Oração para implorar a Deus nas dificuldades e aflições (por intermédio do Pe José Kentenich) - Devoção e Fé - Blog Católico

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Oração para implorar a Deus nas dificuldades e aflições (por intermédio do Pe José Kentenich)


Acaso te encontras em grandes dificuldades e preocupações? Tem problemas com os familiares; falta de harmonia no lar, desentendimentos com pessoas amigas ou vizinhas? Tens preocupações com o teu futuro? Com os estudos ou negócios? Sofres com doenças? Talvez te falte fé e a confiança em Deus? Sentes muito a solidão, o desamparo espiritual ou incompreensão?

Reza, com fé e confiança, a oração pela beatificação do Servo de Deus Pe. José Kentenich. Ele te ajudará, intercedendo por ti, junto a Deus.

Padre José Kentenich, Fundador da Obra Internacional de Schoenstatt, nasceu aos 16 de novembro de 1885, na Alemanha. Em 8 de julho de 1920 foi ordenado sacerdote, iniciando assim um caminho de total dedicação a Deus e às almas. O ideal do sacerdócio que desde a infância o cativou, formou a sua vida e o tornou "uma das grandes figuras sacerdotais da história recente da Igreja". João Paulo II.
Faleceu, com fama de santidade, em 15 de setembro de 1968, na Alemanha, após celebrar a sua última santa Missa, na Igreja da Santíssima Trindade onde está sepultado.

"Confio em teu poder e em sua bondade. Em ti confio com filialidade. Confio cegamente e em toda situação, Mãe, no teu Filho e na tua proteção." (Pe. José Kentenich)

Oração para implorar a Deus, nas dificuldades e aflições, por intermédio do Padre José Kentenich (e por sua Beatificação)


Deus Pai todo-poderoso, és o amor e a misericórdia.
Somente tu, como Pai Onisciente, compreendes tudo o que se passa em mim. Ajuda-me, Pai de Bondade, nesta minha grande aflição. Atende-me por intermédio do Padre José Kentenich. Como fiel sacerdote, ele amou tanto a tua Igreja peregrina e procurou conduzir todos os que dele se aproximavam a um amor pessoal a ti. Foi sábio e humilde conselheiro para todos os que dele precisaram. Concede-me, Pai Eterno, por intercessão do Padre José Kentenich, especialmente a graça (colocar suas intenções e pedidos). Em sinal de gratidão, eu te ofereço o precioso sangue de Cristo, nas intenções da Santa Igreja e por todos os que se encontram em grandes aflições. Querida Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, roga ao Pai Eterno que conceda ao Padre José Kentenich a honra dos altares, como recompensa por todo o bem que fez á Igreja, para o teu louvor e a glória da Santíssima Trindade. Amém.
Rezar três vezes o Glória ao Pai…

Outra versão

Deus, nosso Pai! Atende-nos, em nossas intenções, por intercessão do Pe. José Kentenich (pedir a graça) Realiza sinais e milagres, como testemunho de sua santidade. Concede-lhe, em breve, a honra dos altares, a fim de que muitas pessoas encontrem o caminho que conduz a ti.
Por isso, te pedimos, com Maria, nossa Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Oração no ano dedicado ao Padre Kentenich (15.9.2017 – 15.9.2018)

Deus, nosso Pai,
tu nos concedeste na pessoa do Padre Kentenich um pai e profeta abrasado pelo Espírito Santo,
testemunha e mensageiro do teu Evangelho para o nosso tempo.
Dá-nos do seu fogo! Dá-nos do seu espírito de Fundador! Faze que o seu carisma esteja tão vivo em nós que possamos plasmar o futuro da Igreja e da sociedade.
A sua visão seja a nossa visão: que na força da Aliança de Amor surja um mundo novo, no qual possamos gerar uma Cultura de Aliança, em todos os lugares onde vivemos e atuamos.
Pai do céu, nós te pedimos: inclui o Padre Kentenich nas fileiras dos santos reconhecidos pela Igreja. Abre as portas para ele e sua missão em todos os lugares, para que ele possa conduzir muitas pessoas pelo caminho à plenitude da vida, o caminho para ti.
Nós te pedimos, unidos a Maria, nossa Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, por Cristo, nosso Senhor. Amém

Biografia

Deus chama à vida um profeta de Maria

Em 16 de novembro de 1885, em Gymnich, perto de Colônia, na Alemanha, nasce o Servo de Deus, Padre José Kentenich, Fundador da Obra Internacional de Schoenstatt.

Desde antes de seu nascimento, sua mãe o consagra a Maria. Em 1894, quando contava nove anos de idade, não podendo tê-lo consigo por causa de grandes dificuldades familiares e econômicas, sua mãe o levou ao orfanato de Obernhausen. Nesse momento de profunda dor, dirigindo-se à capela do orfanato, ela rezou diante da imagem de Maria: “Educa tu, o meu filho. Sê para ele plenamente mãe!” Tal acontecimento marcou profundamente o menino José Kentenich. Assim, os nove anos de idade ele faz, unido a sua mãe, a sua consagração pessoal, colocando-se inteiramente ao dispor de Nossa Senhora.

Ela também levou a sério essa entrega e, por isso, Pe. Kentenich testemunhou na celebração do jubileu de prata do seu sacerdócio: “Ela (a Mãe de Deus) formou-me pessoalmente desde os nove anos de idade. Minha educação foi exclusivamente obra da Mãe de Deus, sem nenhuma (outra) influência humana profunda. Sei que com isso digo muito”.

Ainda adolescente, sente o chamado à vida sacerdotal. Em 8 de julho de 1910 é ordenado sacerdote, na Sociedade dos Palotinos. Sente-se impelido a anunciar Deus como Pai atuante e presente na vida de cada pessoa. Ajudar o homem e a mulher, por meio de uma autêntica devoção mariana, a restaurar sua dignidade e conquistar sempre mais a liberdade interior, como filho de Deus, resgatado por um alto preço.

Como jovem sacerdote, atua como professor e diretor espiritual no Seminário dos Padres Palotinos, em Schoenstatt, um bairro da cidade de Vallendar, às margens do Rio Reno. Sua pedagogia gera uma confiança extraordinária que une os alunos e os conduz com muito equilíbrio ao mundo sobrenatural, sem desvinculá-los do mundo natural (relacionamento pessoal, dedicação ao estudo e trabalho, amor à pátria etc). O diretor espiritual indica-lhes constantemente a Maria, como modelo do verdadeiro relacionamento com Deus e da dedicação ao próximo.

Atento aos sinais de Deus

Uma das características principais do Pe. Kentenich é conservar sempre “a mão no pulso do tempo e o ouvido no coração de Deus”. Seguindo os sinais indicados pela Divina Providência, em 18 de outubro de 1914, em meio a I Guerra Mundial, com seus alunos, sela a Aliança de Amor com Maria, suplicando-lhe que torne a pequena Capelinha, no terreno do seminário, um Santuário de Graças e um centro de renovação religioso e moral para a Alemanha e o mundo.

Pouco depois, alguns desses alunos são chamados como soldados para a guerra e oferecem a própria vida a Deus, em holocausto pela frutuosidade da Obra que iniciaram com o Pe. José Kentenich. Após a guerra muitas pessoas chegam a Schoenstatt atraídas pela espiritualidade que conheceram nos campos de batalha. A Obra se expande além dos muros do seminário em grupos de famílias, sacerdotes, Irmãs, homens, mulheres e jovens.


No decorrer da II Guerra Mundial a Obra é perseguida pelos nazistas. Pe. Kentenich é preso e detido por mais de três anos no Campo de Concentração de Dachau. Nesse local, em meio a grande perigo de vida, continua a edificar sua Fundação por meio de conferências e correspondências irregulares. Sob a proteção da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, nesse “inferno de Dachau”, realiza a Fundação de dois Institutos Seculares: dos Irmãos de Maria de Schoenstatt e das Famílias de Schoenstatt. É liberado do Campo de Concentração em 1945, e logo inicia as viagens mundiais, aos países onde sua Obra estava se edificando. Por dez vezes visitou o Brasil.

Foi duramente provado pela Igreja, exilado durante 14 anos (1951-1965), e reabilitado pelo Papa Paulo VI. Com seu exemplo e ensinamento procurou infundir em cada membro da Família de Schoenstatt o lema que ele mesmo escolhera para a sua lápide sepulcral: ‘Dilexit Ecclesiam’ – Ele amou a Igreja! Deus o chamou para a eternidade no dia 15 de setembro de 1968, dia da festa de Nossa Senhora das Dores, logo depois da Santa Missa que ele acabara de celebrar na Igreja da Santíssima Trindade em Schoenstatt, onde também está sepultado. Em 1974 a diocese de Treves abriu o processo para a sua canonização.

Processo de Beatificação

O processo de beatificação do Pe. José Kentenich teve início em 10 de fevereiro de 1975. Até o momento o trabalho transcorre na Diocese de Treves/Alemanha.

Segundo os responsáveis pelo processo, o trabalho reuniu uma grande quantidade de testemunhos sobre sua fama de santidade. Milhares de pessoas, de 87 países nos cinco continentes, recorrem à sua intercessão e se orientam por seu exemplo de vida. Os numerosos escritos publicados foram examinados por quatro especialistas em teologia, que manifestaram que neles não se encontra nada contra o dogma e a lei moral da Igreja. Mais de cem pessoas deram o seu testemunho, declarando ante o tribunal eclesiástico. Isso é muito importante, uma vez que o objetivo do processo é a verificação do heroísmo de vida e de virtudes do servo de Deus. As testemunhas são interrogadas sobre as recordações e vivências que tiveram no contato direto, em muitos casos, durante dezenas de anos, com o Pe. Kentenich. Podem manifestar-se a favor ou contra, fazer suas objeções, apresentar documentos, etc.

Nos últimos anos, o trabalho se concentrou na correção e avaliação de seus escritos não publicados: cartas particulares, documentos pessoais, conferências e retiros não editados, etc. Uma comissão de peritos em história da Igreja e em arquivos tem sido responsável por essa tarefa. A enorme quantidade destes escritos demanda muito tempo e energia. Foi requerido documentação em mais de 110 arquivos eclesiásticos e civis.

Tanto para os arquivos como para os testemunhos, se tomou em consideração os lugares onde Pe. Kentenich viveu ou desenvolveu suas atividades pastorais: Alemanha, Suíça, Estados Unidos, Brasil, Chile, Argentina, Uruguai e África do Sul. Quando a comissão de historiadores acabarem sua tarefa, está previsto para os próximos meses, faltará, então, pouco para a finalização da etapa diocesana do processo. Em seguida, vem a etapa definitiva em Roma.

É impossível dizer quando chegará ao final. É necessário, também, um milagre comprovado para a beatificação e ninguém pode “organizar” um milagre. Pode somente implorá-lo.






*Nota: Servo de Deus é o título que a Igreja Católica dá a uma pessoa cujo processo de canonização foi oficialmente aberto.
Essa é a primeira das quatro etapas do processo de canonização. No próximo passo, o candidato a santo recebe o título de Venerável, depois de o Pontífice decretar que essa pessoa, em vida, destacou-se pelas suas virtudes cristãs heroicamente vividas ou pela honra do martírio. Após confirmado um milagre obtido pela intercessão do venerável, ele obtém o título de Beato, e, após comprovado um segundo milagre, ocorrido após a beatificação, atribui-se a essa pessoa o título de Santo.



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog