Pular para o conteúdo principal

Post Recente em Destaque

A caridade começa em casa - 5° Domingo do Tempo Comum (Ano B )


A caridade começa em casa

5° Domingo do Tempo Comum - Ano B

Evangelho de Marcos 1,29-39

Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu, e ela começou a servi-los. 32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era. 35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.

REFLEXÃO:

A presença e a passagem de Jesus pelas casas, praças e sinagogas provocam salutar reviravolta. Todos querem se beneficiar de sua presença. Jesus não os decepciona. Com admirável disposição, ocupa-se em ensinar, curar, expulsar as forças do mal e rezar. Acompanhado por seus quatro primeiros discípulos, Jesus devolve a saúde à sogra de Pedro, e ela logo se põe a serviço da pequena comunidade. À tardinha, comparecem todos os doentes e endemoninhados para serem curados. Jesus pede que não contem a ninguém o que estava acontecendo. Por quê? Para não prejudicar sua missão. Os chefes do povo, ao saber, poderiam suspeitar de algum movimento ou revolta popular, prenderiam seu líder (Jesus) e acabariam com a “festa”! Jesus evita a publicidade, mas não deixa de cumprir a missão para a qual veio. Bom Mestre, um dia de intensa atividade te absorve. Começas por curar a sogra de Pedro. Curas ainda muitos

(Dia a dia com o Evangelho 2024)[1]

Oração do Dia
Velai, Senhor, nós vos pedimos, com incansável amor sobre vossa família; e porque só em vós coloca a sua esperança, defendei-a sempre com vossa proteção. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus, e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.

A caridade começa em casa

Simão e André moravam em Cafarnaum. Eram pescadores profissionais. Pedro era casado, a deduzir da existência da sogra (v. 30). Nada mais se sabe da família dos dois. É possível que, àquela altura, a mulher de Pedro tivesse morrido. Mas também é possível que ela o tenha seguido, já que eram várias as mulheres que acompanhavam Jesus e os discípulos nas andanças. Podemos concluir que Jesus tenha voltado muitas vezes à casa de Pedro, porque Cafarnaum ficou conhecida nos Evangelhos como ‘sua cidade’ (Mt 9,1). Jesus não era um pregador errante. Tinha seus pontos de retorno. Na Judeia, a casa de Lázaro. Na Galileia, a casa de Pedro.

A cura da sogra de São Pedro não é certamente um milagre espetacular. Marcos é bem sóbrio ao narrá-lo. Mas é um episódio riquíssimo de sentido. Antes de tudo, mostra um Jesus amigo, afável, misericordioso. Vale a pena pararmos para contemplar o gesto de Jesus. Ele é a encarnação da misericórdia divina. A sogra de São Pedro é o exemplo de pessoa necessitada. No lugar dela poderia estar um de nós. Jesus nos dá a mão, socorre-nos, cura-nos. Se a misericórdia é o laço que une Deus às criaturas, é também o gesto que une as criaturas entre si. E a misericórdia vira cura física e espiritual, serenidade interior, alegria sensível de amor fraterno e coragem de servir. A misericórdia é capaz de acabar com a febre de uma enfermidade e é capaz de “cobrir uma multidão de pecados” (1Pd 4,8). O gesto misericordioso de Jesus levou o Papa Francisco a afirmar que a misericórdia é uma lei fundamental do coração cristão. E ela começa sempre em casa. Passar por cima dos necessitados que estão em nossa casa, para ajudar os de mais longe é hipocrisia exibicionista.

FREI CLARÊNCIO NEOTTI, OFM, entrou na Ordem Franciscana no dia 23 de dezembro de 1954. Escritor e jornalista, é autor de vários livros e este comentário é do livro “Ministério da Palavra – Comentários aos Evangelhos dominicais e Festivos”, da Editora Santuário.[2]

---

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog