Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

13 de outubro: o dia em que o mundo presenciou o Milagre do Sol em Fátima


Creative Commons

Reportagem local - publicado em 13/10/20

Nossa Senhora havia anunciado: “Em outubro farei o milagre, para que todos acreditem”

Milagre do Sol em Fátima: foi com esse fenômeno que o dia 13 de outubro de 1917 ficou marcado para sempre no coração dos devotos de Nossa Senhora.
Ela vinha aparecendo resplandecente aos três pastorinhos desde o dia 13 de maio daquele mesmo ano. E as aparições continuaram nos meses sucessivos, até outubro.

As aparições de Nossa Senhora em Fátima

Os três pastorinhos Lúcia, Francisco e Jacinta estavam na Cova da Iria, em Fátima, Portugal, quando observaram dois clarões como de relâmpagos. Em seguida, sobre a copa de uma pequena árvore chamada azinheira, eles viram uma Senhora de beleza incomparável.
Ela era, de fato, uma “Senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, irradiando luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente“.

Sua face, indescritivelmente bela, não era alegre nem triste, mas séria, com ar de suave alerta. Suas mãos estavam juntas, como rezando, apoiadas no peito, e voltadas para cima. Da sua mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas somente de luz. A túnica e o manto eram brancos e com bordas douradas, cobrindo a sua cabeça e descendo até os pés.
Ela própria, no momento oportuno, se apresentou: era Nossa Senhora, Maria, Mãe de Deus!

“Não tenhais medo”

Lúcia jamais conseguiu descrever perfeitamente os traços dessa fisionomia tão brilhante. Com voz maternal e suave, Nossa Senhora tranquilizou as três crianças e lhes disse:

“Não tenhais medo! Eu não vos farei mal. Vim para pedir que venhais aqui seis meses seguidos, sempre no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Em seguida, voltarei aqui ainda uma sétima vez”.

Ao pronunciar estas palavras, Nossa Senhora abriu as mãos, e delas saía uma intensa luz. Os pastorinhos, então, sentiram o impulso de cair de joelhos e rezaram em silêncio a oração que o Anjo lhes ensinara:

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo! Adoro-vos profundamente e ofereço-vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E, pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.

Passados alguns momentos, Nossa Senhora acrescentou:

“Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra”.

De fato, a humanidade vivia então os dramas horrendos da Primeira Guerra Mundial, enquanto, na Rússia, estendia-se com sangue e pavor a Revolução Soviética.

13 de outubro: o Milagre do Sol em Fátima

Na aparição do dia 13 de setembro, Nossa Senhora anunciou aos três pastorinhos de Fátima:

“Em outubro farei o milagre, para que todos acreditem”.

E, realmente, em 13 de outubro de 1917, nada menos que 70 mil pessoas, incluindo jornalistas, testemunharam o milagre anunciado pelas três crianças a quem Nossa Senhora tinha aparecido.

Ao meio-dia, depois de uma forte chuva que parou de repente, as nuvens se abriram diante dos olhos de todos e o sol surgiu no céu como um disco luminoso opaco, girando em espiral e emitindo luzes coloridas. O fenômeno durou cerca de 10 minutos e está na lista oficial de milagres reconhecidos pelo Vaticano.

Os céticos tentam atribuir o evento ao fenômeno atmosférico do parélio, mas sem apresentar provas nem explicar como foi que as crianças o “previram”.

Creative Commons

Depoimentos e testemunhos oculares

O “Milagre do Sol”, além disso, transformou o que era uma “revelação privada” num autêntico apelo de Cristo à Sua Igreja. Afinal, não só o conteúdo da mensagem de Fátima dizia respeito à Igreja do mundo inteiro como a sua própria comprovação se deu publicamente. E tudo aconteceu de maneira extraordinária: no dia 13 de outubro de 1917, “o sol dançou” diante de mais de 70.000 homens e mulheres, pobres e abastados, sábios e ignorantes, crentes e descrentes.
Conforme o depoimento do Dr. José Maria de Almeida Garrett, eminente professor de ciências de Coimbra, o que aconteceu naquele dia foi isto:

“[O sol] girou sobre si mesmo num rodopio louco (…) Houve também mudanças de cor na atmosfera (…) O sol, girando loucamente, parecia de repente soltar-se do firmamento e, vermelho como o sangue, avançar ameaçadamente sobre a terra como se fosse para nos esmagar com o seu peso enorme e abrasador (…) Tenho que declarar que nunca, antes ou depois de 13 de outubro, observei semelhante fenômeno solar ou atmosférico”.

O significado do Milagre do Sol em Fátima

Thereza Ameal - Book

Para o povo mais simples, o milagre se resume em bem menos palavras. Simplesmente, “o sol dançou”. Mais do que descrever fisicamente o fenômeno, o que interessava à maioria das pessoas era o que não se podia ver, mas que ficara patente por aquela portentosa obra que eles tinham diante dos olhos: Nossa Senhora verdadeiramente apareceu a três humildes pastorinhos em Fátima.

Lúcia, Jacinta e Francisco, de fato, tiveram uma visão bem mais abrangente da realidade: a Virgem Maria, “abrindo as mãos, fê-las refletir no sol. E enquanto que se elevava, continuava o reflexo da Sua própria luz a projetar-se no sol (…) Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos, ao lado do sol, São José com o Menino e Nossa Senhora vestida de branco, com um manto azul”, declararam eles.

Na última aparição da Virgem de Fátima, portanto, brilha perante os videntes a imagem da Sagrada Família de Nazaré!
Esse episódio pode indicar que “o confronto final entre o Senhor e o reino de Satanás dirá respeito diretamente à família e ao matrimônio”. De fato, o caminho ordinário de santificação da humanidade, que é o casamento, se encontra obstruído pela produção desenfreada da pornografia e pela popularização dos “pecados da carne”. Segundo uma resposta da própria Virgem Maria à pequena Jacinta, aliás, esses constituem os pecados que mais ofendem a Deus. O resultado, portanto, só pode ser uma perda incalculável de almas. E a Mãe de Deus já tinha aludido a essa realidade quando apresentou às mesmas crianças uma visão do inferno.

“Não ofendam mais a Deus”

Naquele 13 de outubro, a Virgem Santíssima tinha um pedido especial a fazer. E ele ficaria gravado no coração dos pastorinhos:

“Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido”.

Aos observadores mundanos, tal recado poderia parecer “arcaico” ou “irrealista”: um “espírito” que vem dos céus para falar de “pecado”? Em que século a autora dessas aparições acha que estamos? Pois bem, é justamente no século XX que Nossa Senhora aparece, e é a mesma mensagem de dois mil anos atrás que ela carrega consigo:

“Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).

Acontece que os tempos mudaram, sim, mas o ser humano continua o mesmo. E os perigos que rondavam a humanidade na época de Cristo não mudaram. Para ser católico e seguir Jesus, nada mais elementar que o apelo de Fátima:

“Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor”.

O Milagre do Sol não apenas confirmou as aparições de Maria em Fátima: ele também visa realizar um milagre muito maior e mais extraordinário que qualquer outro: a salvação das almas, a conversão dos pecadores; “para que todos acreditem” em Jesus e, acreditando, tenham a vida eterna.
___________________
A partir de extratos de:

Fonte: Aleteia

Comentários

Postagens Mais Visitadas do Mês

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog