quarta-feira, 26 de julho de 2017

Nossos avós espirituais: Santa Ana e São Joaquim


A12 | Jul 26, 2017


O exemplo de Santa Ana e São Joaquim e a importância da presença dos avós em nossas vidas

Sabemos que São Joaquim e Santa Ana são os pais de Nossa Senhora. Eles são, portanto, como os nossos avós espirituais, já que Nossa Senhora é nossa mãe. Em um tempo no qual tudo aquilo que é antigo parece ser inútil, no qual o respeito pelos mais velhos parece ser uma virtude ultrapassada, no qual os avós muitas vezes se sentem invisíveis na família ou como um fardo a mais que talvez fosse melhor não existir, não surpreende muito que esses dois santos não sejam dos mais celebrados. Mas não será isso um sinal também de alerta? Qual a importância da presença dos avós em nossas vidas?

Vivemos em uma cultura que parece valorizar cada vez mais o descartável. Minha avó sempre disse que as coisas antigamente eram feitas para durar. De fato, no seu apartamento está um relógio que é muito antigo e que ainda funciona perfeitamente. As geladeiras facilmente duravam trinta anos sem muita necessidade de conserto. Hoje em dia, tudo se troca muito rapidamente. O novo é o melhor parece ser o slogan da cultura de hoje. Ter um celular ultrapassado equivale, mais ou menos, a ser menos digno, ser menos pessoa. É justamente aqui que precisamos voltar a valorizar os nossos avós.

Eles são, antes de qualquer coisa, pessoas humanas. São Filhos de Deus. E essa é a sua dignidade. Assim como essa é a dignidade de todas as outras pessoas marginalizadas em nossa sociedade que parecem não encaixar no modelo que hoje se tem de aceitável. E no fundo, essa mesma é a dignidade também daqueles que se encaixam na sociedade e que muitas vezes colocam seu valor e sua esperança em outras coisas que não lhes dão muito mais do que um status social diferenciado e que passa muito rapidamente. É preciso resgatar o valor da pessoa humana, um bem em si mesmo, desde a concepção até o fim de sua vida.

Por outro lado, existe ainda uma outra razão importante para olharmos com carinho por nossos avós. Eles são o poço de sabedoria que encarnam em suas vidas aquilo que nós somos, nossa identidade. Nós somos filhos de um local específico, de um modo de pensar, de hábitos sociais, de maneiras de conviver que não nasceram comigo, mas que eu herdo dos mais velhos. E isso está expresso em sua maturidade nos nossos avós. Inclusive se não concordamos com muitas coisas que vivemos hoje, é preciso sentar ao lado dos avós e beber de sua sabedoria de vida para poder entender de onde vêm essas coisas e como podemos ser mais autenticamente aquilo que somos e que estamos perdendo.

Falar pouco de Santa Ana e de São Joaquim pode ser a manifestação de que também nós estamos inseridos nessa cultura do descartável que apenas olha para o novo sem perceber que por baixo dele muitas outras coisas aconteceram para que ele fosse possível. É não perceber também que se não nos apoiamos naquilo que somos, que herdamos dos avós, da Tradição da Igreja por exemplo, ficamos sem saber para onde ir e podemos acabar destruindo muita coisa boa que foi feita porque não conseguimos mais discernir o que é bom e o que é ruim. Por tudo isso, vale a pena passar um café e ir, com paciência, sentar ao lado do vovô e da vovó para bater aquele papo demorado e muito importante.

Por: Ir. João Antônio Johas Leão, via A12.com

Fonte: Aleteia



Papa Francisco dedica tweet aos avós: comunicar o patrimônio de humanidade e fé


Cidade do Vaticano (RV) 26/07/2017 –  “Quanto são importantes os avós na vida da família para comunicar o patrimônio de humanidade e fé essencial para cada sociedade!”.


Com o tweet publicado esta quarta-feira, 26 de julho, dia em que a Igreja recorda São Joaquim e Santa Ana, o Papa Francisco enfatiza mais uma vez o papel desempenhado pelos avós no seio da família e da sociedade, também na transmissão da fé.

Desde o início de seu Pontificado, Francisco insiste na importância deste “arco da vida” que liga a infância e juventude - repletas de ímpetos de mudança – com a velhice, cheia de sabedoria.

Não faltaram iniciativas nestes anos como o Dia dos Idosos, realizado na Praça São Pedro em 2014, assim como a série de catequeses a eles dedicadas.

Na Audiência Geral de 11 de março de 2015, Francisco falou que a velhice é uma vocação:

“A velhice é uma vocação. Não é ainda o momento de “tirar os remos do barco”. Este período da vida é diferente dos precedentes, não há dúvida; devemos também “criá-lo” um pouco, porque as nossas sociedades não estão prontas, espiritualmente e moralmente, para dar a isso, a esse momento da vida, o seu pleno valor. Uma vez, de fato, não era assim normal ter tempo à disposição; hoje é muito mais. E mesmo a espiritualidade cristã foi pega um pouco de surpresa e se trata de delinear uma espiritualidade das pessoas idosas. Mas graças a Deus não faltam os testemunhos de santos e santas idosos!”

Na mesma ocasião, o Papa exortou os avós a seguirem os passos de Simeão e Santa Ana, dois “anciãos extraordinários”, acrescentando:

“Tornemo-nos também nós um pouco poetas da oração: tomemos gosto por procurar palavras nossas, reapropriemo-nos daquelas que a Palavra de Deus nos ensina. É um grande dom para a Igreja, a oração dos avós e dos idosos! A oração dos idosos e dos avós é um dom para a Igreja, é uma riqueza! Uma grande injeção de sabedoria também para toda a sociedade humana: sobretudo para aquela que está muito ocupada, muito presa, muito distraída. Alguém deve, então, cantar, também para eles, cantar os sinais de Deus, proclamar os sinais de Deus, rezar por eles!”

Não poucas vezes, especialmente nas homilias das Missas na Casa Santa Marta, Bergoglio recordou de sua avó, uma pessoa fundamental para a sua vida de fé e familiar.

“As palavras dos avós têm algo de especial para os jovens. E eles sabem disso. As palavras que a minha vó me entregou por escrito, no dia de minha ordenação sacerdotal, eu as levo ainda comigo, sempre, no breviário, e as leio e me faz bem”.

“Aos avós que receberam a bênção de verem os netos  – disse o Papa em outra ocasião – foi confiada a tarefa de transmitir a experiência de vida, a história da família e partilhar com simplicidade a sabedoria e a fé, que é a herança mais preciosa”. “Bem-aventuradas as famílias que têm os avós próximos! O avô é pai duas vezes e a avó é mãe duas vezes”.

Ao celebrar os 25 anos de ordenação episcopal com uma missa concelebrada com os Cardeais na Capela Paulina no Vaticano em 27 de junho, o Papa ressaltava que “não somos gerontes, somos avôs... (...) Avôs para quais os netos olham e esperam de nós a experiência sobre o sentido da vida. Avôs não fechados...(...) Somos avôs chamados a sonhar e dar o nosso sonho à juventude de hoje, que necessita disso, porque tirarão dos nossos sonhos a força para profetizar e levar avante a sua missão.”

Assim, neste Dia dos Avós, podemos refletir sobre outra frase tão repetida por Francisco: “Um povo que não respeita os avós é um povo sem memória, e consequentemente sem futuro”.  (JE)

Fonte: Radio Vaticano



Hoje a Igreja celebra São Joaquim e Sant’Ana, padroeiros dos avós (26 de julho)


REDAÇÃO CENTRAL, 26 Jul. 17 / 05:00 am (ACI).- Neste dia 26 de julho, é celebrada naIgreja Católica a festa dos pais da Santíssima Virgem Maria e avós de Jesus, São Joaquim e Sant’Ana. Em razão desta data, comemora-se também o Dia dos Avós.

Ambos os santos, chamados padroeiros dos avós, foram pessoas de profunda fé e confiança em Deus; foram os encarregados de educar no caminho da fé sua filha Maria, alimentando seu amor pelo Criador e preparando-a para sua missão.

Bento XVI, em um dia como este em 2009, destacou – através das figuras de São Joaquim e Sant’Ana – a importância do papel educativo dos avós, que na família “são os depositários e muitas vezes as testemunhas dos valores fundamentais da vida”.

Em 2013, quando estava no Rio de Janeiro (Brasil) para a Jornada Mundial da Juventude, coincidindo sua estadia com esta data, o Papa Francisco destacou que “São Joaquim e Sant’Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o Filho de Deus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós. Vemos aqui o valor precioso da família como lugar privilegiado para transmitir a fé!”.

“Olhando para o ambiente familiar, queria destacar uma coisa: hoje, na festa de São Joaquim e Sant’Ana, no Brasil como em outros países, se celebra a festa dos avós. Como os avós são importantes na vida da família, para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé que é essencial para qualquer sociedade! E como é importante o encontro e o diálogo entre as gerações, principalmente dentro da família”, acrescentou o Pontífice.

Fonte: ACI digital



Vamos orar para que Jesus elimine sentimentos nocivos na nossa vida-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (26/julho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em seu programa Momento de Fé-Sentinelas da Madrugada, continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar para que Jesus toque aqueles que querem o nosso mal!"
Trouxe para vocês dois cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma semana abençoada no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

UMA COISA A SE LEMBRAR QUANDO LIDAMOS COM PESSOAS QUE, SEM UM MOTIVO CONCRETO, NÃO GOSTAM DE NÓS, É QUE ESTAS PESSOAS POSSUEM PROBLEMAS COM ELAS MESMAS, PORTANTO PROCURE NÃO SENTIR RAIVA, ORE POR ELAS PEDINDO QUE JESUS TOQUE O CORAÇÃO DAQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL! 

Sempre colocamos a importância de ter Jesus Cristo como principal exemplo para nossa vida e o Filho de Deus foi duramente criticado por muitas pessoas. Ele desistiu de sua missão? Pelo contrário, saiu arrebanhando pessoas para o reino de Deus, por isso vamos continuar orando com muita Fé para que COM FÉ EM DEUS, POSSAMOS ELIMINAR DE NOSSAS VIDAS ESTES SENTIMENTOS NOCIVOS PARA NÓS!   
É normal ficar triste ou magoado, quando percebemos que alguém que gostamos não gosta de nós e é constante nos depararmos com esta situação. Muitas pessoas se afastam, porém a tristeza pode aumentar ainda mais cada vez que você encontra esta pessoa. Isso pode nos levar a depressão, pode nos prejudicar no trabalho, pode nos fazer desistir de sonhos e objetivos, por isso não tenha receio em procurar ajuda. Converse com pessoas que você sabe que gostam de você. Se abrir é um ótimo meio de se sentir mais leve e mais confortado com a situação incômoda. A melhor resposta para as pessoas que não gostam de nós, é gostarmos e nos valorizarmos por nós e pelo próximo. Por isso levante sempre a cabeça, tenha confiança em si mesmo. Trabalhe sua auto estima, há algumas semanas oramos contra a baixa estima, faça isso, busque alegria e não ligue para sentimentos negativos. JESUS TOQUE AQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Escreva seus planos a lápis e lembre que Deus tem a borracha. Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor é quem determina os seus passos."



***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




terça-feira, 25 de julho de 2017

Vamos orar a Jesus para que sejamos blindados contra as forças negativas-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (25/julho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em seu programa Momento de Fé-Sentinelas da Madrugada, continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar para que Jesus toque aqueles que querem o nosso mal!"
Trouxe para vocês três cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um fim de semana abençoado no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

SEMPRE DIGO QUE PARA NOS PROTEGER DE TODO O MAL, A FÉ É FUNDAMENTAL. QUANDO ESTAMOS FIRMES E COMPROMETIDOS REALMENTE COM JESUS, CRIAMOS UMA BLINDAGEM CONTRA TODAS AS FORÇAS NEGATIVAS QUE SE VOLTAM CONTRA NÓS, POR ISSO VAMOS PEDIR QUE JESUS TOQUE O CORAÇÃO DAQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL!   

Já colocamos aqui a importância de não nos deixarmos abalar com pessoas que não gostam de nós, quando relembramos isso, não nos referimos apenas a não ficar triste, estamos frisando a importância de nos mantermos íntegros, não modificarmos nossa personalidade, ou seja, não agir da mesma maneira das pessoas maldosas! COM FÉ EM DEUS, VAMOS ELIMINAR DE NOSSAS VIDAS ESTES SENTIMENTOS NOCIVOS PARA NÓS! 
Quando nos deparamos com esta triste certeza, de que pessoas que gostamos e são próximas a nós, não tem reciprocidade nos sentimentos, é normal nos sentirmos decepcionados e até com raiva. Mas é fundamental manter a nossa personalidade e nossa maneira de pensar. Tenha calma, paciência e seja perseverante. Primeiro tente mostrar a esta pessoa que você não pensa da mesma maneira, a chance de conquista-la e mudar a opinião dela é grande. São infinitas as razões que podem fazer alguém não gostar de nós. E muitas vezes, estas razões não partem de nós. Vocês sabiam que até pesquisas mostram que existem pessoas que já são pré dispostas a não gost arem de outras pessoas? Portanto mais uma vez lembramos a todos, não se culpem, não mudem sua maneira de agir, muito menos passem a agir da mesma maneira e mantenha a Fé pedindo que JESUS TOQUE AQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL!!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Sempre que você se sentir perdido ou com vontade de desistir, confie seu caminho nas mãos de Deus e Ele cuidará de dar um novo rumo à sua vida. Ter fé no Pai amoroso que nos domina é essencial para sermos bem-sucedidos. Guiar-nos pelas suas leis não evita que enfrentemos problemas, mas dá-nos esperança e motivação para os superarmos da melhor forma possível."





***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




segunda-feira, 24 de julho de 2017

Doença de Charlie Gard chegou a um ponto “sem retorno” e pais se despedem assim


LONDRES, 24 Jul. 17 / 03:00 pm (ACI).- Os pais do bebê Charlie Gard finalizaram hoje a longa batalha judicial para levar seu filho aos Estados Unidos para um tratamento experimental, pois as últimas análises revelaram que sua saúde se deteriorou até um ponto “sem retorno”.

Em uma mensagem difundida hoje, Chris Gard e Connie Yates assinalaram que “como dedicados e amorosos pais de Charlie, decidimos que não é mais do melhor interesse dele continuar com o tratamento e deixaremos nosso filho ir e que esteja com os anjos”.

Charlie Gard, hoje com 11 meses, foi internado em setembro de 2016 no hospital Great Ormond Street de Londres (Reino Unido). No centro médico, foi diagnosticado com síndrome de esgotamento mitocondrial, uma doença genética rara que causa a fraqueza muscular progressiva e pode provocar a morte no primeiro ano de vida.

Em abril deste ano, a pedido do hospital britânico, um juiz ordenou que fosse encerrado o suporte vital de Charlie. Seus pais apelaram sem êxito até chegar ao Tribunal europeu de Direitos Humanos, que deu razão ao centro médico.

Nessa época, os pais de Charlie tinham arrecadado mais de um milhão de dólares para levá-lo aos Estados Unidos a fim de receber um tratamento experimental que poderia melhorar sua saúde.

Em julho deste ano, o Vaticano assinalou que “o Santo Padre companha com afeto e emoção o caso do pequeno Charlie Gard” e indicou que o Papa Francisco pediu que se respeite a vontade dos pais do bebê.

Mariella Enoc, presidente do Hospital Pediátrico Bambino Gesù, de Roma, chamado de “Hospital do Papa”, se ofereceu para receber Charlie, mas o hospital Great Ormond Street se negou.

Nas últimas semanas, um tribunal britânico avaliou novamente o caso do bebê, a pedido do hospital, pois receberam comunicações de especialistas que apontavam que o tratamento experimental poderia ter um importante nível de êxito.

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou no dia 18 e julho a favor de outorgar a cidadania norte-americana a Charlie e seus pais, para que o bebê pudesse se submeter ao tratamento experimental.

Em seu comunicado, os pais de Charlie assinalaram que os médicos norte-americanos e italianos “ainda estavam dispostos” na semana passada a submeter o bebê ao tratamento experimental. “Mas, há uma simples razão pela qual o tratamento já não pode se realizar e o tempo acabou”.

“Muito tempo foi desperdiçado. Agora estamos em julho e o nosso pobre menino foi deixado só deitado em um hospital por meses sem nenhum tratamento, enquanto se travavam longas batalhas no tribunal”.

“Tragicamente, tendo as anotações médicas de Charlie sido revisadas por especialistas independentes, agora sabemos que se tivessem dado a Charlie o tratamento antes, teria tido o potencial de ser um menino normal e saudável”, assinalaram.

Entretanto, disseram, “Charlie foi deixado para que sua doença se deteriorasse devastadoramente até o ponto sem retorno”.

“Teremos que viver com os ‘e o que teria acontecido se’, que nos perseguirão pelo resto de nossas vidas”, lamentaram.

“Apesar da forma como se falou de nosso filho às vezes, como se não merecesse uma oportunidade de vida, nosso filho é um total guerreiro e não poderíamos estar mais orgulhosos dele e sentiremos sua falta terrivelmente”, acrescentaram.

“Seu corpo, coração e alma poderão ir em breve, mas seu espírito viverá para a eternidade e fará uma diferença na vida das pessoas por muitos anos. Asseguramo-nos disso”.

Em seguida, os pais de Charlie Gard pediram que se respeite a sua privacidade “durante este tempo muito difícil”, dos últimos dias de seu bebê.

“Agora, vamos passar nossos últimos preciosos momentos com nosso filho Charlie, que lamentavelmente não chegará ao seu primeiro aniversário, em apenas duas semanas”.

Ao finalizar sua mensagem, os pais do bebê lhe asseguraram: “Amamos muito você. Sempre o amamos e sempre o amaremos, e lamentamos que não pudemos te salvar você”.

“Doces sonhos bebê, durma tranquilo, nosso belo pequeno. Amamos você”, concluíram.

Mensagem do Papa Francisco

Depois que recebeu a notícia sobre a desistência da luta pelo tratamento, o diretor de imprensa da Santa Sé, Greg Burke, disse que o Papa Franciso “reza por Charlie e por seus pais e se sente particularmente próximo deles nesse momento de imenso sofrimento”. Ainda de acordo com Burke, o Papa também pede “que nos unamos em oração para que eles encontrarem o consolo e o amor de Deus”.

Fonte: ACI digital



Orações e Novena à São Charbel


Oração a São Charbel 1

Glorioso São Charbel, fiel seguidor e servo de Jesus, vosso poder junto de Deus está sendo conhecido por todo o mundo, e a Igreja vos invoca nos casos de desespero e doenças incuráveis. Confiante, recorremos a vós e imploramos o vosso auxílio no transe difícil em que nos encontramos. Concedei-nos a graça, juntamente com todas as que necessitamos, dando-nos saúde para o corpo e para a alma. Queremos sempre lembrar-nos deste favor, da vossa intercessão e invocar-vos como nosso patrono, para maior glória de Deus e o bem de nossas almas. São Charbel! Rogai por Nós e por todos aqueles que invocam o vosso nome e auxílio. Amén.

Oração 2


Ó Deus, admirável em Vossos Santos, Vós que inspirastes a São Charbel seguir o caminho da perfeição, lhe concedestes a graça e a força para fazer triunfar, na sua vida, o heroísmo das virtudes monásticas: a obediência, a castidade e a voluntária pobreza, e manifestastes o poder de sua intercessão por numerosos milagres e graças, concedei-nos a graça… que Vos imploramos por sua intercessão! Amém

Oração 3


Deus, infinitamente santo e glorificado por meio de  teus santos. Tu que inspiraste o santo monge e ermitão Sharbel para que vivesse e  morresse em perfeita união com Jesus Cristo,  dando-se a força para renunciar ao mundo e  fazer triunfar de sua ermida, ao heroísmo de  suas virtudes monásticas:  pobreza, obediência e santidade. Te imploramos nos concedas a  graça de  te  amar e  servir seguindo seu exemplo. Deus Todo-Poderoso, Tu que tens manifestado o poder da intercessão  de São Sharbel através de  seus numerosos milagres e  favores,  concedei-nos a  graça que te imploramos por sua intercessão (fazer o pedido). Amém.  (Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória)

Oração 4

Pai Eterno, por São Charbel, eu Vos rogo a graça de que tanto necessito. Concedei-me, por Vosso poder, o dom da oração e crescimento espiritual, pois somente unido a Vós eu posso discernir o que é bom para mim e qual caminho devo tomar. Amém.
NOVENA À SÃO CHARBEL


Oração Inicial
Ó Deus bom, misericordioso e amoroso, prostro-me diante de Vós e, do fundo do meu coração, Vos elevo uma oração de agradecimento por tudo que me concedestes, pela intercessão de São Charbel. Agradeço-vos, ó admirável São Charbel. Não encontro palavras para expressar minha gratidão pelos benefícios recebidos. Ajudai-me sempre, a fim de que seja sempre digno de receber as graças de Deus e de merecer a vossa proteção. 

PRIMEIRO DIA:
Ó maravilhoso São Charbel, do vosso corpo exala um perfume que sobe ao céu, vinde em meu auxílio e rogai a Deus por mim a graça de (nominar) da qual tanto necessito, se for realmente para glória de Deus e salvação da minha alma. Amém.
Ó São Charbel, rogai por mim!
Ó meu Senhor, que destes a São Charbel a graça da fé, rogo-Vos conceder, por sua intercessão esta divina graça, a fim de que eu viva segundo os Vossos mandamentos e o Vosso Evangelho.
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

SEGUNDO DIA:
Ó São Charbel, mártir da vida monástica, que experimentastes a dor do corpo e da alma, Deus, nosso Senhor, fez de vós um farol luminoso. Corro até vós e vos rogo de pedir a Deus, que conceda pela vossa intercessão, esta graça (nominar). Eu confio em vós. Amém.
Ó São Charbel, jarro perfumado, intercedei por mim!
Ó bom Deus, que honrastes a São Charbel conferindo-lhe a graça de obter milagres, tende piedade de mim e concedei-me por sua intercessão aquilo que Vos peço. A Vós a honra para sempre!
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

TERCEIRO DIA:
Ó amantíssimo São Charbel, que brilhais no céu da Igreja como uma estrela luminosa, iluminai o meu caminho e fortalecei a minha esperança. Por vosso intermédio peço a graça (nominar). Rogo-vos de implorá-la, por mim, ao Cristo crucificado que vós sempre adorastes.
Ó São Charbel, modelo de paciência e silêncio, intercedei por mim!
Ó Senhor, meu Deus, que santificastes São Charbel ajudando-o a carregar sua cruz, concedei-me a coragem de suportar as dificuldades da vida com paciência e fé, conforme a Vossa vontade, por intercessão de São Charbel. Dou-Vos graças para sempre.
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

QUARTO DIA:
Ó amoroso São Charbel recorro a vós. Meu coração está cheio de confiança em vós. Pela vossa poderosa intercessão junto a Deus, espero pela graça que imploro (nominar). Mostrai-me mais uma vez o vosso amor.
Ó São Charbel, jardim de virtudes, intercedei por mim!
Ó Deus, que concedestes a São Charbel a graça de assemelhar-se a Vós, concedei também a mim, por meio da sua intercessão, crescer nas virtudes cristãs. Tende piedade de mim, para que eu Vos possa louvar para sempre. Amém!
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

QUINTO DIA:
Ó São Charbel, amado de Deus, rogo-vos de iluminar-me, ajudar-me, ensinar-me a fazer tudo aquilo que agrada a Deus. Ó amoroso pai, rogo-vos que vos apresseis em vir em meu auxílio. Rogo-vos de interceder junto a Deus por esta graça (nominar).
Ó São Charbel, amigo da cruz, rogai por mim!
Ó Deus acolhei a minha súplica, por intercessão de São Charbel, e concedei-me a paz. Acalmai a inquietude da minha alma. A Vós louvor e honra para sempre!
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

SEXTO DIA:
Ó São Charbel, poderoso intercessor, rogo-vos de suplicar por mim, pela graça que tanto necessito (nominar). Basta uma única palavra dirigida a Jesus, para que Ele me perdoe, tenha misericórdia de mim e acolha a minha oração. Amém!
Ó São Charbel, alegria do céu e da terra, rogai por mim!
Ó Deus, que escolhestes São Charbel para levar à Vossa divina presença os nossos pedidos, rogo-Vos, por sua intercessão, que me concedais esta graça (nominar). Amém.
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

SÉTIMO DIA:
Ó São Charbel, amado por todos, vindes em auxílio de todos aqueles que necessitam de vós. Coloco toda minha confiança em vossa intercessão. Suplicai, por mim, esta graça de que tanto necessito (nominar). Amém!
Ó São Charbel, estrela que orienta quem está perdido, rogai por mim!
Ó Deus, os meus incontáveis pecados impediram que a Vossa graça chegasse a mim. Concedei-me a graça de expiar todos eles. Respondei à intercessão de São Charbel. Daí ao meu triste coração a alegria e acolhei a minha oração, ó oceano de graças. A Vós a honra e o Louvor para sempre. Amém.
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

OITAVO DIA:
Ó São Charbel, quando vos contemplo de joelhos, jejuando, sacrificando-vos, ou mesmo em êxtase diante do Senhor, minha esperança e fé na vossa intercessão aumentam. Rogo-vos, ajudai-me a fim de que Deus possa conceder-me a graça que imploro (nominar).
Ó São Charbel, plenitude de alegria em Deus, ajudai-me!
Ó doce Jesus, que conduzistes Vosso amantíssimo Charbel à santidade, concedei-me a graça de Vos ser fiel até a morte. Amo-Vos, ó meu Salvador. Amém.
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória

NONO DIA:

Ó São Charbel, cheguei ao final desta novena. Meu coração se alegre quando vos falo. Estou confiante que receberei de Jesus a graça que implorei por vossa intercessão. Me arrependo dos meus pecados e vos prometo de combater as tentações. Espero nas minhas orações (nominar).
Ó São Charbel, coroado de glória, rogai por mim!
Ó Senhor, Vós ouvistes as preces de São Charbel e lhe destes a graça de comunicar-se convosco. Tende piedade de mim no meu desespero, salvai-me da desgraça, porque não sou capaz de suportá-los. Amém.
A Vós honra, louvor e graças para sempre!
Pai Nosso, Ave-Maria e Glória
Fonte: São Charbel

Para Saber Mais:
http://www.devocaoefeblog.com.br/2017/07/hoje-e-celebrado-sao-charbel-makhlouf.html



Hoje é celebrado São Charbel Makhlouf, exemplo de vida consagrada e mística (24 de julho)


Por Diego López Marina

REDAÇÃO CENTRAL, 24 Jul. 17 / 05:00 am (ACI).- São Charbel Makhlouf foi um asceta e religioso do Líbano pertencente ao rito maronita e o primeiro santo oriental canonizado desde o século XIII.

Este santo nasceu em 8 de maio de 1828 em Beqaa-Kafra, o lugar habitado mais alto do Líbano. Cresceu com o exemplo dos seus tios, ambos eremitas. Aos 23 anos, deixou sua casa em segredo e entrou no mosteiro de Nossa Senhora de Mayfuq, tomando o nome de uma mártir sírio: Charbel.

Fez os votos solenes em 1853 e foi ordenado sacerdote em 1859 por Dom José Al Marid, sob o patriarcado de Paulo I Pedro Masad. Fixou como sua residência o mosteiro de São Maron, em Annaya, que se encontra a 1067 metros acima do nível do mar.

Padre Charbel viveu nessa comunidade por 15 anos, sendo um monge exemplar, dedicado à oração, ao apostolado e à leitura espiritual.

Tempos depois, sentiu o chamado à vida eremita e, em 13 de fevereiro de 1875, recebeu a autorização para coloca-la em prática. Desde esse momento até a sua morte em 1898, dedicou-se à oração (rezava 7 vezes por dia a Liturgia das Horas), à ascese, à penitência e ao trabalho manual. Comia uma vez por dia e permanecia em silêncio.

A única perturbação a sua oração vinha pela quantidade de visitantes que chegavam atraídos por sua reputação de santidade. Esses buscavam conselho, a promessa de oração ou algum milagre.

Foi beatificado pelo Papa Paulo VI em 5 de dezembro de 1965, durante o encerramento do Concílio Vaticano II, e sua canonização aconteceu em 9 de outubro de 1977, durante o Sínodo Mundial dos Bispos.

Sua devoção se estendeu no Líbano, mas também cruzou fronteiras até a América.

Fonte: ACI digital


A vida extraordinária de São Charbel Makhluf

No dia 24 de julho, a Igreja celebra a memória de São Charbel Makhluf (1828-1898).

Talvez desconhecido para alguns, São Charbel foi um dos santos mais extraordinários da história recente da Igreja. Após a sua morte, o seu corpo incorrupto deixou atônitos os cientistas: totalmente flexível e sem nenhum sinal de decomposição, parecia vivo. Além disto, de seu cadáver jorrava um líquido inexplicável que, utilizado pelos fiéis, realizava milagres portentosos.

Conheça a vida deste monge e sacerdote que, como grande taumaturgo, intercede por nós e nos espera no Céu. Ainda hoje ele nos ensina a viver com o coração voltado para a eternidade.

São Charbel Makhluf foi um eremita libanês do século XIX, elevado à honra dos altares em 1965 e canonizado no ano de 1977, pelo Papa Paulo VI. O nome Charbel, de origem sírio-libanesa, significa “a história de Deus" e, em português, pela adaptação latina, também pode ser substituído por Sarbélio. Mesmo levando uma vida escondida, este santo monge ficou famoso por seu corpo incorrupto e por seus milagres extraordinários. Pouco depois de sua morte, em 1898, se cumpriria a profecia de seu superior, que, ao assinar a sua breve ata de sepultamento, previu que mais se escreveria a respeito dele depois de morto do que vivo.

De fato, sepultado em uma vala comum, como todos os maronitas, de seu túmulo começaram a sair luzes extraordinárias, que impressionaram quem vivia próximo ao cemitério. Aberta a sua cova, todos ficaram maravilhados com o seu corpo, que não só ficara intacto, como começava a transpirar sangue e água – à semelhança de Nosso Senhor, de cujo lado aberto na Cruz também jorraram sangue e água [1]. Por 70 anos, o túmulo de São Charbel ficou completamente encharcado, exalando um odor muito agradável e confirmando a sua santidade.

Nascido Youssef Antoun Makhlouf, em 1828, São Charbel era o quinto de seus irmãos. Órfão desde criança – o pai morreu servindo aos soldados otomanos –, o pequeno José foi criado por um tio. Mandado para o campo, para cuidar do rebanho da família, o menino passava o tempo em uma gruta, na qual se recolhia para rezar. O lugar, chamado ironicamente por seus colegas de “a gruta do santo", acabou por cumprir profeticamente o seu destino. Com 23 anos, José enfrenta a resistência da família – de sua mãe, que lhe era muito apegada, e de seu tio, que necessitava de braços para o campo – e sai escondido de casa, decidido e disposto a fazer-se monge.

No mosteiro, em seu primeiro ano de noviciado, o rapaz vê-se em uma situação difícil. À época, o Líbano trabalhava arduamente na exportação de seda e os monges do lugar em que ele estava tinham muito contato com os camponeses da região, pois os ajudavam na produção da fibra. Trabalhando em sua ocupação, o irmão Charbel atrai o olhar de uma moça, que o tenta seduzir, jogando nele alguns bichos-da-seda. Ignorando a jovem, ele se retira dali e, na mesma noite, foge do mosteiro, que estava sendo ocasião de perigo para a sua alma.

Já no mosteiro de São Maron de Annaya, o irmão Charbel começa o seu segundo ano de noviciado, quando sua mãe, Brígida, decide visitá-lo. Em uma atitude que pode parecer dura, Charbel escolhe não ver sua mãe, limitando-se a conversar com ela atrás da porta. Instado para mostrar-lhe o rosto, ele responde, resolutamente: “Nós nos veremos no Céu". Para entender o ato de São Charbel, é preciso lembrar a sua opção radical pela vida monástica reclusa. Ele estava convencido de que um monge que mantinha contato com seus parentes depois da profissão de seus votos deveria recomeçar o noviciado.

Uma lição valiosa que esse acontecimento ensina é a do amor verdadeiro aos pais, que tem como finalidade a sua salvação eterna. São Máximo, o Confessor, ensina [2] que existem cinco tipos de amor, sendo três “passionais", um “indiferente" e outro “louvável": os três primeiros são aquele buscado por puro prazer, outro baseado no “ter" e outro ainda, na vaidade; o amor neutro é aquele natural, “como os pais que amam os filhos e vice-versa"; o quinto, por fim, é o amor por Deus, que deve enformar todas as virtudes e também afeições naturais [3], inclusive aos pais e filhos. Porque, se é verdade que o amor “por natureza" é “indiferente", pode também desembocar em um apego desordenado. O amor verdadeiro, ao contrário, deseja o Céu um para o outro, assim como São Charbel desejou para sua mãe e assim como Santa Teresinha do Menino Jesus, que, tendo aprendido sobre as belezas do Céu, pediu para Deus que sua mãe morresse logo, para que ela se encontrasse com Ele.

De fato, o desapego dos pais e a promessa de recompensa de Charbel à sua mãe - “Nós nos veremos no Céu" - são realidades que ecoam do próprio Evangelho: “Quem ama pai ou mãe mais do que a mim, não é digno de mim" [4]; “Todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna" [5].

Na vida em comunidade, Charbel tornou-se um notável modelo de submissão e abnegação da própria vontade. Quando o superior pedia a seus confrades uma obediência severa, os seus companheiros retrucavam, jocosamente: “Pensa o senhor, por acaso, que sou o irmão Charbel?"

Por decisão do superior e de seus confrades, foi admitido às sagradas Ordens e, após cumprir os estudos, recebeu a ordenação presbiteral em 1859.

Começa, então, um novo capítulo de sua vida: o agora padre Charbel que se preparava com piedade, devoção e muito zelo para a celebração da Santa Missa. Ele, que era um homem extremamente despojado, tinha peças de vestuário e sapatos que usava especificamente para encontrar com Nosso Senhor no culto eucarístico. “Charbel celebrava o Santo Sacrifício com a máxima dignidade e com uma fé tão viva, que, com frequência, durante a Consagração, as lágrimas corriam-lhe dos olhos escuros e profundos, os quais eram como duas janelas abertas para o Céu. E, na contemplação, ficava de tal modo absorto que não prestava atenção alguma a eventuais ruídos ou rumores" [6].

Certa vez, durante a sagrada liturgia, um acólito viu que o santo chorava durante a consagração e que algumas lágrimas caíam no corporal. À hora da purificação dos objetos sagrados, aquele corporal molhado foi causa de grande inquietação para Charbel, que pensou que havia deixado cair o preciosíssimo sangue de Cristo. Preocupado, o padre apresentou o corporal ao seu superior, pedindo perdão por aquilo que pensara ser um ato de negligência sua.

Durante muitos anos, o padre Charbel permaneceu no seio da comunidade monástica, mas, em seu coração, não havia morrido o desejo de tornar-se eremita, vivendo completamente afastado do mundo e dedicando-se inteiramente a Deus. O seu anseio, no entanto, era sempre negado por seus superiores.

Até que, um dia, tendo voltado tarde de seu trabalho no campo, ele pediu ao irmão dispenseiro - que guarda os mantimentos do mosteiro e os distribui aos confrades - que pusesse óleo em sua lamparina, a fim de rezar o Ofício em sua cela. O monge, reprovando Charbel por não chegar mais cedo, deixou-o, por penitência, sem óleo. O monge, então, retirou-se obedientemente para o seu quarto. Um confrade mais jovem se ofereceu para ajudar São Charbel, mas, por brincadeira, colocou água em sua lamparina, ao invés de óleo. Milagrosamente, todavia, a lamparina se acendeu e Charbel pôde rezar o seu Ofício.

Vendo esse milagre, o seu superior se convenceu de que o Senhor realmente o chamava o para a vida eremítica. Permaneceu, então, recolhido no eremitério de São Pedro e São Paulo, até o fim de sua vida. Foi durante este período, nos intervalos em que trabalhava nas aldeias vizinhas, que se espalhou na região a sua fama de taumaturgo.

Impressionante era a sua concentração nos momentos de oração, que pode ser ilustrada com a história seguinte:

“Num dia de tempestade, um raio derrubou parte da ala meridional da ermida, deitou por terra uma parede da vinha e queimou, na capela, as toalhas do altar, enquanto o santo monge ali se encontrava, em oração. Dois ermitães acorreram ao local, e o viram na mais apaziguante tranquilidade.
— Padre Charbel, por que não se moveu para apagar o fogo?
— Caro irmão, como poderia fazê-lo? Pois logo depois de atear-se, o fogo se extinguiu…
De fato, como o incêndio fora rapidíssimo, ele julgara mais importante continuar sua oração, sem se perturbar." [7]

No dia 16 de dezembro, enquanto celebrava o Santo Sacrifício, o padre Charbel começou a passar mal. Tendo agonizado por oito dias, este santo monge entregou a sua vida a Deus oito dias depois, exatamente na vigília de Natal.

A sua vida extraordinária nos incita, sobretudo, à renúncia do mundo e ao cultivo da vida espiritual, baseada principalmente na devoção à Santíssima Virgem e à Santíssima Eucaristia. A São Charbel Makhlouf se aplicam com perfeição as palavras do salmista: “O justo crescerá como a palmeira, como o cedro do Líbano se elevará" [8].

Referências
 1 Cf. Jo 19, 34
 2 Cf. Centúrias Sobre a Caridade, II, 9
 3 Cf. Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, II-II, q. 23, a. 8
 4 Mt 10, 37
 5 Mt 19, 29
 6 Paz de alma, silêncio e solidão - Teológio Santa Escolástica
 7 Ibidem
 8 Sl 92, 13

Fonte: Padre Paulo Ricardo



Vamos orar para que Jesus toque as pessoas que nos desejam coisas negativas-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (24/julho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em seu programa Momento de Fé-Sentinelas da Madrugada, continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar para que Jesus toque aqueles que querem o nosso mal!"
Trouxe para vocês cinco cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma semana iluminada no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

domingo - ESTAMOS TOCANDO EM ALGO QUE MAGOA, TRAZ RESSENTIMENTOS E DECEPÇÕES, COLOCANDO EM ORAÇÃO AS PESSOAS QUE DESEJAM COISAS NEGATIVAS PARA NÓS. PRINCIPALMENTE AS MAIS PRÓXIMAS, POR ISSO VAMOS REDOBRAR NOSSAS ORAÇÕES, PEDINDO QUE JESUS TOQUE O CORAÇÃO DAQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL! 

Uma maneira que nos ajuda a lidar com esta incômoda situação de saber que alguém próximo não nos deseja coisas boas, é valorizar quem faz o contrário. Busque pessoas que você sabe que te amam e você sabe que querem o seu bem. Isso ameniza a dor e te mostra que quem não gosta de você pode perder importância na sua vida. COM FÉ EM DEUS, VAMOS ELIMINAR DE NOSSAS VIDAS ESTES SENTIMENTOS NOCIVOS PARA NÓS!   
É inevitável ficar triste, quando percebemos ou descobrimos que pessoas próximas a nós não nos desejam coisas boas. Por isso tome cuidado para não trazer um sentimento de culpa para sua mente. É comum nos sentirmos culpados, achando que se alguém não gosta de nós é por nossa culpa. Cuidado, não traga este peso para sua vida. Se você fez uma auto análise, reviu seu comportamento e não encontrou nenhum elemento que possa justificar a rejeição que está sofrendo, a culpa não é sua. Saiba que isso acontece e que você deve se blindar perante a pessoa em questão. Procure não ficar com  raiva. É difícil, mas sentir raiva de quem não gosta de você além de não te ajudar pode te prejudicar ainda mais. Pessoas com raiva acabam afastando ainda mais outras pessoas. Além de que você transmitir a quem está a sua volta algo que não representa a sua  verdadeira maneira de ser. Com Fé vamos quebrar este mal de nossas vidas pedindo que JESUS TOQUE AQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL! 

segunda - SABEMOS QUE NEM JESUS AGRADOU A TODOS, MUITO DESTA VERDADE SE DEVE A SENTIMENTOS RUINS VOMO INVEJA OU GANÂNCIA. MESMO ASSIM, SABENDO QUE NINGUÉM AGRADA A TODOS, NOS INCOMODA SABER QUE TEM PESSOAS QUE NÃO GOSTAM DE NÓS, POR ISSO ESTAMOS ORANDO, PARA QUE JESUS TOQUE O CORAÇÃO DAQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL! 

Quando notamos ou temos a impressão de que este ou aquele não gostam de nós, isso pode nos causar uma série de desconfortos como mal estar, insegurança, apreensão, medo, entre outros. Alguns tentam redobrar suas forças para tentar mudar a opinião destas pessoas, outros se afastam, mas todos, precisam lidar com esta situação, por isso vamos nos manter firmes e COM FÉ EM DEUS, VAMOS ELIMINAR DE NOSSAS VIDAS ESTES SENTIMENTOS NOCIVOS PARA NÓS!
Se você se entristece quando alguém não gosta de você, saiba que é totalmente normal, principalmente quando este sentimento parte de pessoas que gostamos ou admiramos. Mas é extremamente necessário saber como agir nestas situações, pois estes sentimentos de rejeição podem acarretar até problemas de saúde. Quando você se sentir mal perante este impasse, procure manter o positivismo e a Fé, lembre-se que realmente existem pessoas que não gostam de você, mas existem outras que gostam e as vezes não damos importância ou a atenção devida. Assim, não fique “correndo atrás” de quem não te quer bem e passe a “cuidar” dos que gostam de você. Não insista em frequentar locais em que não se sente bem, busque locais aonde você é querido e valorizado. O mundo é grande e a vida é complexa, analise se você é que está dando importância demais a quem não merece! Ore e peça que JESUS TOQUE AQUELES QUE QUEREM O NOSSO MAL!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"As dores e cicatrizes podem ficar marcadas em sua alma, mas os ensinamentos de Deus também estarão cravados na sua alma. Não há crescimento sem sofrimento, não há sabedoria sem dor. Resigne-se diante da vontade do Senhor, reconcilia-se com a sua dor, com a sua vida, com os seus caminhos, e entregue os seus passos a Deus. Ele saberá lhe guiar. Tenha paz e paciência!"
"Confie em Deus acima de tudo, pois Ele estará presente quando mais ninguém estiver. O poder Dele não tem limites e será usado em nosso benefício nos momentos mais angustiantes da nossa vida. Deus sabe o que é o melhor para nós e sempre nos mostrará o caminho que devemos seguir."






***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




domingo, 23 de julho de 2017

Hoje é celebrada Santa Brígida, padroeira da Europa (23 de julho)


REDAÇÃO CENTRAL, 23 Jul. 17 / 05:00 am (ACI).- Neste dia 23 de julho, recorda-se Santa Brígida, padroeira da Suécia, fundadora da Ordem do Santíssimo Salvador, mãe de Santa Catarina da Suécia e proclamada por São João Paulo II como padroeira da Europa.

A esta santa mística, o Senhor revelou algumas orações com grandes promessas para a conversão e salvação das almas.

O Sumo Pontífice Emérito Bento XVI assinalou em 2010, ao falar desta santa, que suavida mostra o papel e a dignidade da mulher na Igreja e que se caracterizava sempre por sua “atitude de respeito e de fidelidade integral ao Magistério da Igreja, de modo particular ao Sucessor do Apóstolo Pedro”.

Santa Brígida nasceu na Suécia em 1302 e faleceu em Roma (Itália), aos 70 anos, em 23 de julho de 1373, sendo canonizada 18 anos após sua morte.

Esposa e mãe de oito filhos, ao ficar viúva decidiu renunciar a um segundo matrimônio e dedicar-se à oração, à penitência e às obras de caridade. Vendeu o que tinha e ingressou sem a consagração religiosa no mosteiro cisterciense de Alvastra, em seu país natal.

Em suas experiências místicas, recebeu da Santíssima Virgem Maria a devoção diária às Sete Dores, que consiste em rezar sete Ave Marias diariamente meditando as lágrimas e as dores da Mãe de Deus, com a promessa de que quem as fizer, a Virgem concederá paz, dará o que pedem, sempre e quando não for contrário à vontade de Deus, defenderá as almas no combate espiritual, entre outras promessas.

Por sua parte, o Senhor lhe revelou quinze orações que se rezam por um ano acompanhadas também de grandes promessas, assim como as orações por doze anos. Na igreja de São Paulo, em Roma, encontra-se acima do sacrário, na Capela do Santíssimo Sacramento, o Crucifixo Milagroso esculpido por Pierre Cavallini, diante do qual a santa recebeu as orações ajoelhada.

Fonte: ACI digital

As Quinze Orações: 
http://www.devocaoefeblog.com.br/2017/07/santa-brigida-as-quinze-oracoes-em.html



Santa Brígida-As Quinze Orações em honra das Santas Chagas de Jesus


Conhecida tambem como Santa Brigit.

Nasceu em 1302 no Castelo de Finsta, em Uppsala, Suécia. Filha de Birger Persson governador e juiz provincial de Uppland e de Ingeborg Bengtsdotter, Suécia. Seu pai era um dos grandes donos de terras do seu país e sua mãe era muito conhecida pela sua piedade e a sua família era descendente da família real sueca.

Santa Brígida começou a ter visões, a maioria da crucificação, na idade de sete anos.

Sua mãe faleceu em 1315, quando ela tinha apenas 12 anos e foi educada pelo tio, também muito piedoso. Em 1316 com 13 anos ela casou-se com o príncipe Ulfo de Nércia, em um casamento arranjado, como era costume na época. Mãe de oito filhos, inclusive de Santa Catarina da Suécia. Outros filhos ignoraram completamente a Igreja e seus ensinamentos. Amiga e conselheira de vários padres e teólogos da época, ela era também a secretaria da Rainha Blanche de Namur e em 1335 foi nesta posição que guiou e aconselhou a rainha e o rei Magnus II. Após a morte de Ulfo em 1344 ela foi em peregrinação a Compostela e passou a perseguir a vida religiosa sempre com a oposição da corte. Mas ela conseguiu eventualmente se livrar do titulo de princesa, primeira na fila da sucessão real, e se tornou uma cistercience franciscana. Cisterciense ela era visionária, mística e escritora. Ela descreveu suas revelações recebidas em suas visões e essas visões se tornaram muito populares na idade média. Passou mais tarde várias ao Papa Urbano V. Em 1346 fundou a ordem da Mais Sagradas Salvadoras (As Brigitniditinas) em Vadstena e recebeu a confirmação da Ordem do Papa Urbano V em 1370. A Ordem sobrevive ainda hoje com algumas casas. Ela foi conselheira de reis e dos papas Clemente VI, Urbano VI e Gregório XI, sempre aconselhando-os a retornarem de Avignon para Roma. Ela sempre aconselhava a todos a meditarem na Paixão sobre Jesus Crucificado.

Santa Brígida, em uma de suas visões ouviu Jesus dizer a Maria :

“Minha mãe, sabeis quanto vos amo. Pedi-me pois o que quizerdes. Ao Meu Coração não é possível repelir os seus rogos. Quando Eu estava sobre a terra, vós a melhor as mães, nunca me recusastes coisa alguma. Agora que estou no Céu é justo que satisfaça todos os seus pedidos”.

Uma das mais incríveis visões de Santa Brigida foi aquela que Jesus mostrou a ela as 5.480 feridas da coroa dos espinhos, do chicote, dos pregos, das ferpas da cruz e outras tantas que ninguem jamais podia imaginar; e ainda disse a ela as orações que hoje são conhecidas como as “15 Orações de Santa Brigida.”

Faleceu em 23 de julho em Roma e foi enterrada em Vadstena, Suécia no convento que ela fundou. Foi canonizada em 7 de outubro de 1391 pelo Papa Bonifácio IX.

É a padroeira da Suécia e das viúvas.

Sua festa é celebrada no dia 23 de julho. Santa Brígida, rogai por nós!

Fonte: Cleofas


As Quinze Orações – em honra das Santas Chagas de Jesus

Por meio de Santa Brígida, Jesus prometeu grandes graças àqueles que recitarem diariamente  estas quinze orações durante um ano.

A Igreja recomenda a prática destas orações por seu valor doutrinal e sua aptidão em ajudar os fiéis a contemplar Jesus Crucificado.

No início:
Sinal da Cruz…


Invocação ao Espírito Santo
 Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis, e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruís os corações de Vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que saibamos apreciar retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Primeira Oração (Uma visão geral do sofrimento de Cristo até a flagelação)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus Cristo, doçura eterna para aqueles que vos amam, alegria que ultrapassa toda alegria e todo o desejo, esperança de salvação dos pecadores, que declarastes não terdes maior contentamento do que estar entre os homens, até ao ponto de assumir a nossa natureza, na plenitude dos tempos, por amor deles, lembrai-vos dos sofrimentos, desde o primeiro instante de vossa Conceição e sobretudo durante a vossa Santa Paixão, assim como havia sido decretado e estabelecido desde toda a eternidade na mente divina. Lembrai-vos, Senhor, que, celebrando a Ceia com os vossos discípulos, depois de lhes haverdes lavado os pés, destes-lhes o vosso Sagrado Corpo e precioso Sangue e consolando-os  docemente  lhes  predissestes vossa Paixão iminente. Lembrai-vos da tristeza e da amargura que experimentastes em vossa alma, como o testemunhastes, Vós mesmo por estas palavras: “Minha alma está triste até à morte”. Lembrai-vos, Senhor, dos temores, angústias e dores que suportastes em vosso corpo delicado antes do suplício da cruz, quando, depois de Ter rezado por três vezes, derramando um suor de sangue, fostes traído por Judas, vosso discípulo, preso pela nação que escolhestes, acusado por testemunhas falsas, injustamente julgado por três juizes, na flor da vossa juventude e no tempo solene de Páscoa. Lembrai-vos que fostes despojado das vossas próprias vestes e revestido das vestes de irrisão; que vos  velaram os olhos e a face, que vos deram bofetadas, que vos coroaram de espinhos, que vos puseram uma cana na mão e que, atado a uma coluna, fostes despedaçado por golpes e acabrunhado de afrontas e ultrajes. Em memória dessas penas e dores  que suportastes antes da vossa Paixão sobre a cruz, concedei-me, antes da morte, uma verdadeira contrição, a oportunidade de me confessar com pureza de intenção e sinceridade absoluta, uma adequada satisfação e a remissão de todos os meus pecados.
Assim seja.

Segunda Oração (A flagelação de Jesus)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, verdadeira liberdade dos Anjos, paraíso de delícias, lembrai-vos do peso acabrunhador de tristeza que suportastes, quando vossos inimigos, quais leões furiosos, vos cercaram, e por meio de mil injúrias, escarros, bofetadas, arranhões e outros inauditos suplícios, vos atormentaram à porfia. Em consideração desses insultos e desses tormentos, eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis libertar-me dos meus inimigos visíveis e invisíveis e fazer-me chegar, com o vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna.
Assim seja.

Terceira Oração (A crucificação de Jesus)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, Criador do céu e da terra, a quem coisa alguma pode conter ou limitar, Vós que tudo abarcais e tendes tudo sob o vosso poder, lembrai-vos da dor, repleta de amargura, que experimentastes quando os soldados, pregando na cruz vossas sagradas mãos e vossos pés tão delicados, traspassaram-nos com grandes e rombudos cravos e não vos encontrando no estado em que teriam desejado para dar largas à sua cólera, dilataram as vossas chagas, exacerbando assim as vossas dores. Depois, por uma crueldade inaudita, vos estenderam  sobre a cruz e vos viraram de todos os lados, deslocando, assim, os vossos membros. Eu vos suplico, pela lembrança desta dor que suportastes na cruz com tanta santidade e mansidão, que vos digneis conceder-me o vosso temor e o vosso amor.
Assim seja.

Quarta Oração (A prece de Jesus Cristo pelos algozes que O crucificaram)

Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, médico celeste, que fostes elevado na cruz a fim de curar as nossas chagas por meio das vossas, lembrai-vos do abatimento em que vos encontrastes e das contusões que vos infligiram em vossos sagrados membros, dos quais nenhum permaneceu em seu lugar, de tal modo que dor alguma poderia ser comparada à vossa. Da planta dos pés até o alto da cabeça nenhuma parte do vosso corpo esteve isenta de tormentos; e, entretanto, esquecido de vossos sofrimentos, não vos cansastes de suplicar a vosso Pai pelos inimigos que vos cercavam, dizendo-lhe: “Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem”. Por esta grande misericórdia e em memória desta dor, fazei com que a lembrança de vossa Paixão, tão impregnada de amargura, opere em mim uma perfeita contrição e a remissão de todos os meus pecados.
Assim seja.

Quinta Oração (A misericórdia de Cristo para com os pecadores arrependidos)

Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, espelho do esplendor eterno, lembrai-vos da tristeza que sentistes, quando, contemplando à luz da vossa divindade a predestinação daqueles que deviam ser salvos pelos méritos de vossa santa Paixão, contemplastes, ao mesmo tempo, a multidão dos réprobos que deviam ser condenados por causa de seus  pecados e lastimastes amargamente a sorte desses infelizes pecadores, perdidos e desesperados. Por este abismo de compaixão e de piedade e, principalmente, pela bondade que manifestastes ao bom ladrão, dizendo-lhe: “Hoje estarás comigo no paraíso”, eu vos suplico, ó doce Jesus, que na hora de minha morte, useis de misericórdia para comigo.
Assim seja.

Sexta Oração (O testamento de Jesus na Cruz)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, Rei amável e todo desejável, lembrai-vos da dor que experimentastes quando, nu e como um miserável, pregado e levantado na cruz, fostes abandonado por todos os vossos parentes e amigos, com exceção de vossa Mãe bem-amada, que permaneceu, em companhia de São João, muito fielmente junto de vós na Agonia; lembrai-vos de que os entregastes um ao outro, dizendo: “Mulher, eis aí o teu filho!” e a João:   “Eis aí  a tua Mãe!”  Eu  vos  suplico, ó meu Salvador, pela espada de dor que então traspassou a alma de vossa santa Mãe, que tenhais compaixão de mim em todas as minhas angústias e tribulações,  tanto corporais como espirituais e que vos digneis assistir-me nas provações que me sobrevierem, sobretudo na hora da minha morte.
Assim seja.

Sétima Oração (A sede de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, fonte inexaurível de piedade que, por uma profunda ternura de amor, dissestes sobre a Cruz:  “Tenho sede!”, mas, sede da salvação do gênero humano. Eu vos suplico, ó meu Salvador,   que vos  digneis estimular  o desejo  que meu coração experimenta de tender à perfeição em todas as minhas obras e extinguir, por completo, em mim, a concupiscência carnal e o ardor dos desejos mundanos.
Assim seja.

Oitava Oração (A bebida de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, doçura dos corações, suavidade dos espíritos, pelo amargo sabor do fel e do vinagre que provastes sobre a cruz por amor de todos nós, concedei-me  a  graça  de  receber dignamente ovosso Corpo e vosso preciosíssimo Sangue durante a minha vida e na hora de minha morte, a fim de que sirvam de remédio e de consolo para a minha alma.
Assim seja.

Nona Oração (O clamor de angústia de Cristo na cruz)

Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, virtude real, alegria do espírito, lembrai-vos da dor que suportastes, quando, mergulhado na amargura ao sentir aproximar-se a morte, insultado e ultrajado pelos homens, julgastes haver sido  abandonado por vosso Pai,  dizendo-lhe: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” Por essa angústia eu vos suplico, ó meu Salvador, que não me abandoneis nas aflições e nas dores da morte.
Assim seja.

Décima Oração (As muitas feridas de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, que sois em todas as coisas começo e fim, vida e virtude, lembrai-vos de que por nós fostes mergulhado num abismo de dores, da planta dos pés até o alto da cabeça. Em consideração  da extensão de vossas chagas, ensinai-me a guardar os vossos mandamentos, mediante uma sincera caridade, mandamentos esses que são caminho espaçoso e agradável para aqueles que vos amam.
Assim seja.

Décima Primeira Oração (As chagas profundas de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, profundíssimo abismo de misericórdia, suplico-vos, em memória de vossas chagas que penetraram até a medula de vossos ossos e atingiram até vossas entranhas, que vos digneis afastar esse pobre pecador do lodaçal de  ofensas  em  que   está   submerso,  conduzindo-o para longe do pecado. Suplico-vos também esconder-me de vossa Face irritada, ocultando-me dentro de vossas chagas até que vossa cólera e vossa justa indignação tenham passado.
Assim seja.

Décima Segunda Oração (As chagas sangrentas de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, espelho de verdade, sinal de unidade, laço de caridade, lembrai-vos dos inumeráveis ferimentos que recebestes, desde a cabeça até os pés, ao ponto de ficardes dilacerado e coberto pela púrpura de vosso sangue adorável. Ó, quão grande e universal foi a dor que sofrestes em vossa carne virginal por nosso amor! Dulcíssimo Jesus, que poderíeis fazer por nós que não o houvésseis feito?  Eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis imprimir, com o vosso precioso Sangue, todas as vossas  chagas  no meu  coração,  a fim de que eu relembre, sem cessar, vossas dores e vosso amor. Que pela fiel lembrança de vossa Paixão, o fruto dos vossos sofrimentos seja renovado em minha alma e que vosso amor vá crescendo em mim cada dia mais, até que eu me encontre finalmente convosco, que sois o tesouro de todos os bens e a fonte de todas as alegrias. Ó dulcíssimo Jesus, concedei-me poder gozar de semelhante ventura na vida eterna.
Assim seja.

Décima Terceira Oração (A última angústia de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, fortíssimo Leão, rei imortal e invencível, lembrai-vos da dor que vos acabrunhou quando sentistes esgotadas todas as vossas forças, tanto do coração como do corpo e inclinastes a cabeça, dizendo:  “Tudo  está  consumado!”  Por esta angústia e por esta dor, eu vos suplico, Senhor Jesus, que tenhais piedade de mim quando soar a minha última hora e minha alma estiver amargurada e meu espírito cheio de aflição.
Assim seja.

Décima Quarta Oração (A morte de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, Filho Único do Pai, esplendor e imagem da sua substância, lembrai-vos da humilde recomendação que lhes dirigistes, dizendo: “Meu Pai, em vossas mãos entrego o meu espírito!” Depois expirastes, estando vosso corpo despedaçado, vosso coração traspassado e as entranhas de vossa misericórdia abertas para  nos  resgatar!  Por  essa  preciosa morte, eu vos suplico, ó Rei dos Santos, que me deis força e me socorrais para resistir ao demônio, à carne e ao sangue, a fim de que, estando morto para o mundo, eu possa viver somente em Vós. Na hora da minha morte, recebei, eu vos peço, minha alma peregrina e exilada, que retorna para Vós.
Assim seja.

Décima Quinta Oração (O último e total derramamento do Sangue de Cristo)
Pai Nosso, Ave-Maria
Ó Jesus, vide verdadeira e fecunda, lembrai-vos da abundante efusão de sangue que tão generosamente derramastes de vosso sagrado corpo, assim com a uva é triturada no lagar. Do vosso lado, aberto pela lança de um dos soldados, jorraram sangue e água, de tal modo que não retivestes uma gota sequer; e, enfim, como um ramalhete de mirra,  elevado na cruz,  vossa carne delicada se aniquilou, feneceu o humor de  vossas entranhas e secou a  medula de vossos ossos. Por esta tão amarga Paixão e pela efusão de vosso precioso Sangue, eu vos suplico, ó bom Jesus, que recebais minha alma quando eu estiver na agonia.
Assim seja.

Oração Final
Ó doce Jesus, vulnerai o meu coração a fim de que lágrimas de arrependimento, de compunção e de amor, noite e dia me sirvam de alimento; convertei-me inteiramente a vós; que meu coração vos sirva de perpétua habitação; que minha conduta vos seja agradável e que o fim de minha vida seja de tal modo edificante que eu possa ser admitido no vosso paraíso, onde, com todos os vossos Santos, hei de vos louvar para sempre.
Assim seja.

Fonte: Rosário Permanente



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé