Coronavírus: A Igreja tem um santo para os tempos de desemprego (Oração) - Devoção e Fé - Blog Católico

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Coronavírus: A Igreja tem um santo para os tempos de desemprego (Oração)


São Caetano. Créditos: Domínio Público

REDAÇÃO CENTRAL, 27 Abr. 20 / 02:46 pm (ACI).- Diante deste momento no qual a taxa de desemprego aumentou, a Igreja Católica tem São Caetano, o santo padroeiro dos desempregados que experimentou a pobreza e a peste.

A economia sofreu em todo o mundo um duro golpe devido à paralisação do comércio, devido às quarentenas que muitos governos declararam para conter a propagação do coronavírus.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), estima-se um aumento do desemprego em todo o mundo, chegando a superar a crise financeira de 2008-2009.

A OIT indicou que em 2019 havia 188 milhões de desempregados em todo o mundo, um número que aumentaria com 24 milhões de pessoas a mais se a pandemia de coronavírus continuar impedindo a reativação do comércio.

Como na maioria dos casos, a Igreja Católica tem um santo para esses tempos. São Caetano era filho de um nobre, trabalhou para um Papa, tornou-se sacerdote, realizou curas milagrosas, fundou um banco e era amigo dos pobres.

São Caetano nasceu em 1º de outubro de 1487, em Vicenza (Itália). Era o mais novo de três filhos nascidos de Gaspar, Conde de Thiene, e María Porto, uma mulher devota que consagrou Caetano à Santíssima Virgem Maria em tenra idade e garantiu que recebesse educação religiosa.

Aos 20 anos, Caetano se formou em Direito Civil e Canônico pela Universidade de Pádua e, pouco depois, mudou-se para Roma, onde trabalhou na corte do Papa Júlio II e participou do Quinto Concílio de Latrão.

Quando o Papa morreu, Caetano renunciou ao seu cargo para estudar para o sacerdócio e foi ordenado em 1516, aos 36 anos.

Pouco depois de se tornar sacerdote, com um pequeno grupo de padres, ele fundou a Congregação dos Clérigos Regulares, uma comunidade que buscava viver como os apóstolos.

Como seu contemporâneo Martinho Lutero, Caetano e seus companheiros procuraram reformar a Igreja, e especialmente o clero, mas, ao contrário de Lutero, acreditavam que essa reforma poderia ocorrer dentro da própria Igreja.

São Caetano pediu que a ordem vivesse tão estritamente a pobreza que nem sequer pediam esmolas, mas confiavam completamente na providência de Deus.

O sacerdote foi particularmente severo consigo mesmo, assinalou o Pe. Francis Xavier Weninger, em seus escritos de 1876, sempre vestindo uma camisa de pelo e participando em orações e devoções a altas horas da noite e bem cedo pela manhã com um breve descanso em uma cama de palha.

Ele também era conhecido por ter visões de Nossa Senhora. Em particular, na véspera de Natal, Caetano teve uma visão da Mãe de Deus carregando o Menino Jesus e colocando-o nos braços do santo.

Caetano também era conhecido por algumas curas milagrosas, incluindo a cicatrização do pé, que deveria ser amputado, de um sacerdote de sua ordem.

Aos 42 anos, Caetano fundou um hospital para os "incuráveis" em Veneza e trabalhou para confortar e curar os doentes em tempos de peste, escreveu o Pe. Weninger.

Provavelmente, muitos dos pacientes que ele atendeu foram vítimas da peste bubônica, que frequentemente reaparecia na cidade de Veneza, um centro de comércio internacional.

Em 1533, o Papa enviou Caetano para Nápoles, onde fundou outro oratório. A igreja San Paolo Maggiore se tornou um importante centro da reforma católica.

Enquanto estava em Nápoles, Caetano ficou gravemente doente e ofereceu seus sofrimentos pela conversão do povo de Nápoles. Aparentemente, ele se recusou a ser transferido das tábuas de madeira que lhe serviam como cama, por isso tinha mais sofrimento a oferecer. Morreu em 6 de agosto de 1547, na festa da Transfiguração, e está enterrado na Basílica de San Paolo Maggiore, em Nápoles.

Segundo alguns relatos, a luta espiritual, política e social na cidade de Nápoles cessou logo após a morte de Caetano, o que para muitos foi a confirmação de sua santidade.

Antes de ser um santo canonizado, foi invocado quando a peste atingiu Nápoles, em 1656.

Segundo um testemunho escrito pelo líder de um hospital de Nápoles na época, entre 600 e 700 pessoas morriam diariamente por causa da peste na cidade. Por isso, celebrou-se a festa do então Beato Caetano, que conseguiu que neste dia não fossem registradas mortes, e a peste logo desapareceu da cidade.

São Caetano foi canonizado pelo Papa Clemente X, em 1671. Ele é o santo padroeiro dos que procuram emprego e dos desempregados, assim como de vários países, incluindo Brasil, Itália, Argentina e El Salvador.

Na Argentina, Caetano é muito amado e, desde 1970, milhares de devotos participam de sua festa no Santuário Liniers, em Buenos Aires. Muitos trocam as tradicionais velas e flores por alimentos e roupas para serem distribuídas nas regiões mais afetadas do país.

Oração a São Caetano:

Glorioso São Caetano, aclamado por todos os povos, Pai de providência porque socorres com grandes milagres a quem te invoca em suas necessidades, recorro ao teu altar, suplicando-te que apresentes ao Senhor os desejos que confiantemente deposito em tuas mãos.

(Pedir as graças que desejam obter)

Faz com que estas graças, que agora te peço, me ajudem a buscar sempre o Reino de Deus e sua Justiça, sabendo que Deus (que veste de beleza as flores do campo e alimenta com a grandeza as aves do céu) me dará as demais coisas por consequência.

Amém.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

Fonte: ACI digital



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog