Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Papa: Ratzinger, um magistério luminoso e um amor infalível pela Verdade

Papa Francisco com os que receberam o Prêmio Ratzinger  (Vatican Media)

Na manhã deste sábado (13/11) o Papa Francisco participou da entrega do Prêmio Ratzinger: estudiosos com suas famílias e amigos que testemunham um "vínculo duradouro" em benefício do serviço da Igreja no mundo da cultura. Francisco dirigiu seu pensamento "afetuoso, grato e admirador" ao Papa emérito

Adriana Masotti – Vatican News

Após a pausa do ano passado, devido à pandemia, retoma e encontro anual promovido pela Fundação Vaticana Joseph Ratzinger-Bento XVI, com a entrega do Prêmio Ratzinger. O Papa Francisco aproveitou a oportunidade para saudar e falar com estima e carinho de seu predecessor "um exemplo de dedicação apaixonada ao estudo e à pesquisa" que sempre uniu "sua fé e seu serviço à Igreja".

Na mente humana a "centelha" acesa por Deus

Francisco comprimentou com prazer a professora Hanna-Barbara Gerl-Falkovitz e o professor Ludger Schwienhorst-Schönberger, premiados este ano, assim como os professores Jean-Luc Marion e a professora Tracey Rowland, premiados em 2020, juntamente com outras personalidades premiadas em anos anteriores. É um "vínculo duradouro" e "uma relação fecunda" que a iniciativa estabeleceu, disse o Papa, entre a Igreja e o mundo da cultura, e observou que a comunidade de premiados cresce a cada ano em número, origem e variedade de disciplinas. Disse também que a capacidade da mente humana "é o efeito da ‘centelha’ acesa por Deus na pessoa feita à sua imagem" que a impulsiona continuamente "a expressar a vitalidade do espírito na formação e transfiguração da matéria". Mas reconhece, isto não é feito sem esforço:

"A Escritura nos fala da criação de Deus como "trabalho". Portanto, prestamos homenagem não apenas à profundidade do pensamento e dos escritos, ou à beleza das obras artísticas, mas também ao trabalho gasto generosa e apaixonadamente durante tantos anos, a fim de enriquecer a imensa herança humana e espiritual a ser compartilhada. É um serviço inestimável para a elevação do espírito e da dignidade da pessoa, para a qualidade das relações na comunidade humana e para a fecundidade da missão da Igreja".

Entre os grandes mestres o pensamento de Joseph Ratzinger

A apresentação das obras dos premiados, continuou o Papa Francisco, nos deu a oportunidade de observar as "correntes do espírito" da filosofia à religião, à fenomenologia do ser, e a evocação dos nomes de muitos "grandes mestres da filosofia e da teologia de nosso tempo", interlocutores de suas pesquisas, tais como Guardini, De Lubac, Edith Stein, Lévinas, Riceuur e Derrida, até McIntyre, "nos educam a pensar para viver nossa relação com Deus e com os outros cada vez mais profundamente, para orientar a ação humana com virtude e sobretudo com amor". E o Papa continuou:

"Entre estes mestres um teólogo que foi capaz de abrir e alimentar sua reflexão e seu diálogo cultural em todas estas direções juntas, porque a fé e a Igreja vivem em nosso tempo e são amigas de toda busca pela verdade. Falo de Joseph Ratzinger".

Reconhecimento e estima pelo predecessor

Esta é, portanto "a ocasião para enviar-lhe mais uma vez nosso pensamento afetuoso, grato e admirador". Francisco recorda o encontro deles por ocasião do 70º aniversário de sua ordenação sacerdotal:
"...sentimos que ele nos acompanha com a oração, mantendo seu olhar continuamente voltado para o horizonte de Deus. Basta olhar para ele para perceber isto. Hoje agradecemos-lhe em particular porque foi também um exemplo de dedicação apaixonada ao estudo, à pesquisa, à comunicação escrita e oral; e porque ele sempre uniu plena e harmoniosamente a sua pesquisa cultural com a sua fé e o seu serviço à Igreja".

O testemunho de uma busca contínua do rosto de Deus

O Papa Francisco recorda o compromisso de Ratzinger com o estudo e a escrita, que continuou durante seu pontificado para completar a trilogia sobre Jesus "e assim nos deixar um testemunho pessoal único de sua constante busca pelo rosto do Senhor". De seus escritos, observa, nos sentimos "inspirados e encorajados, e lhe asseguramos nossa recordação para o Senhor":

"Como sabemos, as palavras da Terceira Carta de João: "cooperatores veritatis" são o lema que ele escolheu quando se tornou Arcebispo de Munique. Elas expressam o fio condutor das diferentes etapas de sua vida, desde seus estudos ao seu ensino acadêmico, ao ministério episcopal, ao serviço à Doutrina da Fé - à qual foi chamado por São João Paulo II 40 anos atrás - até seu Pontificado, caracterizado por um magistério luminoso e um amor infalível pela Verdade".

O lema 'cooperatores veritatis' continua a inspirar o compromisso dos estudiosos premiados pela Fundação Ratzinger e Francisco conclui afirmando que essas palavras 'podem e devem inspirar cada um de nós em nosso trabalho e em nossas vidas'.

13 novembro 2021

---

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog