Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Como a cruz passou a ser o símbolo do cristianismo


CROSS
Brian A Jackson | Shutterstock

Lucien de Guise - publicado em 09/02/21

Os primeiros cristãos hesitavam em usar um crucifixo, que consideravam degradante, na prática de sua fé

Por dois séculos, os seguidores da nascente fé cristã evitaram fazer do instrumento da morte de Cristo uma medalha de honra. Muitos não católicos ainda comparam o uso de um crucifixo com algo como pendurar o símbolo de uma cadeira elétrica em volta do pescoço.

O crucifixo era visto como degradante

Assim também teriam pensado as primeiras comunidades cristãs. A crucificação era uma forma de execução destinada a ser excruciante e humilhante. Era uma degradação pública deliberada. Para os cristãos convertidos que vinham de formação judaica, a figura de um Deus crucificado era pior do que degradante: era contra séculos de sua religião e cultura.

No começo havia “a Palavra”

Cristo amava as palavras e contava histórias. “Eu sou o Alfa e o Ômega” é uma expressão usada várias vezes no Novo Testamento. Como o grego era a língua franca do Mediterrâneo oriental, os primeiros cristãos usaram o alfabeto grego para criar um símbolo escrito pelo qual podiam se identificar. As palavras também eram poderosas em hebraico. Até hoje, a palavra hebraica para Deus (abreviada para YHWH) raramente é falada ou escrita por completo. É referida como “O Nome”.

Os primeiros cristãos eram igualmente reticentes em promover o nome da imagem de Deus. “Peixe” foi sua primeira escolha como referência a Cristo. Em parte porque seu Salvador falou em ser um “pescador de homens”, e também porque a palavra grega para peixe (ichthus) pode ter um duplo significado: Jesus (Iesos) Cristo (Christos) de Deus (theou) Filho (uios) Salvador (soter).

Jogos de palavras com o nome de Cristo são discutidos com mais frequência do que as referências à Sua cruz. Isso mostra a importância do símbolo, antes de ser representado fisicamente. Por volta do ano 200, o teólogo Hipólito escreveu sobre fazer o sinal da cruz na testa “pois este é um sinal da Sua Paixão”. Logo depois, passou a ser recomendado como remédio para picadas de escorpião. A ideia da cruz havia claramente se consolidado.

O estaurograma

Um candidato à representação física mais antiga da cruz de Cristo é o estaurograma. Composto pelas letras gregas Tau e Rho, seu som lembrava a palavra grega para crucificar, “stauroo”. Usado principalmente em textos escritos do século 2, ele na verdade se assemelha a uma pessoa em uma cruz.

O Símbolo Chi Rho

Um pouco mais difundido era o símbolo Chi Rho, que combinava as duas primeiras letras do nome de Cristo em grego para formar uma imagem que parecia menos com uma cruz do que com o estaurograma. O Chi Rho é mais parecido com o símbolo papal das chaves cruzadas. Isso não é coincidência, já que os papas continuam a usar os dois. Esses símbolos transmitem um pouco do esplendor imperial de Constantino, o Grande, que primeiro adotou o Chi Rho.

Inscrições ou imagens sagradas?

À medida que o cristianismo viajou para o oeste, encontrou culturas que não apenas gostavam de imagens esculpidas, mas frequentemente não tinham linguagem escrita. O primeiro exemplo é, notoriamente, um tipo de graffiti de um semianalfabeto anônimo em Roma. Certamente não foi feito pela mão de um cristão e há muitos motivos para duvidar dessa imagem. Pode ser considerada uma crucificação, mas não a crucificação de Jesus.

Datar corretamente muitas dessas supostas cenas de crucificação é outro problema. Pensa-se que uma pedra preciosa esculpida no Museu Britânico pode ser a imagem não blasfema mais antiga da crucificação. É um item preocupante, no entanto. O amuleto pode ter sido produzido por uma seita herética e mostra claramente Cristo preso à cruz com cordas em vez de pregos.

O caixão de marfim representando a crucificação de Cristo

Meu símbolo favorito como a primeira representação inequívoca da morte de Nosso Senhor é um caixão de marfim, feito em Roma por volta de 420. Ele tem todos os atributos que reconheceríamos hoje. Maria e São João choram ao pé da cruz, enquanto o soldado romano Longinus está perfurando o tronco de Cristo. A vítima está presa com pregos. Podemos ainda ver o arrependido Judas pendurado em uma árvore. O mais convincente de tudo é que nos traz de volta à palavra escrita. Acima da cabeça do homem crucificado está metade do título em latim que conhecemos tão bem: “Rei dos Judeus”.

Fonte: Aleteia


O nome de Deus é tão sagrado em hebraico que raramente é escrito ou falado. Essas quatro letras de "O Nome" foram escritas em vitrais longe das terras bíblicas - a Igreja Episcopal da Graça (1868) em Decorah, Iowa.  
-
© Public Domain



Mais popular, mas menos expressivo do que o estaurograma, é o símbolo Chi Rho, que usa as duas primeiras letras do nome de Cristo. Uma aparição celestial do sinal ajudou Constantino, o Grande, a vencer uma grande batalha e então o símbolo foi adotado pelos imperadores. Na imagem vemos o usurpador Magnentius de Amiens, França, que cunhou esta moeda por volta de 350.
-
© The Trustees of the British Museum|CC BY-NC-SA 4.0



Esta é provavelmente a representação mais antiga da crucificação de Cristo que não é blasfema nem herética. Desde cerca de 420, inclui as palavras colocadas acima da cabeça de Jesus de Nazaré, “Rei dos Judeus”.
-
© The Trustees of the British Museum|CC BY-NC-SA 4.0



Fazendo uma conexão mais clara entre o símbolo Chi Rho e uma imagem muito antiga de Jesus Cristo encontra-se este mosaico do século 4. Encontrado em uma vila romana no sul da Inglaterra, agora está em exibição no Museu Britânico.
-
© Lucien de Guise


Aproximando-se da imagem da crucificação com a qual estamos familiarizados está o estaurograma. Uma versão minúscula é quase visível no centro desta colher com cabeça de cisne de um tipo usado pelos cristãos na Grã-Bretanha romana.
-
© Lucien de Guise


Um túmulo da Roma do início do século III. Junto com os símbolos cristãos do peixe e de uma âncora, há também o antigo símbolo romano pagão de uma coroa de louros.
-
© Public Domain

Comentários

Receba Notícias do Blog em seu E-mail

Receba novos posts por e-mail:

Postagens Mais Visitadas do Mês

Beato Carlo Acutis

Clique na imagem para visualizar a oração


***
»Do prefácio de S. Ex.ª Rev.ma Card. Angelo Comastri

"Estar sempre com Jesus, este é o meu projeto de vida".
Com estas poucas palavras, Carlo Acutis esboça a distinta característica de sua breve existência:
viver com Jesus, por Jesus, em Jesus».


Pedidos de Oração no Site Oficial

Postagens mais visitadas

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Nas postagens antigas há diversas orações, do antigo programa de rádio Momento de Fé do Padre Marcelo Rossi.

Todas estão no Marcador "Orações-Momento de Fé".

Este Blog não é do Padre Marcelo Rossi; para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele :

1) Padre Marcelo Rossi


2) Facebook Padre Marcelo Rossi


Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog