quarta-feira, 31 de maio de 2017

Orando para que sejamos capacitados no Pentecostes-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (31/maio
/2017), o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o lema: "Orando para que possamos ser capacitados e transformados pelo Espírito Santo!"
Trouxe para vocês um cartão que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

HOJE DIA EM QUE A IGREJA CELEBRA COM ALEGRIA A FESTA DA VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA QUE TODOS NÓS A EXEMPLO DE MARIA POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO EM SERVOS AMADOS DE DEUS!!! O PENTECOSTES NOS LEVA A CONHECER A COMUNHÃO DO FILHO COM O PAI, NOS LEVANDO AO SAGRADO E NOS TRANSFORMANDO EM FILHOS COM JESUS! 

Esta data especial é de suma importância, nos coloca na missão de testemunhar o poder de Deus e de anunciar Jesus ao mundo. Por isso recebemos os dons e a capacidade de proclamar a todos os povos o Evangelho de Jesus: QUE SEJAMOS TODOS CAPACITADOS NESTE PENTECOSTES!
No Pentecostes, desceram do céu línguas de fogo que pousaram sobre os apóstolos os capacitando para levar o Evangelho da melhor maneira possível. Foi concretizado assim o milagre das línguas, em que tomados por Deus os homens passam viver em comunhão e entendimento. Neste momento é colocada em prática uma harmonia entre todos. A compreensão reina e todos que procuram guardar a Palavra do Senhor, recebem o dom de testemunhar e anunciar os ensinamentos de Cristo! Por isso nesta semana, vamos buscar esta capacitação do Espírito Santo, buscando a máxima harmonia e concórdia entre todos que conosco convivem!
QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Quando algo que você gosta acaba ou simplesmente vai embora, lembre-se que as folhas do outono não caem porque querem, mas porque é chegada a hora. Tudo é feito no tempo de Deus, só nos resta aceitar."



***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs 

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
A partir do dia 05 de junho em novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




terça-feira, 30 de maio de 2017

RCC celebra seu Jubileu de Ouro em Roma com Francisco


Cidade do Vaticano (RV) 30/05/2017 – A Renovação Carismática Católica celebra seu Jubileu de Ouro em Roma, de 31 de maio a 4 de junho, com um programa rico de encontros, simpósios, celebrações e adoração nas principais basílicas romanas.

O ápice das celebrações será a Vigília de Pentecostes e a oração ecumênica com o Papa Francisco no ‘Circo Massimo’ no sábado. A Rádio Vaticano transmitirá o encontro a partir das 12h50 horas, horário de Brasília.

São esperadas 30 mil pessoas provenientes de 130 países, 600 sacerdotes, 50 bispos e cardeais, para celebrar juntos com o Papa os 50 anos da Renovação Carismática, nascida em Pittsburgh, EUA, na manhã gelada de fevereiro de 1967, graças a um grupo de estudantes que sentiu a necessidade de reunir-se e rezar, invocando o Espírito Santo sobre a Igreja e sobre o mundo. Desde então o movimento não parou de crescer, ganhando novos adeptos em todas as partes do mundo.

E neste tempo cheio de contradições e crise de valores, a Renovação, sob o impulso do Papa Francisco, torna-se uma “corrente de graça”, um manancial de fé e de esperança e um celeiro de vocações.

O evento foi apresentado na manhã desta terça-feira na Sala Marconi, na Rádio Vaticano. A Presidente do Serviço Internacional da Renovação Carismática, Michelle Morgan, conversou conosco sobre a expectativa para este Jubileu:

“Quando se começa uma nova iniciativa, esta deve encontrar a sua colocação na Igreja; nós nascemos por graça do Concílio Vaticano II e por isto sempre tivemos nosso lugar no coração da Igreja. Tivemos necessidade de aprender a compreender esta graça da Renovação Carismática nos tempos que se seguiram ao Concílio. Foi necessário tempo para realizar este percurso, com o apoio dos diversos Pontífices, com cada um dos quais tivemos uma relação particular e privilegiada. Para este encontro esperamos uma nova efusão do Espírito Santo sobre a Igreja e sobre o mundo, e esperamos também por alguma surpresa. Nós estamos prontos e a serviço da Igreja para ajudar também a obra de reforma e renovação iniciada pelo Papa e para difundir a cultura da Pentecostes, porque é o Espírito que faz grande todas as coisas”.

Um Jubileu de Ouro de comunhão, unidade, caridade e oração marcado por eventos que tem início com a participação na Audiência Geral com o Papa Francisco na Praça São Pedro na quarta-feira e concluindo no domingo com a Missa de Pentecostes e o Regina Coeli no Vaticano.

O encontro no 'Circo Massimo', no sábado, é um dos momentos também muito aguardado pela sua dimensão e valor ecumênico. Entre os convidados, estarão o Pastor Giovanni Traettino, amigo de Bergoglio, líderes protestantes e alguns ortodoxos. Conosco, o Presidente da RCC Itália, Salvatore Martinez:

“De qualquer maneira será a grande ocasião para mostrar como o ecumenismo espiritual é o maior e atual motivo de reconciliação entre as diversas tradições cristãs. O Papa Francisco quis organizar uma Vigília ecumênica. Portanto, não um modo para celebrar a Renovação nos seus 50 anos, mas para celebrar o Espírito Santo que é causa de unidade, de alegria, de reconciliação”. (CS/JE)

Fonte: Radio Vaticano



Brasileiros criam a representação mais fidedigna de Santa Joana D’Arc

Por Natalia Zimbrão 

REDAÇÃO CENTRAL, 30 Mai. 17 / 01:00 pm (ACI).- Nem loira ou ruiva, tampouco com cabelos longos, a verdadeira aparência física de Santa Joana D’Arc é de uma mulher morena com cabelos curtos, conforme revela um trabalho de reconstrução realizado por brasileiros.

O jornalista, escritor e especialista em relíquias da Arquidiocese de São Paulo, Fábio Tucci Farah, é um dos responsáveis por este trabalho. Ele assumiu no dia 23 de março a cadeira 34 da Academia Brasileira de Hagiologia, cuja patronesse é Santa Joana D’Arc.

Como uma homenagem a sua patronesse, Fábio realizou uma vasta pesquisa que resultou no “retrato artístico mais fidedigno” da santa, desenvolvido junto com o artista Marcelo Braga.

Durante seu discurso de posse na Academia, explicou que fez dois projetos para homenageá-la: a reconstrução da aparência física da santa; e uma oração que recebeu a aprovação eclesiástica do Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, no dia 2 de março.

A imagem reconstruída apresenta uma jovem de pele clara, cabelos escuros e bem curtos, como usado pelos soldados na época em que a santa atuou ao lado do exército de Carlos VII para salvar a França dos ingleses.

Fábio Tucci explicou que “a reconstituição facial baseia-se na reconstrução forense do rosto a partir de uma relíquia de primeira classe: o crânio dos santos”, citando como exemplo os trabalhos desenvolvidos pelo também brasileiro Cícero Moraes, o qual já realizou a reconstrução das faces de santos como Madre Paulina, Santa Rosa de Lima, São Nicolau, entre outros.

Porém, no caso de Santa Joana D’Arc, Fábio não contava com o crânio da jovem francesa, pois, “como todos sabem, Joana D’Arc foi queimada. E, em determinado momento, conta-se que seu crânio explodiu por causa da pressão do vapor acumulado”.

Além disso, “seus restos foram reunidos e lançados ao rio Sena – na tentativa de evitar que se tornassem relíquias ou fossem utilizados para feitiçaria”.

Entretanto, muitas foram as representações feitas dessa santa, embora o seu rosto ainda permanecesse uma incógnita.

O especialista em relíquias recordou em seu discurso que, “em 3 de março de 1431, quando estava presa, um de seus juízes perguntou se ela tinha mandado fazer um autorretrato. Provavelmente, desejava acusá-la de presunção, já que ser retratado era prerrogativa de reis, bispos e outras personalidades”.

“Joana respondeu que certa vez tinha visto uma pintura assinada por um artista escocês. Parecia-se com ela. Em 1429, outra provável imagem de Joana combatendo os ingleses estava em circulação e à venda”. Mas, “nenhum desses ‘retratos’ foi preservado”.

As imagens que chegaram aos dias de hoje, Fábio afirmou que “a que ornamenta a obra Le Champion des Dames, datada em 1440, é considerada, por vários estudiosos, a imagem antiga mais fidedigna da santa. Mas é póstuma”.

Outra imagem contemporânea que chegou aos dias atuais, “infelizmente, não foi executado por alguém com dotes artísticos. Trata-se de um esboço na margem de um documento, feito por um escrivão do Parlamento de Paris, em 10 de maio de 1429”.

Fábio lembrou ainda que “de três a sete décadas após a morte de Joana, um monumento foi construído sobre a Pont des Tourelles, em Orléans”, com a santa ajoelhada à esquerda da pietà, com rosto redondo e pescoço curto.

Sobre esta representação, o especialista considerou que “talvez só tenha pecado por um detalhe: Joana não tinha cabelos compridos caindo-lhe sobre os ombros. Ela os usava bem curtos, como os soldados”.

A primeira estátua da santa, de acordo com Fábio, foi destruída em 1792. Porém havia uma cópia na catedral de Saint-Étienne de Toul, a qual “foi erigida sob os auspícios de um dos descendentes da família d´Arc: Claude Hordal”. Assim, considerou, “é razoável supor que, entre os modelos disponíveis, ele tenha escolhido o mais fiel à imagem da ilustre antepassada”.

Além disso, o sobrinho de Joana, Etienne Hordal, encomendou uma réplica, décadas mais tarde, para um oratório na cidade natal da santa.

“Apesar disso – ressaltou –, ela tem duas características dissonantes. Além dos cabelos curtos, já mencionados anteriormente, eles não eram loiros ou ruivos, conforme sugeriria resquícios de cor na escultura em Domrémy. Joana era morena”.

Foi com base nesses estudos que Fábio Tucci Farah e Marcelo Braga desenvolveram o “retrato artístico mais fidedigno” da santa, o qual será apresentado em breve na França, terra de Joana D’Arc.

Ao retratado, soma-se a seguinte oração com aprovação eclesiástica do Cardeal Scherer:

“Santa Joana, desde pequenina ouvistes o chamado do Reino dos Céus. Tocai em meus ouvidos para que eu também ouça a voz do Alto. E acolha, sem tibieza, as missões que o Senhor me confiar.

Com vossa espada, livrai-me dos inimigos da alma. À sombra de vosso estandarte, protegei-me dos golpes traiçoeiros e cuidai de minhas feridas. Tocai em meus olhos para que, como vós, eu enxergue os irmãos desamparados e oprimidos. E liderai-me nas justas batalhas para socorrê-los.

Santa Joana, tocai em meus lábios para que eu professe com a sabedoria do Espírito as verdades da Fé. E saiba defendê-las dos ataques dos sábios deste mundo. Possa meu testemunho afugentar lobos e trazer ovelhas perdidas de volta ao rebanho de Cristo.

Tocai em meu coração para que se mantenha sempre leal ao Rei do Céu. Que eu nunca renegue minha cruz. E tenha coragem de levá-la, se preciso for, até o mais doloroso martírio.

Santa Joana, intercedei por mim para que, ao final de minha peregrinação por este mundo, mereça alcançar a Pátria Celeste. E, ao seu lado, possa unir minha voz ao coro dos anjos e dos santos na glorificação eterna de Nosso Senhor”.

Fonte: ACI digital



Orando para que possamos refletir a graça de Deus em toda plenitude-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (30/maio
/2017), o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o lema: "Orando para que possamos ser capacitados e transformados pelo Espírito Santo!"
Trouxe para vocês dois cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

VAMOS LÁ, EM BUSCA DE APERFEIÇOAMENTO ENQUANTO SERES HUMANOS, NA CERTEZA DE QUE O PODER IMENSURÁVEL DE DEUS PODE NOS MODIFICAR POR COMPLETO! QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO! 

Estamos orando pela manifestação do Espírito Santo de Deus em nossas vidas, encontramos em João, capítulo 7, versículo 38: “Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva”. Vamos elevar nossa Fé, para que possamos refletir a graça de Deus em toda plenitude:QUE SEJAMOS TODOS CAPACITADOS NESTE PENTECOSTES! 
Ontem, colocamos aqui alguns exemplos a seres entendidos e seguidos por nós, para que possamos entender profundamente a importância do Pentecostes. Mas tem um ponto principal que deve ser destacado, o acolhimento, o convite, a extensão da palavra de Deus, aonde quer que ela seja mais necessitada. Esta solenidade chamada Pentecostes, é um marco essencial para toda a Igreja, porque foi no Pentecostes, que o ato de evangelizar tem realmente início, a mais importante das missões. O Pentecostes representa o entendimento e a transmissão dos ensinamentos de Deus para povos de todas as nações e línguas. Com o objetivo de que todos, sem exceção, possam ter pleno acesso ao Evangelho e à salvação, através do Espírito Santo de Deus! QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Não meça o tamanho da montanha, fale com aquele que pode removê-la. Em vez de carregar o mundo nos ombros, fale com aquele que o sustenta."



***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs 

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
A partir do dia 05 de junho em novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




segunda-feira, 29 de maio de 2017

Cardeal Sarah: A Igreja se seculariza quando reduz a fé à medida humana


VATICANO, 29 Mai. 17 / 11:15 am (ACI).- O Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos no Vaticano, Cardeal Robert Sarah, advertiu que a secularização entra na igreja quando deixa de propor uma fé fundada na revelação de Cristo para reduzi-la às exigências e à mentalidade do homem moderno.

A autoridade vaticana fez esta advertência durante a apresentação da edição alemã do seu livro “A força do Silêncio”, em Roma (Itália), em 25 de maio.

“Não é um mistério – e digo com grande sofrimento –, que o nosso mundo moderno na realidade vive um afastamento prático de Deus”, expressou o Purpurado ao refletir sobre a importância do silêncio como um meio de se aproximar do Senhor.

Existe um ambiente cultural, afirmou, “onde sistematicamente evitam ficar sozinhos e olhar para dentro de si. O barulho, a fofoca e as tecnologias ocultam o vazio de um homem que já não sabe o que é viver”.

“Mas ainda mais doloroso para mim é constatar como essa superficialidade, esta impiedade injuriosa com Deus e com o ser humano também entrou na Igreja” e que a liturgia – a que o Concílio Vaticano II chamou de “fonte e ápice da vida cristã” – é a “que mais sofre pela redução secularista que também ocorre dentro da Igreja”, expressou.

O Cardeal Sarah expressou: “Às vezes tenho a impressão de que esta secularização também entrou na Igreja e consiste exatamente em reduzir a fé à medida humana. Em vez de abrir o homem à iniciativa de Deus, que é inesperada, detonante, libertadora, acredita-se que o homem de hoje pode acreditar melhor se lhe oferecemos uma fé que não se baseia tanto na revelação de Cristo e na tradição da Igreja, mas sobre as exigências do homem moderno, sobre as suas possibilidades e mentalidades”.

“Escutamos falar sobre a fé, a vida eterna, a comunhão com Cristo, do pecado como uma ruptura e rebelião contra Deus em nossas homilias?”, questionou. Ou, “de repente, tentam cancelar todos estes gestos que não parecem ‘compreensíveis’ para o homem de hoje, substituindo-os por um rio de palavras que transformam as nossas celebrações eucarísticas em grandes espetáculos, em cujo centro há um homem fechado em seus problemas e em seus critérios”, indicou.

Em seguida, o Cardeal Sarah assinalou que o silêncio não é um fim em si mesmo, “mas um silêncio no qual Deus pode falar e ser ouvido. A prioridade de Deus, a centralidade de Deus, a adoração de Deus e a santificação do homem são o coração e a substância da liturgia cristã”.

Nesse sentido, assinalou que o desafio do silêncio é um grande desafio porque “nos leva ao verdadeiro significado da existência humana: a relação do homem com Deus e, talvez, melhor ainda: a relação de Deus com o homem”.

O silêncio, afirmou, é uma condição necessária porque “cria um ambiente que torna possível acolher a Encarnação”. Como diz “Bento XVI em sua introdução, Jesus é silêncio e palavra, e a Igreja em suas expressões é silêncio e palavra que se fecundam reciprocamente”.

Em seu discurso, a autoridade vaticana também assinalou que “a questão da inculturação não é principalmente a questão de como podemos tornar a liturgia mais africana, mais asiática ou mais aborígene. O Divino irrompe no humano, não para se acorrentar pelo humano, mas para abri-lo, purificá-la, liberá-lo, transformá-lo, divinizá-lo. Muitas vezes, tenho a impressão de que nos ocupamos mais de como tornar a liturgia mais ‘adaptada’, do que de oferecer toda a sua riqueza”.

“Não podemos aprisionar o divino em categorias humanas”, insistiu o Cardeal Sarah.

“O silêncio é o clima interior, a atitude interior, a disponibilidade interior”, que “torna fecunda a palavra da Igreja”, afirmou.

Nesse sentido, a autoridade vaticana disse que a uma igreja que está em perigo de se empobrecer, pois se fecha em julgamentos puramente humanos, “indico, com grande humildade, o caminho do silêncio para que todos os fiéis, mas também cada comunidade celebrante, se abra a iniciativa de Deus e acolha toda a graça que vem Dele”.

Fonte: ACI digital



Papa Francisco: aprender a ouvir o Espírito antes de tomar decisões


Cidade do Vaticano (RV) 29/05/2017 - É preciso deixar-se interpelar pelo Espírito Santo, apender a ouvi-lo antes de tomar decisões. Esta foi a exortação que o Papa Francisco dirigiu aos fiéis na homilia da Missa desta segunda-feira (29/05) na capela da Casa Santa Marta.

Nesta semana que antecede Pentecostes, afirmou o Papa, a Igreja pede que rezemos para que o Espírito venha no coração, na paróquia, na comunidade. Francisco inspirou-se na Primeira Leitura, que poderíamos chamar de “Pentecostes de Éfeso". De fato, a comunidade de Éfeso tinha recebido a fé, mas não sabia nem mesmo que existisse o Espírito Santo. Eram “pessoas boas, de fé”, mas não conheciam este dom do Pai. Depois, Paulo impôs as mãos sobre eles, desceu o Espírito Santo e começaram a falar em línguas.

O Espírito Santo move o coração

O Espírito Santo, de fato, move o coração, como se lê nos Evangelhos, onde tantas pessoas - Nicodemos, a samaritana, a pecadora - são impulsionados a se aproximar de Jesus justamente pelo Espírito Santo. O Pontífice então convidou a nos questionar qual o lugar que o Espírito Santo tem em nossa vida:

“Eu sou capaz de ouvi-lo? Eu sou capaz de pedir inspiração antes de tomar uma decisão ou dizer uma palavra ou fazer algo? Ou o meu coração está tranquilo, sem emoções, um coração fixo? Certos corações, se nós fizéssemos um eletrocardiograma espiritual, o resultado seria linear, sem emoções. Também nos Evangelhos há essas pessoas, pensemos nos doutores da lei: acreditavam em Deus, todos sabiam os mandamentos, mas o coração estava fechado, parado, não se deixavam inquietar”.

Não à fé ideológica

A exortação central do papa, portanto, é deixar-se inquietar, isto è, interpelar pelo Espírito Santo que faz discernir e não ter uma fé ideológica:

“Deixar-se inquietar pelo Espírito Santo: “Eh, ouvi isso… Mas, padre, isso é sentimentalismo?” - “Pode ser, mas não. Se você for pela estrada justa não é sentimentalismo”. “Senti a vontade de fazer isso, de visitar aquele doente ou mudar de vida ou abandonar isso …”. Sentir e discernir: discernir o que sente o meu coração, porque o Espírito Santo é o mestre do discernimento. Uma pessoa que não tem esses movimentos no coração, que não discerne o que acontece, é uma pessoa que tem uma fé fria, uma fé ideológica. A sua fé é uma ideologia, é isso”.

Interrogar-se sobre a relação com o Espírito Santo

Este era o “drama” daqueles doutores da lei que eram contrários a Jesus. O Papa exortou a se interrogar sobre a própria relação com o Espírito Santo:

“Peço que me guie pelo caminho que devo escolher na minha vida e também todos os dias? Peço que me dê a graça de distinguir o bom do menos bom? Porque o bem do mal se distingue logo. Mas há aquele mal escondido, que é o menos bom, mas esconde o mal. Peço essa graça? Esta pergunta eu gostaria de semeá-la hoje no coração de vocês.”

Portanto, é preciso se interrogar se temos um coração irrequieto porque movido pelo Espírito Santo ou se fazemos somente “cálculos com a mente” . No Apocalipse, o apóstolo João inicia convidando as “sete Igrejas” – as sete dioceses daquele tempo, disse o Papa Francesco – a ouvir o que o Espírito Santo lhes diz. “Peçamos também nós esta graça de ouvir o que o Espírito diz à nossa Igreja, à nossa comunidade, à nossa paróquia, à nossa família e cada um de nós, a graça de aprender esta linguagem de ouvir o Espírito Santo”.

Fonte: Radio Vaticano



Orando para que possamos ser capacitados e transformados pelo Espírito Santo-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (29/maio
/2017), o Padre Marcelo Rossi iniciou a semana de orações com o lema: "Orando para que possamos ser capacitados e transformados pelo Espírito Santo!"
Trouxe para vocês quatro cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

domingo - PASSAMOS TODA ESTA SEMANA ORANDO POR MAIS ALEGRIA PARA NOSSAS VIDAS, NA CERTEZA DE QUE VIVER COM JESUS É VIVER COM FELICIDADE! AGORA, COM NOSSA FÉ EM TOTAL ELEVAÇÃO, PEDIR QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO! 

Atos dos Apóstolos, capítulo 2, versículos 1-4:“Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceram-lhes então espécies de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes capacitava e concedia que falassem”. QUE SEJAMOS TODOS CAPACITADOS NESTE PENTECOSTES!
Pentecostes é uma palavra grega que significa “quinquagésimo”, fazendo referência aos 50 dias depois da Páscoa. A data era destinada ao agradecimento à Deus pela comida que Ele providenciava através das colheitas abundantes. Muitos judeus moravam em outros países visitavam Jerusalém para celebrar o Pentecostes. Naquele domingo de Pentecostes, pela manhã, o Espírito Santo desceu sobre os  discípulos que estavam no templo e eles começaram a falar em outras línguas que não conheciam. Judeus de outros países ficaram surpreendidos porque cada um ouvia a língua de seu país! Então Pedro pregou o evangelho para a multidão e nesse dia três mil pessoas se converteram. Foi a primeira vez que os discípulos receberam o Espírito Santo e pregara m o evangelho completo. Nesta semana, vamos pedir que o Espírito Santo nos capacite e nos torne pessoas mais compreensivas, acolhedoras e mensageiros da boa nova! QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO! 

segunda - ATRAVESSAMOS UM MOMENTO DE GRANDE DIFICULDADE ECONÔMICA, ACARRETANDO UMA SÉRIE DE PROBLEMAS PESSOAIS QUE DESIQUILIBRAM A HARMONIA ENTRE AS PESSOAS, MAS COM FÉ, O PODER DE DEUS POUSARÁ SOBRE NÓS, NOS TRAZENDO ENTENDIMENTO E FORÇA! QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO! 

Atos dos Apóstolos, capítulo 1, versículo 8:“mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo”.QUE SEJAMOS TODOS CAPACITADOS NESTE PENTECOSTES! 
O Pentecostes pode nos representar uma série de lições e exemplos importantíssimos, que devemos não apenas observar, mas colocá-los em prática em nossas vidas. Primeiro nos apresenta o poder que Deus pode nos transmitir através de nossa Fé e nosso amor. Pode nos mostrar que é possível diferentes seres humanos se entenderem por completo, sobrepondo suas diferenças culturais. Mostra que podemos ser capacitados pela Fé e nos tornarmos pessoas melhores em qualquer sentido de nossas vidas. Representa união, pois nos revela a Santíssima Trindade, a ligação entre o Espírito Santo e nós e a transmissão de seus ensinamentos! Por tudo isso vamos orara com muita Fé para QUE POSSAMOS SER CAPACITADOS E TRANSFORMADOS PELO ESPÍRITO SANTO!


Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Nunca perca a fé em Deus Mantenha a fé em Deus, mesmo que às vezes pareça que suas orações não estão sendo ouvidas. Ele é um Pai amoroso e certamente entende suas necessidades, mas existe sempre um tempo certo para tudo e talvez ainda não tenha chegado o momento de você receber as respostas que gostaria."






***********************


*Facebook Padre Marcelo Rossi:

**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs 

+ Novo Momento de Fé / Sentinelas da Madrugada:   
A partir do dia 05 de junho em novo horário: De segunda à sábado  da meia noite à 01h da manhã.
Obs.: Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);

*Site Padre Marcelo Rossi: 




domingo, 28 de maio de 2017

Dia Mundial das Comunicações Sociais: comunicar esperança e confiança (28 de maio)


51° Dia Mundial das Comunicações Sociais

Cidade do Vaticano (RV) 28/05/2017 - Celebra-se neste domingo (28/5), solenidade da Ascensão do Senhor, o 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

O tema da mensagem do Papa para este dia “Não tenhas medo, que Eu estou contigo. Comunicar esperança e confiança no nosso tempo” foi divulgado no dia litúrgico de São Francisco de Sales, patrono dos escritores e jornalistas, celebrado em 24 de janeiro.

Com este tema, Francisco propõe um estilo “aberto e criativo” para comunicar a esperança. Por isso, encoraja todos os que trabalham neste campo a comunicar de modo construtivo, rejeitando preconceitos e promovendo uma cultura do encontro.

Com efeito, em sua mensagem, o Santo Padre ressalta: “ O protagonista da notícia não pode ser o mal – que nos leva à apatia, ao desespero e a anestesiar a consciência –, mas a solução dos problemas, com um estilo aberto e criativo”.

“Em um sistema de comunicação, - frisa o Papa - onde vigora a lógica de que uma notícia boa não desperta a atenção e, por conseguinte, não se torna notícia, e onde o drama do sofrimento e o mistério do mal facilmente se tornam espetáculo, somos tentados a anestesiar a consciência ou a cair no desespero”.

A realidade não tem um significado unívoco - afirma o Papa -; tudo depende do modo com que a encaramos. Portanto, o ponto de partida ideal, para se encarar a realidade, é a “Boa Nova por excelência”, ou seja, o Evangelho de Jesus Cristo.

Esta boa notícia, - diz por fim Francisco – comporta sofrimento, porque o sofrimento é vivido num quadro mais amplo, como parte integrante do amor de Cristo ao Pai e à humanidade.

Em Cristo, - concluiu o Pontífice - Deus se fez solidário com toda a situação humana, revelando que não estamos sozinhos, porque temos um Pai que nunca esquece seus filhos. (MT)

Fonte: Radio Vaticano



Papa Francisco: Ascensão do Senhor, continuação da missão por parte da Igreja


Cidade do Vaticano (RV) 28/05/2017 - O Papa Francisco rezou a oração do Regina Coeli, neste domingo (28/05), com os fiéis e peregrinos na Praça São Pedro.

Na alocução que precedeu a oração, o Pontífice recordou a Ascensão do Senhor, celebrada neste domingo, quarenta dias depois da Páscoa.

“Os versículos que concluem o Evangelho de Mateus nos apresentam o momento da despedida definitiva do Ressuscitado aos seus discípulos. O cenário é o da Galileia, lugar onde Jesus os chamou para segui-lo e para formar o primeiro núcleo de sua comunidade nova. Agora, aqueles discípulos passaram através do fogo da paixão e da ressurreição. Ao verem Jesus ressuscitado eles se prostram diante dele, alguns porém ainda duvidam. A esta comunidade amedrontada, Jesus deixa a grande tarefa de evangelizar o mundo; e concretiza esta tarefa com o mandato de ensinar e batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”

Segundo o Papa, “a Ascensão de Jesus ao céu constitui o fim da missão que o Filho recebeu do Pai e o início da continuação desta missão por parte da Igreja. A partir deste momento, do momento da Ascensão, a presença de Cristo no mundo é mediada através de seus discípulos, daqueles que acreditam Nele e o anunciam. Esta missão durará até o fim da história e contará todos os dias com a assistência do Senhor ressuscitado, que garante: "Eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”.

“A sua presença traz fortaleza nas perseguições, conforto nas tribulações, sustento nas situações difíceis que a missão e o anúncio do Evangelho encontram. A Ascensão nos recorda esta assistência de Jesus e de seu Espírito que dá confiança e segurança ao nosso testemunho cristão no mundo. Revela-nos porque existe a Igreja: a Igreja existe para anunciar o Evangelho! Somente para isso! A alegria da Igreja é anunciar o Evangelho.”

Francisco disse ainda que “todos nós batizados somos a Igreja. Hoje, somos convidados a entender melhor que Deus nos deu a grande dignidade e responsabilidade de anunciá-lo ao mundo, de torná-lo acessível à humanidade. Esta é a nossa dignidade, esta é a maior honra de cada um de nós, batizados na Igreja!”

“Nesta festa da Ascensão, enquanto voltamos o nosso olhar para o céu, onde Cristo subiu e está sentado à direita do Pai, fortalecemos os nossos passos na terra para prosseguir com entusiasmo e coragem o nosso caminho, a nossa missão de testemunhar e viver o Evangelho em qualquer ambiente. Estamos bem conscientes de que isso não depende em primeiro lugar de nossas forças, da capacidade organizacional e recursos humanos. Somente com a luz e a força do Espírito Santo podemos efetivamente cumprir a nossa missão de fazer conhecer e experimentar cada vez aos outros o amor e a ternura de Jesus.”

O Papa pediu “à Virgem Maria para nos ajudar a contemplar os bens celestes, que o Senhor nos promete, e a nos tornar testemunhas cada vez mais críveis de sua Ressurreição, da vida verdadeira.” (MJ)

Fonte: Radio Vaticano



Igreja celebra hoje a Solenidade da Ascensão do Senhor


REDAÇÃO CENTRAL, 28 Mai. 17 / 05:00 am (ACI).- Hoje a Igreja Universal celebra a Solenidade da Ascensão do Senhor ao céu, após quarenta dias de sua ressurreição.

São João Paulo II, ao meditar sobre esta Solenidade, em sua homilia de 24 de maio de 2001, assinalou que “a contemplação cristã não nos subtrai ao compromisso histórico. O ‘céu’ da Ascensão de Jesus não quer dizer distância, mas o ocultar e a vigilância de uma presença que nunca nos abandona, até que Ele venha na glória”.

“Entretanto – continua o santo – chegou a hora exigente do testemunho para que, em nome de Cristo, ‘sejam anunciadas a todas as gentes a conversão e a remissão dos pecados’”.

Uma das passagens bíblicas que narra este episódio da vida do Senhor está no Evangelho de São Marcos 16,15-20:

“Naquele tempo: Jesus se manifestou aos onze discípulos, e disse-lhes: ‘Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados’. Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus. Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam”.

Fonte: ACI digital



Ascensão do Senhor-7° Domingo da Páscoa (Ano A)

Jesus é o Senhor da história

Ascensão do Senhor


Evangelho de Mateus 28,16-20

16 Os onze discípulos foram para a Galiléia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 17 Quando viram Jesus, ajoelharam-se diante dele. Ainda assim, alguns duvidaram. 18 Então Jesus se aproximou, e falou: «Toda a autoridade foi dada a mim no céu e sobre a terra. 19 Portanto,vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, 20 e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês. Eis que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo.»

Reflexão

Exaltação e Senhorio de Cristo

Quarenta dias depois da Páscoa, a Igreja celebra a Ascensão de N. Senhor. Na realidade, o que se celebra hoje é bem mais do que uma aparição na qual Jesus é elevado ao céu. É toda a realidade de sua glorificação que celebramos, aquilo que a cristologia das origens chamou o “estar sentado à direita do Pai”. Assim, a última aparição de Jesus aos apóstolos aponta para uma realidade que ultrapassa o quadro da narração. Por isso, não precisamos preocupar-nos em harmonizar o relato de Lucas em At 1,1-11 (1ª leitura) com aquele de Mt 28, 16-20 (evangelho) – aquele, situado na região de Jerusalém, este, na Galiléia.

Podem ser dois acontecimentos diferentes. O importanteé que tenham o mesmo sentido: Jesus, depois de sua ressurreição, não veio para retomar sua atividade de antes (cf. sua advertência a Maria Madalena em Jo 20, 17), nem para implantar um reino político de Deus no mundo, como muitos achavam que ele deveria ter feito (cf. At 1,6). Não. Jesus realiza-se agora numa outra dimensão, a dimensão de sua glória, de seu senhorio transcendente.

A atividade aqui na terra, ele a deixa para nós (“Sede as minhas testemunhas… até os confins da terra”; At 1,8), e nós é que devemos reiventá-la a cada momento. Na ressurreição, Jesus volta a nós, não mais “carnal”, mas em condição gloriosa, para nos animar com seu Espírito (At 1,8; Mt 16,20; cf. Jô 14,15-20, evangelho de dom. pass.)

Assim, ao celebrarmos a entrada de Jesus na glória, não celebramos uma despedida, mas um novo modo de presença; celebramos que ele é, realmente, o Emanuel, o Deus-conosco, para sempre (Mt 28,20, evangelho, cf Mt 1,23). Por isso, esse novo modo de presença é um aperitivo da realidade final: assim como ele entra na sua glória, isto é, como Senhor glorioso, assim ele voltará, para concluir o curso da História (At 1,11). Pouco importa como a gente imagina isso, o sentido é que, desde já, Jesus é o Senhor do Universo e da História (Salmo responsorial, Sl 47 [46]) e que nós, obedientes a sua palavra, colaboramos com o sentido definitivo que ele estabelece e há de julgar.

Como a encarnação e a Morte/Ressurreição, também a Glorificação de Cristo deve ser entendida como um “mistério”, isto é, uma realidade transcedente (às nossas categorias empíricas), da qual a celebração religiosa nos faz participar. Celebrando a Glorificação do Cristo, tomamos consciência de nossa própria vocação à glória, como exprime a Carta aos Efésios (que, com razão, pode ser considerada como sendo o exemplo por excelência de teologia “misterial” dentro do N.T.; 2ª leitura). Também a oração do dia fala neste sentido (cf. os prefácios próprios I e II).

Uma idéia que permeia a liturgia deste dia (como de todo o tempo pascal), e que se exprime na oração sobre as oferendas e na oração final, é que o cristão deve viver com a mente no Céu, comungando na realidade da glorificação do Cristo. Essa participação é um novo modo de presença junto ao mundo, não uma alienação, mas antes, o exercício do senhorio escatológico sobre este mundo. Viver com a mente junto ao Senhor glorioso não nos dispensa de estar com os dois pés no chão; significa encarnar, neste chão, aquele sentido da História e da existência que em Cristo foi coroado de glória.

Do livro “Liturgia Dominical”, de Johan Konings, SJ, Editora Vozes

Oração

Ó Deus todo-poderoso, a ascensão do vosso filho, já é nossa vitória. Fazei-nos exultar de alegria e fervorosa ação de graças, pois, membros de seu corpo, somos chamados na esperança a participar da sua glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br/?p=133633 (maio/2017)



sábado, 27 de maio de 2017

China: “Os comunistas têm medo de Nossa Senhora de Fátima”


Nem fotos de Nossa Senhora de Fátima são permitidas no país

Ajuda à Igreja que Sofre - Maio 26, 2017

O cardeal Joseph Zen Ze-kiun, bispo emérito de Hong Kong, foi convidado pela ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) da Alemanha para falar no Dia dos Encontros que se realizou no santuário de peregrinação alemão de Kevelaer no dia 13 de maio. Ele conversou com Berthold Pelster (ACN Alemanha) sobre o papel da igreja católica na reconstrução da sociedade chinesa e o porquê de os comunistas terem medo de Nossa Senhora de Fátima.

ACN: Durante as últimas quatro décadas, a República Popular da China sofreu uma enorme mudança social – as reformas, especialmente as econômicas, permitiram o seu avanço para um grande poder econômico e tecnológico. Que papel a ideologia comunista ainda desempenha nesse processo hoje?

Cardeal Joseph Zen Ze-kiun: Na verdade, a liderança na China nunca levou a ideologia comunista muito a sério. Em vez disso, o comunismo chinês é uma forma de imperialismo desenfreado. A corrupção desenfreada, também dentro do partido, atesta isso. Tudo é sobre poder. A obediência absoluta à liderança estatal é a única coisa que conta. E através da abertura do setor econômico e da crescente afluência, tudo isso está piorando. A riqueza alimenta a corrupção em níveis cada vez maiores.

Observadores políticos dizem que a situação dos direitos humanos realmente se deteriorou sob o atual presidente, Xi Jinping. Que observações Vossa Eminência faz?

No início, eu tinha grandes esperanças porque o presidente tomou medidas contra a corrupção tanto no governo, quanto na sociedade. Mas, rapidamente ficou evidente que ele também estava interessado apenas no poder. As pessoas que lutam pelos direitos humanos passaram a ser reprimidas, perseguidas, humilhadas e condenadas em julgamentos de propaganda em nome do seu governo.

Pode nos dizer algo sobre o estado atual das negociações entre a liderança chinesa e a Santa Sé?

Infelizmente, pouco se sabe sobre essas conversas. Ainda há muitos outros problemas. Eu calculo que as negociações ainda levem muito tempo. Na minha opinião, a liderança do Estado não aceitará qualquer outro resultado do que a subjugação da igreja à liderança do Partido Comunista. Os bispos da igreja subterrânea, por exemplo, foram forçados a participar de cursos de formação política durante a Semana Santa e, portanto, não puderam celebrar a liturgia com os seus fiéis. O Papa Bento XVI falou da reconciliação em sua carta aos católicos da China em 2007 e para ele, isso significava em grande parte uma reconciliação espiritual. Mas muito ainda precisa ser feito!

Isso soa muito pessimista. O que Vossa Eminência espera que vai acontecer com o cristianismo na China?

Tudo depende de saber se conseguiremos viver nossa fé de forma autêntica – sem fazer muitos compromissos com o governo. Há cristãos na China que defendem corajosamente uma sociedade melhor. No entanto, muitos deles estão na prisão! Se o comunismo cair um dia, então os católicos devem estar entre aqueles que irão construir uma nova China. No entanto, isso só vai funcionar se os católicos já não desperdiçarem sua credibilidade de antemão, fazendo compromissos vazios com a liderança comunista.

Hoje em dia, nós, católicos, estamos nos lembrando das aparições de Nossa Senhora de Fátima que aconteceram exatamente há 100 anos. As mensagens de Nossa Senhora de Fátima nos advertem contra a ideologia ímpia do comunismo. Os católicos na China estão conscientes dessas mensagens?

Claro! Todos nós ouvimos falar das mensagens de Fátima. Até os comunistas! Elas os deixam muito ansiosos. Os comunistas têm medo de Nossa Senhora de Fátima! Toda a situação está se tornando ridícula: por exemplo, os comunistas nada têm contra as pessoas levarem fotos de “Maria Imaculada” ou representações da imagem milagrosa de “Maria Auxiliadora” para a China vindas do exterior. Porém, fotos de “Nossa Senhora de Fátima”, por outro lado, não são permitidas. Eles consideram os eventos em Fátima como “anticomunistas”. O que é, naturalmente, nada além da verdade!

Então a liderança chinesa faz distinções. No entanto, a veneração a Maria sob o título de “Auxiliadora” também tem um significado especial para a China: na sua festa de 24 de maio, a Igreja Católica realiza um dia de oração mundial para a Igreja na China. O Papa Bento XVI apresentou esse dia em 2007. Qual é o significado desse dia de oração?

A veneração de Nossa Senhora sob o título de “Auxiliadora” está profundamente enraizada em toda a China e tem sido assim por muito tempo. Esse título não se refere apenas à ajuda para os fiéis individuais, mas também para ajudar a igreja como um todo. O principal perigo na China hoje é o ateísmo materialista. Infelizmente, este dia de oração, que é válido para a Igreja Católica em todo o mundo, é muito pouco conhecido. Não é levado a sério o suficiente.

Fonte: Aletéia



Cardeal explica por que JMJ Panamá 2019 acontecerá em janeiro


Por Miguel Pérez Pichel

Roma, 27 Mai. 17 / 10:00 am (ACI).- O Panamá começou a abordar os preparativos para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que acontecerá em 2019, afirmou o Cardeal José Luis Lacunza, Bispo de David, e explicou por que este evento eclesial mundial acontecerá em janeiro.

Em declarações ao Grupo ACI, o Purpurado precisou que as datas da JMJ – 22 a 27 de janeiro de 2019 – foram escolhidas, pois entre os meses de dezembro e maio não chove.

“Precisávamos de uma estação seca. Realizar esse evento no Panamá em julho seria um desastre devido à chuva. No Panamá, entre dezembro e maio não chove. As primeiras chuvas do ano são a partir de abril, e de abril a novembro ou dezembro, chove todos os dias, e chove muito forte”, explicou o Cardeal.

Questionado sobre os jovens europeus que quiserem participar da JMJ e que estão se perguntando como poderão participar, pois estarão no meio do ano letivo, o Bispo de David indicou que “a mesma pergunta que os jovens da Europa fazem agora, os jovens da América fazem quando a Europa organiza esta jornada em julho, pois eles estão em pleno ano letivo”.

“A razão destas datas é climatológica”, explicou novamente. “Tinha que ser entre dezembro e maio para garantir que fosse durante a estação seca, caso contrário, não teríamos nenhuma garantia. E esse é o motivo, um motivo climático, somente por isso”.

O Purpurado também se referiu à chegada da Cruz da JMJ e do ícone de Maria Salus Populi Romani no domingo, 21 de maio, ao Panamá, o que deu um primeiro impulso à organização.

“Os comitês organizadores já estão trabalhando”, assegurou o Cardeal. “Estão se reunindo e pouco a pouco estão dando passos”. Neste sentido, assinalou que neste momento estão trabalhando para definir os lugares onde serão realizadas as atividades principais.

Na conversa, o Cardeal também comentou sobre a situação atual da Igreja no Panamá. “Acho que está bem. Acho que a presença da Igreja no Panamá no âmbito social e político é bem recebida, acolhida e escutada”.

“Sempre haverá críticos, houve e sempre haverá, não esperamos que todo o mundo concorde com o que nós pensamos, mas acreditamos que temos o direito de dizer as coisas que dizemos, e respeita-se. Repito, nem sempre é a única palavra, mas nos levam em consideração”.

Como um exemplo deste respeito da sociedade panamenha à opinião dos bispos, indica que “acabamos de lançar um comunicado na semana passada, sobre o tema da ideologia de gênero e sobre o possível casamento homossexual ou, como chamam, as uniões igualitárias”.

Atualmente, há “um movimento e houve uma proposta de inconstitucionalidade por alguns grupos. Já existem vários países que assumiram na América Latina. Nós lançamos um comunicado mostrando a posição da Igreja a respeito do tema. No Panamá estamos, como dizem, em um campo de batalha”.

Os bispos panamenhos discutirão sobre estes e outros temas com o Papa Francisco e com a Cúria Romana na visita Ad Limina a ser realizada entre os dias 5 e 10 de junho.

Fonte: ACI digital



15 frases de santos de todos os tempos sobre a Virgem Maria


REDAÇÃO CENTRAL, 27 Mai. 17 / 08:00 am (ACI).- Desde o início do cristianismo, a Igreja encontrou na Mãe de Deus um modelo a seguir, ressaltando sempre suas virtudes. A seguir, apresentamos 15 frases de santos conhecidos sobre a Virgem Maria:

1. Santo Agostinho de Hipona, Padre e Doutor da Igreja

“Maria era bem-aventurada porque antes de dar à luz o Mestre na carne, o levou no seio”.

2. Santo Agostinho de Hipona

“Maria era feliz porque ouviu a palavra de Deus e a pôs em prática; guardou mais a verdade de Cristo na sua mente do que o corpo de Cristo no seu seio”.

3. Santo Afonso Maria de Ligório, Doutor da Igreja e padroeiro dos confessores e moralistas

“Maria é aquela torre de Davi, de que fala o Espírito Santo nos sagrados Cânticos: ‘Ao redor dela se elevam fortalezas; ali se veem suspensos mil escudos e todas as armas dos valentes’ (Ct 4,4). Vós sois, portanto, Virgem Santíssima – como diz Santo Inácio Mártir – ‘um escudo inexpugnável para aqueles que andam empenhados no combate’”.

4. São Bernardo de Claraval, Doutor da Igreja e conhecido por seu amor à Virgem Maria

“Se o vento das tentações se levanta, se o escolho das tribulações se interpõe em teu caminho, olha a estrela, invoca Maria”.

5. São Bernardo, também compositor de muitas orações marianas 

“Se Ela te sustenta, não cairás; se Ela te protege, nada terás a temer; se Ela te conduz, não te cansarás, se Ela te é favorável, alcançarás o fim”. 

6. São Francisco de Assis, fundador dos Franciscanos e devoto da Virgem

“Salve ó Senhora Santa, Rainha Santíssima, Mãe de Deus, ó Maria... Em vós residiu e reside toda plenitude da graça e todo o bem”.

7. Santo Irineu, Padre da Igreja dos primeiros séculos que combateu heresias 

“O nó da desobediência de Eva foi desatado pela obediência de Maria. O que uma fez por incredulidade o desfez a outra pela fé”.

8. São Luís Maria Grignion de Montfort, autor de vários livros marianos, entre eles o “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem” 

“Sou todo teu, Maria, e tudo o que é meu te pertence”. 

9. São Luís Maria Grignion de Montfort 

“A quem Deus quer fazer muito santo, o faz muito devoto da Virgem Maria”.

10. São João Bosco, grande propagador da devoção a Maria Auxiliadora 

“Um sustentáculo grande para vós, uma arma poderosa contra as insídias do demônio, tendes na devoção à Maria Santíssima”.

11. Santa Teresa de Jesus, mística e Doutora de Igreja 

“Grande coisa é o que agrada a Nosso Senhor qualquer serviço que se faça à sua Mãe”.

12. Santa Teresa de Lisieux, Doutora da Igreja e Padroeira das missões

“Com a prática fiel das virtudes mais humildes e simples, tornaste, minha Mãe, visível a todos o caminho reto do Céu”.

13. Santa Teresa dos Andes, carmelita descalça latino-americana 

“Maria, és a Mãe do Universo. Quem não se anima ao ver-te tão pura, tão terna, tão compassiva, a revelar seus íntimos tormentos? Se é pecador, tuas carícias o enternecem. Se é teu fiel devoto, somente tua presença acende a chama viva do amor divino”. 

14. São João Paulo II, o Papa das famílias 

“Nos deste a Tua Mãe como nossa, para que nos ensine a meditar e adorar no coração. Ela, recebendo a Palavra e colocando-a em prática, fez-se a mais perfeita Mãe”.

15. São João Paulo II, o Papa peregrino

“Dai-nos vossos olhos, ó Maria, para decifrar o mistério que se esconde nos frágeis membros do Filho. Ensinai-nos a reconhecer a sua face nas crianças de toda raça e cultura”.

Fonte: ACI digital



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé