Devoção à Nossa Senhora da Saudade e a Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires - Devoção e Fé - Blog Católico

sábado, 10 de agosto de 2019

Devoção à Nossa Senhora da Saudade e a Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires


Nossa Senhora da Saudade relembra a imensa saudade que a Virgem Maria teve de seu Filho, nos três dias incompletos que seu corpo esteve no sepulcro.

A devoção a Nossa Senhora da Saudade nasceu em 30 de março de 1918, após a Virgem Maria ter aparecido em sonho para a Irmã Ignez do Sagrado Coração de Jesus, uma das fundadoras do Carmelo de São José, na cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, onde se encontra sua única, linda e comovente imagem, esculpida em mármore branco.

Trata-se, portanto, de uma invocação genuinamente brasileira, “inspirada pelo Alto para, de modo especial, honrar a dor, até então desconhecida, do Imaculado Coração de Maria, durante as 36 horas, ou seja, os três dias incompletos, do encerramento de Jesus no sepulcro”.

De acordo com o jornalista Mozart Monteiro, em seu livro “Nossa Senhora da Saudade”, “a devoção da Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires foi desde logo apresentada ao eminente teólogo Padre Dr. João Gualberto do Amaral, e por ele examinada. Declarou o ilustre sacerdote ser esta devoção perfeitamente ortodoxa, nada tendo que contrariasse a sã doutrina da Igreja; e acrescentou que o número 36, das horas do sepultamento de Cristo, se encontra no corpo da ‘Suma’, de São Tomás de Aquino – cuja obra é a expressão mais perfeita da ortodoxia católica” (p. 139).

Naquela época, a cidade de Petrópolis pertencia à Diocese de Niterói, cujo Bispo, Dom Agostinho Benassi, aprovou a devoção, autorizando a impressão de folhetos com a fórmula da Coroa de Saudades.

Como explica Nilza Botelho Megale, no livro Invocações da Virgem Maria no Brasil, “foi então instituída a ‘Coroa da Saudade da Rainha dos Mártires’ (aprovada pelo bispo de Niterói), espécie de terço constituído de três mistérios, cada um constando de um ‘Pai Nosso’ e doze ‘Lembrai-vos’, somando, portanto, esta última oração o número 36, correspondente às horas de sofrimento da Mãe Celestial. Na medalha de Nossa Senhora com que termina a coroa rezam se três ‘Aves Marias’ e uma súplica especial à Rainha dos Mártires”.

Com a criação da Diocese de Petrópolis, em 1948, o primeiro Bispo, Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra, em decisão arbitrária, proibiu, em 1950, a difusão pelo país da devoção a Nossa Senhora da Saudade, autorizando-a apenas nos limites do Carmelo de São José.

A restauração da Liturgia da Semana Santa pelo Papa Pio XII, em 1956, ratificando o luto intenso para o Sábado Santo, antigo Sábado de Aleluia, tornou evidente o martírio da Saudade sofrido pela Mãe Divina durante o sepultamento de Jesus, vindo respaldar o culto a Nossa Senhora da Saudade.

A única imagem de Nossa Senhora da Saudade encontra-se na clausura do Carmelo de São José, em Petrópolis. Esculpida em Paris, em mármore Carrara, mede 1,66 m de altura, sem contar o globo terrestre que fica aos pés da Virgem. Foi doada por uma senhora da sociedade, em agradecimento às graças recebidas da Virgem Saudosa.

A imagem representa Maria em tamanho natural, de pé sobre o globo terrestre e com a cabeça ligeiramente inclinada para baixo, encimada por bonita coroa de ouro. Seu semblante docemente triste deixa transparecer um sorriso melancólico. Sua mão esquerda se apoia sobre o peito, trespassado por um punhal de ouro, enquanto com a direita segura a “coroa da Saudade”, também de ouro.

Acima da Imagem lê-se a inscrição; “Vinde a Ela, vós todos que sofreis, vós todos que chorais; e Ela vos consolará”. (Fonte: Aleteia)


**************

Coroa das Lágrimas de Saudades da Rainha dos Mártires

Tem esta devoção por fim honrar as torturantes saudades que Maria Santíssima sofreu de seu Divino Filho durante os 3 dias ou 36 horas que a Sacrossanta humanidade do nosso Salvador esteve encerrada no sepulcro. 

Compõe-se a Coroa de 3 Pai-Nossos e 36 Lembrai-vos (Oração de São Bernardo) 

Oração de São Bernardo 

Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido à Vossa proteção, implorado a vossa assistência e reclamado o vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animado eu, pois, com igual confiança, a Vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de Vós me valho e gemendo sob o peso de meus pecados me prostro a vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo. Amém. 

Primeira Parte: Pai-Nosso e Doze Lembrai-vos 

Segunda Parte: Pai-Nosso e Doze Lembrai-vos 

Terceira Parte: Pai-Nosso e Doze Lembrai-vos 

Quarta Parte: Três Ave-Marias e a Súplica Final: 

Súplica Final: Lembrai-vos, ó Rainha dos Mártires, das saudades cruciantes que atormentam o Vosso Imaculado Coração durante as 36 horas de sepultura do Vosso Divino Filho. Pelas dores acerbíssimas da vossa saudade, Oh!, acendei-nos na alma o desejo de ver a Deus no Céu, e alcançai-nos, um dia, a eterna Bem-aventurança. Enquanto, porém, neste desterro peregrinamos, obtendo-nos as graças que nos são necessárias para amarmos e servimos a Jesus com fidelidade até a morte: e, se for da sua vontade adorável, impetrai-me a mercê que Vos imploro com inteira confiança.

Fonte: Vox Dei


Nossa Senhora da Saudade e o Carmelo São José de Petrópolis



NOSSA SENHORA DA SAUDADE é uma devoção especial do Carmelo São José de Petrópolis, local onde a Senhora do Céu foi a inspiração do anjo de Deus  a monja formadora daquele Carmelo - Irmã Inês do Coração de Jesus, no início do século XX. A devoção da chamada "Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires", encontrou na simplicidade de uma serva de Deus e Nossa Senhora a confirmação por se tratar de uma oração já inspirada por Deus a São Bernardo de Claraval que viveu nos anos de 1090-1153.  A oração foi indulgenciada em 300 dias pelo Papa  Pio IX 11/12/1846. Vale a pena conhecer a história dessa inspiração.

O Sonho da Irmã Inês 
            
Na noite de 30 de março de 1918, Sábado Santo, então chamado de Sábado de Aleluia, Irmã Inês do Sagrado Coração de Jesus, uma das fundadoras do Carmelo de são José em Petrópolis teve um sonho, por ela mesma relatado em documento.
            
"Sonhei que estava no leito, exatamente como então me encontrava e costumo passar as noites: meio sentada, recostada sobre travesseiros altos. a minha direita, um ser invisível, de quem vi apenas a mão formosa e alvíssima, estendida a pouca altura dos meus olhos, mostrava-me uma coroa de contas, enfeitadas a maneira do Rosário. E ao mesmo tempo, ouvi mentalmente as seguintes palavras: 'É uma devoção a Nossa Senhora, muito eficaz. Compõe-se de 3 Padres Nossos e 36 Lembrai-vos". E despertei inebriada de paz e de suavíssima consolação; mas ignorando que fosse o ser invisível que me trazia aquele segredo do Céu, porquanto só lhe vi a mão diáfana. Ficou-me a persuasão de ter sido o meu Anjo da Guarda o doce mensageiro da preciosa joia de que o rei, meu Senhor, se dignara de encher-me as mãos, para exornar as vestimentas da Rainha, sua mãe. Mas não entendi absolutamente a significação dos 36 "Lembrai-vos". Passei o dia inteiro de Sábado de Aleluia presa ao misterioso sonho, que de tanto bálsamo me ungira a alma; mas de modo algum consegui interpretar a razão do número 36, nem tão pouco a finalidade da nova devoção. Pela tarde, a hora da oração, no coro recolhida, ouvi no meu íntimo, dentro do meu coração, esta voz clara, distinta: 'A devoção que recebeste em seu sonho é para honrar as saudades que Nossa Senhora sofreu de Jesus, durante as 36 horas em que esteve sepultado o corpo do Salvador'. Oh! Que abalo senti! Que estremeço de júbilo me sacudiu a alma ao receber a explicação do que até aquele momento era um enigma indecifrável! Que festa para o espírito quando se encontra a chave de um problema que não podia resolver!"
            
E anos depois, nosso excelso mestre (Padre João Gualberto - Capelão do Carmelo), encontrou, no corpo da Suma Teológica de Santo Tomás, a confirmação desse número de horas. Narrei o fato a nossa Priora, que então era minha estremecida Madre Antonieta. No dia seguinte, Domingo da Ressurreição, apenas acabei de narrá-lo a minha querida Madre Natividade, tive a inspiração de dar à Santa Mãe dos meus enlevos, um 'Nome Novo', o de NOSSA SENHORA DA SAUDADE, e intitular a nova devoção por Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires."
               
A oração do "Lembrai-vos", ou melhor, a "Coroa de Saudades da Rainha dos Mártires", é remédio para a alma abatida pelo pecado, pela dor e pelo sofrimento. São Bernardo, fervoroso servo de Maria, a Igreja o honra e o invoca universalmente como padroeiro das causas mais difíceis visto dirigir a Maria todo o seu fervor. Assim peça a Maria que venha pedir por você e os seus a Jesus. Implore, do seu especial privilégio diante de Deus, que Maria possa trazer o beneficio visível e rápido a essa causa que lhe faz desesperar-se. Clame que a Senhora lhe venha assistir. Apresente-se a ela com as dificuldades e necessidades que o consolo e a ajuda lhe virão para amenizar as tribulações e sofrimentos.

Fonte: Alma Carmelita / 
Fotos: Nossa Senhora da Saudade





Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana dos Anjos/Devoção e Fé Blog