Freira é libertada na África depois de quatro anos nas mãos de terroristas islâmicos

Diego López Marina

Irmã Gloria Cecilia Narvaez Argori / Crédito: Présidence de la République du Mali

Vaticano, 11 out. 21 / 09:11 am (ACI).- A freira colombiana Gloria Cecilia Narvaez Argori, de 58 anos, da ordem das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada, sequestrada por terroristas muçulmanos em 7 de fevereiro de 2017 no Mali, foi libertada no sábado, 9 de outubro.

“A Presidência do Mali saúda a coragem e a bravura da irmã. Esta libertação é a coroação de 4 anos e 8 meses de esforços conjuntos de vários serviços de inteligência”, disse o governo do Mali em comunicado publicado em suas redes sociais.

Irmã Gloria Narváez foi sequestrada em 7 de fevereiro de 2017, enquanto realizava seu trabalho pastoral na aldeia de Karangasso, no Mali, pelo Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos (GSIM, na sigla em inglês), grupo radical muçulmano que se diz ligado à Al-Qaeda e que opera no Sahel, região ao sul do deserto do Sahara.

Em maio de 2021, a irmã deu sinais de vida com uma carta escrita à mão pedindo orações por ela.

“As minhas saudações fraternais. Que o bom Deus voz abençoe e vos dê saúde. Estou sequestrada há 4 anos e agora estou num novo grupo”, disse a irmã Narváez em sua mensagem.

A freira pediu em sua mensagem que “rezem muito por mim. Que Deus vos abençoe".

Antes da divulgação da carta, a última vez que se teve notícias dela foi em 2019, quando em um vídeo a freira pediu ajuda ao papa Francisco.

 No comunicado em que anunciou a libertação da freira, o governo do Mali disse ainda: “O presidente aproveita esta oportunidade para assegurar ao povo do Mali e à comunidade internacional que ainda estão fazendo esforços para libertar todas as pessoas, tanto do Mali como estrangeiras, detidas no território do Mali. O presidente de transição felicita mais uma vez as Forças de Defesa e Segurança e os Serviços de Informação”, acrescenta o texto.

Em uma mensagem de vídeo compartilhada com a ACI Prensa, agência em espanhol do grupo ACI, dom Mario de Jesús Álvarez Gómez, presidente da Comissão de Missões da Conferência Episcopal da Colômbia, disse que em breve "darão mais detalhes sobre esta libertação".

A maior parte dos sequestros realizaddos por grupos radicais islâmicos na África visa a cobrança de resgate.

“Damos Glória a Deus por este momento. Felicitamos a Congregação, a Igreja Universal e agradecemos os esforços da Santa Sé, da Nunciatura Apostólica na Colômbia e da Conferência Episcopal. Glória e bênção a Deus por este momento de alegria”, acrescentou.

---

Comentários

Newsletter

Receba novos posts por e-mail: