Agosto 2016 - Devoção e Fé - Blog Católico

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Agradeço a Deus pelo dom da vida. Hoje é o meu aniversário!



Boa noite irmãos e irmãs de fé. Paz e Bem!

Hoje é o dia do meu aniversário e louvo a Deus por me conceder completar mais um ano de vida com saude e paz no coração!

Eu tenho muito a agradecer: Obrigada por tudo meu Senhor, obrigada pela cura da minha coluna! Obrigada pelo presente que é a vida de meu marido, ele que têm passado por muitas lutas na área da saúde; obrigada Pai pelo abençoado marido que o Senhor me deu, eu creio na cura completa dele!

Obrigada por minha abençoada mãe e companheira, amiga de todas as horas. Obrigada por meu pai, eu peço Senhor, ilumine a cabeça dele para que ele nunca me esqueça. O Senhor é o Médico dos médicos!

Obrigada por todas as bênçãos e também as lutas deste ano que passou, foram aprendizados às vezes doloridos mas necessários, afinal nosso Pai Eterno sabe o que é melhor para seus filhos.

Obrigada também por ter me iluminado para criar meu Blog de Ponto Cruz e este abençoado Blog Católico, fonte de evangelização, de aprendizado e de muitas alegrias para mim! Eu louvo e dou glórias a Ti Senhor.

Enfim, peço que Deus continue nos abençoando e que Nossa amada Mãezinha do Céu nos cubra eternamente com seu manto de amor! Amém.

Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Agradeço a Deus pelo dom da vida 

Meu Deus, sei que com muita frequência as pessoas procuram-Te para pedir ajuda e bênçãos, mas hoje eu procuro para agradecer!

Agradeço ao Senhor por todas as coisas boas e ruins que me aconteceram na vida, pois sei que se Deus grande colocou obstáculos em minha vida, é porque confiou que eu podia ultrapassá-los e adquirir sabedoria com eles.

Deus, agradeço pelas bênçãos que tens me dado, agradeço pela minha saúde e pela saúde das pessoas que amo, e pela proteção que recebemos diariamente dos Teus anjos.

Agradeço por encontrar em meu caminho algumas portas abertas, e ainda que em momentos de revolta não entenda porque outras portas se fecharam, compreendo que o Senhor sabe o que é melhor para mim.

Meu Deus generoso, agradeço pelas lições que tenho aprendido ao longo da minha vida, mesmo que algumas delas me tenham trazido sofrimento. Hoje tenho humildade para aceitar os desígnios do Senhor e mais sabedoria para tentar aprender com a dor.

Hoje sou uma pessoa melhor, mais compreensiva e forte. Hoje tenho maturidade para me reconciliar com os meus erros e defeitos, e discernimento para entender as linhas que o Senhor traçou para a minha vida.

Meu Deus, peço que continues a me abençoar e a me proteger com as Tuas mãos poderosas, e agradeço por confiares a mim o dom da vida e me comprometo a buscar a paz, a bondade e a felicidade! Amém!

(Anônimo)





Orando pela cura e libertação familiar para profunda limpeza de nossas almas e nossas raízes-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (31/agosto/2016) o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o novo lema: 
"Semana de orações de cura e libertação familiar, em que nós e nossos lares serviremos ao Senhor!"
Trouxe para vocês seis
 lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

"TUDO QUANTO FIZERDES, FAZEI-O DE TODO O CORAÇÃO, COMO PARA O SENHOR E NÃO PARA HOMENS, CIENTES DE QUE RECEBEREIS DO SENHOR A RECOMPENSA DA HERANÇA. A CRISTO, O SENHOR, É QUE ESTAIS SERVINDO" COLOSSENSES, 3:23-24, POR ISSO ESTA SERÁ A SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

Durante a caminhada da vida, alguns desentendimentos vão deixando mágoas, feridas que muitas vezes não são curadas corretamente, por isso vamos orar na SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES SERVIREMOS AO SENHOR!
Estamos realizando uma semana de profunda limpeza de nossas almas e nossas raízes, afim de curar qualquer ressentimento que possa existir entre as diferentes gerações que compõem a história da minha família. Muitas vezes, entendemos o “servir” como algo sacrificante, pesado e difícil. É como se uma obrigação nos custasse tempo, esforço e dificuldades. Porém, quando mergulhamos profundamente nas palavras e ensinamentos de Cristo, notamos que servir pode ser algo bem diferente. Um sentido de superação, de sabedoria e de conforto. Jesus serviu por inúmeras vezes, mostrando que a servidão pode ser um ato de benefício amplo para quem é servido e também para quem serve. Diz a Bíblia Sagrada: “Quem quiser ser grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo. Tal como o Filho do Homem que não veio para ser servido, mas para servir”. Quando servimos à Deus, mágoas e ressentimentos estarão bem longe de nossas vidas, por isso vamos clamar pelo poder de Deus, nesta SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Enquanto o inimigo tenta fazer crochê em nossas mentes e nos deixar confusos. DEUS VAI TECENDO O SEU AMOR EM NOSSAS VIDAS."








***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




Sabia que Madre Teresa teve visões de Jesus?


Por Hannah Brockhaus

ROMA, 30 Ago. 16 / 11:30 am (ACI).- A Madre Teresa dialogou e teve visões de Jesus antes de fundar as Missionárias da Caridade, algo que não se soube até a sua morte, um fato que também era ignorado por um dos seus amigos durante 30 anos, o Pe. Sebastian Vazhakala.

Em diálogo com o Grupo ACI, o sacerdote missionário da caridade explicou que isto “foi uma grande descoberta”.

Em 1997, dois anos depois de sua morte, foi aberta a causa de canonização da religiosa e foram encontrados diversos documentos nos quais foram relatadas estas locuções e visões que a Madre Teresa teve há muitos anos.

O período desta profunda experiência foi entre o dia 10 de setembro de 1946 e 3 de dezembro de 1947, quando a Beata ainda permanecia na congregação das Irmãs de Loreto.

A Madre Teresa escreveu que um dia, durante a Comunhão, escutou Jesus dizer: “Quero religiosas indianas, vítimas do Meu amor, que sejam Marta e Maria. Que estejam tão unidas a mim que irradiem Meu amor às almas”.

Nestas locuções o Senhor instruiu a Madre Teresa para que fundasse as Missionárias da Caridade. Outra coisa que Jesus lhe disse foi: “Venha, seja Minha luz”, que além disso é o título do livro que o postulador da causa de canonização, Pe. Brian Kolodiejchuk, publicou com as cartas privadas da Beata.

Em outra visão, Jesus Cristo disse a Madre Teresa que na nova congregação devia haver “freiras livres cobertas com a Minha pobreza da Cruz. Quero freiras obedientes cobertas com a minha obediência na cruz. Quero freiras cheias de amor cobertas com a minha caridade na Cruz”, explica o Pe. Vazhakala.

Depois desta época intensa de visões e locuções do Senhor, em 1949, a Madre Teresa começou a experimentar uma “terrível escuridão e secura” em sua vida espiritual, uma etapa que duraria 50 anos, quase até o final da sua vida terrena, um período que na vida de fé é chamado de “noite escura”.

Há alguns anos, em uma entrevista concedida a um meio de comunicação espanhol, o Pe. Brian Kolodiejchuk explicou que a “noite escura” é um momento “da vida espiritual no qual a pessoa é purificada antes da união íntima e transformante com Cristo”.

““O que entendemos por noite escura foi vivido pela beata quando ainda estava em Loreto, a congregação religiosa onde começou sua entrega a Deus. Os anos 1946-1947 foram de íntima união gozosa e doce com Jesus. ‘Jesus se deu a mim’, diz a Madre em uma das suas cartas. A união da Madre com Jesus foi meio ‘violenta’, profundamente sentida e vivida. Em seguida, ao iniciar a obra com os pobres e a fundação da congregação, veio essa nova e prolongada escuridão, que já não era preparatória de outra etapa espiritual. Esta escuridão ela relata nas cartas aos seus confessores e diretores espirituais”.

“Em 1942, a Madre fez um voto de não negar nunca nada a Jesus. Pouco depois foi quando ouviu que Jesus lhe dizia: ‘Venha, seja Minha luz’. No princípio a Madre levava a ‘luz’ a lugares inclusive de absoluta escuridão física: muitos pobres não tinham nem janelas. Aceitou sua escuridão interior para levar a luz a outros. O jesuíta Neuner (um de seus confessores) em 1962 explicou que essa escura noite era o ‘lado espiritual de seu trabalho apostólico’”, explicou o Pe. Kolodiejchuk.

No recente diálogo do Pe. Vazhakala com o Grupo ACI, o sacerdote recorda que a Madre Teresa dizia: “se minha escuridão e secura pode ser uma luz para algumas almas, me deixem ser a primeira a fazer isso. Se minha vida, meu sofrimento, vai ajudar a salvar almas, então prefiro sofrer e morrer desde a criação do mundo até o fim dos tempos”.

O sacerdote recorda que a religiosa também dizia: “quando eu morrer e for para a casa com Deus, poderei levar mais almas a Ele”.

“Não vou dormir no céu, vou trabalhar mais ainda de outra forma”, afirmava.

Fonte: ACI digital


Assim foi o dia “mais feliz” da vida da Madre Teresa de Calcutá 

Foto: São João Paulo II e Madre Teresa na Cidade do Vaticano (1983) / L’Osservatore

Romano Vaticano, 29 Ago. 16 / 05:00 pm (ACI).- Dizem que os Santos frequentemente “vêm de dois em dois” como nos casos da Virgem Maria e de São José, São Pedro e São Paulo, São Francisco e Santa Clara ou os franceses São Luis e Santa Zélia Martin.

Possivelmente a dupla de Santos e amigos contemporânea mais conhecida é Madre Teresa de Calcutá e São João Paulo II, cujos caminhos se cruzaram muitas vezes no período em que a religiosa foi Superiora das Missionárias da Caridade e João Paulo II era Bispo de Roma.

Em 1986, quando o Papa visitou a casa da Madre Teresa no coração dos bairros pobres de Calcutá, a Beata chamou esta ocasião como “o dia mais feliz de minha vida”.

Depois da chegada do Santo Padre ao local, a Madre Teresa subiu ao papamóvel branco e beijou seu anel, conhecido como o anel do pescador. Em seguida, o Pontífice beijou a testa da Beata, uma saudação que realizavam a cada encontro.

Depois de uma calorosa boas-vindas, a Madre Teresa levou João Paulo II ao seu lar Nirmal Hriday (Sagrado Coração), que era um asilo para doentes, indigentes e moribundos, fundado na década de 1950.

O material fotográfico da visita mostra a religiosa levando o Papa pela mão a vários cômodos do asilo enquanto parava para abraçar, abençoar e saudar os pacientes. Também abençoou quatro cadáveres, entre eles o de uma criança.

De acordo com relatórios da visita proporcionados pela BBC, o Papa Wojtyla estava “visivelmente emocionado” durante o percurso, enquanto ajudava as irmãs a alimentar e cuidar de doentes e moribundos. Em alguns momentos, o Santo Padre ficou tão surpreso pelo que via que não tinha palavras para responder a Madre Teresa.

Depois, o então Bispo de Roma pronunciou um breve discurso fora do asilo, chamando o lar Nirmal Hriday de “um lugar que dá testemunho da primazia do amor”.

“Quando Jesus Cristo ensinava os seus discípulos como podiam mostrar melhor seu amor por Ele, disse: ‘Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes’. Através da Madre Teresa e das Missionárias da Caridade e através de muitos outros que serviram aqui, Jesus amou profundamente as pessoas que a sociedade considera frequentemente ‘os nossos irmãos menores’”, comentou.

“Nirmal Hriday proclama a profunda dignidade de toda pessoa humana. A ternura que vemos aqui testemunha a certeza de que o valor de um ser humano não se mede pela sua utilidade, com a saúde ou a doença, com a idade, credo ou raça. Nossa dignidade humana vem de Deus, nosso criador, a cuja imagem fomos criados. Nenhuma privação ou sofrimento nunca podem nos tirar essa dignidade, porque sempre somos valiosos aos olhos do Senhor”, acrescentou o Pontífice.

Depois do seu discurso, o Papa saudou a multidão reunida, fazendo uma parada especial para saudar as sorridentes e cantoras irmãs Missionárias da Caridade.

Além de chamar aquela visita de “o dia mais feliz” de sua vida, a Madre Teresa afirmou que “é uma coisa maravilhosa para o povo, porque seu contato é o contato do próprio Cristo”. Ambos os Santos continuaram sendo amigos próximos e se visitaram várias vezes ao longo dos anos.

Após a morte da Madre Teresa em 1997, São João Paulo II decidiu não esperar o período de cinco anos para abrir a causa da canonização da religiosa. Em sua beatificação em 2003, o Pontífice polonês elogiou o amor da Madre Teresa a Deus, demostrado através do seu amor aos pobres.

“Veneremos esta pequena mulher apaixonada por Deus, humilde mensageira do Evangelho e infatigável benfeitora da humanidade. Honremos nela uma das personalidades mais relevantes de nossa época. Acolhamos sua mensagem e sigamos seu exemplo”, ressaltou.

Fonte: ACI digital



terça-feira, 30 de agosto de 2016

Orando pela cura e libertação familiar para ficamos longe de conflitos e desavenças-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (30/agosto/2016) o Padre Marcelo Rossi continuou a semana de orações com o novo lema: 
"Semana de orações de cura e libertação familiar, em que nós e nossos lares serviremos ao Senhor!"
Trouxe para vocês seis
 lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

AMADOS, NÃO É DIFÍCIL SERVIR À DEUS, PELO CONTRÁRIO, É SIMPLESMENTE TOMAR COMO LIÇÃO SUAS ATITUDES E SUAS PALAVRAS E SEUS ENSINAMENTOS, POR ISSO ESTA SERÁ A SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

“Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E se me servir, o pai o honrará.” Estas palavras estão no evangelho de João, Capítulo 12, versículo 26, e com elas vamos buscar uma cura total de nossa relação familiar na  SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES SERVIREMOS AO SENHOR!
Nesta semana estaremos transformando toda a nossa existência, a partir do momento em que vamos nos colocar totalmente à serviço de nosso Senhor Jesus. Servir à Deus significa agirmos de acordo com a vontade Dele, a ponto de que sua presença em nossas vidas ganhe a importância suprema e absoluta. Você sabia que servir à Deus ajuda você e toda sua família a enfrentar os desafios de maneira mais confiante. Além de automaticamente, trazer a paz de Deus para sua casa, pois quando servimos à Deus ficamos longe de conflitos e desavenças. Por isso venha conosco orar na SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Não importa quanto você andou para trás, mas o quanto andará para frente."









***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Hoje é celebrado o Martírio de São João Batista, decapitado por anunciar a Verdade (29 de agosto)


REDAÇÃO CENTRAL, 29 Ago. 16 / 05:00 am (ACI).- “Na verdade, vos digo, dentre os nascidos de mulher, nenhum foi maior que João Batista”. Assim se referiu Jesus Cristo ao seu primo, o qual morreu decapitado por anunciar a Verdade. Este fato é recordado neste dia 29 de agosto, quando a Igreja Católica celebra o Martírio de São João Batista.

Em sua audiência geral de 29 de agosto de 2012, Papa Bento XVI destacou que João Batista é o único santo na Igreja – além do próprio Jesus Cristo e da Virgem Maria – do qual se celebra tanto o nascimento (24 de junho), como a sua morte, ocorrida através do martírio.

Mas esta memória “remonta à dedicação de uma cripta de Sebaste, em Samaria onde, já em meados do século IV, se venerava a sua cabeça. Depois, o culto se estendeu a Jerusalém, às Igrejas do Oriente e a Roma, com o título de Degolação de São João Batista”, explicou.

O Papa Ratzinger acrescentou que “no Martirológio romano faz-se referência a uma segunda descoberta da preciosa relíquia, transportada naquela ocasião para a igreja de São Silvestre no Campo de Marte, em Roma. Estas breves referências históricas ajudam-nos a compreender como é antiga e profunda a veneração de São João Batista”.

Sobre São João Batista há narrações nos Evangelhos, em particular de Lucas, que fala de seu nascimento, vida no deserto, pregação, e de Marcos, que menciona sua morte.

Pelo Evangelho e pela tradição é possível reconstruir a vida do Precursor. Negou categoricamente ser o Messias esperado, afirmando a superioridade de Jesus, que assinalou aos seus seguidores por ocasião do batismo nas margens do Rio Jordão como o Cordeiro de Deus, aquele de quem não era digno de desatar as sandálias.

Sua figura parece ir se desfazendo, à medida que vai surgindo “o mais forte”, Jesus. Todavia, “o maior dentre os profetas” não cessou de fazer ouvir a sua voz onde fosse necessária para consertar os sinuosos caminhos do mal.

João Batista reprovou publicamente o comportamento pecaminoso de Herodes Antipas e da cunhada Herodíades, com quem tinha uma relação adúltera. Mas, a suscetibilidade de ambos lhe custou a prisão em Maqueronte, na margem oriental do mar Morto.

O relato da morte de São João Batista está no Evangelho de São Marcos, capítulo 6, versículos 17 a 29, no qual narra o banquete oferecido por Herodes pelo seu aniversário, onde dançou a filha de Herodíades.

Herodes gostou tanto da dança que prometeu à jovem que cumpriria qualquer pedido que ela fizesse. Ela, então, por sugestão de sua mãe, pediu a cabeça de João Batista, que lhe foi entregue em um prato.

Para o Papa emérito, “celebrar o martírio de São João Batista recorda-nos, também a nós cristãos deste nosso tempo, que não se pode comprometer o amor a Cristo, à sua Palavra e à Verdade. A Verdade é a Verdade, não há comprometimentos”.

O Papa Francisco, a falar sobre a vida de São João Batista, em fevereiro de 2015, recordou os “mártires dos nossos dias, aqueles homens, mulheres e crianças que são perseguidos, odiados, expulsos das casas, torturados, massacrados”. O Pontífice sublinhou que esses mártires “terminam sua vida sob a autoridade corrupta de pessoas que odeiam Jesus Cristo”.



Fonte: ACI digital



Orando pela cura e libertação familiar, que nossa família seja iluminada por Deus-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (29/agosto/2016) o Padre Marcelo Rossi iniciou a semana de orações com o novo lema: 
"Semana de orações de cura e libertação familiar, em que nós e nossos lares serviremos ao Senhor!"
Trouxe para vocês seis
 lindos cartões que o Padre Marcelo colocou no facebook.
Fiquem todos na paz de Deus, um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Nossa Senhora.
Adriana dos Anjos-Devoção e Fé

Mensagem do Padre Marcelo Rossi por E-mail:

domingo - AMADOS, DESDE O INÍCIO DE NOSSA EXISTÊNCIA NESTE MUNDO, VAMOS RECEBENDO GRAÇAS DE DEUS, MAS NEM SEMPRE CONFIAMOS NELE VERDADEIRAMENTE, NEM MOSTRAMOS RESPEITO E GRATIDÃO PELAS GRAÇAS, MAS OS PRÓXIMOS DIAS SERÃO DE MUDANÇA NA SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR! 

Como coloquei acima, recebemos muitas graças de Deus em nossas vidas, mas muitas vezes não damos a importância necessária à elas, nem nos mostramos gratos como deveríamos. Para Jesus, o maior dos agradecimentos seria apenas não ter dúvidas sobre Seu amor por nós, transmitir Seus ensinamentos e sua Fé adiante e acima de tudo, servir à Ele com alegria e entusiasmo. 
SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR! Como já coloquei nos livros, Jesus conhece nossos pensamentos, assim, servir à Deus nada tem haver com servir outras pessoas. Servir a Deus é ser defensor e embaixador de Suas palavras, é agir de acordo com elas e oferecer o melhor de você em suas atitudes para com seus semelhantes, sejam eles amigos, familiares, colegas e qualquer pessoa que interaja com você não importa aonde. Servir à Deus não é apenas orar quando tem tempo, ou falar sobre Ele quando lembrar, é levar Cristo constantemente em seu dia a dia, agindo de modo que Ele ficará satisfeito e sentirá org ulho deste filho, pois Ele é nosso pai. Portanto nesta semana vamos modificar nossos lares profundamente, para que toda a nossa família seja abençoada e iluminada por Deus, SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

segunda - AMADOS, JESUS ESTÁ SEMPRE PRONTO PARA NOS AJUDAR, MAS NÓS, INQUIETOS COM PREOCUPAÇÕES HUMANAS, PERDEMOS O FOCO ENFRAQUECENDO NOSSA CONFIANÇA E NOSSA FÉ. MAS CHEGOU A HORA DE MUDARMOS ESTA SITUAÇÃO, NA SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

Nos próximos dias, vamos orar visando uma transformação total de nossos lares e nossas famílias. Pedindo que Jesus cure qualquer problema que empeça que a harmonia seja preponderante em nossas casas e entre nossos familiares, vamos iniciar a SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR!

Todos nós passamos por provações em nossas vidas e muitas vezes levamos para casa frustrações, aborrecimentos e problemas, que deveríamos resolver fora dela. Estes sentimentos fazem com que familiares se desentendam e a paz fique longe de nossos lares. Com o tempo, rusgas vão se acumulando e o desentendimento transforma um lar em um simples teto. Mas quando servimos à Deus e confiamos em seu poder, Ele cuida de nós e nos ajuda com os problemas. Consequentemente nossa relação com todos a nossa volta muda e a discórdia não atrapalha o convívio diário. Por isso nesta semana, vamos curar qualquer ferida que exista nas nossas relações familiares, a partir do momento em que colocarmos nossos lares inteiramente à serviço de Jesus, na SEMANA DE CURA E LIBERTAÇÃO FAMILIAR, EM QUE NÓS E NOSSOS LARES, SERVIREMOS AO SENHOR! 

Amados, desça sobre todos vós a bênção de Deus Todo Poderoso em Nome: Do Pai †, e do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém! 

"Deus deu a seus filhos o maior de todos os dons: a capacidade de escolher e decidir os seus atos."











***********************

*Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: 
Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar);
*Site Padre Marcelo Rossi: 




domingo, 28 de agosto de 2016

Samaritana da Misericórdia. Madre Teresa e os Papas


Cidade do Vaticano (RV) - Na iminência da canonização de Madre Teresa de Calcutá, no próximo domingo, 4 de setembro, propomos o artigo "Samaritana da misericórdia. Madre Teresa e os Papas", de Lush Gjergji, publicado no L'Osservatore Romano.

Pio XII

"Na vida e na obra da Beata Madre Teresa, uma importância fundamental, frequentemente mesmo determinante, tiveram diversos Papas, de Pio XII a Francisco. Repassando a sua vida, fica claro como o Espírito Santo agiu por meio dela e por meio dos Pontífices que se sucederam, pelo bem da Igreja a serviço dos últimos. Fazendo às vezes também mudar de ideia. Como no caso do Papa Pio XII. O Pastor angelicus não tinha dúvidas, estava firmemente convencido de que não havia necessidade de aumentar o número das Congregações religiosas femininas ou masculinas, mas sim dar espaço ao espírito de Cristo e ao serviço evangélico. "Deus me chamou a abandonar tudo para dedicar-me somente a Ele por meio do serviço aos mais pobres e aos não amados", escrevia Madre Teresa em uma carta.

Em 12 de agosto de 1949, Pio XII deu a ela a permissão para sair da comunidade das Irmãs de Loreto, ficando somente sob a jurisdição do Arcebispo de Calcutá. Dois anos mais tarde, em 1950, deu a ela a permissão para fundar a nova comunidade de religiosas, as Missionárias da Caridade. Teve início assim a grande obra de Deus por meio de Madre Teresa, inicialmente em Calcutá, na Índia, e mais tarde no mundo inteiro.

João XXIII

O carisma da Beata tocou o coração também de João XXIII. Em entrevista que concedeu-me em 2008, o Secretário do Papa Roncalli, Dom Loris Francesco Capovilla, criado Cardeal em 2014 pelo Papa Francisco, disse-me: "O Papa João seguidamente falava de Madre Teresa comigo e com o Secretário de Estado Vaticano, o Cardeal Tardini, como também com os outros, desta grande e maravilhosa mulher. A simplicidade e o amor eram a sua força. É bonito que um povo pequeno tenha tido uma Madre tão grande".

Paulo VI

Uma grande reviravolta na comunidade de Madre Teresa foi dada por Paulo VI. Um primeiro encontro ocorreu durante a histórica visita na Índia em 1964 para o Congresso Eucarístico em Bombay. Naquela ocasião o Papa quis presentear o Cadillac com que deslocava durante suas visitas oficiais "para ajudá-la e pelo bem dos pobres".

Madre Teresa colocou imediatamente este carro luxuoso como prêmio de uma loteria, conseguindo desta forma muito dinheiro para ajudar os necessitados. O fato ganhou uma repercussão internacional. No ano sucessivo, em 10 de fevereiro de 1965, com o Decretum laudis, Paulo VI reconheceu a ordem das Missionárias da Caridade como Congregação de direito pontifício. Isto permitiu às irmãs expandirem-se na Índia e no mundo. Três anos mais tarde, Montini convidou Madre Teresa a abrir a primeira Casa das Missionárias da Caridade em Roma. Era 22 de agosto de 1968. Menos de um anos depois, em 29 de março de 1969, aprovou a Fundação Colaboradores de Madre Teresa. Em 6 de janeiro de 1971 o Pontífice entregou à Irmã o Prêmio pela Paz João XXIII.

João Paulo II

Mas o dueto de Deus por excelência nos caminhos do mundo foi aquele formado por João Paulo II e Madre Teresa. Em 1980 o Papa polonês entregou à Irmã a chave da Casa de Acolhida destinada a hospedar e acudir as crianças e mães abandonadas. A seguir, doou a ela a moradia Dom de Maria, para poder acolher e assistir os sem-teto de Roma.

E ainda ressoam entre os católicos albaneses as palavras pronunciadas por João Paulo II durante a sua visita pastoral à Albânia: "Caríssimo, não posso não saudar uma pessoa assim humilde que se encontra entre nós. É Madre Teresa de Calcutá. Todos sabem de onde vem, qual é a sua pátria. A sua pátria é aqui. Na pessoa de Madre Teresa, a Albânia foi honrada para sempre. Vos agradeço hoje, em nome da Igreja Católica, vos agradeço queridos albaneses, pela filha desta terra, do vosso povo".

Quando Madre Teresa morreu em 5 de setembro de 1997, João Paulo II referiu-se a ela, chamando-como a "boa samaritana", e recordou dela - nas diversas ocasiões que teve de encontrá-la - como "uma figura pequena, repleta de vida e a serviço dos pobres entre os mais pobres, com a força de Cristo".

Com um ato extraordinário, o próprio Pontífice permitiu de forma excepcional o início do processo de beatificação antes de sua morte completar cinco anos. A seguir, fez coincidir a beatificação de Madre Teresa, em 19 de outubro de 2003, com o Dia Mundial das Missões, recordando como a vida da Beata Madre Teresa foi permeada no amor, "como anúncio corajoso do Evangelho de Cristo".

Bento XVI

Bento XVI considerava Madre Teresa um exemplo brilhante de como a oração é a inexaurível fonte de amor pelo próximo. Na Encíclica Deus Caritas est, Papa Ratzinger escreve: "A oração, como meio para haurir continuamente força de Cristo, torna-se aqui uma urgência inteiramente concreta. Quem reza não desperdiça o seu tempo, mesmo quando a situação apresenta todas as características duma emergência e parece impelir unicamente para a ação. A piedade não afrouxa a luta contra a pobreza ou mesmo contra a miséria do próximo. A Beata Teresa de Calcutá é um exemplo evidentíssimo do facto que o tempo dedicado a Deus na oração não só não lesa a eficácia nem a operosidade do amor ao próximo, mas é realmente a sua fonte inexaurível. Na sua carta para a Quaresma de 1996, esta Beata escrevia aos seus colaboradores leigos: « Nós precisamos desta união íntima com Deus na nossa vida quotidiana. E como poderemos obtê-la? Através da oração ".

Mas além de exemplo de oração ativa, Madre Teres foi indicada pelo Papa também como exemplo de alegria evangélica. Em 6 de dezembro de 2008, no terceiro Domingo do Advento, Bento XVI dizia que " A alegria cristã brota, portanto, desta certeza: Deus está próximo, está comigo, está conosco, na alegria e na dor, na saúde e na doença, como Amigo fiel. A Beata Madre Teresa não era quem sabe a testemunha inesquecível da alegria evangélica no nosso tempo?

Ela doou a todos a alegria de Deus

Sem nunca esquecer que a vida é serviço a ser vivido como um dom, Madre Teresa dedicou toda a sua existência aos outros. E quando em 4 de janeiro de 2008 Bento XVI visitou no Vaticano a Casa Dom de Maria das Missionárias da Caridade, deu testemunho concreto do seu apoio à missão realizada pelas irmãs em favor dos pobres e dos sem-teto. E naquela ocasião disse: "É Natal todas as vezes que permitimos que Jesus ame os outros através de nós. Por anos, quando eu era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, transcorri várias horas do dia ao lado desta vossa benemérita instituição querida pelo meu venerado predecessor, o Servo de Deus João Paulo II, e por ele confiada à Beata Teresa de Calcutá. Esta casa tem um belo nome, Dom de Maria, e nos convida a todos no início do ano a doar a nossa vida sem nenhum cansaço".

Papa Francisco

O Papa Francisco e a Beata Madre Teresa são espiritualmente duas "almas gêmeas", porque a orientação deles e comportamento evangélico é baseado na simplicidade, humildade, pobreza, mas sobretudo na fé e no amor. Na Encíclica Lumen fidei o Papa escreve: "A luz da fé não nos faz esquecer os sofrimentos do mundo. Os que sofrem foram mediadores de luz para tantos homens e mulheres de fé; tal foi o leproso para São Francisco de Assis, ou os pobres para a Beata Teresa de Calcutá. Compreenderam o mistério que há neles; aproximando-se deles, certamente não cancelaram todos os seus sofrimentos, nem puderam explicar todo o mal. A fé não é luz que dissipa todas as nossas trevas, mas lâmpada que guia os nossos passos na noite, e isto basta para o caminho".

Definindo Madre Teresa como um "ícone da misericórdia de Deus, o Papa decidiu canonizá-la este ano". (Osservatore Romano/JE)

Fonte: ACI digital



Peru: Anunciam Ano Jubilar por 400 anos do falecimento de Santa Rosa de Lima



A inauguração das atividades será na segunda-feira, 29 de agosto, às 17h, com a procissão das relíquias da Santa da Basílica do Santíssimo Rosário do Convento de São Domingos para a Catedral de Lima, onde celebrarão as vésperas solenes e uma Missa às 18h30.

No dia seguinte, 30 de agosto, às 10h, será celebrada a grande Missa de ação de graças na Plaza Mayor de Lima, que será presidida pelo Arcebispo de Lima e Primaz do Peru, Cardeal Juan Luis Cipriani.

O evento contará com a presença das principais autoridades do país; o Pe. Bruno Cadoré, sucessor número 86 de São Domingos de Gusmão como Mestre da Ordem dos Pregadores; os membros da Polícia Nacional do Peru; e várias paróquias.

Do mesmo modo, a procissão contará com três andores, um para Santa Rosa de Lima, outro para o “Doutorzinho” Menino Jesus e o último para as relíquias. Além disso, os andores serão transladados ao Santuário de Santa Rosa de Lima, à Igreja São Sebastião e ao Santuário As Nazarenas.

Por outro lado, a partir de 26 de agosto estão programadas visitas noturnas ao Museu do Convento de São Domingos, onde se encontra a cripta que inicialmente serviu de sepulcro de Santa Rosa de Lima. Esta cripta foi reaberta ao público para sua veneração. A visita contará com fotos inéditas da querida Santa.

O Ano Jubilar

“Durante o ano jubilar, também haverá portas santas, indulgências, uma exposição filatélica, concertos de música barroca e também será organizado o percurso de Santa Rosa, onde serão conhecidos os lugares de Lima que ela percorreu”, explicou em diálogo com o Grupo ACI o Pe. Luis Ramírez, diretor do Museu de São Domingos, em Lima.

Sobre a vida da Santa, o sacerdote contou que “sua mensagem e suas obras nos falam de uma atemporalidade tão especial que até mesmo pode ser aplicada em nossa época. Santa Rosa era uma leiga dominicana, não vivia em um convento e tinha que trabalhar para sobreviver”.

Santa Rosa de Lima, disse, “foi uma mulher singela e não perdeu o convite à santidade que a Igreja nos faz constantemente”.

“Este é um convite para cada uma das pessoas que não optaram por uma vida religiosa, mas sim por uma vida leiga comprometida, sem importar qual seja o carisma. Santa Rosa é um exemplo e acaba nos desafiando a conciliar e levar uma vida em Deus”, acrescentou.

Além disso, Santa Rosa de Lima é a primeira Santa que conta com um e-mail que está disponível todo o ano santarosa.correo@gmail.com, um site especial, Facebook, Twitter, YouTube e Instagram, onde serão recebidos pedidos de diversas partes do mundo para ser enviados ao poço de Santa Rosa.

Os fiéis também poderão participar, contar seus milagres ou enviar uma saudação à Santa através das hashtags #SantaRosa400 #SantaRosita.

Na coletiva de imprensa, estiveram presentes Dom Raúl Chau, Bispo Auxiliar de Lima; Pe. Luis Enrique Ramírez, diretor do Convento de São Domingos; Sr. Abdul Miranda, Gerente de Segurança Cidadã do Município de Lima; e o General da Polícia Nacional do Peru, Javier Ávalos, Diretor de Segurança Viária e Trânsito da Polícia Nacional

Fonte: ACI digital





Hoje é celebrado Santo Agostinho, Doutor da Igreja (28 de agosto)


REDAÇÃO CENTRAL, 28 Ago. 16 / 05:00 am (ACI).- A Igreja celebra neste dia 28 de agosto Santo Agostinho, Doutor da Igreja e “patrono dos que procuram Deus”, que em suas “Confissões” disse a Deus sua famosa frase: “Tarde te amei, ó Beleza sempre antiga, sempre nova. Tarde te amei”.

Santo Agostinho nasceu em 13 de novembro do 354, em Tagaste, ao norte da África. Foi filho de Patrício e Santa Mônica, que ofereceu orações pela conversão de seu marido e de seu filho.

Em sua juventude, entregou-se a uma vida dissoluta. Conviveu com uma mulher por aproximadamente 14 anos e tiveram um filho chamado Adeodato, que morreu ainda jovem.

Agostinho pertenceu à seita do maniqueísmo até que conheceu Santo Ambrósio, por quem ficou impactado e começou a ler a Bíblia.

No ano 387, foi batizado junto a seu filho. Sua mãe faleceu naquele mesmo ano. Mais tarde, em Hipona, foi ordenado sacerdote e logo Bispo, ficando a cargo dessa Diocese por 34 anos. Combateu as heresias de seu tempo e escreveu muitos livros, sendo o mais famoso sua autobiografia intitulada “Confissões”.

Em 28 de agosto de 430, adoeceu e faleceu. Seu corpo foi enterrado em Hipona, mas logo transladado a Pavia, Itália. Ele é um dos 33 Doutores da Igreja, recordado como o Doctor Gratiae (Doutor da Graça).

Para o Papa Emérito Bento XVI, Santo Agostinho foi um “bom companheiro de viagem” em sua vida e ministério. Em janeiro de 2008, referiu-se a ele como “homem de paixão e de fé, de alta inteligência e de incansável solicitude pastoral… deixou um rastro profundo na vida cultural do Ocidente e de todo o mundo”.

Em agosto de 2013, o Papa Francisco, durante a Missa de abertura do Capítulo Geral da Ordem de Santo Agostinho, referiu-se ao santo como um homem que “comete erros, toma também caminhos equivocados, é um pecador; mas não perde a inquietação da busca espiritual. E deste modo descobre que Deus lhe esperava; mais ainda, que jamais tinha deixado de lhe buscar primeiro”.

Quem também fez grande difusão da vida e obra deste Doutor da Igreja foi São João Paulo II, que redigiu a Carta Apostólica “Augustinum Hipponensem”, em 1986, por ocasião do XVI Centenário da conversão de Santo Agostinho.

Fonte: ACI digital



Convide os Pobres-22° Domingo do Tempo Comum (Ano C)

Convide os Pobres

22° Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Lucas 14,1.7-14
1.Jesus entrou num sábado em casa de um fariseu notável, para uma refeição; eles o observavam.
7.Observando também como os convivas escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes a seguinte parábola:
8.Quando fores convidado às bodas, não te sentes no primeiro lugar, pois pode ser que seja convidada outra pessoa de mais consideração do que tu,
9.e vindo o que te convidou, te diga: Cede o lugar a este. Terias então a confusão de dever ocupar o último lugar.
10.Mas, quando fores convidado, vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, passa mais para cima. Então serás honrado na presença de todos os convivas.
11.Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado.
12.Dizia igualmente ao que o tinha convidado: Quando deres alguma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem os parentes, nem os vizinhos ricos. Porque, por sua vez, eles te convidarão e assim te retribuirão.
13.Mas, quando deres uma ceia, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos.
14.Serás feliz porque eles não têm com que te retribuir, mas ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos
Reflexão

Todo discípulo-missionário deve se fazer como Jesus, sendo um homem humilde e escolhendo o último lugar. O último lugar quanto ao orgulho, à humilhação, à pequenez e à indiferença pode atingir-nos e atingir nossos irmãos, mas no banquete da Eucaristia, somos convidados por Jesus: "Amigo, vem mais para cima", porque nele Deus se tornou próximo e íntimo. Celebrar a fé também é acabar com os privilégios e discriminações, pois no Reino de Deus não há aqueles mais exuberantes primeiros nem os infelizes últimos. Somos convidados a nos colocar a serviço dos "preferidos" de Jesus, os pobres e marginalizados. E só assim seremos felizes e receberemos nossa recompensa na Ressurreição do justos. [1]

Oração

Senhor Jesus, vossas palavras obrigam-me a rever minhas atitudes. Reconheço que sou muito influenciado pelo ambiente que nos cerca, marcado por interesses e ambições. Com vossa ajuda quero purificar minhas intenções e meus projetos, para que tudo quanto fizer seja por vosso amor e pelo amor a meus irmãos, principalmente os que mais precisam. Ajudai-nos a nós todos, vossos discípulos, a mostrar para o mundo que é possível viver de outra forma na sociedade, na política e na economia, Fazei-me entender que meu trabalho não pode ter como objetivo apenas o lucro, mas deve ser serviço que presto a quem de mim precisa. Bem que podíeis, Senhor, despertar-me também para o trabalho voluntário, em favor de tanto necessitados. Amém. [2]

Fonte: Revista O Mílite (agosto/2016) [1]
Revista de Aparecida (agosto/2016) [2]



sábado, 27 de agosto de 2016

Orações a Santa Mônica: pelos filhos, pela paz na família e pelas mães


Neste dia de Santa Mônica, reze por sua família com estas orações

REDAÇÃO CENTRAL, 27 Ago. 16 / 06:00 am (ACI).- Proclamada padroeira das mães cristãs, Santa Monica rezava constantemente e oferecia sacrifícios por sua família, até que conseguiu ver a conversão de seu marido e também de seu filho, Santo Agostinho.

Patrício, esposo de Mônica, era violento e mulherengo. Após anos de oração, Deus concedeu à santa a graça de vê-lo batizado. Além disso, também rezou durante 15 anos por seu filho Agostinho, que levava uma vida dissoluta, até conseguir ver a conversão dele, que se tornou Bispo e doutor da Igreja.

Neste dia em que a Igreja celebra esta mãe e esposa católica, apesentamos três orações a Santa Mônica pelas famílias:

Oração a Santa Mônica pelos filhos

A ti recorro por ajuda e instruções, Santa Mônica, maravilhoso exemplo de firme oração pelos filhos. Em seus amorosos braços eu deposito meu filho (a) (mencionar aqui os nomes), para que por meio de sua poderosa intercessão possam alcançar uma genuína conversão a Cristo Nosso Senhor. A ti também apelo, mãe das mães, para que peça a Nosso Senhor que conceda o mesmo espírito de oração incessante que te concedeu. Tudo isto lhe peço por meio do mesmo Cristo Nosso Senhor. Amém.

Oração a Santa Mônica pela paz na família

Oh Santa Mônica, que por meio de sua paciência e preces obteve de Deus a conversão de seu marido e a graça de viver em paz com ele, obtém para nós, suplicamos-lhe, a bênção de Deus onipotente, para que a verdadeira harmonia e paz reinem em nossas casas, e que todos os membros de nossas famílias possam alcançar a vida eterna. Amém.

Oração a Santa Mônica pelas mães

Mãe exemplar do grande Agostinho, durante 30 anos perseguiu de modo perseverante seu filho rebelde com amor, afeição, perdão, conselho e orações que clamavam ao céu. Intercede por todas as mães neste nosso dia para que possam aprender a conduzir seus filhos a Deus e Sua Santa Igreja. Ensina-as como permanecer perto de seus filhos, inclusive daqueles filhos e filhas pródigos que tristemente se extraviaram. Amém.

Fonte: ACI digital
Foto: Santa Mônica e seu filho Santo Agostinho



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé