Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que é sinodalidade?

Antoine Mekary / Godong

Ary Waldir Ramos Díaz - publicado em 28/09/21

Questões para entender o próximo sínodo, que durará dois anos

O Papa Francisco impulsiona o Sínodo, o “caminhar juntos” numa Igreja que coloca mulheres e homens do nosso tempo, incluindo pastores e o próprio Sucessor de Pedro, a ‘ouvir’ o Espírito Santo.

De fato, o Sínodo que acontecerá em outubro próximo e se estenderá até 2023 tem como título: Por uma Igreja Sinodal: Comunhão, participação e missão. 

A sinodalidade representa o caminho pelo qual a Igreja pode ser renovada pela ação do Espírito Santo, ouvindo juntos o que Deus tem a dizer ao seu povo. No entanto, este caminho percorrido juntos não só nos une mais profundamente como Povo de Deus, mas também nos envia a cumprir nossa missão de testemunho profético que abrange toda a família humana, junto com nossas denominações cristãs e outras tradições de fé. 

Sinodalidade: trabalho em equipe

A sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio. O Papa indica que é um conceito fácil de colocar em palavras, mas não é fácil de colocar em prática.

E o princípio sinodal de ser ‘povo de Deus’ é ouvir o que o Paráclito dita. O Papa quer que os pastores se escutem. Mas não é só isso: é ouvir os irmãos cristãos, os que estão longe, os mais fracos e os deserdados.

É um convite aos 5.000 bispos do mundo a pensar menos sobre si próprios. É também um apelo à responsabilidade de todos os batizados a trabalhar em equipe com os seus pastores. 

“O cristianismo deve ser sempre humano e humanizador, reconciliando diferenças e distâncias e transformando-as em familiaridade, em proximidade. Um dos males da Igreja, ou melhor, uma perversão, é este clericalismo que separa o sacerdote e o bispo do povo “. 
Papa Francisco, 18 de setembro de 2021

Viva uma experiência

O Sínodo é uma experiência. Descobrir experiências pessoais e observar boas práticas, ouvir testemunhos, dar luz a outros pontos de vista para fugir da autorreferencialidade e do clericalismo, do cinismo de dizer: ‘sempre foi feito assim’. É também um meio de curar a ferida da hipocrisia que corrói a fé de muitos.

Porque uma Igreja que se inclina para olhar para o seu próprio umbigo, como disse o Papa ao clero na Eslováquia, é um sepulcro caiado, estagnado e distante da realidade profética a que é chamada.   

O Sínodo deve continuar no caminho de uma Igreja inspirada no exemplo dos doze discípulos de Jesus. Uma igreja sempre expansiva, missionária e fraterna. Um hospital de campanha, e não um parlamento .

Participação dos leigos

Nesse sentido, o Papa tem promovido a participação dos leigos nas reuniões pré-sinodais, para além da sala de aula dos bispos no Vaticano, através de vários mecanismos: fases anteriores às Assembleias de Roma ou nos bispados e igrejas locais. 

Por exemplo, está implementado o envio de questionários às paróquias, a possibilidade de receber respostas online, recolher a voz de especialistas em vários domínios. Além de momentos de reflexão e encontro comunitário em cada paróquia, igreja local, etc., acompanhados de momentos de oração e celebração. 

O objetivo é também criar um ambiente na Sala Sinodal (e fora dela) propício ao diálogo, porque as Igrejas locais também terão que se ativar com sessões ‘modelo’ do que acontecerá em Roma. Nos Sínodos realizados no Vaticano, o Papa quis mais tempo para debate e reflexão. 

O ABC para aplicar sinodalidade: 
Em várias ocasiões, o Papa Francisco compartilhou sua visão sobre como a prática da sinodalidade é concretamente expressa. 

As palavras-chave do Sínodo são:

compartilhamento: precisamos falar com autêntica coragem e honestidade para integrar liberdade, verdade e caridade. Todos podem crescer em compreensão por meio do diálogo;
humildade: todos têm direito a serem ouvidos e todos têm direito a falar. O diálogo sinodal depende da coragem tanto para falar quanto para ouvir;
diálogo: devemos estar dispostos a mudar nossas opiniões a partir do que ouvimos dos outros;
conversão e mudança: geralmente, resistimos ao que o Espírito Santo nos inspira a empreender;
discernimento: o discernimento se baseia na convicção de que Deus age no mundo e que devemos ouvir o que o Espírito Santo nos sugere;
deixar para trás os preconceitos e estereótipos: podemos ficar impactados por nossas fraquezas e nossa tendência ao pecado. O primeiro passo é liberar nossa mente e nossos corações dos preconceitos e estereótipos que nos levam à ignorância e à divisão;
superar o clericalismo: a Igreja é o Corpo de Cristo enriquecido por diferentes carismas, em que cada membro tem um papel único a desempenhar;
superar as ideologias: é preciso evitar o risco de dar mais importância às ideias do que à realidade da vida de fé que as pessoas vivem de forma concreta;
fazer nascer a esperança: devemos ser faróis de esperança, não profetas de desventuras;
inovação: desenvolver novos enfoques, com criatividade e certa dose de audácia;
inclusão: lutar por uma Igreja participativa e corresponsável, que saiba apreciar a rica variedade e abraçar a todos aqueles que, por vezes, ignoramos;
diálogo ecumênico e inter-religioso: sonhar juntos e caminhar juntos com toda a família humana.

Fonte: Aleteia
---

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog