2º Domingo da Páscoa do Senhor-Aparição aos Discípulos (Ano C) - Devoção e Fé - Blog Católico

sábado, 6 de abril de 2013

2º Domingo da Páscoa do Senhor-Aparição aos Discípulos (Ano C)

2º Domingo da Páscoa do Senhor

Evangelho Segundo João 20,19-31

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, os discípulos estavam reunidos, com as portas fechadas por medo dos judeus. Jesus entrou e pôs-se no meio deles. Disse: “A paz esteja convosco”. Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, se alegraram por verem o Senhor. Jesus disse, de novo: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. 
Tomé, chamado Gêmeo, que era um dos Doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe: “Nós vimos o Senhor!” Mas Tomé disse: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos, se eu não puser a mão no seu lado, não acreditarei”. 
Oito dias depois, os discípulos encontravam-se reunidos na casa, e Tomé estava com eles. Estando as portas fechadas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas crê!” 
Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”  Jesus lhe disse: “Creste por que me viste? Bem-aventurados os que não viram, e creram!” 
Jesus fez diante dos discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

Reflexão - Aparição aos Discípulos

Depois da Aparição a Maria Madalena, que se deu em local aberto, num jardim, Jesus aparece aos discípulos, trancados por medo numa sala. Eles recebem o Espírito Santo a fim de poder anunciar a sua palavra e perdoar os pecados dos homens. A fé crescerá através da escuta da palavra no seio da comunidade. Neste trecho de hoje, São João quer sublinhar a importância do testemunho para a fé pascal.
O encontro com os discípulos acontece no primeiro dia da semana, no dia de Páscoa. Jesus volta, mas não em seu estado anterior: entra estando fechadas as portas. Coloca-se no centro da comunidade cristã, como único ponto de referência. Os discípulos podem vê-lo e reconhecê-lo através do olhar da fé. As consequências da nova luz são a "alegria" e a "paz", os dons messiânicos. Jesus lhes dá o encargo missionário: devem continuar a missão que o Pai lhes confiou. Todavia, somente homens novos são capazes dessa tarefa. Jesus lhes concede o Espírito Santo, como no princípio soprou a vida nova no primeiro homem. A missão dos apóstolos terá como meta a remissão dos pecados. Tal poder é dado ao grupo dos doze. As dúvidas de Tomé expressam a experiência do grupo, de toda a comunidade apostólica, e a experiência pessoal de João. Este encontro também se dá no primeiro dia da semana, domingo, dia do Senhor. Nele, a comunidade proclama com os discípulos: "Vimos o Senhor". Tomé, porém, não partilha a fé da comunidade. Jesus se torna visível para ele e o convence que não é um fantasma. Bastou ouvir as palavras de Jesus para Tomé crer, como bastou a Maria Madalena ouvir que estava sendo chamada pelo nome por Ele. Tomé faz a mais bela confissão de fé do quarto evangelho. A experiência da ressurreição era indispensável para a Igreja. Os futuros discípulos de Jesus irão ter que acreditar sem ver, mas aceitando o testemunho dos apóstolos que viram. Contudo, aqueles também serão felizes. Eles experimentarão a alegria do encontro com Cristo ressuscitado. [Fonte: Revista O Mílite (abril/2013)]

Oração

Senhor Jesus,  também eu me alegro sabendo que estais sempre a meu lado, entre nós, participando de nossa vida, de nossas alegrias e trabalhos.
Agradeço a felicidade e a paz que me dais, o apoio de meus irmãos, a esperança certa que, no final, a vitória será vossa e nossa. Ajudai-me a compreender que não me chamais apenas para estar convosco, gozando a felicidade de vossa companhia, mas também para me enviar com a tarefa de mostrar a outros que sois nossa felicidade e salvação.
Não me chamais apenas para viver tranquilamente numa comunidade fraterna, mas também para atrair outros para essa convivência na verdade e no amor. Renovai em mim e em meus irmãos a presença de vosso Espírito, que nos ilumine e impulsione para a missão. Amém. [Fonte: Revista de Aparecida (abril/2013)]



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé