Papa Francisco: Não me cansarei de repetir que a paz é possível - Devoção e Fé - Blog Católico

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Papa Francisco: Não me cansarei de repetir que a paz é possível


Por Mercedes de la Torre

Vaticano, 11 Abr. 19 / 04:00 pm (ACI).- O Papa Francisco encerrou o histórico retiro espiritual no Vaticano do qual participaram as autoridades civis e eclesiásticas do Sudão do Sul, aos quais insistiu que “não me cansarei de repetir que a paz é possível", confirmou que espera poder visitar em breve este país e beijou os pés de quatro deles.

Durante seu discurso final nesta quinta-feira, 11 de abril na Casa Santa Marta, o Pontífice expressou: "Confirmo o meu desejo e esperança de ir proximamente, e com a graça de Deus, à sua amada nação com os meus queridos irmãos aqui presentes, o Arcebispo de Cantuária e o ex-Moderador da Igreja Presbiteriana".

Aos líderes políticos que assinaram o acordo de paz, exortou: "Peço-lhes como um irmão, permaneçam em paz, peço com o coração, vamos adiante, haverá muitos problemas, mas não se assustem, sigam adiante, resolvam os problemas, vocês começaram um processo, que termine bem", e se inclinou para beijar os pés de quatro deles.

"Nós, cristãos, acreditamos e sabemos que a paz é possível, porque Cristo ressuscitou e venceu o mal com o bem, assegurou aos seus discípulos a vitória da paz sobre os cúmplices da guerra que são a soberba, a avareza, o desejo de poder, o interesse egoísta, a mentira e a hipocrisia", assinalou.

O Santo Padre recordou que a natureza desse encontro é, "em certo sentido, única", por "não se tratar de um habitual e comum encontro bilateral ou diplomático entre o Papa e os chefes de Estado e nem mesmo de uma iniciativa ecumênica entre os representantes das várias comunidades cristãs”, mas de um "retiro espiritual".

Por isso, o Papa ressaltou a importância de não esquecer que "Deus confiou a nós, líderes políticos e religiosos, a tarefa de ser guias de seu povo".

"Confiou-nos muito, e justamente por isso cobrará muito mais de nós! Pedirá conta de nosso serviço e da nossa administração, do nosso compromisso em favor da paz e do bem realizado para o bem das nossas comunidades, em particular dos mais necessitados e marginalizados", explicou o Pontífice.

Neste sentido, o Santo Padre encorajou a receber "a altíssima vocação de ser artesãos da paz, em um espírito de fraternidade e solidariedade com todos os membros do nosso povo, um espírito nobre, reto, firme e corajoso espírito na busca da paz, através do diálogo, da negociação e do perdão".

Por isso, exortou-os a "buscar aquilo que os une, a começar pela pertença ao mesmo povo, e a superar tudo aquilo que os divide".

"Desejo de coração que definitivamente cessem as hostilidades... que as divisões políticas e étnicas sejam superadas e que a paz seja duradoura, pelo bem comum de todos os cidadãos que sonham começar a construir a nação", expressou o Papa.

Neste sentido, o Pontífice assegurou que "estamos todos sob o olhar de Jesus: Ele olha para nós com amor, pede-nos algo, perdoa-nos de algo e nos dá uma missão", e acrescentou, em particular, que o olhar de Deus "oferece a paz".

Por outro lado, o Papa assegurou sua "proximidade espiritual" a todas as pessoas do Sudão do Sul que esperavam este dia histórico. "Estou certo de que eles, com grande esperança e oração intensa em seus corações, acompanharam o nosso encontro", disse.

Desta forma, Francisco desejou aos cristãos do Sudão do Sul que possam ser "operadores de paz no povo sudanês do sul, com a oração e o testemunho, com a orientação espiritual e a assistência humana de cada membro, incluindo os líderes".

Ao concluir, o Santo Padre invocou o poder do Espírito Santo para que "os inimigos se abram ao diálogo, os adversários se deem as mãos e os povos se encontrem em concórdia".

Finalmente, os participantes receberam uma Bíblia assinada pelo Santo Padre, pelo Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, e pelo ex-Moderador da Igreja Presbiteriana da Escócia, Pe. John Chalmers, com a mensagem "Procure o que une. Supere o que divide".

Fonte: ACI digital

Sudão do Sul: comovidos pelo gesto do Papa Francisco

Irmã Elena Balatti, missionária comboniana que se encontra em Juba, capital do Sudão do Sul, testemunhou à Agência Fides que o gesto do Papa que beija os pés dos políticos sul-sudaneses comoveu muito a população local. A emoção da vice-presidente Rebecca Nyandeng Garang.

“Os sul-sudaneses ficaram positivamente impressionados ao ver o Papa Francisco suplicar a paz aos políticos do país. O Papa que se ajoelha e beija os pés dos líderes do Sudão do Sul. Os vídeos e as imagens do evento passam ininterruptamente nas emissoras de televisão, nas redes sociais e nos celulares das pessoas comuns”, disse à Agência Fides, a religiosa Irmã Elena Balatti, missionária comboniana que se encontra em Juba, a capital do Sudão do Sul.

Um gesto em nome do povo

“A população reconhece e aprecia muito os esforços que o Santo Padre, os bispos e toda a Igreja local está fazendo pela paz no Sudão do Sul”, disse a religiosa. “Ficamos impressionados pela insistência do Papa Francisco em recordar aos políticos suas responsabilidades para com o povo que está sofrendo muito, que sofreu muitos lutos, além dos que tiveram que abandonar o próprio país. Por isso ajoelhou-se, fez isso em nome do povo sul-sudanês. Trata-se de um gesto muito apreciado, que comoveu as pessoas aqui no Sudão do Sul” conclui a missionária.

A emoção da vice-Presidente

Ontem, durante o encontro com o Papa Francisco, a vice-presidente sul-sudanesa Rebecca Nyandeng Garang disse que o gesto do Papa Francisco deixou-a profundamente emocionada: “Nunca tinha visto nada parecido – confessou – As lágrimas corriam dos meus olhos”.


Fonte: Vatican News



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog