Papa Francisco-Vídeo Mensagem na Exposição do Santo Sudário (30/03/2013) - Devoção e Fé - Blog Católico

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Papa Francisco-Vídeo Mensagem na Exposição do Santo Sudário (30/03/2013)

Papa Francisco - Vídeo Mensagem na Exposição 
Extraordinária do Sudário de Turim

Turim (RV) – A Rai, Rádio e Televisão Italiana, transmitiu neste sábado, a Exposição extraordinária do Sudário de Turim. Após a Exposição de 2010 que viu passar diante do Linho Sagrado, na Catedral de Turim, mais de 2 milhões de peregrinos provenientes de todo o mundo e a 40 anos da primeira Exposição televisiva que foi transmitida, ao vivo, no dia 23 de novembro de 1973 do Sallão dos Suíços do Palácio Real, em emissão a preto e branco, no pontificado de Paulo VI, onde o Sudário fora exposto verticalmente (e não horizontalmente como é de costume). Na Catedral de Turim, como convidados especiais, explica o Arcebispo: “Muitos enfermos, deficientes e pessoas em dificuldade, que carregam no próprio corpo os sinais da Paixão do Senhor, mas a vivem com fé e abandono à sua vontade”.

Considerado como um presente de despedida, o Papa Bento XVI em seu último dia de pontificado autorizou uma Ostensão exclusivamente televisiva do Sagrado Lençol, no sábado santo de 30 de Março 2013, na linha do que proferiu quando da sua homilia em Turim na Solene Ostensão de 2010, na qual o Santo Sudário de Turim foi designado pelo Sumo Pontífice como o «Icone do Sábado Santo».

O Papa Francisco gravou uma video mensagem por ocasião da exposição neste Sábado Santo. Eis a íntegra da mensagem:

Amados irmãos e irmãs,
Juntamente convosco coloco-me também eu diante do Santo Sudário, e agradeço ao Senhor por esta possibilidade que nos oferecem os instrumentos de hoje.
Embora realizado desta forma, o nosso ato de presença não é uma simples visão, mas uma veneração: é um olhar de oração. Diria mais: é um deixar-se olhar. Este Rosto tem os olhos fechados – é o rosto de um defunto – e todavia, misteriosamente, olha-nos e, no silêncio, fala-nos. Como é possível? Por que motivo quer o povo fiel, como vós, deter-se diante deste Ícone de um Homem flagelado e crucificado? Porque o Homem do Sudário nos convida a contemplar Jesus de Nazaré. Esta imagem – impressa no lençol – fala ao nosso coração e impele-nos a subir o Monte do Calvário, a olhar o madeiro da Cruz, a mergulhar-nos no silêncio eloquente do amor.
Deixemo-nos, pois, alcançar por este olhar, que não procura os nossos olhos, mas o nosso coração. Ouçamos o que nos quer dizer, no silêncio, ultrapassando a própria morte. Através do Santo Sudário, chega-nos a Palavra única e última de Deus: o Amor feito homem, encarnado na nossa história; o Amor misericordioso de Deus, que tomou sobre Si todo o mal do mundo para nos libertar do seu domínio. Este Rosto desfigurado parece-se com muitos rostos de homens e mulheres feridos por uma vida não respeitadora da sua dignidade, por guerras e violências que se abatem sobre os mais frágeis... E no entanto o Rosto do Sudário comunica uma grande paz; este Corpo torturado exprime uma soberana majestade. É como se deixasse transparecer uma energia refreada mas poderosa, é como se nos dissesse: tem confiança, não percas a esperança; a força do amor de Deus, a força do Ressuscitado tudo vence.
Por isso, contemplando o Homem do Sudário, faço minha, neste momento, a oração que São Francisco de Assis pronunciou diante do Crucifixo:
Deus altíssimo e glorioso,
iluminai as trevas do meu coração.
E dai-me fé reta, esperança certa e caridade perfeita,
juízo e conhecimento, Senhor,
para cumprir o vosso mandamento santo e verdadeiro. Amém.


Abertura da Exposição

Segunda Parte

Terceira Parte-Vídeo mensagem do Papa

Encerramento da Exposição
video

 Posição do Vaticano

A Igreja Católica não emitiu opinião acerca da autenticidade desta alegada relíquia. A posição oficial a esta questão é a de que a resposta deve ser uma decisão pessoal do fiel. 
A Igreja Católica tentou sempre manter-se distante desta discussão — já em 1973, aquando da primeira exposição televisiva do sudário, Jose Cottino, porta-voz do então arcebispo de Turim, Michele Pellegrino, fazia eco dessa posição, num texto recuperado do arquivo do jornal inglês Catholic Herald: “Não é tarefa da Igreja dizer ‘Sim’ ou ‘Não’ sobre a autenticidade histórica do sudário. É uma tarefa do cientista e do historiador. Mas qualquer afirmação continuaria a permitir que as pessoas sejam livres de aceitar ou rejeitar o sudário.”

O Papa João Paulo II confessou-se pessoalmente comovido e emocionado com a imagem do sudário, mas afirmou que uma vez que não se trata de uma questão de fé, a Igreja não se pode pronunciar, ao mesmo tempo que convidou as comunidades científicas a continuar a investigação. A Catholic Encyclopedia, editada pela Igreja Católica, no seu artigo sobre o Sudário de Turim afirma que o sudário está além da capacidade de falsificação de qualquer falsário medieval.
 
No último sábado, as palavras do Papa Francisco na emissão de televisão foram no mesmo sentido. Com sutileza, referiu-se ao sudário como o “ícone de um homem flagelado e crucificado” e deixou subentendida a diferença entre a imagem e Cristo, quando salientou a importância deste “rosto desfigurado”: “Porque o Homem do Sudário nos convida a contemplar Jesus de Nazaré.”

A imagem no manto é em realidade muito mais nítida na impressão branca e negra do negativo fotográfico que em sua coloração natural. A imagem do negativo fotográfico do manto foi vista pela primeira vez na noite de 28 de maio de 1898 através da chapa inversa feita pelo fotógrafo amador Secondo Pia que recebeu a permissão para fotografá-lo durante a sua exibição na Catedral de Turim.







Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé