Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasileira Rosita Paiva tem processo de beatificação autorizado


Rosita Paiva / Foto: Instituto Josefino

FORTALEZA, 21 mai. 21 / 02:14 pm (ACI).- A Congregação para as Causas dos Santos autorizou a abertura do processo de beatificação e canonização da brasileira Rosita Paiva, fundadora do Instituto Josefino, que morreu em 1991. O anúncio foi feito pela arquidiocese de Fortaleza (CE), em uma circular publicada no dia 18 de maio.

Segundo a superiora do Instituto, irmã Maria Bernardete Gonçalves de Paula, a notícia “foi uma grande alegria” não só para as religiosas, mas “para todas as pessoas que conheceram” a agora serva de Deus Rosita Paiva, já que a fundadora morreu há apenas 30 anos e muitas pessoas que conviveram com ela estão vivas.

“Para nós, representa o reconhecimento da vida de santidade daquela que é a nossa mãe espiritual e isso nos incentiva a trilhar o caminho dela”, disse à ACI Digital.

Segundo irmã Bernardete, após a autorização de abertura do processo, foi instituído o Tribunal Eclesiástico no dia 11 de fevereiro e agora “o arcebispo fez o anúncio para todas as paróquias, com a carta circular do dia 18 de maio, pedindo também a divulgação”.

Em seu site, a arquidiocese de Fortaleza afirmou que é uma alegria “gerar testemunhos de santidade para a Igreja de Cristo” e solicitou que quem tiver graças alcançadas pela intercessão da serva de Deus Rosita Paiva entre em contato com padre Antonio Carlos do Nascimento, Juiz Delegado da Causa, na Cúria Metropolitana de Fortaleza (Avenida Dom Manuel, 3, Centro, Fortaleza–CE).

Biografia

Rosita Paiva nasceu em 13 de março de 1909, em Lábrea (AM), filha de Alexandre Muzzio Paiva, nascido em Sobral (CE), e Virgínia Menezes Paiva, natural de Canutama (AM). O casal também teve outra filha, Adelina.

O pai de Rosita morreu quando ela tinha apenas três anos e, por considerar que seria mais fácil educar as filhas perto dos parentes, Virgínia se mudou com Rosita e Adelina para o Ceará. Chegaram a Fortaleza em 1914.

Para poder trabalhar, Virgínia colocou as filhas no Orfanato do Colégio da Imaculada Conceição, onde Rosita passou a infância e se preparou para receber a primeira comunhão, em 29 de outubro de 1918.

Mais tarde, ingressou na Escola Normal Pedro II, onde concluiu os estudos e recebeu o diploma de professora do Estado na Capital, Fortaleza. Foi nomeada para o Grupo Escolar Santos Dumont e dedicou-se a educar as crianças e formar autênticos cristãos.

Também atuou como catequista na Paróquia da Catedral e foi zeladora da Cruzada Eucarística, da Grinalda de Jesus Hóstia, para crianças, e das “Joanistas”, grupo de adolescentes. Segundo biografia publicada pelo Instituto Josefino, em sua catequese, Rosita “foi até os subúrbios e lá, à sombra dos cajueiros, ela falava do amor de Deus às crianças pobres e abandonadas”.

Desde cedo, nutria o desejo pela vida religiosa, o que foi compartilhado com seu orientador espiritual, Mons. Luis de Carvalho Rocha, na época, Cura da Catedral Metropolitana de Fortaleza.

O sacerdote também desejava criar um Instituto Leigo de Jovens consagradas a Deus e, em 1932, chegou a reunir algumas jovens, entre as quais Rosita. Entretanto, relata o site do Instituto, “certo dia, ele falou: ‘Quem funda Instituto Religioso é doido ou santo. Eu não sou doido, nem santo, portanto...’. E deu por encerrado o seu sonho”.

Após a morte de mosenhor Luis Rocha, em 1949, Rosita escreveu ao então arcebispo de Fortaleza, dom Antônio Lustosa, para lhe relatar tudo que havia ocorrido. Lustosa entendendo que se tratava da vontade de Deus, convocou as jovens para uma reunião em 28 de dezembro de 1949.

Assim, nasceu o Instituto Josefino, do qual Rosita Paiva foi superiora geral de 29 de dezembro de 1949 a 22 de janeiro de 1988 e fundou 84 comunidades Josefinas.

Quando deixou o cargo, mudou-se para a diocese de Campo Maior (PI), onde morreu em 19 de agosto de 1991. Seu corpo foi levado para Fortaleza e seus restos mortais repousam na capela da primeira casa do Instituto, chamada Casa Mãe.

Oração pela beatificação da Serva de Deus Rosita Paiva

Pai de misericórdia, só Vós sois santo, só Vós sois o Altíssimo. A Vossa santidade manifesta-se em todos os Vossos filhos e filhas que seguem a Vossa Palavra e cumprem a Vossa vontade. Nós vos louvamos e bendizemos pelas virtudes e inúmeros dons com que agraciastes a vossa Serva Rosita Paiva: orante, amável, despojada, compassiva e misericordiosa. Humildemente vos pedimos, para vossa maior glória, dignar-vos elevar à honra dos altares essa Vossa serva que consagrou toa a sua vida ao serviço de Deus e do próximo, cheia de fé, de esperança e de caridade para com todos, especialmente para com os pobres. Concedei-nos ó Pai, por sua intercessão a graça (...) que por vossa bondade Vos pedimos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog