Junho 2017 - Devoção e Fé - Blog Católico

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Bebê com doença terminal será desconectado contra a vontade de seus pais


O bebê Charlie Gard com sua mãe, Connie Yates. Goto: GoFundMe

LONDRES, 30 Jun. 17 / 03:30 pm (ACI).- Charlie Gard, um bebê britânico de dez meses que sofre de uma doença terminal, terá seus aparelhos desconectados nos próximos dias, depois que fracassou a longa luta de seus pais para evitar isso.

Charlie foi diagnosticado com a síndrome do esgotamento mitocondrial, uma rara doença genética que poucas crianças no mundo sofrem. O mal causa debilidade muscular progressiva e pode causar a morte no primeiro ano de vida.

Os pais do bebê, Chris Gard e Connie Yates, realizaram com êxito uma arrecadação de fundos de mais de um milhão de libras para levar seu filho aos Estados Unidos, para submetê-lo a um tratamento experimental. Os médicos do hospital Great Ormond Street, de Londres (Reino Unido), se opuseram e determinaram que seria desconectado.

Chris e Connie começaram uma batalha judicial que terminou no dia 27 de junho, com a decisão do Tribunal Europeu de Direitos Humanos favorável ao hospital e aos juízes britânicos, considerando “inadmissível” a apelação dos pais do bebê.


Chris Gard e Connie Yates junto com o pequeno Charlie.

O tribunal europeu assinalou que “as cortes locais concluíram, sobre a base de evidência ampla e de especialistas altamente qualificados, que era muito provável que Charlie estivesse sendo exposto a dor contínua, sofrimento e angústia e que submetê-lo a um tratamento experimental sem perspectivas de sucesso não ofereceriam benefícios e seguiria lhe causando dano significativo”.

De acordo com os pais de Charlie, o hospital programou a o desligamento do suporte vital para este dia 30 de junho, mas após dialogar com as autoridades do centro de saúde, “concordaram em nos dar um pouco mais de tempo com Charlie”.

Através de seu perfil no Facebook, Connie Yates expressou seu agradecimento “por todo o apoio do público neste tempo extremamente difícil”.

“Estamos fazendo preciosas recordações que poderemos guardar para sempre”, assinalou e pediu que, “por favor, respeitem nossa privacidade enquanto nos preparamos para dar o último adeus ao nosso filho Charlie”.

A Igreja Católica na Inglaterra e País de Gales expressou em um comunicado que “nunca deveríamos atuar com a intenção deliberada de acabar com uma vida humana, incluindo a retirada de alimentação e hidratação, para que assim se consiga a morte”.

“Sim, temos, às vezes, que reconhecer as limitações do que se pode fazer, enquanto sempre atuando humanamente ao serviço da pessoa enferma até que se produza o momento da morte natural”.

Os bispos da Inglaterra e País de Gales sublinharam que a sentença do Tribunal Europeu de Direitos Humanos é “desoladora”, especialmente para os pais e familiares de Charlie.

“Neste caso difícil, todos os lados buscaram atuar com integridade e para o bem de Charlie como ele o veem. Compreensivelmente, os pais de Charlie desejam fazer tudo para salvar e melhorar a vida de Charlie”, assinalaram.

Os bispos elevaram sua oração para que a família do bebê possa “encontrar a paz nos próximos dias e semanas”.

“Também animamos a comunidade católica a rezar por Charlie, seus pais e todos aqueles que cuidaram dele”.

Por sua parte, o presidente da Pontifícia Academia para a Vida, Dom Vincenzo Paglia, assinalou em um comunicado que o caso do bebê britânico “significou tanta dor e esperança para todos nós”.

“Sentimo-nos próximos dele, de sua mãe, de seu pai e de todos os que cuidaram dele até agora”.

Dom Paglia assinalou que em casos como este “devemos fazer o que melhore a saúde do paciente, mas temos também que aceitar os limites da medicina e, como assinala o parágrafo 65 da encíclica Evangelium Vitae, evitar procedimentos médicos agressivos que são desproporcionais a qualquer resultado esperado ou excessivamente custosos para o paciente ou a família”.

“Se interfere-se com a relação entre médico e paciente (ou pais como no caso de Charlie), tudo se torna mais difícil e a ação legal se torna o último recurso, com o risco acompanhante de manipulação ideológica ou política, que sempre deve ser evitada, ou de sensacionalismo midiático, que pode ser tristemente superficial”.

“Querido Charlie, queridos Chris Gard e Connie Yates, estamos rezando por e com vocês”, finaliza Dom Paglia.

“Deixem Charlie ir para casa”

Nas últimas horas, a hashtag #LetCharlieGoHome (Deixem Charlie ir para casa) se difundiu no Twitter, com usuários de diversas partes do mundo pedindo às autoridades do hospital Great Ormond Street que permitam que o bebê passe suas últimas horas em casa junto com os pais.

Fonte: ACI digital



Vamos orar para que Jesus transforme nossas mentes e nosso espírito-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (30/junho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em sua nova fase do programa Momento de Fé, a fase noturna Sentinelas da Madrugada continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar e nos transformar permitindo que Jesus nos molde por completo!".
Trouxe para vocês um cartão que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

ESTAMOS NOS TRANSFORMANDO POR COMPLETO. NOS APERFEIÇOANDO, APRENDENDO, CRESCENDO, ATRAVÉS DAS MÃOS DE NOSSO SENHOR JESUS. PEDINDO QUE AS MUDANÇAS QUE NECESSITAMOS ACONTEÇAM NÃO APENAS EM NOSSO FÍSICO E PRINCIPALMENTE EM NOSSAS MENTES E NOSSO ESPÍRITO! VAMOS NOS TRANSFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO!
Muitas pessoas buscam um determinado objetivo, mas mesmo que o atinjam, não se sentem satisfeitas ou realizadas. Se deparando constantemente com a famosa questão: “É realmente isso o que quero para minha vida?” Sabe porque isso acontece? Porque estas pessoas deixaram se moldar pelo mundo e não por Jesus! Por isso estamos orando, para que sejamos moldados por Deus! AS MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS COMECEM EM NOSSAS MENTES! O versículo 2 do capítulo 12 do livro Romanos começa assim: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”, este é o ponto central do nosso objetivo nesta semana, transformarmos nossas mentes aos moldes dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, para que a Sua graça seja refletida em nossas ações, palavras. Relacionamentos e trabalhos. Este mesmo versículo termina assim: “para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. A mensagem é muito clara, não nos deixemos conformar com as injustiças e desgraças deste mundo, vamos nos manter fortes com os valores que Deus nos ensinou, vamos modifica r nossas mentes e construir um mundo melhor! Juntos, seguimos nos encontrando a cada início de dia no Nosso Momento de Fé, ao vivo pela Rádio Globo da meia noite a 1h da manhã, em São Paulo também pelo FM 94.1. O programa Coração Aberto, segue ao vivo pelo Facebook @padremarcelorossi, das 10h às 11h da manhã! VAMOS NOS TRANSFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO!



Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Que Deus nos dê: para cada tempestade, um arco-íris. Para cada lágrima, um sorriso. Para cada cuidado, uma promessa. E uma bênção para cada provação."



***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




quinta-feira, 29 de junho de 2017

Papa Francisco: Homilia na Solenidade de São Pedro e São Paulo (29/06/2017)

Papa Francisco sugere a oração como "remédio contra o isolamento"

Cidade do Vaticano (RV) – A Praça São Pedro amanheceu em festa quinta-feira (29/06) colorida com tapetes de flores de várias confrarias e comunidades que vieram celebrar a Solenidade de São Pedro e Paulo, padroeiros de Roma e alicerces da Igreja.

O Papa Francisco celebrou a missa com os arcebispos metropolitanos nomeados no último ano. São 36 no total, 5 dos quais provenientes do Brasil: Dom Júlio Akamine, de Sorocaba, Dom João José da Costa, de Aracajú, Dom Delson Pereira da Cruz, da Paraíba, Dom Orlando Brandes, de Aparecida, e Dom Geremias Steinmetz, de Londrina(que não estava presente).

Na cerimônia, o Papa abençoou e entregou o pálio aos novos arcebispos. Desde 2015, esta faixa não é mais colocada pessoalmente pelo Papa nos ombros dos arcebispos; a imposição é realizada nas respectivas arquidioceses pelo Núncio Apostólico no país.

O pálio

O pálio é o símbolo do serviço e da promoção da comunhão na própria Província Eclesiástica e na sua comunhão com a Sé Apostólica. Elaborado com lã branca, tem cerca de 5cm de largura e dois apêndices – um na frente e outro nas costas. Possui seis cruzes bordadas em lã preta.

É confeccionado pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma, utilizando a lã de dois cordeiros que são oferecidos ao Papa no dia 21 de janeiro de cada ano na Solenidade de Santa Inês.

O pálio passou a ser usado pelos Metropolitanos a partir do século VI, tradição que perdura até aos nossos dias. Nos primeiros séculos do Cristianismo, era exclusivo dos Papas. 

A homilia do Papa

A liturgia de hoje oferece três palavras essenciais para a vida do apóstolo: confissão, perseguição, oração. A partir destes termos, o Papa desenvolveu sua homilia.

A confissão

“Quem sou Eu para ti?” é a pergunta que Jesus dirige a todos nós e, de modo particular, a nós Pastores. É a pergunta decisiva, face à qual não valem respostas de circunstância, porque está em jogo a vida: e a pergunta da vida pede uma resposta de vida”.

Francisco continuou questionando se somos ‘Seus’ não só por palavras, mas com os fatos e a vida:

“Somos cristãos de parlatório, que conversamos sobre como andam as coisas na Igreja e no mundo, ou apóstolos em caminho, que confessam Jesus com a vida, porque O têm no coração?”

Quem confessa Jesus, faz como Pedro e Paulo: segue-O até ao fim; não até um certo ponto, mas até ao fim, e segue-O pelo seu caminho, não pelos nossos caminhos, completou. 

As perseguições

O Papa passou em seguida à segunda palavra: perseguições.

“Também hoje, em várias partes do mundo, por vezes num clima de silêncio – e, não raro, um silêncio cúmplice –, muitos cristãos são marginalizados, caluniados, discriminados, vítimas de violências mesmo mortais, e não raro sem o devido empenho de quem poderia fazer respeitar os seus direitos sagrados”.

A oração

A terceira palavra é oração. Francisco disse:

“A vida do apóstolo, que brota da confissão e desagua na oferta, flui dia-a-dia na oração. A oração é a água indispensável que alimenta a esperança e faz crescer a confiança. A oração faz-nos sentir amados e permite-nos amar. Faz-nos avançar nos momentos escuros, porque acende a luz de Deus. Na Igreja, é a oração que nos sustenta a todos e nos faz superar as provações. 

Afirmando que “a oração é a força que nos une e sustenta, o remédio contra o isolamento e a autossuficiência que levam à morte espiritual”, o Papa exortou: 

“Como é urgente haver, na Igreja, mestres de oração, mas antes de tudo homens e mulheres de oração, que vivem a oração!”.

Delegação ecumênica presente na missa

Concluindo a reflexão, Francisco assegurou aos cardeais e arcebispos que o Senhor estará perto de todos “na opção de viver para o rebanho imitando o Bom Pastor”, e saudou a delegação do Patriarcado Ecumênico enviada pelo “querido Irmão Bartolomeu” em sinal de comunhão apostólica.

(CM)

Fonte: Radio Vaticano

Homilia na Íntegra:


SANTA MISSA E BÊNÇÃO DOS PÁLIOS 
DOS NOVOS ARCEBISPOS METROPOLITANOS 
NA SOLENIDADE DOS APÓSTOLOS SÃO PEDRO E SÃO PAULO


HOMILIA DO PAPA FRANCISCO



Praça São Pedro
Quinta-feira, 29 de junho de 2017


A liturgia de hoje oferece-nos três palavras que são essenciais para a vida do apóstolo: confissão, perseguição, oração.

A confissão é a que ouvimos dos lábios de Pedro no Evangelho, quando a pergunta do Senhor, de geral, passa a particular. Com efeito Jesus, primeiro, pergunta: «Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?» (Mt 16, 13). Desta «sondagem» resulta, de vários lados, que o povo considera Jesus um profeta. E então o Mestre coloca aos discípulos a pergunta verdadeiramente decisiva: «E vós, quem dizeis que Eu sou?» (16, 15). Agora responde apenas Pedro: «Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo» (16, 16). Esta é a confissão: reconhecer em Jesus o Messias esperado, o Deus vivo, o Senhor da nossa própria vida.

Hoje, Jesus dirige esta pergunta vital a nós, a todos nós e, de modo particular, a nós Pastores. É a pergunta decisiva, face à qual não valem respostas de circunstância, porque está em jogo a vida: e a pergunta da vida pede uma resposta de vida. Pois, de pouco serve conhecer os artigos de fé, se não se confessa Jesus como Senhor da nossa própria vida. Hoje Ele fixa-nos nos olhos e pergunta: «Quem sou Eu para ti?» Como se dissesse: «Sou ainda Eu o Senhor da tua vida, a direção do teu coração, a razão da tua esperança, a tua confiança inabalável?» Com São Pedro, também nós renovamos hoje a nossa opção de vida como discípulos e apóstolos; passamos novamente da primeira à segunda pergunta de Jesus, para sermos «seus» não só por palavras, mas com os factos e a vida.

Perguntemo-nos se somos cristãos de parlatório, que conversamos sobre como andam as coisas na Igreja e no mundo, ou apóstolos em caminho, que confessam Jesus com a vida, porque O têm no coração. Quem confessa Jesus, sabe que está obrigado não apenas a dar conselhos, mas a dar a vida; sabe que não pode crer de maneira tíbia, mas é chamado a «abrasar» por amor; sabe que, na vida, não pode «flutuar» ou reclinar-se no bem-estar, mas deve arriscar fazendo-se ao largo, apostando dia-a-dia com o dom de si mesmo. Quem confessa Jesus, faz como Pedro e Paulo: segue-O até ao fim; não até um certo ponto, mas até ao fim, e segue-O pelo seu caminho, não pelos nossos caminhos. O seu caminho é o caminho da vida nova, da alegria e da ressurreição, o caminho que passa também através da cruz e das perseguições.

E aqui temos a segunda palavra: perseguições. Não foram só Pedro e Paulo que deram o sangue por Cristo, mas, nos primeiros tempos, toda a comunidade foi perseguida, como nos recordou o livro dos Atos dos Apóstolos (cf. 12, 1). Também hoje, em várias partes do mundo, por vezes num clima de silêncio – e, não raro, um silêncio cúmplice –, muitos cristãos são marginalizados, caluniados, discriminados, vítimas de violências mesmo mortais, e não raro sem o devido empenho de quem poderia fazer respeitar os seus direitos sagrados.

Entretanto queria salientar sobretudo aquilo que o apóstolo Paulo afirma antes: «estou pronto – escreve ele – para oferecer-me como sacrifício» (2 Tim 4, 6). Para ele, viver era Cristo (cf. Flp 1, 21), e Cristo crucificado (cf. 1 Cor 2, 2), que deu a vida por ele (cf. Gal 2, 20). E assim Paulo, como discípulo fiel, seguiu o Mestre, oferecendo também ele a vida. Sem a cruz, não há Cristo; mas, sem a cruz, não há sequer o cristão. De facto, «é próprio da virtude cristã não só fazer o bem, mas também saber suportar os males» (Agostinho, Sermão 46, 13), como Jesus. Suportar o mal não é só ter paciência e prosseguir com resignação; suportar é imitar Jesus: é carregar o peso, levá-lo aos ombros por amor d’Ele e dos outros. É aceitar a cruz, prosseguindo confiadamente porque não estamos sozinhos: o Senhor crucificado e ressuscitado está connosco. Deste modo podemos dizer, com Paulo, que «em tudo somos atribulados, mas não esmagados; confundidos, mas não desesperados; perseguidos, mas não abandonados» (2 Cor 4, 8-9).

Suportar é saber vencer com Jesus e à maneira de Jesus, não à maneira do mundo. É por isso que Paulo se considera – como ouvimos – um vencedor que está prestes a receber a coroa (cf. 2 Tim 4, 8), escrevendo: «Combati o bom combate, terminei a corrida, conservei a fé» (4, 7). A única conduta do seu bom combate foi viver para: não para si próprio, maspara Jesus e para os outros. Viveu «correndo», isto é, sem se poupar, antes pelo contrário consumando-se. Há uma coisa que ele diz que conservou: não a saúde, mas a fé, isto é, a confissão de Cristo. Por amor d’Ele viveu as provações, as humilhações e os sofrimentos, que nunca se devem procurar, mas aceitar. E assim, no mistério do sofrimento oferecido por amor, neste mistério que muitos irmãos perseguidos, pobres e doentes encarnam também hoje, resplandece a força salvífica da cruz de Jesus.

A terceira palavra é oração. A vida do apóstolo, que brota da confissão e desagua na oferta, flui dia-a-dia na oração. A oração é a água indispensável que alimenta a esperança e faz crescer a confiança. A oração faz-nos sentir amados, e permite-nos amar. Faz-nos avançar nos momentos escuros, porque acende a luz de Deus. Na Igreja, é a oração que nos sustenta a todos e nos faz superar as provações. Vemo-lo na primeira Leitura: «Enquanto Pedro estava encerrado na prisão, a Igreja orava a Deus, instantemente, por ele» (At 12, 5). Uma Igreja que ora, é guardada pelo Senhor e caminha na companhia d’Ele. Orar é entregar-Lhe o caminho, para que o tome ao seu cuidado. A oração é a força que nos une e sustenta, o remédio contra o isolamento e a autossuficiência que levam à morte espiritual. Com efeito, o Espírito de vida não sopra, se não se reza; e, sem a oração, não se abrem as prisões interiores que nos mantêm prisioneiros.

Que os Santos Apóstolos nos obtenham um coração como o deles, fatigado e pacificado pela oração: fatigado, porque pede, bate à porta e intercede, carregado com tantas pessoas e situações que deve confiar a Deus; mas, ao mesmo tempo, pacificado, porque o Espírito traz consolação e fortaleza quando se ora. Como é urgente haver, na Igreja, mestres de oração, mas antes de tudo homens e mulheres de oração, que vivem a oração!

O Senhor intervém quando oramos, Ele que é fiel ao amor que Lhe confessamos e está perto de nós nas provações. Ele acompanhou o caminho dos Apóstolos e acompanhar-vos-á também a vós, queridos Irmãos Cardeais, aqui reunidos na caridade dos Apóstolos que confessaram a fé com o sangue. Ele estará perto também de vós, queridos Irmãos Arcebispos que, ao receberdes o pálio, sereis confirmados na opção de viver para o rebanho imitando o Bom Pastor, que vos sustenta carregando-vos aos ombros. O próprio Senhor, que deseja ardentemente ver todo o seu rebanho reunido, abençoe e guarde também a Delegação do Patriarcado Ecuménico, e o querido Irmão Bartolomeu que a enviou aqui em sinal de comunhão apostólica.

Fonte da Homilia: Vatican.va



Papa Francisco: Pedro e Paulo sigilaram com o próprio sangue o testemunho de Cristo


Cidade do Vaticano (RV) 29/06/2017 - O Papa Francisco rezou a oração mariana do Angelus, nesta quinta-feira (29/06), com os fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro, Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, que no Brasil será celebrada no próximo domingo.

Na alocução que precedeu a oração, o Pontífice ressaltou que “os Padres da Igreja amavam comparar os Santos Apóstolos Pedro e Paulo a duas colunas, sobre as quais se apoia a construção visível da Igreja. Eles sigilaram com o próprio sangue o testemunho de Cristo com a pregação e o serviço à comunidade cristã nascente. Este testemunho é evidenciado nas leituras bíblicas da liturgia de hoje, que indicam o motivo pelo qual a sua fé, confessada e anunciada, foi coroada com a prova suprema do martírio.”

Missão

O Livro dos Atos dos Apóstolos conta o evento da prisão e libertação de Pedro. "Ele experimentou a aversão ao Evangelho em Jerusalém onde foi preso por Herodes que tinha a intenção de apresentá-lo ao povo, mas foi salvo de forma milagrosa e pode levar a termo a sua missão evangelizadora, primeiramente na Terra Santa e depois em Roma, dedicando todas as suas forças a serviço da comunidade cristã."

Paulo também experimentou hostilidades e foi libertado pelo Senhor. Enviado por Jesus a várias cidades junto às populações pagãs, “ele encontrou resistências fortes da parte de seus correligionários e também da parte das autoridades civis. Escrevendo ao discípulo Timóteo, reflete sobre a própria vida, o percurso missionário e também sobre as perseguições sofridas por causa do Evangelho”.

Provação

“Estas duas libertações, de Pedro e de Paulo, revelam o caminho comum dos dois Apóstolos que foram enviados por Jesus a anunciar o Evangelho em ambientes difíceis e em certos casos hostis. Ambos, com seus vidas pessoais e eclesiais, nos mostram e nos dizem, hoje, que o Senhor está sempre ao nosso lado, caminha conosco, nunca nos abandona. Especialmente no momento da provação, Deus nos estende a mão, nos ajuda e nos liberta das ameaças dos inimigos. Devemos nos lembrar que o nosso inimigo verdadeiro é o pecado, e o maligno nos empurra para isso.”

Segundo o Papa, “quando nos reconciliamos com Deus, especialmente no Sacramento da Penitência, recebemos a graça do perdão, somos libertados dos vínculos do mal e aliviados do peso de nossos erros. Assim, podemos continuar o nosso percurso de anunciadores alegres e testemunhas do Evangelho, mostrando que nós recebemos por primeiro a misericórdia”.

“A nossa oração hoje à Virgem Maria, Rainha dos Apóstolos, é sobretudo pela Igreja que vive em Roma e por esta cidade que tem como padroeiros os Santos Pedro e Paulo. Que eles  obtenham para essa cidade o bem-estar espiritual e material. A bondade e a graça de Deus sustente todo o povo romano para que viva em fraternidade e concórdia, fazendo resplandecer a fé cristã, testemunhada com coragem pelos Santos Apóstolos Pedro e Paulo.”

Pálios

Após a oração mariana do Angelus, o Papa Francisco recordou a missa celebrada na Basílica Vaticana:

“Esta manhã, aqui na praça, celebrei a Eucaristia com os cinco cardeais criados no Consistório de ontem, e abençoei os Pálios dos Arcebispos Metropolitanos nomeados neste último ano, provenientes de vários países. Saúdo e agradeço a todos eles e também aqueles que os acompanharam nesta peregrinação. Eu os encorajei a prosseguir com alegria a sua missão a serviço do Evangelho, em comunhão com toda a Igreja. Nesta mesma celebração, acolhi com afeto os membros da delegação que veio a Roma, em nome do Patriarca Ecumênico, o querido irmão Bartolomeu. Essa presença é sinal dos laços fraternos existentes entre as nossas Igrejas.”

A seguir, o Papa saudou as famílias, grupos paroquiais, associações e os fiéis provenientes da Itália e várias partes do mundo, sobretudo da Alemanha, Inglaterra, Bolívia, Indonésia e Catar. Saudou também os estudantes das escolas católicas de Salbris, na França, de Osijek, Croácia, e Londres.

Saudou também os fiéis de Roma na festa dos santos padroeiros da cidade. Para essa ocasião, foi promovida a tradicional festa dos tapetes florais, realizados por vários artistas e voluntários. O Papa agradeceu esta iniciativa e recordou a queima de fogos que se realizará, esta noite, na Piazza del Popolo.

(MJ)

Fonte: Radio Vaticano



Hoje a Igreja vive a Solenidade de São Pedro e São Paulo, o Dia do Papa (29 de junho)


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Jun. 17 / 05:00 am (ACI).- “O dia de hoje é para nós dia sagrado, porque nele celebramos o martírio dos apóstolos São Pedro e São Paulo... Na realidade, os dois eram como um só; embora tenham sido martirizados em dias diferentes, deram o mesmo testemunho”, explicou o Bispo Santo Agostinho (354-430) em seus sermões no início do cristianismo.

Esta celebração recorda que São Pedro foi eleito por Cristo: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”. Humildemente, ele aceitou a missão de ser “a rocha” da Igreja.

O Papa por sua parte, como Sucessor de Pedro e Vigário de Cristo, é o princípio e fundamento perpétuo e visível da unidade, tanto dos bispos como da multidão de fiéis. É Pastor de toda a Igreja e tem poder pleno, supremo e universal. Por isso, também é comemorado nesta data o dia do Sumo Pontífice.

Do mesmo modo, comemora-se São Paulo, o Apóstolo dos gentios, que antes de sua conversão foi um perseguidor dos cristãos e passou, com sua vida, a ser um ardoroso evangelizador para todos os católicos, sem reservas no anúncio do Evangelho.

Como o Papa Bento XVI recordou em 2012, “a tradição cristã tem considerado São Pedro e São Paulo inseparáveis: na verdade, juntos, representam todo o Evangelho de Cristo”.

“Apesar de ser humanamente bastante diferentes e não obstante os conflitos que não faltaram no seu mútuo relacionamento, realizaram um modo novo e autenticamente evangélico de ser irmãos, tornado possível precisamente pela graça do Evangelho de Cristo que neles operava. Só o seguimento de Cristo conduz a uma nova fraternidade”, destacou.

Fonte: ACI digital


7 chaves para entender por que São Pedro e São Paulo são celebrados juntos

Por Diego López Marina

REDAÇÃO CENTRAL, 29 Jun. 17 / 10:00 am (ACI).- Hoje, 29 de junho, a Igreja celebra a Solenidade de São Pedro e São Paulo, entretanto, há algumas dúvidas sobre as verdadeiras razões do motivo de a festa de ambos os apóstolos ser celebrada no mesmo dia.

A seguir, 7 chaves que permitem entender isso:

1. Santo Agostinho de Hipona expressou que eram “um só”

Em um sermão do ano 395, o Doutor da Igreja, Santo Agostinho de Hipona, expressou que São Pedro e São Paulo, “na realidade, eram como um só. Embora tenham sido martirizados em dias diferentes, deram o mesmo testemunho. Pedro foi à frente; Paulo o seguiu. Celebramos o dia festivo consagrado para nós pelo sangue dos apóstolos. Amemos a fé, a vida, os trabalhos, os sofrimentos, os testemunhos e as pregações destes dois apóstolos”.

2. Ambos padeceram em Roma

Foram detidos na prisão Mamertina, também chamada Tullianum, localizada no foro romano na Roma Antiga. Além disso, foram martirizados nessa mesma cidade, possivelmente por ordem do imperador Nero.

São Pedro passou seus últimos anos em Roma liderando a Igreja durante a perseguição e até o seu martírio no ano 64. Foi crucificado de cabeça para baixo, a pedido próprio, por não se considerar digno de morrer como seu Senhor. Foi enterrado na colina do Vaticano e a Basílica de São Pedro está construída sobre seu túmulo.

São Paulo foi preso e levado a Roma, onde foi decapitado no ano 67. Está enterrado em Roma, na Basílica de São Paulo Extramuros.

3. São fundadores da Igreja de Roma

Na homilia de 2012 na Solenidade de São Pedro e São Paulo, o Papa Bento XVIassegurou que “a sua ligação como irmãos na fé adquiriu um significado particular em Roma. De fato, a comunidade cristã desta Cidade viu neles uma espécie de antítese dos mitológicos Rómulo e Remo, o par de irmãos a quem se atribui a fundação de Roma”.

4. São padroeiros de Roma e representantes do Evangelho

Na mesma homilia, o Santo Padre chamou esses dois apóstolos de “padroeiros principais da Igreja de Roma”.

“Desde sempre a tradição cristã tem considerado São Pedro e São Paulo inseparáveis: na verdade, juntos, representam todo o Evangelho de Cristo”, detalhou.

5. São a versão contrária de Caim e Abel

O Santo Padre também apresentou um paralelismo oposto com a irmandade apresentada no Antigo Testamento entre Caim e Abel.

“Enquanto nestes vemos o efeito do pecado pelo qual Caim mata Abel, Pedro e Paulo, apesar de ser humanamente bastante diferentes e não obstante os conflitos que não faltaram no seu mútuo relacionamento, realizaram um modo novo e autenticamente evangélico de ser irmãos, tornado possível precisamente pela graça do Evangelho de Cristo que neles operava”, relatou o Santo Padre Bento XVI.

6. Porque Pedro é a “rocha”

Esta celebração recorda que São Pedro foi escolhido por Cristo – “tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” – e humildemente aceitou a missão de ser “a rocha” da Igreja e apascentar o rebanho de Deus, apesar de suas fragilidades humanas.

Os Atos dos Apóstolos ilustram seu papel como líder da Igreja depois da Ressurreição e Ascenção de Cristo. Pedro dirigiu os apóstolos como o primeiro Papa e assegurou que os discípulos mantivessem a verdadeira fé.

Como explicou em sua homilia o Sumo Pontífice Bento XVI, “na passagem do Evangelho de São Mateus (...), Pedro faz a sua confissão de fé em Jesus, reconhecendo-O como Messias e Filho de Deus; fá-lo também em nome dos outros apóstolos. Em resposta, o Senhor revela-lhe a missão que pretende confiar-lhe, ou seja, a de ser a ‘pedra’, a ‘rocha’, o fundamento visível sobre o qual está construído todo o edifício espiritual da Igreja”.

7. São Paulo também é coluna do edifício espiritual da Igreja

São Paulo foi o apóstolo dos gentios. Antes de sua conversão, era chamado Saulo, mas depois de seu encontro com Cristo e conversão, continuou seguindo para Damasco, onde foi batizado e recuperou a visão. Adotou o nome de Paulo e passou o resto de sua vida pregando o Evangelho sem descanso às nações do mundo mediterrâneo.

“A iconografia tradicional apresenta São Paulo com a espada, e sabemos que esta representa o instrumento do seu martírio. Mas, repassando os escritos do Apóstolo dos Gentios, descobrimos que a imagem da espada se refere a toda a sua missão de evangelizador. Por exemplo, quando já sentia aproximar-se a morte, escreve a Timóteo: ‘Combati o bom combate’ (2Tm 4,7); aqui não se trata seguramente do combate de um comandante, mas daquele de um arauto da Palavra de Deus, fiel a Cristo e à sua Igreja, por quem se consumou totalmente. Por isso mesmo, o Senhor lhe deu a coroa de glória e colocou-o, juntamente com Pedro, como coluna no edifício espiritual da Igreja”, expressou Bento XVI em sua homilia.

Fonte: ACI digital



Vamos orar para que Jesus nos transforme de dentro para fora-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (29/junho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em sua nova fase do programa Momento de Fé, a fase noturna Sentinelas da Madrugada continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar e nos transformar permitindo que Jesus nos molde por completo!".
Trouxe para vocês três cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

HÁ ALGUMAS SEMANAS ABORDAMOS O TEMA DAS MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS. NA OCASIÃO LEMBRAMOS O QUANTO O MUNDO ESTÁ EM CONSTANTE MUTAÇÃO, DAÍ A IMPORTANCIA DE MUDAR INTERIORMENTE, NÃO APENAS SUPERFICIALMENTE, ASSIM, VAMOS CONTINUAR ORANDO COM TODA FÉ E VAMOS NOS TRANSFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO! 

Lembram da diferença entre o “ser” e o “ter”? Infelizmente o mundo valoriza o TER, quando na verdade o que realmente importa é o SER. Romanos, capítulo 12, versículo 3: “Ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu”. Vamos beber da palavra de Deus para que AS MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS COMECEM EM NOSSAS MENTES!
Impressionante o que estamos fazendo nesta semana abençoada. Orando por uma total transformação de nosso interior. Mudando e moldando nossas mentes e nosso espírito, de acordo com a vontade e planos de Deus Pai! São muitos os momentos que nos pegamos desejando coisas diferentes. Com uma sensação de frustração e insatisfação. Ficamos com aqueles pensamentos “e se fizesse diferente”, “e se mudasse de área?”, “de estilo?”. Portanto, vamos continuar buscando a ajuda de Jesus, para que as mudanças que desejamos e precisamos, aconteça de dentro para fora. Que possamos transformar não apenas o nosso físico, a nossa aparência, e sim as nossas mentes, nossos pontos de vista e nossas idei as. Vamos deixar o famoso “eu deveria fazer”, vamos simplesmente começar a agir. 
Seguindo firmes na direção de uma vida mais satisfatória, acompanhem o Nosso Momento de Fé, ao vivo pela Rádio Globo da meia noite a 1h da manhã, em São Paulo também pelo FM 94.1. O programa Coração Aberto, segue ao vivo pelo Fac ebook @padremarcelorossi, das 10h às 11h da manhã. 
Com Fé em Deus, vamos deixar que Jesus molde nosso interior, para que sua graça reflita exteriormente! VAMOS NOS TRANSFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Nós somos o que pensamos, daí a importância dos pensamentos positivos."





***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




quarta-feira, 28 de junho de 2017

Vamos orar para que Jesus transforme as nossas mentes-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (28/junho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em sua nova fase do programa Momento de Fé, a fase noturna Sentinelas da Madrugada continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar e nos transformar permitindo que Jesus nos molde por completo!".
Trouxe para vocês três cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

VOCÊS SABEM QUE O FOCO DESTA SEMANA É UMA PROFUNDA TRANSFORMAÇÃO DE NOSSAS MENTES. VAMOS EM BUSCA DA AJUDA DE JESUS PARA QUE POSSAMOS FAZER UMA DIFERENÇA POSITIVA EM NOSSAS VIDAS E NA VIDA DE TODOS A NOSSA VOLTA! VAMOS NOS TRANSFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO! 

Infelizmente, convivemos com tantas injustiças, que mesmo as piores atrocidades passam a ser “banais”, isto é, não nos assustam mais. Não podemos deixar que isso aconteça, não vamos aceitar este mundo sem valores. Não vamos nos conformar! Vamos orar com toda Fé, para que AS MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS COMECEM EM NOSSAS MENTES!   
Como anunciamos no início da semana, vamos aprender muito com o capítulo 12 do livro Romanos: “Não vos conformeis com este mundo. Mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito. Para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe agrada e o que lhe é perfeito”. Vamos juntos lutar por mais Fé, mais esperança e mais certeza de que Cristo nos dará esta vitória. 
Por isso não percam o Nosso Momento de Fé, dando início de cada novo dia, ao vivo pela Rádio Globo da meia noite a 1h da manhã, você agora em São Paulo pode nos acompanhar através da FM 94.1. O programa Coração Aberto, segue ao vivo pelo Facebook @padremarcelorossi, das 10h às 11h da manhã. 
Vamos abrir nosso corações à Deus, para que Ele possa transformar nosso interior! VAMOS NOS TRAN! SFORMAR PERMITINDO QUE JESUS NOS MOLDE POR COMPLETO!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Não tenha medo da mudança. Coisas boas se vão, para que melhores possam vir."





***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




terça-feira, 27 de junho de 2017

Lançado 'Paróquia Virtual', o app que 'faz comunidade' na rede


Cidade do Vaticano (RV) 27/06/2017 - A comunicação entre as paróquias e os católicos ficou agora mais simples: chegou o aplicativo PARÓQUIA VIRTUAL. É a Igreja de portas abertas e na palma de sua mão. Com um toque você pode ter acesso a uma meditação sobre o Evangelho do dia; os párocos poderão postar seus avisos e se comunicar em tempo real com todos os paroquianos que tiverem o PARÓQUIA VIRTUAL em seu celular. A iniciativa é da Ordem dos Mercedários, da Congregação dos Dehonianos e da empresa de tecnologia 55Labs.

O aplicativo está disponível, gratuitamente, desde 10 de junho, fazendo ‘ comunidade’ na rede.

Quem traz a novidade à nossa redação é o Frei Rogério Soares, Provincial dos mercedários no Brasil:

“Nosso aplicativo é revolucionário, porque reunimos o app, que já é uma realidade nos celulares das pessoas, com a interação. As pessoas podem interagir. Será uma grande rede social, uma comunidade de intercessores, de pessoas que rezam umas pelas outras. Nós vamos fazer com que as pessoas se encontrem, para orar, pedir preces”.

“A ideia surgiu tem um ano. Estávamos num encontro, com o Padre Joãozinho em Salvador e neste encontro, o padre teve a iluminação de fazer um aplicativo. Desde então começamos a trabalhar nisso todos os dias. Nós nos encontramos só no dia em que nos conhecemos. Depois tivermos reuniões por Skype e o aplicativo saiu”.

“A Igreja vai ganhar muito com este aplicativo, as paróquias sobretudo. O aplicativo se chama PARÓQUIA VIRTUAL, porque é um trabalho feito a partir das paróquias com a colaboração dos párocos. Ali os católicos terão seu perfil, seguirão páginas que serão as paróquias, as paróquias terão seu seguidores ou seus ‘paroquianos virtuais’ e o pároco poderá enviar mensagens aos seus paroquianos virtuais, horários de missa, de confissão, avisos… tudo o que ele quiser vai poder administrar a partir de sua página”.

“Outro serviço que o app oferece é o mapa. A geolocalização das paróquias.
Quando você ffor a uma cidade e quiser ir a uma missa e não sabe onde e nem os horários, você vai no aplicativo, localiza no mapa a paróquia mais próxima de onde você estiver, e vai clicar naquela paróquia para saber os horários, quem é o padre, o telefone… você tem todo um serviço na palma de sua mão: é a paróquia na palma de sua mão”.

“Além disso, você pode interagir: colocar mensagem, pedidos de missa. Todos os dias, um padre celebra uma missa pelas intenções das pessoas que colocam suas preces no app. Já começamos. Você que baixa o aplicativo neste momento, na loja, tanto para Android como para IOS, é muito simples… um cadastro de 2 minutos e você já está dentro do app. É totalmente gratuito. Nós queremos atingir o maior número de pessoas para que este aplicativo se torne o ‘Facebook dos católicos’.

Para mais detalhes visite o site do Paróquia Virtual.

(CM)

Fonte: Radio Vaticano



Marcos Mion comove milhares ao testemunhar a importância da fé em sua família


REDAÇÃO CENTRAL, 27 Jun. 17 / 05:30 pm (ACI).- O apresentador Marcos Mion comoveu milhares de pessoas ao contar em seu programa de televisão como a fé em Deus o ajudou a construir sua família e a enfrentar momentos difíceis ao lado de sua esposa, Suzana Gullo.

Durante o programa ‘Legendários’ no sábado, 23 de junho, o apresentar recebeu no palco seus pais, em comemoração pelos seus 38 anos, que completou no último dia 20. Visivelmente comovido, revelou por que se emociona todas as vezes que se refere à sua família.

Mion lembrou que aos 24 anos, quando já havia alcançado grande sucesso em sua carreira, encontrou Suzana Gullo, “a mulher mais linda que eu já tinha visto na minhavida. Eu me apaixonei e em questão de um mês decidimos nos casar e ter um filho”.

“Imagine que você está vivendo essa vida perfeita e vai ter um filho para unir esse amor, para ir para um próximo passo – porque o plano de Jesus Cristo para a gente é a família”, afirmou.

Então, contou o artista, “o seu filho – e você tem 24 anos de idade – nasce dentro do espectro autista. E muita gente acha que, quando isso acontece, é o fim, é um desespero, você perde o chão”.

Entretanto, Mion garantiu que “quando o Romeo, meu anjo, nasceu, eu percebi que minha vida não era perfeita e que ela estava prestes a ficar. Porque eu, minha esposa e um grupo de mais de 2 milhões de pais e mães no Brasil, fomos escolhidos por Deus para cuidar destes anjos aqui na terra”.

Em seguida, o casal decidiu ter mais um filho, quando nasceu Donatella. Entretanto, nesta gravidez, Suzana sofreu um descolamento de placenta e precisou ficar os oito meses da gestação “deitada na cama, sem levantar para ir ao banheiro”. “Essa dedicação toda da mulher que eu amo tanto e admiro demais me deu a Doninha, que é o centro da nossa família”, expressou.

E mesmo após passar por essa situação, o casal decidiu mais uma vez estar aberto aos planos de Deus para a família e ter mais um filho. “Por uma incompatibilidade genética entre eu e a Suzana, ela teve que tomar muitos remédios prescritos durante a gravidez do Stefano para mantê-lo na barriga, evitando descolar a placenta”.

“E ele veio. Esse moleque sou eu, é a minha cara, é a minha continuidade para quando eu não estiver mais aqui”, ressaltou o apresentador.

Segundo Mion, esse relato responde a tantas vezes em que o perguntam em entrevistas: “Como é ter uma família tão perfeita?”.

“E eu falo: ‘Perfeita? Perfeita onde?’ Foi uma cruz que a gente carregou atrás da outra. Mas como Jesus disse, a sua cruz, a sua tristeza, vira a sua alegria, se você consegue aceitar, evoluir, trabalhar e acreditar que essa cruz está te aproximando de Cristo e que você está dividindo com Ele a cruz que Ele carregou”.

“O que torna a minha família perfeita é o que eu e a Suzana decidimos fazer com todas as imperfeições que a gente tem na nossa vida”, indicou, acrescentando que “a gente sempre opta por deixar o amor vencer todas as noites”.

Nesse sentido, Mion concluiu deixando um convite a todos os que o assistiam: “Aceitem tudo o que Deus manda para a gente, porque a tristeza vira alegria. Hoje eu sou a pessoa mais feliz do mundo porque aceitei todas as imperfeições e as transformei em situações perfeitas e abençoadas”.

Fonte: ACI digital



Hoje é celebrada Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (27 de junho)


Por Abel Camasca

REDAÇÃO CENTRAL, 27 Jun. 17 / 05:00 am (ACI).- Neste dia 27 de junho é celebrada a Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira dos Padres Redentoristas e cujo ícone original está no altar-mor da Igreja de Santo Afonso.

Esta imagem recorda o cuidado da Virgem por Jesus, desde a concepção até a morte, e hoje continua a proteger os seus filhos que recorrem a Ela.

Diz-se que no século XV, um comerciante rico do Mar Mediterrâneo tinha a pintura do Perpétuo Socorro, embora se desconheça como chegou a suas mãos. Para proteger o quadro de ser destruído, decidiu levá-lo para a Itália e na travessia aconteceu uma terrível tempestade.

O comerciante pegou o quadro, pediu socorro e o mar se acalmou. Estando já em Roma, ele tinha um amigo, a quem mostrou o quadro e lhe disse que um dia todo o mundo renderia homenagem a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Depois de um tempo, o comerciante ficou doente e, antes de morrer, fez seu amigo prometer que colocaria a pintura em uma igreja ilustre. No entanto, a esposa do amigo se encantou com a imagem e ele não concretizou a promessa.

Nossa Senhora apareceu ao homem em várias ocasiões pedindo-lhe que cumprisse a promessa, mas por não querer desagradar sua esposa, ficou doente e morreu. Mais tarde, a Virgem falou com a filha de seis anos e lhe deu a mesma mensagem de que desejava que o quadro fosse colocado em uma igreja. A pequena foi e contou à sua mãe.

A mãe se assustou e a uma vizinha que zombou do ocorrido surgiram dores tão fortes que só aliviaram quando invocou arrependida a ajuda da Virgem e tocou o quadro. Nossa Senhora apareceu novamente para a menina e lhe disse que a pintura devia ser colocada na igreja de São Mateus, que estava entre as basílicas de Santa Maria Maior e São João de Latrão. Finalmente, assim foi feito e se realizaram grandes milagres.

Séculos depois, Napoleão destruiu muitas igrejas, incluindo a de São Mateus, mas um padre agostiniano conseguiu secretamente tirar o quadro e, mais tarde, a pintura foi colocada em uma capela agostiniana em Posterula.

Os Redentoristas construíram a Igreja de Santo Afonso sobre as ruínas da Igreja de São Mateus e, em suas investigações, descobriram que antes havia ali o milagroso quadro do Perpétuo Socorro e que estava com os Agostinianos, graças a um sacerdote jesuíta que conhecia o desejo da Virgem de ser honrada nesse lugar.

Assim, o superior dos Redentoristas solicitou ao Beato Pio IX, que ordenou que a pintura fosse devolvida à Igreja entre Santa Maria Maior e São João de Latrão. Do mesmo modo, encarregou os Redentoristas de fazer com que Nossa Senhora do Perpétuo Socorro fosse conhecida.

Os Agostinianos, uma vez que souberam da história e do desejo do Papa, de bom grado devolveram a imagem mariana para agradar a Virgem.

Hoje em dia, a devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem se expandido por vários lugares, construindo-se igrejas e santuários em sua honra. Seu retrato é conhecido e reverenciado em todo o mundo.

Fonte: ACI digital



Vamos orar para que Jesus nos transforme por completo-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (27/junho
/2017), o Padre Marcelo Rossi em sua nova fase do programa Momento de Fé, a fase noturna Sentinelas da Madrugada continuou a semana de orações com o lema: "Vamos orar e nos transformar permitindo que Jesus nos molde por completo!".
Trouxe para vocês dois cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

NESTA SÉRIA SEMANA EM QUE ESTAMOS BUSCANDO UMA TRANSFORMAÇÃO EM NOSSAS VIDAS, HOJE É UM DIA MUITO ESPECIAL, NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO, AJUDAI-NOS NESTA SEMANA DE GRANDES MUDANÇAS! 

No dia de hoje, comemorados Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A história deste título de Nossa Senhora é bastante curiosa, vem de uma pintura feita por São Lucas. Que tinha muitas aptidões, dentre elas a pintura. Por isso oremos, para que NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO, NOS AJUDE NAS  MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS!   
Dando sequencia a história da pintura de São Lucas, este quadro foi roubado. O homem que o furtou adoeceu tempos depois e arrependido, pediu que amigos devolvessem a pintura à igreja. Mas a esposa deste homem resolveu ficar com o quadro para si. Até que Nossa Senhora apareceu para a filha deste casal, pedindo que a menina ajudasse a fazer com que o quadro fosse devolvido. Que semana especial! 
Não esqueçam de avisar aos amigos que em São Paulo, o Nosso Momento de Fé está diariamente ao vivo na Rádio Globo, da meia noite à 1h da manhã e além do AM1100 em São Paulo, estamos no ar também pelo FM 94.1. Já o programa Coração Aberto segue ao vivo pelo Facebook @padremarcelorossi e vai ao ar agora das 10h às 11h da manhã. 
Vamos orar pelo auxílio de nossa Mãezinha do céu e peçamos: NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO, ROGAI POR TODOS NÓS!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Paciência significa esperar o tempo de Deus e confiar no Seu amor."



***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
Novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé