Papa sobre aborto por estupro: É justo pagar matador de aluguel para resolver problemas? - Devoção e Fé - Blog Católico

terça-feira, 2 de abril de 2019

Papa sobre aborto por estupro: É justo pagar matador de aluguel para resolver problemas?


Vaticano, 01 Abr. 19 / 09:50 am (ACI).- Em uma entrevista de mais de uma hora ao jornalista Jordi Évole, divulgada no domingo, 31 de março, pelo canal de televisão ‘La Sexta’, o Papa Francisco se pronunciou sobre sua posição frente ao aborto em casos de estupro.

Diante da inquietude de Évole sobre se entenderia uma mulher que pensa em abortar após sofrer um estupro, o Santo Padre assinalou: “Eu a entenderia em seu desespero, mas também seu que não é lícito eliminar uma vida humana para resolver um problema”.

“É lícito eliminar uma vida para resolver um problema? É lícito pagar a alguém para que a elimine?”, questionou.

Em seguida, indicou ao jornalista que “a resposta é sua, não é minha”. Évole evitou responder: “não, eu não vim para responder, vou tentar tirar todas as respostas que possa do senhor”.

O Papa indicou, em seguida, que tampouco se deve dizer a mulher grávida “na rua” e assinalou que, “graças a Deus, nos últimos anos, nos últimos 10 anos, 15 anos, tomou-se muita consciência desses casos. De moças solteiras que vão ser mães e se desenvolveu todo um trabalho de acompanhamento, de dignificação”.

E, apesar de ter explicado que não discute “a lei civil de cada país”, para o Papa “a pergunta é, antes da lei civil, antes da lei religiosa, ao humano: é justo eliminar uma vida humana para resolver um problema? É justo pagar um matador de aluguel para resolver um problema?”.

“Depois disso, vem o restante, mas essa é a pergunta básica”, assinalou. (Fonte: ACI digital)

Ser homossexual é pecado? Papa Francisco disse isso

Vaticano, 01 Abr. 19 / 12:00 pm (ACI).- O Papa Francisco falou sobre a homossexualidade em sua entrevista ao jornalista espanhol Jordi Évole, transmitida no domingo, 31 de março, pelo canal de televisão ‘La Sexta’, e refletiu sobre se é ou não pecado.

Consultado sobre a frase “quem sou eu para julgar?”, o Santo Padre indicou que “as tendências não são pecado. Se você tem tendência à ira não é pecado. Agora, se está irado e prejudica as pessoas, o pecado está aí”.

“O pecado é atuar, por pensamento, palavra e obra, com liberdade, uma tendência”, disse.

De fato, tal como assinala o Catecismoda Igreja Católica em seu numeral 2358, “um número considerável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente radicadas. Esta propensão, objetivamente desordenada, constitui, para a maior parte deles, uma provação”.

“Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á, em relação a eles, qualquer sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar na sua vida a vontade de Deus e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar devido à sua condição”, acrescenta o Catecismo, que indica no numeral seguinte que “as pessoas homossexuais são chamadas à castidade”.

O Santo Padre também se referiu a algumas declarações suas no voo papal de retorno de Irlanda para Roma em agosto de 2018, quando aconselhou os pais de crianças que apresentam aparente tendência homossexual a recorrer a um psiquiatra.

“Toda pessoa tem direito a ter um pai e uma mãe, a ter um lar. E um pai e uma mãe têm direito a ter um filho, venha como vier a criança. Se há um caso de homossexualidade, eu compreendo que provoca dor à família isso, pela cultura atual, todas essas coisas. Mas, diálogo, diálogo, é pai e mãe, é filha ou filho, mas nunca se tira do lar uma pessoa porque tenha tendência homossexual”.

Nessa ocasião, disse o Papa, “fiz uma distinção: outra coisa é quando a pessoa é muito jovem, muito pequena e começa a demonstrar sintomas raros e neste caso convém ir... e eu disse ‘psiquiatra’. Naquele momento te sai a palavra que sai quando fala um idioma que não é o teu”.

Referia-se, explicou, ao fato de que se deve “ir a um profissional, a um psicólogo, que mais ou menos veja a que se deve isso antes do diagnóstico”.

“A mídia publicou que o Papa manda os homossexuais ao psiquiatra, e não viram o outro. E isso é má fé”, indicou.

“Estou falando de um jovem que está se desenvolvendo, os pais começam a ver coisas raras. Consultem, por favor, e vão a um profissional e, então, se verá a que se deve, pode ser que não seja homossexual, que se deva a outra coisa”, disse.

(Fonte: ACI digital)



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog