sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Papa Francisco aos ortodoxos: Colocar o Evangelho e o perdão acima de tudo

Por Alvaro de Juana

TSIBILI, 30 Set. 16 / 02:00 pm (ACI).- A visita do Papa Francisco à Geórgia e ao Azerbaijão tem um forte caráter interconfessional, por isso em diferentes atos realizados durante a viagem estarão presentes representantes de várias religiões. Hoje o Pontífice se reuniu na sede do patriarcado da Geórgia com Sua Beatitude Elias II, líder da Igreja Ortodoxa e apostólica georgiana, e pediu colocar a Evangelização e o desejo de paz acima de tudo.

Em seu discurso, o Santo Padre recordou a visita do Patriarca ao Vaticano em 1999, com São João Paulo II. “Vossa Santidade inaugurou uma página nova nas relações entre a Igreja Ortodoxa da Geórgia e a Igreja Católica, ao realizar a primeira visita histórica ao Vaticano dum Patriarca georgiano. Naquela ocasião, trocou com o Bispo de Roma o ósculo da paz e a promessa de rezarmos um pelo outro”, afirmou.

Depois de valorar positivamente as relações entre a Igreja ortodoxa da Geórgia e a Católica, Francisco explicou que chegou ao país “como peregrino e amigo, cheguei A esta terra bendita, quando está a ponto de concluir para os católicos o Ano Jubilar da Misericórdia”.

“Agora, a Providência divina faz-nos encontrar novamente e, face a um mundo sedento de misericórdia, unidade e paz, pede-nos que os vínculos entre nós recebam novo impulso, renovado ardor, de que o ósculo da paz e o nosso abraço fraterno já são um sinal eloquente”.

O Pontífice assegurou que apesar das diferenças “Nisto temos o apoio do amor que transformou a vida dos Apóstolos. É aquele amor sem igual que o Senhor encarnou”.

“Verdadeiramente o amor do Senhor eleva-nos, porque nos permite subir acima das incompreensões do passado, dos cálculos do presente e dos medos do futuro”, acrescentou.

Em seu discurso, também elogiou o testemunho do povo georgiano, que “ao longo dos séculos, a grandeza deste amor. Nele encontrou a força para se levantar de novo depois de inúmeras provações; nele se elevou até aos cumes duma beleza artística extraordinária”.

Por outro lado, recordou “a gloriosa história do Evangelho nesta terra deve-se de modo especial a Santa Nino, que é comparada aos Apóstolos: ela espalhou a fé sob o sinal particular da cruz feita de lenho de videira. Não se trata duma cruz desnudada, porque a imagem da videira, para além do fruto que sobressai nesta terra, representa o Senhor Jesus”.

O Papa argentino pediu novamente permanecer unidos e pediu “a multidão de Santos, que conta este país, encoraja-nos a colocar o Evangelho em primeiro lugar, evangelizando como no passado, e mais do que no passado, livres das amarras dos preconceitos e abertos à perene novidade de Deus”.

“Que as dificuldades não sejam impedimentos, mas estímulos para nos conhecermos melhor, compartilharmos a seiva vital da fé, intensificarmos a oração de uns pelos outros e colaborarmos com caridade apostólica no testemunho comum, para glória de Deus nos céus e ao serviço da paz na terra”, desejou.

Em seguida, o Santo Padre sublinhou: “Com a paz e o perdão, somos chamados a vencer os nossos verdadeiros inimigos, que não são de carne e sangue, mas os espíritos do mal fora e dentro de nós”.

“Esta terra abençoada é rica de heróis valorosos segundo o Evangelho que souberam, como São Jorge, derrotar o mal. Penso em tantos monges e, de modo particular, nos numerosos mártires, cuja vida triunfou ‘com a fé e a paciência’: passou através da prensa do sofrimento, permanecendo unida ao Senhor e assim produziu um fruto pascal, irrigando o solo georgiano com sangue derramado por amor”, manifestou.

Ao concluir, Francisco pediu que sua intercessão “dê alívio a tantos cristãos que ainda hoje, no mundo, sofrem perseguições e ultrajes e reforce em nós o desejo bom de vivermos fraternalmente unidos para anunciar o Evangelho da paz”.

Fonte: ACI digital



Papa Francisco na Geórgia condena o extremismo e pede pela paz entre as nações

Por Alvaro de Juana

TSIBILI, 30 Set. 16 / 12:00 pm (ACI).- O primeiro ato do Papa Francisco durante a sua visita à Geórgia foi o encontro com as autoridades, a sociedade civil e o corpo diplomático do país no Palácio Presidencial da capital, Tsibili. O Santo Padre disse no seu discurso que é urgente a paz entre as nações e confissões religiosas e, por isso, a prioridade deve ser ajudar as pessoas.

“Isto revela-se muito necessário no momento histórico atual, em que não faltam também extremismos violentos que manipulam e distorcem os princípios de natureza civil e religiosa, pondo-os ao serviço de obscuros desígnios de domínio e morte”, disse durante o seu discurso.

Francisco acrescentou: “Desejo que o caminho de paz e desenvolvimento prossiga com o esforço solidário de todas as componentes da sociedade, para criar as condições de estabilidade, equidade e respeito da legalidade suscetíveis de favorecer o crescimento e aumentar as oportunidades para todos”.

Mas “este progresso autêntico e duradouro tem como indispensável condição prévia a coexistência pacífica entre todos os povos e Estados da região”.

“Isto requer que cresçam sentimentos de mútua estima e consideração, que não podem ignorar o respeito das prerrogativas soberanas de cada país no quadro do direito internacional”.

Nesse sentido, o Santo Padre manifestou que “é necessário estar ciente de que os princípios relevantes para um relacionamento équo e estável entre os Estados estão ao serviço da convivência concreta, ordenada e pacífica entre as nações”.

“Em muitos lugares da terra, em efeito, parece prevalecer uma lógica que torna difícil sustentar as legítimas diferenças e as disputas, que sempre podem surgir, em um contexto de verificação e diálogo civil onde prevaleça a razão, a moderação e a responsabilidade”.

O Pontífice afirmou que todos devem preocupar-se primeiramente “pelo ser humano na sua situação concreta e realizem, com paciência, toda e qualquer tentativa para evitar que as divergências descambem em violências, fadadas a provocar enormes ruínas para o homem e a sociedade”.

“Qualquer distinção de caráter étnico, linguístico, político ou religioso, longe de ser utilizada como pretexto para transformar as divergências em conflitos e estes em tragédias sem fim, pode e deve ser, para todos, fonte de enriquecimento recíproco em benefício do bem comum”.

“Isto exige que cada um possa fazer pleno uso das especificidades próprias, a começar pela possibilidade de viver em paz na sua terra ou de retornar a ela livremente se, por qualquer motivo, foi forçado a abandoná-la”, prosseguiu.

A respeito, o Papa expressou: “Espero que os responsáveis públicos continuem a ter a peito a situação destas pessoas, empenhando-se na busca de soluções concretas, mesmo fora das questões políticas ainda por resolver”.

Por último, recordou que “a Igreja Católica – há séculos presente neste país, distinguindo-se particularmente pelo seu empenho na promoção humana e nas obras sócio caritativas – compartilha as alegrias e preocupações do povo georgiano e deseja prestar o seu contributo para o bem-estar e a paz da nação, colaborando ativamente com as autoridades e a sociedade civil”.

Por outro lado, o Santo Padre agradeceu a Deus “pela oportunidade de visitar esta terra abençoada, local de encontro e intercâmbio vital entre culturas e civilizações, que achou no cristianismo, desde a pregação de Santa Nino no início do século IV, a sua identidade mais profunda e o fundamento seguro dos seus valores”.

Ao destacar as boas relações entre o Vaticano e a Geórgia, o Pontífice sublinhou que devido à sua posição geográfica, a Geórgia “é quase uma ponte natural entre a Europa e a Ásia, um gonzo que facilita as comunicações e as relações entre os povos, tendo possibilitado ao longo dos séculos tanto o comércio como o diálogo e a troca de ideias e experiências entre mundos diversos”.

O Papa recordou que “já se passaram vinte e cinco anos desde a proclamação da independência da Geórgia, que durante este período, recuperando a sua plena liberdade, construiu e consolidou as suas instituições democráticas e procurou os caminhos para garantir um desenvolvimento o mais possível inclusivo e autêntico”.

Fonte: ACI digital 

------------------------------------
Papa rumo à Geórgia e ao Azerbaijão

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 30-09-2016, Gaudium Press) - O Papa Francisco deixou o Vaticano na manhã desta sexta-feira (30/09) para realizar sua 16ª viagem apostólica internacional. Trata-se da segunda etapa de sua visita ao Cáucaso.

Depois de visitar a Armênia em junho passado, agora é a vez de Geórgia e Azerbaijão. "Acompanhem-me com suas orações para semearmos juntos paz, unidade e reconciliação", pediu o Pontífice a seus seguidores no Twitter ainda nesta manhã.

Retorno ao Cáucaso

Três meses depois da visita à Armênia, o Papa Francisco retorna ao Cáucaso neste fim de semana, de hoje, sexta-feira, 30 de setembro, até domingo, 02 de outubro.

A viagem na fronteira entre Europa e Ásia se insere no contexto do modo de visitas que Francisco moldou para o Velho Continente.
São visitas a países pequenos, ainda feridos por conflitos, onde o Papa espera encorajar percursos de reconciliação e de paz.
Países onde os católicos são um "pequeno rebanho", convivendo com outras confissões cristãs e com outras religiões.

Além disso, o Pontífice terá a oportunidade de aprofundar e tratar da questão dos refugiados vindos da Síria e do Iraque. Fará um encontro com a comunidade assírio-caldeia e com refugiados do conflito com a Federação Russa em 2008.

Georgia e Azerbaijão

Nessa sua viagem apostólica o Papa visitará dois países, a Georgia que é majoritariamente ortodoxa, e o Azerbaijão que é inteiramente povoado por muçulmanos xiitas, mas que tornou-se bastante secularizado pelo fato de que, por longo tempo, manteve estreitas ligações com o bloco comunista soviético.

Os católicos são representados por algumas centenas de fiéis no Azerbaijão. Ali, a primeira e única igreja do país só foi consagrada em 2008.

Na Georgia a situação é muito diferente: a presença católica é relevante e tem especial importância no sul do país, dentro da minoria armênia que lá reside.

Os Armênios-católicos da Geórgia teriam um número situado entre 60.000 e 180.000 fiéis. Os números tem essa flutuação de estimativa por causa da migração de muitos jovens trabalhadores que estão empregados, especialmente na Rússia, mas que retornam regularmente ao país.

Ver o Papa

No último dia 25 de junho, quando Francisco esteve na Região, as bandeiras georgianas tremularam durante a Missa celebrada pelo Papa Francisco na cidade de Gyumri, ao norte da Armênia.

Isto mostra um sinal da ligação e compromisso dos católicos armênios com o Papa, e a presença de uma comunidade armênia na região fronteiriça.

Na viagem atual, alguns terão, portanto, a oportunidade de ver o Papa por duas vezes em três meses: na Armênia e depois na Geórgia.

Mas todos eles podem ver o Papa, assistir à missa celebrada pelo Santo Padre, no sábado, em Tbilisi, em um estádio que tem capacidade para receber até 17.000 pessoas. (JSG) - Fonte: Gaudium Press



Hoje é celebrado São Jerônimo, tradutor da Bíblia e doutor da Igreja (30 de setembro)


REDAÇÃO CENTRAL, 30 Set. 16 / 05:00 am (ACI).- “Ama a Sagrada Escritura e a sabedoria amar-te-á; ama-a ternamente e ela guardar-te-á; honra-a e receberás as suas carícias”. Assim costumava a dizer São Jerônimo, tradutor da Bíblia ao latim, cuja festa se celebra neste dia 30 de setembro. Ao recordar este santo, a Igreja celebra também o dia da Bíblia.

O nome Jerônimo significa “que tem um nome sagrado”. Este santo consagrou toda sua vida ao estudo das Sagradas Escrituras e é considerado um dos melhores, se não o melhor, neste ofício.

Nasceu na Dalmácia (Iugoslávia) por volta do ano 340. Em Roma, estudou latim sob a direção do mais famoso professor de seu tempo, Donato, que era pagão. Chegou a ser um grande latinista e muito bom conhecedor do grego e de outros idiomas, mas muito pouco conhecedor dos livros espirituais e religiosos. Passava horas e dias lendo e aprendendo de cor os grandes autores latinos, Cicero, Virgilio, Horácio e Tácito, e aos autores gregos, Homero e Platão, mas quase nunca dedicava tempo à leitura espiritual.

Jerônimo se dispôs ir ao deserto a fazer penitência por seus pecados (especialmente por sua sensualidade que era muito forte, por seu mau gênio e seu grande orgulho). Mas lá embora rezasse muito, jejuasse, e passasse noites sem dormir, não conseguiu a paz, descobrindo que sua missão não era viver na solidão.

De volta à cidade, foi nomeado secretário do Papa Dâmaso, encarregado de redigir as cartas que o Pontífice enviava. Logo foi designado para fazer a tradução da Bíblia.

As traduções que existiam naquela época tinham muitas imperfeições de linguagem e várias imprecisões ou traduções não muito exatas. Jerônimo, que escrevia com grande elegância o latim, traduziu a este idioma toda a Bíblia, e essa tradução chamada "Vulgata" (tradução feita para o povo ou vulgo) foi a Bíblia oficial para a Igreja Católica durante 15 séculos.

Por volta dos 40 anos, Jerônimo foi ordenado sacerdote. Mas seus altos cargos em Roma e a dureza com a qual corrigia certos defeitos da alta classe social lhe trouxeram invejas. Sentindo-se incompreendido e até caluniado em Roma, onde não aceitavam seu modo enérgico de correção, dispôs afastar-se daí para sempre e se foi a Terra Santa.

Passou seus últimos 35 anos em uma gruta, junto à Gruta de Belém. Várias das ricas matronas romanas que ele tinha convertido com seus pregações e conselhos, venderam seus bens e  foram também a Belém a seguir sob sua direção espiritual. Com o dinheiro dessas senhoras, construiu naquela cidade um convento para homens, três para mulheres, e uma casa para atender os que chegavam de todas partes do mundo para visitar o lugar onde nasceu Jesus.

Com tremenda energia, escrevia contra os hereges que se atreviam a negar as verdades da Santa religião.

A Santa Igreja Católica reconheceu sempre São Jerônimo como um homem eleito por Deus para explicar e fazer entender melhor a Bíblia. Por isso, foi nomeado patrono de todos os que no mundo se dedicam a fazer entender e amar mais as Sagradas Escrituras.

Morreu em 30 de setembro do ano 420, aos 80 anos.

O Papa Bento XVI, em sua audiência geral de 7 de novembro do 2007 disse: “Concluo com uma palavra de São Jerônimo a São Paulino de Nola. Nela o grande exegeta expressa precisamente esta realidade, isto é, que na Palavra de Deus recebemos a eternidade, a vida eterna. Diz São Jerônimo: ‘Procuremos aprender na terra aquelas verdades cuja consistência persistirá também no céu’”.

Fonte: ACI digital



Orando aos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael contra os males lançados pelo maligno-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (30
/setembro/2016), o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o lema: "Vamos pedir a intercessão dos Arcanjos Miguel, Gabriel, Rafael, de nosso Anjo da Guarda e de Santa Teresinha na luta contra as forças do mal!"
Trouxe para vocês sete lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado fim de semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

QUE SEMANA FORTE AMADOS, ORANDO COM OS ARCANJOS DE DEUS, MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL E CAMINHANDO PARA O DIA DO ANJO DA GUARDA, VAMOS CONTINUAR ORANDO PARA QUE A UNIÃO DAS FORÇAS QUE VEM DE DEUS NOS PROTEJA DE TODO O MAL! 
Somos intimamente ligados ao nosso anjo da guarda, mas precisamos estar estreitamente conectados com Deus para que possamos receber sua máxima proteção, assim é o momento de redobrarmos nossos pedidos ANJO DA GUARDA, NOS GUARDE E NOS ILUMINE, AMÉM! Estamos em uma semana de profunda proteção à todos nós, porque estamos orando com os arcanjos e com o nosso anjo da guarda. Segundo os ensinamentos da nossa igreja, os anjos da guarda são nossos fiéis parceiros na caminhada terrena. São eles que levam ao Senhor, os nossos pedidos, nossas súplicas e nossas necessidades. Eles tem a particular função de nos proteger dos males lançados pelo maligno, de nos dar força para que não entremos nas armadilhas do inimigo e buscam iluminar nossos caminhos nesta vida. Por isso o Santo Padre Pio sempre frisou a importância de acreditar e de buscar uma intimidade com o nosso Anjo da Guarda, analisando esta necessidade, o melhor a fazer é estreitar o máximo possível o relacionamento com ele. Construa uma relação de amizade e parceria pois nosso anjo esta sempre ao nosso lado. ANJO DA GUARDA, NOS GUARDE, NOS GOVERNE E NOS ILUMINE, AMÉM!
 
Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Viva esse dia bom ou ruim foi Deus quem fez... tudo que Deus fez foi para a Glória Dele...louvado seja o nome do Senhor!!"









***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Orientações para o Voto Consciente da Diocese de Santos


NAS ELEIÇÕES DESTE ANO VAMOS VOTAR EM PREFEITOS E VEREADORES

As eleições municipais têm uma atração e uma força próprias pela proximidade dos candidatos com os eleitores. Se por um lado, isso desperta mais interesse e facilita as relações, por outro, pode levar a práticas condenáveis como a compra e venda de votos, a divisão de famílias e da comunidade. Leia com atenção o folder e prepare-se para exercer com liberdade e firmeza a sua cidadania.

 

Qual é o papel específico do Prefeito?

O(A) prefeito(a) é o chefe do Poder Executivo local, cabendo a ele (a), entre outras tarefas, a administração geral do município.

Ele (a) deve governar a cidade de forma democrática; manter contatos com a comunidade, dialogando com as organizações sociais; estar atento às necessidades de toda a população, em especial dos mais carentes; elaborar um programa voltado às necessidades de todos, priorizando a distribuição da riqueza e da renda para melhorar a qualidade de vida.

Ao Prefeito cabe implementar e apoiar ações que visem à criação de emprego e geração de renda; tornar público e transparente o uso dos recursos do município; apresentar projetos de lei; possibilitar a participação do povo na elaboração do orçamento do município.

E os vereadores (as), qual é a função deles????

Ao  vereador  cabe,  entre  outras  tarefas,  acompanhar o dia-a-dia das  comunidades para conhecer de perto suas necessidades; elaborar e votar leis, que atendam às necessidades da comunidade.

Também deve fiscalizar as ações do prefeito, secretários e administradores regionais;
ser um membro ativo na Câmara Municipal, favorecendo o debate de ideias e projetos.

Deve cobrar da Prefeitura a participação popular no orçamento; discutir, aprovar e fiscalizar o orçamento do município, denunciando o uso indevido dos recursos; lutar pela transparência e democratização da Prefeitura e Câmara Municipal.

O que NÃO deve fazer um vereador?

Não  é  papel  do  vereador  fazer  assistencialismo  social:  fornecer  brindes,  óculos, cadeiras  de  rodas,  dentaduras,  cestas  básicas,  e  uma  série  de  outros  pequenos serviços  que  lhe  garante  a  reeleição,  tão  pouco  oferecer  consultas  médicas  ou remédios em troca de votos.

As  eleições  municipais  têm  uma  atração  e  uma  força próprias pela proximidade dos candidatos como os eleitores.  Se por um lado, isso desperta mais interesse e facilita as relações, por outro, pode levar a práticas condenáveis como: a compra e venda de votos, a divisão de famílias e da comunidade.

Para  escolher  e  votar  bem  é  imprescindível  conhecer,  além  dos  programas  dos partidos,  os  candidatos  e  sua  proposta de trabalho, sabendo distinguir claramente as funções para as quais se candidatam.

É fundamental considerar o passado do candidato, sua conduta moral e ética e, se já  exerce algum cargo político, conhecer sua atuação na apresentação e votação de  matérias e leis a favor do bem comum. A Lei da Ficha Limpa há de ser, neste  caso,  instrumento iluminador do eleitor para barrar candidatos de ficha suja.

A Igreja Católica não assume nenhuma candidatura, mas incentiva os cristãos leigos e leigas, que têm vocação para a militância político-partidária, a  se  lançarem candidatos.
Após as eleições, é importante a comunidade se organizar para acompanhar os mandatos dos eleitos e que estejam atentos à elaboração e implantação de políticas públicas que atendam a população.

PERFIL DO ELEITOR CONSCIENTE

É necessário que cada eleitor preencha certos requisitos. De nada adianta fazer generalizações do tipo: “Ninguém presta, são todos ladrões” ou “política não se discute”, ou ainda, “eu anulo meu voto”.
A quem favorece esse tipo de pensamento? Favorece os maus políticos. É possível distinguir a Política (que é importante) e a politicagem (que é o mau uso da Política). Quando alguém diz que “não tem nada a ver com a política”, está esquecendo que  isso tem consequências na sua vida: ter ou não ter emprego, transporte e escola para os filhos, remédios e médicos suficientes na saúde pública, vaga no hospital, estradas melhores e alimento para todos, tudo isso passa pelos caminhos da Política.
Se existe o bom candidato, existe também o bom eleitor.

OS 10 MANDAMENTOS DO ELEITOR:

1º. Participe e vote. Valorize seu voto. Evite o voto nulo ou branco.
2º. Vote em quem você conhece. Procure conhecer os candidatos.
3º. Veja se os candidatos estão comprometidos. Verifique os compromissos  assumidos pelos candidatos em relação à justiça e à solidariedade social.
4º. Candidato de quem? Avalie se os candidatos têm proposta realistas e viáveis que beneficiem a Cidade.
5º. Confira a ficha. Dê seu voto de forma consciente e não decida apenas na última hora.
6º. Não venda o voto, nem troque por favores. Seu voto é sua dignidade.
7º. Vote com consciência e liberdade. Procure  conhecer as ideias e propostas defendidas pelos candidatos.
8º. Questione se os candidatos estão dispostos a legislar e administrar de forma transparente.
9º. Política, Religião e família. Vote em candidatos que respeitem a liberdade de consciência, as convicções religiosas e morais dos cidadãos.
10º. Fique de Olho: votar é importante, mas ainda não é tudo. Depois das eleições, acompanhe as ações e decisões políticas, para cobrar coerência em relação às promessas de campanha.

Se souber de alguma irregularidade ligada às eleições, o que devo fazer?
Procure a Procuradoria Regional Eleitoral do Estado em que ocorreu a irregularidade ou entre em contato o Promotor Eleitoral do seu município!

Fonte: Folder da Diocese de Santos

 



Sete coisas sobre os arcanjos Gabriel, Rafael e Miguel que talvez você não saiba


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Set. 16 / 12:00 pm (ACI).- A cada 29 de setembro, a Igreja Católica celebra a festa de três Santos Arcanjos: São Miguel, São Gabriel e São Rafael.

Confira a seguir sete coisas que talvez não sabia deles:

1. São os mais próximos aos humanos

Desde Pseudo-Dionisio, Padre da Igreja do século VI, está acostumado a se enumerar três hierarquias de anjos. Na primeira estão os Serafins, Querubins e Tronos. Depois vem as Dominações, Virtudes e Potestades. Enquanto que na terceira hierarquia estão os Principados, Arcanjos e Anjos. Estes últimos são os que estão mais próximos às necessidades dos seres humanos.

2. São mensageiros de anúncios importantes

A palavra Arcanjo provém das palavras gregas “Arc” que significa “principal” e “anjo” que é “mensageiro de Deus”. Vejamos o que diz São Gregório Magno:

“Deveis saber que a palavra ‘Anjo’ designa uma função, não uma natureza. Na verdade, aqueles santos espíritos da pátria celeste são sempre espíritos, mas nem sempre se podem chamar Anjos. Só são Anjos quando exercem a função de mensageiros. Os que transmitem mensagens de menor importância chamam-se Anjos; os que transmitem mensagens de maior transcendência chamam-se Arcanjos.

3. Existem sete Arcanjos segundo a Bíblia

No livro do Tobias (12,15), São Rafael se apresenta como “um dos sete anjos que estão diante da glória do Senhor e têm acesso a sua presença”. Enquanto que no livro do Apocalipse (8,2), São João descreve: “vi os sete Anjos que estavam diante de Deus, e eles receberam sete trombetas”. Por estas duas citações bíblicas, afirma-se que são sete Arcanjos.

4. Somente conhecemos três nomes

A Bíblia somente menciona o nome de três Arcanjos: Miguel, Rafael e Gabriel. Os outros nomes (Uriel, Barachiel ou Baraquiel, Jehudiel, Saeltiel) aparecem em livros apócrifos de Enoc, o quarto livro do Esdras e em literatura rabínica. Entretanto, a Igreja somente reconhece os três nomes que estão nas Sagradas Escrituras. Os outros podem servir como referência, mas não são doutrina.

5.  Gabriel significa “a força de Deus”

No Antigo Testamento, São Gabriel Arcanjo aparece no livro sagrado de Daniel explicando ao profeta uma visão do carneiro e o cabrito (Det. 8), assim como instruindo-o nas coisas futuras (Det. 9,21-27).  Nos Evangelhos, São Lucas (1,11-20) o menciona anunciando a Zacarias o nascimento de São João Batista e à Maria (Lucas 1,26-38) que conceberia e daria a luz Jesus.

São Gabriel Arcanjo é conhecido como o “anjo mensageiro”, representado com uma vara de perfumada açucena e é padroeiro das comunicações e dos comunicadores, pois através da Anunciação trouxe ao mundo a mais bela notícia.

6. Rafael em hebreu é “Deus cura”

O único livro sagrado que menciona a São Rafael Arcanjo é o de Tobias e figura em vários capítulos. Ali se lê que Deus envia este Arcanjo para que acompanhe a Tobias em uma viagem, na qual se casou com Sara.

Da mesma maneira, São Rafael indicou a Tobias como devolver a visão ao seu pai. Por esta razão é invocado para afastar doenças e conseguir terminar bem as viagens.

7. Miguel significa “Quem como Deus”

O nome do Arcanjo Miguel vem do hebreu “Mija-El” que significa “Quem como Deus ” e que, segundo a tradição, foi o grito de guerra em defesa dos direitos de Deus quando Lúcifer se opôs aos planos salvíficos e de amor do Criador.

A Igreja Católica teve sempre uma grande devoção ao Arcanjo São Miguel, especialmente a fim de pedir-lhe que nos liberte dos ataques do demônio e dos espíritos infernais. Costuma ser representado com a roupa de guerreiro ou soldado centurião pondo seu calcanhar sobre a cabeça do inimigo.

Fonte: ACI digital



Hoje a Igreja celebra os santos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael (29 de setembro)


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Set. 16 / 05:00 am (ACI).- A Igreja celebra neste dia 29 de setembro a festa dos santos arcanjos São Miguel, São Gabriel e São Rafael, que aparecem na Bíblia com missões importantes dadas por Deus.

São Miguel em hebreu significa “Quem como Deus” e é um dos principais anjos. Seu nome era o grito de guerra dos anjos bons na batalha combatida no céu contra o inimigo e seus seguidores.

Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao Trono do Altíssimo, portanto, um dos grandes príncipes do Céu e ministro de Deus.  É chamado pelo profeta Daniel, no Antigo Testamento, de príncipe protetor dos judeus. No Novo Testamento, é citado na carta de São Judas e no Livro do Apocalipse. Aparece como protetor dos filhos de Deus e de Sua Igreja.

São Gabriel significa “Fortaleza de Deus”. Teve a missão muito importante de anunciar a Nossa Senhora que seria a Mãe do Salvador.

Segundo o profeta Daniel (IX, 21), foi Gabriel quem anunciou o tempo da vinda do Messias; quem apareceu a Zacarias “estando de pé à direita do altar do incenso” (Lucas 1, 10-19), para lhe dar a conhecer o futuro nascimento do Precursor; e, finalmente, o arcanjo como embaixador de Deus, foi enviado a Maria, em Nazaré para proclamar o mistério da Encarnação. É ele o portador de uma das orações mais populares e queridas do cristianismo, a Ave Maria.

São Rafael quer dizer “Medicina de Deus” ou “Deus obrou a saúde”. É o arcanjo amigo dos caminhantes, médico dos doentes, auxílio dos perseguidos.

No Livro de Tobias é narrado que quando Tobit, pai de Tobias e homem de grande caridade, passou pela provação da cegueira e de todos lhe questionarem a fé, juntamente quando Sara era atormentada por um demônio que matava seus maridos nas núpcias. Então, ambos rezaram a Deus e foram ouvidos; e foi Rafael que foi enviado para lhes prestar socorro.

São Rafael tomou a forma humana, se fez chamar Azarías e acompanhou Tobias em sua viagem, ajudando-o em suas dificuldades, guiando-o por todo o caminho e auxiliando-o a encontrar uma esposa da mesma linhagem. Então, o Arcanjo explicou ao jovem Tobias que poderia casar-se com Sara sem perigo algum. E, por fim, ao retornarem esclareceu como ele poderia curar o pai da cegueira. No livro de Tobias o próprio arcanjo se descreve como “um dos sete que estão na presença do Senhor”.

Para celebrar esta data, recordamos a Oração aos Santos Arcanjos:

Ajudai-nos, ó grandes santos, irmãos nossos, que sois servos como nós diante de Deus. Defendei-nos de nós mesmos, de nossa covardia e tibieza, de nosso egoísmo e de nossa ambição, de nossa inveja e desconfiança, de nossa avidez em procurar a saciedade, a boa vida e a estima.

Desatai as algemas do pecado e do apego a tudo o que passa. Desvendai os nossos olhos que nós mesmos fechamos para não precisar ver as necessidades de nosso próximos e poder, assim, ocupar-nos de nós mesmos numa tranquila autocomplacência. Colocai em nosso coração o espinho da santa ansiedade de Deus para que não deixemos de procurá-lo com ardor, contrição e amor.

Contemplai em nós o Sangue do Senhor, que Ele derramou por nossa causa.  Contemplai em nós as lágrimas de vossa Rainha, que ela derramou sobre nós.

Contemplai em nós a pobre, desbotada, arruinada imagem de Deus, comparando-a com a imagem íntegra que deveríamos ser Sua vontade e Seu amor.

Ajudai-nos a conhecer Deus, a adorá-Lo, a amá-Lo e a servir-Lhe. Ajudai-nos no combate contra os poderes das trevas que, traiçoeiramente, nos envolvem e nos afligem.

Ajudai-nos para que nenhum de nós se perca e para que, um dia, estejamos todos jubilosamente reunidos na eterna bem-aventurança. Amém.

São Miguel, assisti-nos com vossos santos anjos;

Ajudai-nos e rogai por nós.

São Rafael, assisti-nos com vossos santos anjos;

Ajudai-nos e rogai por nós.

São Gabriel, assisti-nos com vossos santos anjos;

Ajudai-nos e rogai por nós.

Fonte: ACI digital



Orando pela proteção celestial dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (29
/setembro/2016), dia dos Santos Arcanjos, o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o lema: "Vamos pedir a intercessão dos Arcanjos Miguel, Gabriel, Rafael, de nosso Anjo da Guarda e de Santa Teresinha na luta contra as forças do mal!"
Trouxe para vocês seis lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

AMADOS, O DIA DE HOJE É INTEIRAMENTE DEDICADO AOS PODEROSOS ARCANJOS DE DEUS, POR ISSO HOJE, EM FESTA, VAMOS REDOBRAR NOSSOS PEDIDOS, PARA QUE OS ARCANJOS DE DEUS: MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL, NOS BLINDEM DE TODO O MAL!

A igreja unificou a festa dos Arcanjos no dia de hoje. Esses três estão sempre próximos à Deus portando vamos orar: DEUS, QUE ENTRE TODOS OS ANJOS ESCOLHESTES ARCANJOS PARA ANUNCIAR SEUS MISTÉRIOS DE AMOR, CONCEDEI-NOS QUE AO CELEBRARMOS NA TERRA A SUA MEMÓRIA SINTAMOS A SUA PROTEÇÃO CELESTIAL. POR CRISTO NOSSO SENHOR. AMÉM! 
Chegou o momento principal de pedirmos a proteção única e poderosa dos Arcanjos de Deus. Hoje celebramos o dia destes três arcanjos poderosíssimos, Miguel, Gabriel e Rafael. Diz a palavra de Deus: Lucas, capítulo 1: “No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma Virgem, noiva de um homem, de nome José, da casa de Davi; a virgem chamava-se Maria. Entrando onde ela estava, disse-lhe o anjo: “Alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor é contigo”. Já em Tobias, capítulo 11: “Rafael disse a Tobias, antes que ele se aproximasse d o pai: “Tenho certeza de que se abrirão os olhos de teu pai. Unta-lhe os olhos com o fel do peixe; o remédio fará as manchas brancas contrair-se, e elas cairão de seus olhos como escamas. Assim teu pai vai recuperar a vista e verá a luz”. Em Apocalipse, capítulo 12: “Houve então uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão. E o Dragão lutou, junto com seus anjos, mas foram derrotados e expulsos do céu. E o enorme Dragão, a antiga serpente, o diabo ou Satanás, como é chamado, o sedutor do mundo inteiro, foi lançado sobre a terra, e seus anjos foram lançados junto com ele”. Por tudo isso hoje vamos orar para QUE OS ARCANJOS DE DEUS: MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL, NOS BLINDEM DE TODO O MAL!
 
Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los para plantar as mais belas sementes no terreno de sua inteligência."








***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Semana Nacional da Vida propõe defesa da vida em todas as fases


BRASILIA, 28 Set. 16 / 07:00 am (ACI).- A Igreja no Brasil celebra de 1º a 7 de outubro a Semana Nacional da Vida, culminando no Dia do Nascituro, 8 de outubro. Trata-se, segundo o presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom João Bosco Barbosa de Sousa, de momento propício não só para celebração, mas também para reassumir o compromisso de defesa da vida em todas as suas fases.

De acordo com Dom João Bosco, a vida, dom de Deus, “é muitas vezes desvalorizada, desrespeitada, não é suficientemente bem cuidada como devia ser, como um presente de Deus”.

Nesse sentido, assinalou ao site da CNBB que “celebramos a Semana da Vida primeiro como uma grande ação de graças a Deus pela vida que nós recebemos, pela nossa vida pessoal, das pessoas que nós amamos e todas as pessoas do mundo e do mundo em que nós vivemos”.

Outra motivação para esta semana é “lembrar certos compromissos que nós temos com a vida para que ela seja cada vez mais desenvolvida, mais viva e também compartilhada por todas as pessoas”.

A Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascitura foram instituídos em 2005, pela 43ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. Além da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, a iniciativa é promovida também pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar.

O objetivo é propor à sociedade o debate sobre os cuidados, proteção e a dignidade da vida humana, em todas as suas fases, desde a concepção até o seu fim natural.

Conforme ressaltou Dom João Bosco, o nascituro “merece todo nosso carinho de ser acolhido no nosso mundo com todas as condições de se desenvolver e se tornar uma pessoa humana”.

O presidente da Comissão para a Vida e a Família ressaltou ainda que a vida, antes de nascer, é muitas vezes agredida, não só pelo aborto, “que é um crime, um atentado contra o Deus da vida”, mas também pela ausência dos cuidados que a mãe deve ter e receber durante a gestação.

“E assim – expressou o Prelado – a gente celebre o dia do nascituro com uma esperança que não haja ninguém que venha ao mundo sem ser devidamente preparado, querido e amado. É o que a gente espera do dia do nascituro”.

Hora da vida

Para a celebração da Semana Nacional da Vida, a Comissão Vida e Família e a Pastoral Familiar preparam anualmente o subsídio “Hora da Vida, com conteúdos para reflexão, orações e informações relacionadas à vida e à sociedade.

Com o tema “Vida e Sociedade” para a Semana Nacional da Vida, o material aborda variados assuntos, tais como: “A vida humana: dom para a família e a sociedade”; “A ideologia de gênero e a negação da criação como dom de Deus”; “A via política – caminho para promover e defender a vida”; “Os cristãos e o compromisso com a vida” e “Juntos pela vida”.

“Esses temas são tratados de forma muito clara e didática, simples de entender, mas, ao mesmo tempo, profundos em seu conteúdo. Por isso, recomendo às nossas comunidades, à Pastoral Familiar que tenham em mão esse livro”, motivou Dom Bosco.

O livro traz ainda uma proposta de Vigília Eucarística em favor da vida e uma Oração do Jovem.

Fonte: ACI digital


CNBB emite nota sobre ação no STF que inclui a questão do aborto

Redação A12, 22 de Setembro de 2016

O Conselho Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu nesta quarta-feira (21), Nota Oficial para manifestar a posição do episcopado com relação a Ação Direta de Inconstitucionalidade-ADI 5581 que tramita no Supremo Tribunal Federal-STF. Essa ADI questiona a lei 13.301/2016 que trata da adoção de medidas de vigilância em saúde, relativas ao vírus da dengue, chikungunya e zika.

Os bispos concordam que é urgente “que o Governo implemente políticas públicas para enfrentar efetivamente o vírus da zika, como, por exemplo, um eficiente diagnóstico e acompanhamento na rede pública de saúde”. No entanto, consideram estranho e indigno que se introduza nesse contexto da ADI a questão do aborto: “É uma incoerência que ela defenda os direitos da criança afetada pela síndrome congênita e, ao mesmo tempo, elimine seu direito de nascer”.

Intitulada "Em defesa da integridade da vida", a Nota da CNBB destaca a posição tradicional da Igreja sobre o aborto e traz uma denúncia sobre os interesses de grupos que que se aproveitam para colocar a questão do aborto no contexto do debate da ADI. Leia abaixo na íntegra:


NOTA DA CNBB EM DEFESA DA INTEGRIDADE DA VIDA

“ Escolhe, pois, a vida, para que vivas. ” (Dt 30,19b)

O Conselho Episcopal Pastoral – CONSEP, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, nos dias 20 e 21 de setembro de 2016, vem manifestar sua posição com relação a Ação Direta de Inconstitucionalidade-ADI 5581 que tramita no Supremo Tribunal Federal-STF. Essa ADI questiona a lei 13.301/2016 que trata da adoção de medidas de vigilância em saúde, relativas ao vírus da dengue, chikungunya e zika.

Urge, de fato, como pede a ADI, que o Governo implemente políticas públicas para enfrentar efetivamente o vírus da zika, como, por exemplo, um eficiente diagnóstico e acompanhamento na rede pública de saúde. Além disso, seja estendido por toda a vida o benefício para criança com microcefalia e não por apenas três anos, como estabelece o artigo 18 da lei 13.301/2016. Ao contrário do que prevê o parágrafo segundo desse artigo, o benefício seja concedido imediatamente ao nascimento da criança e não após a cessação do salário maternidade.

Causa-nos estranheza e indignação a introdução do aborto na ADI. É uma incoerência que ela defenda os direitos da criança afetada pela síndrome congênita e, ao mesmo tempo, elimine seu direito de nascer. Nenhuma deficiência, por mais grave que seja, diminui o valor e a dignidade da vida humana e justifica o aborto. “Merecem grande admiração as famílias que enfrentam com amor a difícil prova de um filho com deficiência. Elas dão à Igreja e à sociedade um precioso testemunho de fidelidade ao dom da vida” (Papa Francisco, Amoris Laetitia, 47).

Repudiamos o aborto e quaisquer iniciativas que atentam contra a vida, particularmente, as que se aproveitam das situações de fragilidade que atingem as famílias. São atitudes que utilizam os mais vulneráveis para colocar em prática interesses de grupos que mostram desprezo pela integridade da vida humana.

As paralimpíadas trouxeram uma lição a ser assimilada por todos. O sentimento humano que brota da realidade dos atletas paralímpicos, particularmente das crianças que participaram das cerimônias festivas, nasce da certeza de que a humanidade se revela ainda mais na fragilidade.

Solidarizamo-nos com as famílias que convivem com a realidade da microcefalia e pedimos às nossas comunidades que lhes ofereçam acolhida e apoio. Rogamos a proteção de Nossa Senhora, Mãe de Jesus, para todos os brasileiros e brasileiras.

Dom Sergio da Rocha

Arcebispo de Brasília

Presidente da CNBB



Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger

Arcebispo de São Salvador da Bahia

Vice-Presidente da CNBB



Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB



Orando com os Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael contra tudo que não vem de Deus e que possa nos prejudicar-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (28
/setembro/2016), o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o lema: "Vamos pedir a intercessão dos Arcanjos Miguel, Gabriel, Rafael, de nosso Anjo da Guarda e de Santa Teresinha na luta contra as forças do mal!"
Trouxe para vocês seis lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, uma abençoada semana no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

AMADOS, ESTA SEMANA ESTAMOS EM BATALHA! UMA LUTA DA FÉ CONTRA TUDO QUE NÃO VEM DE DEUS E QUE POSSA NOS PREJUDICAR, POR ISSO VAMOS COLOCAR NOSSA PRINCIPAL ARMA EM AÇÃO, A ORAÇÃO FEITA DO CORAÇÃO, PARA QUE OS ARCANJOS DE DEUS E O NOSSO ANJO DA GUARDA NOS BLINDEM DE TODO O MAL!

Os Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel representam a alta hierarquia dos anjos-chefes e juntamente com o nosso Anjo da Guarda, formam a Tropa de Elite Divina que está a postos para nos defender dos perigos, por isso oremos PARA QUE TODAS AS FORÇAS DE DEUS NOS PROTEJAM DE TODO O MAL! 
A inveja, é um dos piores sentimentos nutridos pelos seres humanos. Nesta semana de batalha contra os malefícios que não vem de Deus, vamos hoje convocar nossa tropa de elite para nos blindar contra o terrível mau da inveja! A igreja unificou a festa dos Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel neste mês de setembro. Estes são considerados os três arcanjos mais importantes da história das religiões. Estes três arcanjos são grandes intercessores dos eleitos ao trono do Altíssimo. Sempre quando nos deparamos com obstáculos e adversidades, estes arcanjos estão à postos para nos defender e nos manter no caminho correto, o caminho de Deus. Além dos arcanjos, lembrando o Santo Padre Pio, estamos orando também com o nosso Anjo da Guarda. É necessário que estejamos conectados profundamente com Deus, para que possamos sentir a presença do nosso Anjo da Guarda. Eles nos aconselham e cuidam de nossos passos. Por isso nesta semana vamos pegar firmes em nossas orações, PARA QUE A UNIÃO DOS ALIADOS DE DEUS NOS LIVRE DE TODA A INVEJA!
 
Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Existe uma coisa pior que o inimigo: o invejoso. Porque o invejoso não quer o que você tem, ele quer o que é seu."









***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




terça-feira, 27 de setembro de 2016

Papa Francisco: rezar com força para vencer a desolação espiritual

Cidade do Vaticano (RV) 27/09/2016 10:52 - O que acontece em nosso coração quando somos tomados por uma ‘desolação espiritual?’ Foi a pergunta feita por Francisco na missa desta manhã na Casa Santa Marta, centralizada no personagem de Jó. O Papa acentuou a importância do silêncio e da oração para vencer os momentos mais sombrios. Neste dia de São Vicente de Paulo, o Papa ofereceu sua missa às Irmãs Vicentinas, as Filhas da Caridade, que trabalham na Casa Santa Marta. 

“Jó estava com problemas: havia perdido tudo”. A partir desta leitura, que apresenta Jó despojado de todos os seus bens, inclusive seus filhos, o Papa desenvolveu a homilia. “Jó se sente perdido, mas não maldiz o Senhor”.

Todos, cedo ou tarde, vivemos uma grande desolação espiritual

Jó vive uma grande ‘desolação espiritual’ e desafoga com Deus. É o desabafo de ‘um filho diante de seu pai’. O mesmo o faz o profeta Jeremias, que desabafa com o Senhor, mas sem blasfemar:

“A desolação espiritual é uma coisa que acontece com todos nós: pode ser mais forte ou mais fraca... mas é uma condição da alma obscura, sem esperança, desconfiada, sem vontade de viver, que não vê a luz no fim do túnel, que tem agitação no coração e nas ideias... A desolação espiritual nos faz sentir como se nossa alma fosse ‘achatada’: quando não consegue, não quer viver: ‘A morte é melhor!’ desabafa Jó. Melhor morrer do que viver assim'. E nós devemos entender quando nosso espírito está neste estado de tristeza geral, quando ficamos quase sem respiro. Acontece com todos nós, e temos que compreender o que se passa em nosso coração”.

Esta, acrescentou o Papa, “é a pergunta que devemos nos por: ‘O que se deve fazer quando vivemos estes momentos escuros, por uma tragédia familiar, por uma doença, por alguma coisa que me leva ‘prá baixo’. Alguns pensam em engolir um comprimido para dormir e tomar distância dos fatos, ou beber ‘dois, três, quatro’ golinhos’... “Isto não ajuda. A liturgia de hoje nos mostra como lidar com a desolação espiritual, quando ficamos mornos, prá baixo, sem esperança”.

Quando nos sentimos perdidos, rezar com insistência

No Salmo responsorial 87 está a resposta: “Chegue a ti a minha prece, Senhor”. É preciso rezar – disse o Papa – rezar com força, como disse Jó: gritar dia e noite até que Deus escute:

“É uma oração de bater na porta, mas com força! “Senhor, eu estou cheio de desventuras. A minha vida está à beira do inferno. Estou entre aqueles que descem à fossa, sou como um homem sem forças’. Quantas vezes nós sentimos assim, sem forças... E esta é a oração.  O Senhor mesmo nos ensina como rezar nestes momentos difíceis. 'Senhor, me lançaste na fossa mais profunda. Pesa sobre mim a Tua cólera. Chegue a Ti a minha oração’. Esta é a oração: assim devemos rezar nos piores momentos, nos momentos mais escuros, mais desolados, mais esmagados, que nos esmagam mesmo. Isto é a rezar com autenticidade. E também desabafar como desabafou Jó com os filhos. Como um filho”.

O Livro de Jó, em seguida, fala do silêncio dos amigos. Diante de uma pessoa que sofre, disse o Papa, “as palavras podem ferir”. O que conta é estar perto, fazer sentir a proximidade, “mas não fazer discursos”.

Silêncio, oração e presença, por isso realmente ajuda aqueles que sofrem

“Quando uma pessoa sofre, quando uma pessoa se encontra na desolação espiritual – continuou o Papa -, você tem que falar o mínimo possível e você tem que ajudar com o silêncio, a proximidade, as carícias, com a sua oração diante do Pai":

“Em primeiro lugar, reconhecer em nós os momentos de desolação espiritual, quando estamos no escuro, sem esperança, e nos perguntar por quê? Em segundo lugar, rezar ao Senhor, como na liturgia de hoje, com este Salmo 87 que nos ensina a rezar, no momento de escuridão. 'Chegue a Ti a minha oração, Senhor'. E em terceiro lugar, quando me aproximo de uma pessoa que sofre, seja por doenças, seja por qualquer sofrimento, mas que está na desolação completa, silêncio; mas silêncio com tanto amor, proximidade, ternura. E não fazer discursos que, depois, não ajudam e, também, lhe fazer mal”.

"Rezemos ao Senhor - concluiu Francisco –, para que nos conceda essas três graças: a graça de reconhecer a desolação espiritual, a graça de rezar quando estivermos submetidos a este estado de desolação espiritual, e também a graça de saber acolher as pessoas que passam por momentos difíceis de tristeza e de desolação espiritual”. (SP)

Fonte: Radio Vaticano



Pela primeira vez, brasileiros se unem à campanha internacional 40 Dias pela Vida


SÃO PAULO, 27 Set. 16 / 05:00 pm (ACI).- O Brasil acolhe neste ano, pela primeira vez, a iniciativa “40 Dias pela Vida”, que promoverá 12 horas diárias de vigília, oração, jejum e informação em frente a um hospital de referência para o aborto pós-estupro e de anencéfalos, em São Paulo (SP).

A campanha internacional “40 Days for Life” acontece de 28 de setembro a 6 de novembro em 37 países, estando presente em 636 cidades, reunindo mais de 700 mil pessoas ao redor do mundo, em defesa da vida.

No Brasil, a iniciativa será diariamente, das 9h às 21h, na Praça Pérola Byington, no bairro Bela Vista, na capital paulista, em frente ao Hospital Pérola Byington, considerado referência no que diz respeito à saúde da mulher, no que incluem o aborto nos casos em que a prática é despenalizada no país, isto é, quando a mulher é vítima de estupro, quando há risco de morte para a mãe em se o feto apresenta anencefalia.

Conforme explicam em seu site oficial, a iniciativa tem como missão “reunir o corpo de Cristo em um espírito de unidade durante uma campanha de 40 dias de oração, jejum e ativismo pacífico, com o objetivo de arrependimento, buscar o favor de Deus e para transformar corações e mentes de uma cultura da morte à cultura da vida, trazendo assim um fim ao aborto”.

Esta campanha foi realizada pela primeira vez em 2004 no Texas, Estados Unidos. Desde então, diversas cidades se somaram à iniciativa que já salvou mais de 11 mil crianças do aborto.

Além disso, segundo os organizadores, por meio da oração e jejum em defesa da vida, já alcançaram o fechamento de 73 clínicas de aborto e 133 pessoas envolvidas nesse negócio financeiro deixaram seus postos, buscando outra atividade.

Para participar dessa grande vigília, é possível acessar o site
(40daysforlife.com/local-campaigns/sao-paulo/) e escolher um horário.

Fonte: ACI digital
 
https://youtu.be/bW2O8M0Yz0g 
 



São Vicente de Paulo: padroeiro das obras de caridade (27 de setembro)


São Vicente de Paulo nasceu em 24 de abril do ano 1581, em Pouy, no sul da França e foi batizado no mesmo dia. Faleceu no dia 27 de setembro de 1660, em Paris. Neste século XVII, São Vicente participou ativamente na Reforma Católica ocorrida na França.

Vicente foi o terceiro filho de Jean de Paul e Bertrande de Moras. Seus pais eram camponeses de fé firme e vigorosa. A própria mãe deu educação religiosa aos seis filhos.

São Vicente de Paulo, o Padre Vicente

Vicente se destacava pela sua inteligência e pelo zelo religioso. Começou a estudar na cidade de Dax, onde mais tarde, foi professor. Estudou teologia na Universidade de Toulouse. Sua ordenação sacerdotal, com apenas dezenove anos, foi no dia 23 de setembro de 1600. Nessa época ele passou por uma forte provação: uma senhora viúva que gostava de ouvi-lo pregar, sabendo que ele era uma pessoa pobre, deixou sua herança para ele, uma propriedade e uma quantia em dinheiro, que estava em posse de um comerciante na cidade de Marselha. O Padre Vicente vai até lá para receber esta herança com a intenção de distribui-la para os pobres.

Grande reviravolta na vida de São Vicente de Paulo

Ao retornar de Marselha, o navio em que ele viajava sofreu um ataque de piratas turcos. Pe. Vicente tornou-se prisioneiro e foi vendido em Túnis como escravo. Depois, foi vendido a outro homem que, ao morrer, o deixou como escravo herança a um sobrinho fazendeiro. Este tinha sido católico, mas, por medo da perseguição, tornara-se muçulmano.

O escravo volta à liberdade

Uma das três esposas deste fazendeiro ficou encantada com as músicas que Pe. Vicente cantava ao rezar e quis saber o significado daquilo. Ao ser evangelizada por Pe. Vicente, a mulher chamou a atenção do marido dizendo que ele não poderia ter abandonado aquela religião tão linda e séria. O patrão se arrependeu e se converteu. Meses depois, o homem foi com Padre Vicente até à França. Foram escondidos dos muçulmanos, em 1607. Chegando a Avignon encontraram o Vice-Legado do Papa e Vicente recebeu de volta suas credenciais de sacerdote. Seu ex-dono retornou à Igreja Católica, foi admitido num mosteiro e se tornou monge.

São Vicente de Paulo, um homem dos pobres

Em Roma, Pe. Vicente frequentou a universidade e se formou em Direito Canônico. Foi nomeado Capelão da Rainha Margarida de Valois, a rainha Margot, pelo rei Henrique IV. Ele fazia a distribuição das esmolas dadas aos pobres e visitava os doentes no hospital. Padre Vicente cumpria sua missão de sacerdote com tanto amor e zelo, que todos já o tinham como santo. Para o Padre Vicente, cada doente e cada pessoa, por mais miserável, era a própria pessoa de Jesus Cristo e tinha que ser tratada como tal. O Cardeal Pierre de Bérulle, Bispo de Paris, nomeou Vicente de Paulo como vigário de Clichy, um bairro da cidade.

Legado para a humanidade de São Vicente de Paulo

São Vicente fundou a Confraria do Rosário, que se dedicava a visitar e cuidar dos doentes. Por isso, ele se tornou Capelão Geral e Real da França. Depois, ele fundou a Congregação da Missão, dos Padres Lazaristas, que trabalhava para evangelizar os camponeses.

Num apelo feito pelo Pe. Vicente em Châtillon nasceu a Confraria da Caridade, conhecido também como o movimento das Senhoras da Caridade. A primeira religiosa foi uma camponesa, Ir. Margarida Nasseau, que teve orientação de Santa Luísa de Marillac. Depois, oficializou a Confraria das Irmãs da Caridade, atualmente conhecidas como Filhas da Caridade.

Organizador da caridade

Inspirado por seu amor a Deus e aos pobres, Vicente de Paulo organizou muitas obras de caridade, doando-se inteiramente aos irmãos mais necessitados. Ele é considerado o pai dos pobres e também causou muitas mudanças no clero. As Conferências Vicentinas que conhecemos na atualidade tiveram início com Antônio Frederico Ozanam e seus companheiros, no ano de 1833. Essas conferências foram inspiradas por São Vicente de Paulo, e hoje estão espalhadas pelo mundo inteiro. São Vicente estipulou regras e condutas para as visitas aos pobres e doentes, visando à discrição, ao respeito para com os necessitados sem humilhá-los em hipótese alguma, mas, sim, ao contrário, fazendo-se igual a eles.

Devoção a São Vicente de Paulo

Para São Francisco de Sales, Vicente de Paulo era o sacerdote mais santo da época. Ele faleceu e foi sepultado na capela da Igreja de São Lázaro, na cidade de Paris. Sua canonização aconteceu em junho de 1737. Em maio de 1885 o Papa Leão XIII o declara patrono das obras de caridade da Igreja Católica Apostólica Romana.

Corpo incorrupto

52 anos após a sua morte, seu corpo foi exumado e encontrado incorrupto. Foram testemunhas do fenômeno, dois médicos, autoridades da Igreja e algumas pessoas. Para os dois médicos é impossível este tipo de preservação do corpo ocorrer naturalmente. Seu corpo está exposto na Capela de São Vicente de Paulo, em Paris, aberto à visitação. Seu coração está conservado em um relicário na Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

Oração a São Vicente de Paulo

São Vicente, que tanto vos compadecestes dos pobres, eu vos peço, olhai para mim! Sou Pobre, mas tenho fé! Há gente mais pobre do que eu: são aqueles que não tem fé; porque esses têm a alma vazia. São Vicente, conservai minha riqueza, que é a fé; mas eu vos peço, aliviai também minha pobreza. Ajudai-me a adquirir ao menos o necessário para me alimentar bem, para me vestir honestamente e comprar os remédios que me conservam a saúde e as forças necessárias par afazer os meus trabalhos e cumprir as minhas obrigações e assim poder ser útil à minha família e a todos os que precisarem de minha ajuda. Amém.

Oração a São Vicente de Paulo 2

Glorioso São Vicente, celeste padroeiro de todas as associações de caridade e pai de todos os infelizes; alcançai do Senhor socorro para os pobres, auxilio aos enfermos, consolação aos aflitos, proteção aos desamparados, conversão aos pecadores, zelo aos sacerdotes, paz à Igreja, tranquilidade aos povos e a todos Salvação. Amém

Fonte: Cruz Terra Santa



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé