justificativa, nem mesmo alegando razões de Estado, para tal procedimento. O ódio acabou se transformando em solidariedade. Os apóstolos São Pedro e São Paulo foram duas das mais famosas vítimas do imperador tocador de lira, por isso a celebração dos mártires de Nero foi marcada para um dia após a data que lembra o martírio de ambos. Porém, como bem nos lembrou o papa Clemente, o dia de hoje é a festa de todos os mártires, que com o seu sangue sedimentaram a gloriosa Igreja Católica Apostólica Romana.
Estes primeiros mártires da Igreja Romana, envolvidos na mesma perseguição em que morreram os Apóstolos Pedro e Paulo, são contemplados pela memória litúrgica deste dia como preito de gratidão e propostos como maravilhoso exemplo de firmeza na fé.

Oração: Santos mártires de nossa santa Igreja, que passaram por tantos sofrimentos para semear o Evangelho, nós vos louvamos por vossas vidas tão heróicas e santas e nos consagramos a vós para que também nós nos tornemos cristãos em verdade e em vida. Por Cristo Nosso Senhor. Amém. Santos Mártires, rogai por nós!

Fonte:
http://www.portalsalette.com.br/

http://www.catolicoorante.com.br/liturgia_diaria.php?dia=30





segunda-feira, 29 de junho de 2015

Papa Francisco: a Igreja é de Cristo, nenhum Herodes apagará sua luz


Cidade do Vaticano (RV) – “Ensinar a oração, orando; anunciar a fé, acreditando; testemunhar, vivendo!” Foi o que pediu Francisco aos Arcebispos Metropolitanos que na Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo receberam o pálio das mãos do Papa. A missa foi celebrada na manhã desta segunda-feira (29/06), na Basílica Vaticana.

Concelebraram com o Pontífice mais de 40 Arcebispos, de todo o mundo, entre os quais o Arcebispo de Curitiba, no Paraná, Dom José Antônio Peruzzo. Estava presente também a delegação do Patriarcado Ortodoxo de Constantinopla, que o Papa saudou logo no início da cerimônia.

Novidade

A celebração  deste ano teve uma novidade: a faixa de lã branca foi entregue e não colocada pelo Santo Padre. A imposição do Pálio será feita pelo Núncio Apostólico, nas respectivas Arquidioceses de origem. O significado desta alteração é colocar em maior evidência a relação dos Arcebispos com a sua Igreja local e, assim, dar também a possibilidade a mais fiéis de estarem presentes neste rito.

Homilia

Em sua homilia, comentando as leituras do dia, o Papa destacou a coragem dos Apóstolos e da primeira comunidade cristã de levar avante a obra de evangelização, sem medo da morte nem do martírio. Esta coragem, frisou Francisco, é um forte apelo à oração, à fé e ao testemunho.

Apelo à oração

“A comunidade de Pedro e Paulo ensina-nos que uma Igreja em oração é uma Igreja de pé, sólida, em caminho!”, disse. Na verdade, um cristão que reza é um cristão protegido, mas sobretudo não está sozinho. “Nenhuma comunidade cristã pode prosseguir sem o apoio da oração perseverante! A oração é o encontro com Deus, que jamais desilude.”

A primeira leitura fala do aparecimento de um anjo que inunda a masmorra de Pedro de luz. “Quantos anjos coloca Ele no nosso caminho, mas nós, dominados pelo medo ou a incredulidade ou então pela euforia, deixamo-los fora da porta”, acrescentou o Papa.

Apelo à fé

o Pontífice prosseguiu dizendo que Deus não tira os seus filhos do mundo ou do mal, mas dá-lhes a força para vencê-los. E falou das forças que tentaram – e ainda tentam – aniquilar a Igreja com inúmeras tempestades e os nossos muitos pecados. Não obstante, a Igreja permanece viva e fecunda. “Inexplicavelmente, permanece firme.”

Tudo passa, só Deus resta. “Na verdade, passaram reinos, povos, culturas, nações, ideologias, mas a Igreja, fundada sobre Cristo, permanece fiel ao depósito da fé, porque a Igreja não é dos Papas, dos Bispos, dos padres e nem mesmo dos fiéis; é só e unicamente de Cristo.”

Apelo ao testemunho

Por fim, o Papa faz um apelo ao testemunho, a exemplo de Pedro e Paulo.

“Uma Igreja ou um cristão sem testemunho é estéril; um morto que pensa estar vivo; uma árvore ressequida que não dá fruto; um poço seco que não dá água! A Igreja venceu o mal, através do testemunho corajoso, concreto e humilde dos seus filhos.”

Apelo aos Arcebispos

“Amados Arcebispos que hoje recebestes o pálio! Este é o sinal que representa a ovelha que o pastor carrega aos seus ombros como Cristo, Bom Pastor”, disse o Papa, sublinhando o que a Igreja quer deles:

“A Igreja quer-vos homens de oração, mestres de oração”: que ensinam ao povo que a libertação de todas as prisões é apenas obra de Deus e fruto da oração; que Deus, no momento oportuno, envia o seu anjo para nos salvar das muitas escravidões e das inúmeras cadeias mundanas. "E sede vós também, para os mais necessitados, anjos e mensageiros da caridade!"

“A Igreja quer-vos homens de fé, mestres de fé: que ensinem os fiéis a não terem medo de tantos Herodes que afligem com perseguições, com cruzes de todo o gênero. Nenhum Herodes é capaz de apagar a luz da esperança daquele que crê em Cristo!”

“A Igreja quer-vos homens de testemunho: Não há testemunho sem uma vida coerente! Hoje sente-se necessidade não tanto de mestres, mas de testemunhas corajosas, que não se envergonham do Nome de Cristo e da sua Cruz perante as potências deste mundo.”

O motivo é muito simples, disse Francisco: “O testemunho mais eficaz e mais autêntico é aquele que não contradiz, com o comportamento e a vida, aquilo que se prega com a palavra. Ensinar a oração, orando; anunciar a fé, acreditando; testemunhar, vivendo!" (BF)

Fonte: Rádio Vaticano



São Pedro - o primeiro Papa

SÃO PEDRO - O PRIMEIRO PAPA

Quem é que não conhece a  vida de São Pedro, daquele pescador da Galiléia, escolhido por Nosso Senhor para ser o primeiro Apóstolo? São Pedro, forte na fé, dedicado ao Divino Mestre a ponto de querer defendê-lo com a espada! São Pedro que, fraco na tentação, negou o Mestre, mas pela contrição se levantou e por Jesus foi nomeado chefe da Igreja! Não é tanto que a vida de São Pedro que hoje se nos apresenta, senão mais o seu pontificado.

Na primeira vocação do Apóstolo, Jesus o fitou e disse: "Tu és Simão, filho de Jonas; serás chamado "Cefas", que quer dizer Pedro, isto é, pedra". (Jo I, 42). Essa mudança de nome é significativa. Jesus mesmo deu a explicação desse nome, quando em Cesaréia de Filipe disse: "...Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e  as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; tudo que ligares na terra, será ligado nos céus; e tudo que desligares na terra será desligado nos céus". (Mt. 16, 18).

Noutras palavras Jesus anuncia, entre outras coisas: que Pedro é a rocha inabalável, que serve de  fundamento à Igreja; na mesma recebe o supremo poder e a ela são entregues as chaves do céu.

Depois da gloriosa Ressurreição, da pesca milagrosa, do repasto misterioso na praia do lago Genesaré, Jesus dirigiu-se a Pedro, perguntando-lhe: "Simão, filho de Jonas, amas-me mais que estes?" Ele respondeu: "Sim, Senhor, sabeis que vos amo". Jesus disse-lhe: "Apascenta os meus cordeiros". (Jo. 21,16-17). Com estas palavras Pedro foi pelo divino Mestre instituído pastor do seu rebanho.

Assim São Pedro o compreendeu, e pelos Apóstolos foi reconhecido Chefe da Igreja. Logo depois da Ascensão de Jesus  Cristo, Pedro propôs a eleição de um substituto de Judas. Na festa de Pentecostes, Pedro tomou a palavra e  falou com tanta convicção e tanto poder, que no mesmo dia três mil judeus pediram o batismo. Foi Pedro também o primeiro que com grandes milagres confirmou a verdade da fé, que pregava. Ao pobre paralítico que, sentado na porta do templo, lhe pediu esmola, disse o Apóstolo: "Prata e ouro não possuo, mas o que tenho te dou: Em nome de Jesus de Nazaré, levanta-te e anda".

No mesmo momento o paralítico se levantou e andou. Além destes Pedro operou ainda muitos milagres. Doentes que lhe tocavam a orla do manto, ou se lhe colocavam na sombra, ficaram curados. As autoridades do templo quiseram proibir a Pedro a  pregação da nova doutrina. Este, porém, respondeu: "É preciso obedecer a Deus de preferência aos homens". Assim, Pedro pregou o Evangelho com toda a franqueza, não temendo cárcere e açoites. Foi também o primeiro dos Apóstolos que pregou aos gentios, como prova a conversão de  Cornélio.

É difícil resumir em poucas  palavras  o que o grande Apóstolo fez pela propagação da santa fé. Atravessou toda a Palestina, pregou e fez milagres estupendos, onde quer que chegasse. Curou instantaneamente a  Enéas  da  paralisia, de que sofria  havia oito anos;  chamou à vida a Tabitha, ordenou sacerdotes e sagrou bispos. Fixou residência em Antioquia, onde permaneceu durante sete anos. Preso por ordem de Herodes em Jerusalém, foi por um anjo libertado da prisão. Depois disto se dirigiu a  Roma, a sede da idolatria. De lá mandou missionários para a França, Espanha, Sicília e Alemanha. Nove anos depois, sendo expulso de Roma, voltou a Jerusalém, onde pouco tempo ficou,  para procurar  outra vez a  capital do império. Em Roma vivia um grande  feiticeiro chamado Simão. Tendo muito prestígio entre os romanos e sendo protegido de Nero, marcou um dia em que,  para comprovar a verdade da sua doutrina, diante de todo o povo ia elevar-se ao céu. Chegou o dia determinado e Simão de fato subiu aos ares. Pedro  fez o exorcismo e ordenou aos maus espíritos que se afastassem, e Simão caiu de uma altura considerável, fraturando as pernas. Este fato abriu os olhos a muita  gente, que em seguida muitos vieram pedir o Sacramento do Batismo. Mas serviu este  fato também para que se desencadeasse uma furiosa tempestade contra a jovem Igreja.

O Imperador Nero atiçava as  paixões contra os cristãos. Pedro conservara-se algum tempo escondido da sanha do tirano e projetara a fuga de Roma. Saindo da cidade - assim conta a lenda - teve uma visão. Viu diante de si o divino Mestre. "Senhor, para onde ides?" perguntou-lhe o Apóstolo. "A Roma, para ser crucificado outra vez", respondeu Jesus. Pedro compreendeu o sentido das palavras e voltou para trás. Foi preso e  levado ao cárcere mamertino, onde se achava também São Paulo.

A prisão durou oito meses. Nesse meio tempo, São Pedro converteu os carcereiros Martiniano e Processo, que, com mais quarenta e oito neo-cristãos, sofram o martírio. Escreveu duas Epístolas, que são as  primeiras cartas pastorais dirigidas à Cristandade.

Condenado à morte, São Pedro foi, como o divino Mestre, cruelmente açoitado e em seguida levado à colina vaticana para ser crucificado. Estando tudo pronto para a execução, São Pedro pediu aos algozes que o pregassem na cruz com a cabeça para baixo, porque se achava indigno de  morrer como o divino Mestre. Assim morreu o primeiro Papa da Igreja Católica. No lugar do suplício foi mais tarde edificada a Basílica de  São Pedro. Os restos mortais do Príncipe dos Apóstolos e primeiro Papa se acham na mesma Basílica. (JORNALISTA FABIO BOTTO)

Oração à São Pedro

Glorioso São Pedro, creio que vós sois o fundamento da Igreja, o pastor universal de todos os fiéis, o depositário das chaves do céu, o verdadeiro vigário de Jesus Cristo; e eu em glorio de ser vossa ovelha, vosso súdito e filho.

Uma graça vós peço com toda minha alma: guardai-me sempre unido a vós que antes me seja arrancado do peito o coração do que o amor e plena submissão que vos devo nos vossos sucessores, os pontífices romanos.

Viva eu e morra como vosso filho da Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana.

Assim seja.

Oração à São Pedro, Príncipe dos Apóstolos

Ó glorioso São Pedro, Príncipe dos Apóstolos, a quem o SENHOR JESUS escolheu para ser o fundamento da Igreja, entregou as chaves do Reino dos Céus e constituiu Pastor universal dos fiéis, queremos ser sempre vossos súditos e filhos.
Confiantes na Palavra do SENHOR, que vos concedeu o encargo de confirmar os irmãos na fé, nos conceda a graça de, diante da diversidade das opiniões dos homens, saber professar com firmeza a nossa fé em CRISTO, FILHO de DEUS, e permanecer naquele fervoroso amor a JESUS, que por três vezes proclamastes após a ressurreição.
Fazei que sejamos fiéis aos ensinamentos do evangelho, a fim de permanecermos unidos no rebanho do SENHOR, sob a vossa guarda, e no amor ao Santo Padre, o Papa, vosso legítimo sucessor, a fim de que, após o tempo desta vida, possamos nos unir para sempre à Igreja triunfante no céu. Amém.

Fonte: Catolicismo Romano



São Pedro, o apóstolo pescador de homens (29 de junho)

São Pedro: o apóstolo pescador de homens, 
tornou-se o primeiro papa e morreu em 29 de junho

Antes de se tornar um dos doze discípulos de Cristo, Simão Pedro era pescador. Nasceu em Betsaida e morava em Cafarnaum. Segundo o relato no Evangelho de São Lucas 5,1-11, Pedro conheceu Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro, que estava a lavar redes com São Tiago e João, seus sócios, concedeu-lhe o lugar na barca, que foi afastada um pouco da margem. No final da pregação, Jesus disse a Simão Pedro que fosse pescar de novo lançando as redes em águas mais profundas. Pedro respondeu que tentara em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira mas, em atenção à sua palavra, fá-lo-ia. O resultado foi uma pescaria de tal monta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase se afundava puxando os peixes. Numa atitude de humildade e espanto Pedro prostrou-se perante Jesus e pediu para que se afastasse dele, já que era um pecador. Jesus encorajou-o, então, a segui-lo, dizendo que o tornaria "pescador de homens".

De acordo com os Evangelhos, Simão foi o primeiro dos discípulos a professar a fé em Jesus Filho de Deus. Esse acontecimento levou Jesus a chamá-lo de Pedro - a pedra basilar da Igreja. Encontramos o relato do evento no Evangelho de São Mateus 16,13-23: Jesus perguntou aos seus discípulos (depois de se informar do que sobre ele corria entre o povo): "E vós, quem pensais que sou eu?"; ao que Pedro respondeu "És o Cristo, Filho de Deus vivo". Jesus disse, então: "Simão, filho de Jonas, és um homem abençoado! Pois isso não te foi revelado por nenhum homem, mas pelo meu Pai, que está no céu. Por isso te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e o poder da morte não poderá mais vencê-la. Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu, e o que ligares na terra será ligado no céu, e o que desligares na terra será desligado no céu". É por esta razão que São Pedro é geralmente representado com chaves na mão e a tradição apresenta-o como porteiro do Paraíso.

Os evangelhos referem-no muitas vezes (mais que a qualquer outro dos discípulos). Conta-se no Evangelho de São Mateus 26,30-35 que Jesus, no Monte das Oliveiras, antes de ser preso, nessa noite, revelou que os seus discípulos seriam dispersados, abandonando-o. Pedro assegurou que nunca o abandonaria. Jesus declarou-lhe: "Garanto-te que esta noite, antes que o galo cante, me negarás três vezes". Pedro insistiu na sua fidelidade. Mais tarde, segundo o mesmo Evangelho, 26,69-75, Pedro, que observava de longe o julgamento de Jesus no átrio do sumo sacerdote Caifás, ao ser apontado como um dos seguidores de Cristo por várias pessoas, negou Cristo por três vezes, tal como fora predito. Quando o galo cantou, Pedro lembrou-se do que lhe fora profetizado por Jesus e chorou de arrependimento.

No capítulo 21 do Evangelho de São João, é relatado que Cristo, depois de perguntar repetidas vezes a Pedro se este o amava, lhe diz: "Cuida das minhas ovelhas. Em verdade te digo: quando eras mais novo, cingias o cinto e ias para onde querias. Quando fores mais velho, estenderás as mãos e será outro a cingir-te o cinto, levando-te para onde não queres.", o que indica que seria martirizado pela crucificação. Clemente de Roma, cerca do ano 95 d. C., refere que morreu durante o reinado de Nero. A tradição conta que, sendo o primeiro bispo de Roma, e de acordo com a personalidade vacilante que já aparece nos evangelhos, Pedro, ao decidir fugir de Roma, onde os cristãos eram perseguidos e executados na arena, encontra Jesus Cristo (na forma de uma criança, segundo o romance de Henryk Sienkiewicz, "Quo Vadis?"). Ao perguntar a Jesus "onde vais, Senhor?" ("Quo Vadis, Domine?"), este respondeu-lhe que ia para Roma, para ser martirizado com as suas ovelhas que foram abandonadas. Pedro, arrependido, voltou para Roma e entregou-se às autoridades que o crucificaram. Diz a tradição que exigiu que fosse crucificado de cabeça para baixo, já que não se considerava digno de morrer da mesma forma que Cristo.

Oração a São Pedro

São Pedro, a vossa fraqueza humana vos levou a negar por três vezes o bom Mestre; mas as vossas lágrimas de arrependimento vos alcançaram o perdão.
Ó grande santo, dai-me a graça de vencer as minhas fraquezas humanas e fazei que a vossa fé e o vosso amor para com Cristo sejam para mim estímulo que me leve a vos imitar; e assim imitando-vos na fé e no amor a Cristo, tenho a certeza que, quando eu morrer, vós me haveis de receber de braços abertos na porta do Reino do Céu.
São Pedro, abençoai o Papa;
Protegei toda a Igreja e confirmai os Irmãos na Fé. Amém.
    

Fonte: Catedral de São Pedro



Orando com nossas carteiras de trabalho na mão pela nossa situação financeira-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem! 
Hoje (29 de junho), o Padre Marcelo Rossi iniciou as orações com o lema: "Vamos orar com nossas carteiras de trabalho na mão, protegendo nossa situação financeira!".
Trouxe para vocês cinco belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas. 
Que Deus ilumine a todos, uma maravilhosa semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

domingo - AMADOS, QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS! Deus esta aguardando o nosso contato, Ele sempre nos espera de braços abertos, por durante toda esta semana nos oramos para QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!
Jesus está sempre a nossa espera, sempre pronto para nos prestar qualquer tipo de auxílio ou socorro, basta você saber procura-lo. A própria Bíblia nos deixa pistas para conhece-lo melhor. Inúmeros versículos tratam da nossa relação com Deus, em Jeremias, Capítulo 3, Versículo 22, encontramos: “O segredo principal do relacionamento com o Senhor é a conversão a Deus”. Nascidos de novo através da Conversão a Cristo, passamos a experimentar um relacionamento novo com Ele. Por isso mais do que nunca vamos nos converter totalmente e nossa vida será outra, vamos orar para que TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!


segunda - AMADOS, COM NOSSA CARTEIRA DE TRABALHO EM MÃOS VAMOS ORAR PELA NOSSA SITUAÇÃO FINANCEIRA!
Estamos atravessando uma situação de crise em todos os setores da nossa sociedade, por isso NESTA SEMANA VAMOS ORAR COM NOSSAS CARTEIRAS DE TRABALHO NA MÃO, PROTEGENDO NOSSA SITUAÇÃO FINANCEIRA!
Nos manter firmes na Fé nos bons momentos é fácil, difícil e trabalhoso é mantermos nossa Fé elevada em momentos conturbados. Infelizmente estamos, mais uma vez, passando por um momento de forte crise no nosso País, que já afeta o mercado de trabalho do povo brasileiro. São muitos os pais de família que estão perdendo seus empregos, colocando em risco todo o orçamento familiar, portanto vamos juntos manter nossa Fé elevada e com toda força de Jesus, vamos enfrentar e vencer esta situação. Desta maneira NESTA SEMANA VAMOS ORAR COM NOSSAS CARTEIRAS DE TRABALHO NA MÃO, PROTEGENDO NOSSA SITUAÇÃO FINANCEIRA!!!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"É normal desanimar em algum momento.
Somos essencialmente sentimentais, temos muitos sonhos e muitos defeitos. Mas seguir acreditando, é tornar as coisas possíveis.
Sempre se mantenha em percurso, se estiver cansado, descanse em Deus. Ele te revigora e te faz crescer diante dos problemas... Veja nele o caminho para vencer os desafios."







***********************


Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs

**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé




Depois de comungar, o que é mais aconselhável?

Depois de comungar, o que é mais aconselhável? 
(Re)descubra um dos momentos mais especiais da santa missa

Prof. Felipe Aquino

A Igreja nos ensina que após receber a Sagrada Hóstia, presença real de Jesus (corpo, sangue, alma e divindade), Ele está substancialmente presente em nós até que nosso organismo consuma as espécies do trigo; isto pode levar cerca de 15 minutos. Depois disso, Jesus passa a estar em nossa alma pela ação do Espírito Santo e de Sua graça.

O grande São Pedro Julião Eymard, em seu livro "Flores da Eucaristia" (Ed. Palavra Viva, Sede Santos!, Distribuidora Loyola, pgs 131-135), nos ensina a importância da Ação de Graças. Transcrevo aqui alguns de seus ensinamentos para a sua meditação:

“O momento mais solene de vossa vida é o da Ação de Graças, em que possuis o Rei da Terra de do Céu, vosso Salvador e Juiz, disposto a vos conceder tudo o que Lhe pedirdes”.

“A Ação de Graças é de imprescindível necessidade, a fim de evitar que a Santa Comunhão degenere num simples hábito piedoso.”

“Nosso Senhor permanece pouco tempo em nossos corações, após a Santa Comunhão, porém os efeitos de Sua Presença se prolongam. As santas espécies são como que um invólucro, o qual se rompe e desaparece para que o remédio produza seus salutares efeitos no organismo. A alma se torna então como um vaso que recebeu um perfume precioso.”

“Consagrai à Ação de Graças meia hora se for possível, ou, pelo menos, um rigoroso quarto de hora (15 minutos). Dareis prova de não ter coração e de não saber apreciar devidamente o que é a Comunhão, se, após haver recebido Nosso Senhor, nada sentísseis e não Lhe soubésseis agradecer.”

“Deixai, se quiserdes, que a Santa Hóstia permaneça um momento sobre a vossa língua a fim de que Jesus, verdade e santidade, a purifique e santifique. Introduza-a depois em vosso peito, no trono do vosso coração, e, adorando em silêncio, começai a Ação de Graças” (pg. 131).

“Adorai Jesus sobre o trono de vosso coração, apoiando-vos sobre o Dele, ardente de amor. Exaltai-Lhe o poder… proclamai-o Senhor vosso, confessai–vos ser feliz servo, disposto a tudo para Lhe dar prazer.”

“Agradecei-Lhe a honra que vos fez, o amor que vos testemunhou, e o muito que vos deu nesta Comunhão! Louvai a Sua bondade e o seu amor para convosco, que sois tão pobre, tão imperfeito, tão infiel! Convidai os anjos, os santos, a Imaculada Mãe de Deus para louvá-Lo e agradecer-Lhe por vós. Uni-vos às ações de graças amantes e perfeitas da Santíssima Virgem.”

“Agradeçamos por meio de Maria, pois quando um filho pequeno recebe alguma coisa cabe à mãe agradecer por ele. A Ação de Graças identificada com a de Maria Santíssima será perfeita e bem aceita pelo Coração de Jesus.”

“Na Ação de Graças de Comunhão, chorai os vossos pecados aos pés de Jesus com Madalena (Jo 12,3), prometei-lhe fidelidade e amor, fazei-Lhe o sacrifício de vossas ações desregradas, de vossa tibieza, de vossa indolência em empreender o que vos custa. Pedi-Lhe a graça de não mais O ofender, professar-Lhe que preferis a morte ao pecado.”

“Pedi tudo o que quiserdes; é o momento da graça, e Jesus está disposto a vos dar o próprio Reino. É um prazer que Lhe proporcionamos, oferecer-Lhe ocasião de distribuir seus benefícios.”

“Pedi-lhe o reinado da santidade em vós, em vossos irmãos, e que a sua caridade abrase todos os corações.”

Na Ação de Graças podemos e devemos orar pela Igreja, pelas necessidades, intenções e saúde do Papa e de nossos bispos, sacerdotes, diáconos, consagrados, coordenadores de comunidades, missionários, catequistas, vocações sacerdotais e religiosas, etc.

É o momento privilegiado para pedir a Jesus, pelo Seu Sacrifício, o sufrágio das almas do Purgatório (dizendo-Lhe os nomes), de pedir por cada pessoa de nossa família e de todos os que se recomendaram às nossas orações e por todos aqueles por quem somos mais obrigados a rezar. E supliquemos a Jesus todas as graças necessárias para podermos cumprir bem a missão que Ele nos deu nesse mundo, seja familiar, profissional ou apostólica. É também o momento de nossa cura interior, pelo Sangue de Jesus.

Não nos esqueçamos nunca do que Ele disse: “Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira” (Jo 15, 1-6). É melhor não Comungar do que Comungar mal.

Fonte: Aleteia



domingo, 28 de junho de 2015

Solenidade de Pedro e Paulo, Príncipes da Igreja

Pedro e Paulo, Príncipes da Igreja
Celebramos dois grande santos da Igreja. Pedro, protetor da comunidade cristã ad intra, e Paulo, pregador da Igreja ad extra. Pedro cuida do rebanho do Senhor, para que siga nas trilhas do Evangelho, e Paulo avança para novas fronteiras.

São dois grandes modelos e nos ensinam a sermos fiéis a Jesus Cristo. As chaves de Pedro escancaram as portas da Igreja para acolher novos filhos. Paulo salta montanhas e muralhas para anunciar o Cristo, que lhe tocou profundamente o coração. Nunca nos cansaremos de repetir com Paulo: "Ai de mim se eu não evangelizar" (1Cor 9,16).

Solenidade de nossas colunas eclesiais

Na solenidade de Pedro e Paulo, comemorada em 28 de junho neste ano, a liturgia mostra a grande importância deles na Igreja primitiva e sua importância na evangelização e na unidade da Igreja. Sua origem começa com uma celebração em honra aos dois santos, chamada de festa dos Apóstolos.
Conforme a tradição católica, no lugar onde os santos eram martirizados ou mesmo sepultados, os cristãos se dirigiam em peregrinação para o "santuário", principalmente na data do aniversário de morte. Assim, ao longo dos séculos, Pedro e Paulo receberam grande demonstração de fé de todos os povos. Sabemos, pelos estudos especializados, que os dois foram martirizados em Roma sob o desumano Imperador Nero. Como informam os escritos de Clemente Romano (martirizado no ano 110 e que foi Papa entre os anos 88 e 97), Pedro foi crucificado de cabeça para baixo e Paulo foi decapitado.

Passos bíblicos de nossos patriarcas

No Novo Testamento, temos os relatos de que Pedro foi escolhido como chefe da Igreja (Mt 16,13-19) e pastor da comunidade cristã (Jo 21,15-17), enquanto Paulo, convertido no Caminho de Damasco, após uma grande luz -Jesus Cristo- ter-lhe aparecido(At 9,1-16), foi escolhido como missionário dos povos pagãos e dos gentios (At 9,15).
Paulo foi, sem dúvida, o grande missionário da Igreja primitiva. A ele se devem inúmeras comunidades, as, quais nasceram nas suas três magníficas viagens de evangelização. O trajeto que Paulo fez e os frutos de seu trabalho de evangelização são sem dúvida alguma os pilares que sustentam até hoje a nossa fé. Suas pregações levavam as boas novas, além de ter divulgado os ensinamentos de Cristo com uma maestria e perseverança que o tornou "Príncipe da Igreja".
Pedro foi escolhido por Jesus para edificar a Igreja. Ele foi a pedra fundamental que construiu a Igreja e, como seu chefe, teve o poder dado por Cristo para que ele ligasse ou desligasse na terra tudo o  que também seria ligado ou desligado no céu (cf. Mt 16,13-19). Amplos poderes para levar adiante os ensinamentos do Filho de Deus. Hoje, muitos olham para o Vaticano como se  ele sempre tivesse existido como está; vemos mais de dois bilhões e quase trezentos milhões de católicos no mundo como se esse número fosse muito natural. No entanto, sabemos que para chegar a isso, os discípulos tiveram de ter muita coragem, padeceram muita dor e muito sangue foi derramado, desde Cristo até nossos dias.

Celebrar a fé e a fidelidade

A Missa desta grande solenidade ensina aos fiéis e devotos o valor do martírio dentro da comunidade, como modelo e força para todo os cristãos. É importante que os fiéis se recordem de Pedro e Paulo como aqueles que deram a vida pela Igreja e pelo seu papel na construção de nossa Santa Igreja.
Pedro e Paulo, como mártires, são testemunhas de Cristo e se tornaram Seus aliados mais importantes pela construção do Reino de Deus, transmitindo, também, a Palavra de Deus, como encontramos nas celebrações. Assim, aprofundamos a missão destes santos que edificaram a vida da Igreja.
Pedro é sempre apresentado como o primeiro apóstolo a proclamar a fé, e Paulo como o grande evangelizador dos povos, levando no início da Igreja primitiva a mensagem de Cristo. Pedro e Paulo complementam a missão que Cristo lhes confiou. Pedro cultiva a vida eclesial e Paulo vai além das fronteiras.
A primeira leitura traz a perseguição política à comunidade (At 12,1-11), que é muito simbólica para o Cristianismo. Deus está sempre presente e vem libertar Pedro que havida sido levado para a prisão. Esta passagem fortalece os cristãos perseguidos, pois o Senhor sempre está presente para auxiliar todos que acreditam nele.
A segunda leitura (2Tm 4,6-8.17-18) é centrada na figura de Paulo. Ela faz um retrospecto de sua missão, no processo de seu trabalho de evangelizar. Paulo considera-se vitorioso, pois agiu pelos desígnios de Deus, "combateu o bom combate de Deus" (2Tm 4,7) e nunca deixou esmorecer sua fé, mesmo diante de tantos problemas que tivera em suas viagens evangelizadoras. Paulo sente a presença próxima do martírio, devido às várias perseguições e ameaças de morte que enfrentou no final de sua vida.

Mística da santidade de Pedro e Paulo

O coração da mensagem desta celebração está direcionado na confissão que Pedro faz sobre a identidade de Jesus (Mt 16,13-14). Ele testemunha a messianidade e a divindade de Cristo: "Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo" (Mt 16,16). Esta passagem mostra que Pedro entendeu perfeitamente quem era o Filho de Deus, e , por isso, Ele lhe concedeu o poder de ligar e desligar tudo no céu e na terra.
Esta solenidade valoriza o crescimento da Igreja e sua dimensão missionária. As leituras demonstram que Pedro representa a coesão interna da comunidade e, Paulo, os seus caminhos no mundo, evangelizando, tendo sido realmente o maior missionário de Cristo. Juntos completam a missão que Deus escolheu para os dois.
É interessante notar que, no século XXI, Deus coloca no trono do Vaticano, o Papa Francisco. Lendo as mensagens de Paulo e de Pedro, que foi o primeiro bispo de Roma, encontramos no papa atual, o sentido da igreja primitiva cristã. em nossos dias, nossa Mãe Igreja vive este renascer, a nova primavera de Francisco, um sopro para renovar a Igreja de Cristo na história da humanidade.

Autores: Professor João H. Hansen, Padre Rodinei C. Thomazella e Padre Antônio S. Bogaz (Da família de São Luís Orione)

Fonte: Revista O Mílite (junho/2015)



Tu És Pedro-13º Domingo do Tempo Comum (Ano B)


Solenidade de São Pedro e São Paulo

Tu És Pedro

13° Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Mt 16, 13-19

13. Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?
14. Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas.
15. Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou?
16. Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!
17. Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.
18. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
19. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
Reflexão

A reflexão do Evangelho nos convida a descobrir quem é Jesus. Porém, esta resposta, muitas vezes, não se encontra em livros, manuais de teologia e nem mesmo em narrativas formuladas por outros. A resposta deve brotar da profundidade de nosso coração, porque o conhecimento e a experiência de Jesus nascem no coração de cada um de nós. Não esperemos encontrar a resposta de quem é Jesus em suposições ou mesmo em "achismos", mas sim no nosso relacionamento pessoal com Ele. Somos chamados a fazer esta experiência íntima com Jesus. Sendo assim, a nossa resposta será como aquela de Pedro que, sem medo, manifestou da profundidade do seu coração a resposta simples e concreta de quem verdadeiramente encontrou e fez a experiência de Cristo em sua vida. [a]

Oração

Senhor Jesus, não sei se Pedro era a melhor opção; mas acabou sendo, porque estivestes sempre com ele e o transformastes. Eu vos agradeço por nos terdes dado Pedro e todos os outros, em torno dos quais nos pudemos manter unidos através dos séculos. Hoje vos peço por Francisco, bispo de Roma e nosso papa. Iluminai-o e fortalecei-o, ajudai-o a nos manter unidos na fé, na caridade e na esperança. Segundo vosso projeto, reune em torno dele todos os que creem em vós, para que sejamos plenamente irmãos e irmãs. Fazei-me compreender que, também eu, como cada um de nós, devo ser ponto de atração e de união para todos. Preciso viver, pensar e falar de modo que esteja em união fraterna com todos, e seja fator de unidade e crescimento da comunidade cristã. Amém. [b]

Fonte: Revista O Mílite (junho/2015) [a]
Revista de Aparecida (junho/2015) [b]



sábado, 27 de junho de 2015

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (27 de junho)


Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro nasceu de um ícone milagroso, roubado de uma igreja, na ilha de Creta, Grécia, no século XV. Trata-se de uma pintura sobre madeira, de estilo bizantino, através do qual o artista, sabendo que a verdadeira feição e a santidade de Maria e de Jesus jamais poderão ser retratadas só com mãos humanas, expressa a sua beleza e a sua mensagem em símbolos.

Nesse quadro a Virgem Maria foi representada a meio corpo, segurando o Menino Jesus nos braços. O Menino segura forte a mão da Mãe e observa assustado, dois anjos que lhe mostram os elementos de sua Paixão. São os Arcanjos Gabriel e Miguel que flutuam acima dos ombros de Maria. A belíssima obra é atribuída ao grande artista grego Andréas Ritzos daquele século e pode ter sido uma das cópias do quadro da Virgem pintado por São Lucas, segundo os peritos.

Diz a tradição que no século XV, um rico comerciante se apropriou do ícone para vendê-lo em Roma. Durante a travessia do Mediterrâneo, uma tempestade quase fez o navio naufragar. Uma vez em terra firme, foi para a Cidade Eterna tentar negociar o quadro. Depois de várias tentativas frustradas, acabou adoecendo. Procurou um amigo para ajuda-lo, mas logo faleceu. Antes, porém contou sobre o ícone e lhe pediu para leva-lo à uma igreja, para ser venerado outra vez pelos fiéis. A esposa do amigo não quis se desfazer da imagem. Após ficar viúva, a Virgem Maria apareceu à sua filha e lhe disse para colocar o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro numa igreja, entre as basílicas de Santa Maria Maior e São João Latrão. Segundo a menina, o título foi citado pela Virgem sem nenhuma recomendação.

O ícone foi entronizado na igreja de São Mateus, no dia 27 de março de 1499, onde permaneceu nos três séculos seguintes. A notícia se espalhou e a devoção à Virgem do Perpétuo Socorro se propagou entre os fiéis. Em 1739, eram os agostinianos irlandeses exilados do seu país, os responsáveis dessa igreja e do convento anexo, no qual funcionava o centro de formação da sua Província, em Roma. Alí, todos encontravam paz sob a devoção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Três décadas depois os agostinianos irlandeses foram designados para a igreja de Santa Maria em Posterula, também em Roma, e para lá também seguiu o quadro da "Virgem de São Mateus". Mas alí já se venerava Nossa Senhora da Graça. O ícone foi colocado na capela interna e acabou quase esquecido. Isto só não ocorreu, por causa da devoção de um agostiniano remanescente do antigo convento.

Mais tarde, já idoso ele quis cuidar para a devoção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, não ser esquecida e contou a história do ícone milagroso à um jovem coroinha. Dois anos depois de sua morte, em 1855 os padres redentoristas compraram uma propriedade em Roma, para estabelecer a Casa Generalícia da Congregação fundada por Santo Afonso de Ligório. Mas não sabiam que aquele terreno era da antiga igreja de São Mateus, escolhida pela própria Virgem para seu santuário. No final desse ano ingressou com a primeira turma do noviciado aquele jovem coroinha.

Em 1863, já padre, ajudou os redentoristas a localizarem o ícone de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, depois da descoberta oficial dessa devoção nos livros antigos da igreja de São Mateus. O quadro entregue pelo próprio Papa Pio I, com a especial recomendação: "Fazei que todo o mundo A conheça", foi entronizado no altar-mor do seu atual santuário, em 1866. Outras cópias seguiram com esses missionários para a divulgação da devoção a partir das novas províncias instaladas por todo o mundo. Nossa Senhora do Perétuo Socorro foi declarada Padroeira dos Redentoristas, sendo celebrada no dia 27 de junho.

Fonte: Paulinas




Que todos se entreguem no colo de Jesus, verdadeiro encontro com Deus-Pe Marcelo Rossi


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem! 
Hoje (27 de junho), o Padre Marcelo Rossi continuou as orações com o lema: "Vamos juntos orar para que todos tenham um verdadeiro encontro pessoal com Jesus!".
Trouxe para vocês três belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas. 
Que Deus ilumine a todos, um feliz fim de semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:
Amados, divisor de águas, podemos chamar assim nosso encontro pessoal com Jesus, pois após vivermos esta experiência, outra pessoa nós seremos, portanto QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!

Quando dissemos que um encontro pessoal com Jesus é um divisor de águas em nossas vidas, não queremos dizer que a pessoa que você é hoje desaparecerá após esta experiência divina, o que queremos dizer é que você será uma pessoa melhor. As suas virtudes serão potencializadas, enquanto seus defeitos ficarão enfraquecidos. A cada encontro com Deus, a cada entrega no colo de Jesus, você renasce um pouco como uma pessoa melhor, um ser humano mais preparado para tudo. Por isso vamos continuar orando para que TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!!!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Pare de reclamar da vida e faça algo para mudar, mova-se, saia do canto, ficar parado é para os fracos, os fortes vão para luta."






***********************

Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs

**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé



sexta-feira, 26 de junho de 2015

Orando por um profundo encontro pessoal com Jesus-Pe Marcelo Rossi


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (26 de junho), o Padre Marcelo Rossi continuou as orações com o lema: "Vamos juntos orar para que todos tenham um verdadeiro encontro pessoal com Jesus!".
Trouxe para vocês cinco belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas.
Que Deus ilumine a todos, um abençoado fim de semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:
Amados, vamos juntos buscar uma transformação em nossas vidas, através de uma relação íntima com Cristo. Com perseverança e fé, QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!

Ao longo dos anos, nossa vida torna-se um conjunto de nossos atos, nossas escolhas e nossas experiências, mas nada é tão profundo como ter uma experiência direta com Jesus. Busque diariamente um estreitamento na sua relação com Deus e sua vida será renovada por completo. Nesta semana estamos orando com toda Fé, para que diariamente todos tenham força para lapidar seu relacionamento com Deus, desta maneira TODOS TERÃO UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!!!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém!

"É exatamente disso que a vida é feita: de momentos! Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, para o nosso próprio aprendizado, por algum motivo. Nunca esquecendo do mais importante: nada na vida é por acaso."







***********************

Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs

**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé



quinta-feira, 25 de junho de 2015

Orando por um verdadeiro encontro pessoal com Jesus-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (25 de junho), o Padre Marcelo Rossi continuou as orações com o lema: "Vamos juntos orar para que todos tenham um verdadeiro encontro pessoal com Jesus!".
Trouxe para vocês três belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas.
Que Deus ilumine a todos, uma maravilhosa semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:
Amados, é hora de renascer, hora de se renovar e de nos tornarmos pessoas melhores, vamos orar para QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS! 

O dia a dia nos traz inúmeras experiências. Enquanto estamos vivendo, vamos acumulando aprendizado e lições que bem utilizadas, nos acompanharão e ajudarão durante toda a nossa existência. Mas nenhuma experiência é tão importante quando a que vem de Deus e nada é tão engrandecedor do que uma experiência de encontro intimo e pessoal com Cristo, por isso estamos orando para QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!!!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém!

"Por maior que seja a dificuldade pela qual esteja passando, não desanime. Confie, mantendo a fé e a esperança."




***********************

Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs

**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé



quarta-feira, 24 de junho de 2015

Solenidade da Natividade de São João Batista (24 de junho)

São João Batista,
grande anunciador do Reino

Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista. Santo que, juntamente com a Santíssima Virgem Maria, é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia.

São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou o seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do Rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração.

Pode-se chegar a essa conclusão a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso "Batista").

Como nos ensinam as Sagradas Escrituras: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).

Os Evangelhos nos revelam a inauguração da missão salvífica de Jesus a partir do batismo recebido pelas mãos do precursor João e da manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Messias aparecesse.

Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, acabando decapitado devido ao ódio de Herodíades, que fora esposa do irmão deste [Herodes], com a qual este vivia pecaminosamente.

O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista” (Mateus 11,11).

São João Batista, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova



Que todos busquem um verdadeiro encontro pessoal com Jesus-Pe Marcelo Rossi


Boa tarde irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (24 de junho), o Padre Marcelo Rossi continuou as orações com o lema: "Vamos juntos orar para que todos tenham um verdadeiro encontro pessoal com Jesus!".
Trouxe para vocês três belíssimos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook, com mensagens abençoadas.
Que Deus ilumine a todos, uma maravilhosa semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:
AMADOS, QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS! 

Jesus quer conhecer você no mais profundo da sua alma, Ele quer entrar em todos os cômodos de sua residência, por isso estamos orando para QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS! Ter um encontro pessoal com Jesus, é ter a certeza de que cresceremos enquanto seres humanos. Quando nos referimos a uma verdadeira e profunda transformação pessoal, não queremos dizer que a pessoa que você é desaparecerá, esta pessoa ficará mais forte e mais preparada para o mundo em que vivemos, por isso estamos buscando este encontro, este abandono no colo do Pai, para que QUE TODOS TENHAM UM VERDADEIRO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS!!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém!

"A melhor maneira que o homem dispõe para se aperfeiçoar, é aproximar-se de Deus."




***********************

Facebook Padre Marcelo Rossi: 
https://www.facebook.com/vcnocolodejesus


**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs

**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi:  para ouvir o Momento de Fé



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé