Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Podemos abrir nossas mãos durante o Pai Nosso na Missa?

Notre-Dame-du-Val-church.-Catholic-sunday-mass

Pascal Deloche / Godong

Valdemar De Vaux - publicado em 28/06/22

Durante a missa, após a consagração, a congregação reza o Pai Nosso com o sacerdote. Alguns fiéis acostumaram-se a fazer isso abrindo as mãos: qual é o significado desse gesto e o que o missal diz sobre ele?

O Missal é um livro muito preciso. Para regular os ritos da Missa, além dos textos pronunciados pelo celebrante e pela assembléia, o livro litúrgico contém rubricas. Estas indicações permitem saber o que cada pessoa deve fazer, de acordo com as circunstâncias.

Entretanto, como a liturgia é encarnada, existem áreas passíveis de interpretação. Ou melhor, possíveis adaptações para que os gestos e palavras da Missa possam ser entendidos por todos, em um determinado tempo e lugar.

Várias fórmulas são assim propostas para certos momentos da Missa, uma flexibilidade autorizada de acordo com a cultura e os fiéis que o padre tem com ele. E depois há aqueles momentos para os quais nada é dito.

Este é o caso do Pai Nosso, no coração da Missa. Após a oração eucarística, que termina com a doxologia (“Por Ele, com Ele…”), a congregação recita com o padre a oração “que recebemos do Salvador”. Enquanto o padre deve, de acordo com as rubricas, estender suas mãos, nada é dito sobre as dos fiéis. No entanto, um certo número também abre as mãos…

Todo batizado é um “padre”

Liturgicamente, este sinal das mãos do sacerdote estendidas para cima é o de uma mediação ascendente. O gesto é usado pelo celebrante quando ele reza a Deus em nome dos fiéis, fazendo a ligação entre a terra e o céu. Em contrapartida, a imposição das mãos, ou seja, a imposição das mãos com as palmas para baixo, é um sinal de mediação para baixo. O sacerdote é então aquele através do qual Deus abençoa seu povo.

Como o Missal não se pronuncia, nada impede que os fiéis abram suas mãos no momento do Pai Nosso. Ao fazer isso, eles mostram que a oração que dizem é um discurso ao Pai, e que todo batizado é, em seu lugar, um “padre”, ou seja, um mediador entre Deus e os homens.

Essa dimensão foi enfatizada de maneira diferente antes da reforma litúrgica de 1969: na Missa de São Pio V, só o padre recita o Pai Nosso, e por isso vira suas palmas das mãos para o céu. Aqui o sacerdócio ministerial que é enfatizado, ao invés do sacerdócio batismal.

Fonte: Aleteia
---

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog