domingo, 31 de março de 2013

Feliz e Santa Páscoa do Senhor!


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Aleluia!!! Cristo Ressuscitou!!!
Desejo a você uma Santa e Feliz Páscoa. 
O Senhor venceu a morte e na sua morte nos garantiu a Feliz Ressurreição.
Que as bençãos da Páscoa do Senhor renove sua vida e de sua família.
Adriana-Devoção e Fé

Cristo Ressuscitou!

Cristo ressuscitou, aleluia!
Venceu a morte com amor! (BIS)
Aleluia!

Tendo vencido a morte,
O Senhor ficará para sempre
Entre nós / para manter viva a
Chama do amor que reside em
Cada cristão a caminho do pai.

Tendo vencido a morte,
O Senhor nos abriu horizonte
Feliz / pois nosso peregrinar
Pela face do mundo terá
Seu final lá na casa do Pai.




A Ressurreição de Jesus e Oração à Jesus Ressuscitado-Pe Marcelo Rossi


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
O Padre Marcelo Rossi colocou em sua página no Facebook a Oração à  Jesus Ressuscitado I e Oração à  Jesus Ressuscitado II, além de versículos da Bíblia que os Apóstolos relatam a Ressurreição de Jesus Cristo.
Tenha uma abençoada Páscoa no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.
Adriana-Devoção e Fé

A RESSURREIÇÃO DE JESUS

A Ressurreição de Jesus é um fato histórico inegável. O primeiro acontecimento da manhã do Domingo de Páscoa foi a descoberta do sepulcro vazio (cf. Mc 16, 1-8). Ele foi a base de toda a ação e pregação dos Apóstolos e foi muito bem registrada por eles. São João afirma: “O que vimos, ouvimos e as nossas mãos apalparam isto atestamos” (1 Jo 1,1-2).

Jesus ressuscitado apareceu a Madalena (Jo 20, 19-23); aos discípulos de Emaús (Lc 24,13-25), aos Apóstolos no Cenáculo, com Tomé ausente (Jo 20,19-23); e depois, com Tomé presente (Jo 20,24-29); no Lago de Genezaré (Jo 21,1-24); no Monte na Galiléia (Mt 28,16-20); segundo S. Paulo “apareceu a mais de 500 pessoas” (1 Cor 15,6) e a Tiago (1 Cor 15,7).
S. Paulo disse: “Porque antes de tudo, ensinei-vos o que eu mesmo tinha aprendido que Cristo morreu pelos nossos pecados e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e foi visto por Cefas, e depois pelos Onze; depois foi visto por mais de quinhentos irmãos duma só vez, dos quais a maioria vive ainda hoje e alguns já adormeceram; depois foi visto por Tiago e, em seguida, por todos os Apóstolos; e, por último, depois de todos foi também visto por mim como por um aborto” (1 Cor 15, 3-8).

“Deus ressuscitou esse Jesus, e disto nós todos somos testemunhas” (At 2, 32), disse São Pedro no dia de Pentecostes. Diz São Pedro no dia de Pentecostes: “Saiba com certeza toda a Casa de Israel: Deus o constituiu Senhor (Kýrios) e Cristo, este Jesus a quem vós crucificastes” (At 2, 36). “Cristo morreu e reviveu para ser o Senhor dos mortos e dos vivos”.( Rm 14, 9). No Apocalipse, João arremata: “Eu sou o Primeiro e o Último, o Vivente; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos, e tenho as chaves da Morte e da região dos mortos” (Ap 1, 17s).

A primeira experiência dos Apóstolos com Jesus ressuscitado, foi marcante e inesquecível: “Jesus se apresentou no meio dos Apóstolos e disse: “A paz esteja convosco!” Tomados de espanto e temor, imaginavam ver um espírito. Mas ele disse: “Por que estais perturbados e por que surgem tais dúvidas em vossos corações? Vede minhas mãos e meus pés: sou eu! “Apalpai-me e entendei que um espírito não tem carne nem ossos, como estais vendo que eu tenho”. Dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, como, por causa da alegria, não podiam acreditar ainda e permaneciam surpresos, disse-lhes: “Tendes o que comer?” Apresentaram-lhe um pedaço de peixe assado. Tomou-o então e comeu-o diante deles”. (Lc 24, 34s)


Oração à  Jesus Ressuscitado I

Jesus ressuscitado, que destes a paz aos apóstolos, reunidos em oração, dizendo-lhes: “A paz esteja convosco”, concedei-nos o dom da paz.
Defendei-nos do mal e de todas as formas de violência que agitam a nossa sociedade, para que tenhamos uma vida digna, humana e fraterna.
Ó Jesus, que morrestes e ressuscitastes por amor, afastai de nossas famílias e da sociedade todas as formas de desesperança e desânimo, para que vivamos como pessoas ressuscitadas e sejamos portadores de vossa paz. Amém!

Oração à Jesus Ressuscitado II

Jesus Ressucitado, eu creio que você está vivo diante de meus olhos na Hóstia consagrada. Creio também, Jesus no Seu poder contra toda espécie de mal, porque você venceu, pela Sua Morte e Ressurreição, o pecado e a morte.
Seu Preciosíssimo Sangue derramado na cruz está presente na Hóstia Santa.
Eu creio Jesus, e clamo que este Sangue seja agora derramado sobre mim e sobre todos os meus familiares.
Eu peço, Senhor Jesus, que, pelo poder libertador e salvífico deste Sangue, possamos nos livrar de toda opressão diabólica que possa estar prejudicando nossa família.
Peço também que atenda em especial que faço na Sua presença (apresente aqui o seu pedido).
Eu, desde já, agradeço, confiante que você me atenderá. Eu louvo o Pai por ter nos dado você, Jesus, como presente de Páscoa.
Eu agradeço de coração ao Espírito Santo que ilumina e me conduz nos momentos de sofrimento e de escuridão.
Muito obrigado, Jesus, meu Salvador e libertador. Amém!

Termine esta oração com 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai.

***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



Páscoa da Ressurreição do Senhor - O Sepulcro Vazio (Ano C)

Páscoa da Ressurreição do Senhor

Evangelho Segundo João20,1-9

1 No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus bem de madrugada, quando ainda estava escuro. Ela viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 2 Então saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo que Jesus amava. E disse para eles: «Tiraram do túmulo o Senhor, e não sabemos onde o colocaram.»
3 Então Pedro e o outro discípulo saíram e foram ao túmulo. 4 Os dois corriam juntos. Mas o outro discípulo correu mais depressa do que Pedro, e chegou primeiro ao túmulo. 5 Inclinando-se, viu os panos de linho no chão, mas não entrou. 6 Então Pedro, que vinha correndo atrás, chegou também e entrou no túmulo. Viu os panos de linho estendidos no chão 7 e o sudário que tinha sido usado para cobrir a cabeça de Jesus. Mas o sudário não estava com os panos de linho no chão; estava enrolado num lugar à parte.
8 Então o outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo, entrou também. Ele viu e acreditou. 9 De fato, eles ainda não tinham compreendido a Escritura que diz: «Ele deve ressuscitar dos mortos.»

Reflexão - O Sepulcro Vazio

Nas Primeiras Palavras do evangelho do dia de Páscoa, podem-se perceber, tocar, quase respirar os sinais da vitória da morte.
Na terra tudo é silêncio, imobilidade, quietude, enquanto uma mulher sozinha e assustada se movimenta na escuridão da noite. Observemos, porém, o que acontece quando ela se depara com o sepulcro vazio: a cena muda como que por encanto. Deus escolhe justamente uma mulher para transmitir ao mundo a mensagem de que a morte foi vencida.
Sacudidos de repente por uma explosão de vida, todos os personagens estremecem do próprio torpor e começam a se movimentar depressa. Tomando todos de surpresa, no dia depois do sábado, a vida, todos de surpresa, no dia depois do sábado, a vida explode com toda a força. Deus interveio e fez rolar a pedra do sepulcro.
Depois dessa explosão da vida, eis que entram em cena dois discípulos. Um deles é muito conhecido: Pedro; o outro não tem nome. Afirma-se, em geral, que se trata do evangelista João.
A seguir, Pedro aparece de novo vencido, tanto na corrida física como na espiritual: o discípulo que Jesus amava "começa a acreditar", ao passo que ele, mesmo vendo as mesmas coisas, limita-se a constatar, mas não chega à fé na ressurreição. É esse o momento culminante do caminho desse discípulo sem nome. Diante dos sinais da morte ele percebe a vitória da vida.
Quem ele representa, portanto? Por que não tem nome? É simples: para que cada um possa incluir aí o seu nome e compreenda o que fazer para ser como Jesus quer.
A atitude dos dois discípulos se repete em nossos dias. Alguém poderá pensar que a doação da própria vida seja somente morte e renúncia. Outros, ao contrário, entendem que uma vida doada aos irmãos, como Jesus fez, não se conclui com a morte, mas se abre para a plenitude da vida em Deus.
(Autor-Padre Fernando Armellini) [1]

Oração

Senhor Jesus, creio que estais entre nós, como repetimos tantas vezes na liturgia. Estais entre nós vivo, participante, fonte de vida e ação salvadora. Vós sois o centro de vossa igreja, dessa comunidade que reunis ao vosso redor, que mantendes na unidade, e que fazeis fator de transformação para a humanidade. Creio que estais entre nós: com isso tudo é novo e diferente. Pessoalmente e através de nós, vossos discípulos, influenciais por dentro toda a caminhada da humanidade que assumistes como vossa família. Porque estais presente e atuante entre nós, podemos olhar confiantes o presente e o futuro.
Temos certeza que a vitória será vossa e nossa. Creio, Senhor, na vossa ressurreição: fazei que essa certeza seja luz e apoio para minha caminhada. Amém. [2]

Fonte: Revista O Mílite (março/2013) [1] / Revista de Aparecida (março/2013) [2]



sexta-feira, 29 de março de 2013

Papa Francisco: Primeira Celebração da Paixão do Senhor (29/03/2013)

 Papa Francisco: Primeira Celebração da Paixão do Senhor

Às 17h, (13h em Brasília), o Papa Francisco presidiu a celebração da Paixão do Senhor, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.
O rito consiste na Liturgia da Palavra, seguida pela adoração da Cruz e a comunhão eucarística com hóstias consagradas no dia anterior, pois neste dia não é celebrado nenhum sacramento. É o único dia do ano em que a Igreja Católica no mundo inteiro não celebra a missa.
O Papa Francisco rezou deitado no chão da Basílica de São Pedro por vários minutos nesta sexta-feira (29), um sinal de respeito e adoração realizado antes da encenação da Paixão de Cristo, a primeira de seu pontificado. 

Milhares de pessoas assistiam no templo vaticano ao rito da Sexta-Feira Santa.
Após a leitura da Paixão de Cristo, o pregador oficial da Casa Pontifícia, o franciscano capuchinho Frei Raniero Cantalamessa, pronunciou a seguinte meditação:

Justificados Gratuitamente Por Meio da Fé no Sangue de Cristo

“Todos pecaram e se privaram da glória de Deus, mas foram justificados gratuitamente pela sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus. Deus o predeterminou para a propiciação por meio da fé no seu sangue [...], para provar a sua justiça no tempo presente, a fim de que ele seja justo e justifique aquele que tem fé em Jesus" (Rm 3, 23-26).

Chegamos ao ápice do ano da fé e ao seu momento decisivo. Esta é a fé que salva, "a fé que vence o mundo" (1 Jo 5,5)! A fé – apropriação, pela qual tornamos nossa a salvação operada por Cristo e nos vestimos do manto da sua justiça. Por um lado, temos a mão estendida de Deus, que oferece a sua graça ao homem; por outro, a mão do homem, que se estende para recebê-la mediante a fé. A "nova e eterna aliança" é selada com um aperto de mão entre Deus e o homem.

Nós temos a possibilidade de tomar, neste dia, a decisão mais importante da vida, aquela que nos abre de par em par os portões da eternidade: acreditar! Acreditar que "Jesus morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação" (Rm 4, 25)! Numa homilia pascal do século IV, o bispo proclamava estas palavras excepcionalmente contemporâneas e, de certa forma, existenciais: "Para cada homem, o princípio da vida é aquele a partir do qual Cristo foi imolado por ele. Mas Cristo se imola por ele no momento em que ele reconhece a graça e se torna consciente da vida que aquela imolação lhe proporcionou" (Homilia de Páscoa no ano de 387; SCh 36, p. 59 s.).

Que extraordinário! Esta Sexta-feira Santa, celebrada no ano da fé e na presença do novo sucessor de Pedro, poderá ser, se quisermos, o início de uma nova vida. O bispo Hilário de Poitiers, que se converteu ao cristianismo quando já era adulto, afirmava, ao repensar na sua vida passada: "Antes de te conhecer, eu não existia".

O necessário é apenas nos situarmos na verdade, reconhecermos que precisamos ser justificados, que não nos auto-justificamos. O publicano da parábola subiu ao templo e fez uma brevíssima oração: "Ó Deus, tem piedade de mim, pecador". E Jesus diz que aquele homem foi para casa "justificado", ou seja, transformado em homem justo, perdoado, feito criatura nova; cantando alegremente, penso eu, dentro do seu coração (Lc 18,14). O que ele tinha feito de tão extraordinário? Nada. Ele se colocou na verdade diante de Deus, e esta é a única coisa de que Deus precisa para agir.

***
Como o alpinista que, superando uma passagem perigosa, faz uma parada para retomar o fôlego e admirar a paisagem que se abre à sua frente, assim o apóstolo Paulo, no início do capítulo quinto da Carta aos Romanos, depois de proclamar a justificação pela fé, escreve: “Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus graças a nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus; não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência produz a experiência, e a experiência, a esperança. Ora, a esperança não nos decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5, 1-5).

Hoje, a partir de satélites artificiais, são tiradas fotografias infravermelhas de regiões inteiras da terra e de todo o planeta. Como é diferente a paisagem vista de cima, à luz desses raios, em comparação com o que vemos à luz natural e estando presentes no local! Eu me lembro de uma das primeiras fotos de satélite que correram o mundo, reproduzindo a península inteira do Sinai. As cores eram muito diferentes, eram mais evidentes os relevos e as depressões. É um símbolo. A vida humana, vista pelo infravermelho da fé, do alto do Calvário, também se mostra diferente de como é vista "a olho nu".

“Tudo”, dizia o sábio do Antigo Testamento, “acontece para o justo e para o ímpio... Percebi que, sob o sol, em vez da lei existe a iniquidade, e, no lugar da justiça, a maldade” (Eclesiastes 3, 16; 9, 2). Em todos os tempos, de fato, viu-se a maldade triunfante e a inocência humilhada. Mas para que não se pense que no mundo não há nada de fixo e de certo, observa Bossuet, às vezes se vê o oposto, ou seja, a inocência no trono e a maldade no cadafalso. Mas o que o Eclesiastes concluía? "Então eu pensei: Deus julgará o justo e o ímpio, porque há um tempo para cada coisa" (Eclesiastes 3, 17). Ele encontra o ponto de observação que devolve a paz à alma.

O que o Eclesiastes não podia saber, mas que nós sabemos, é que esse juízo já aconteceu: “Agora”, diz Jesus, caminhando para a sua paixão, “é o julgamento deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo; e eu, quando for levantado da terra, atrairei todos para mim" (Jo 12, 31-32).

Em Cristo morto e ressuscitado, o mundo chegou ao seu destino final. O progresso da humanidade avança a um ritmo vertiginoso e a humanidade vê desenrolar-se, à sua frente, horizontes novos e inesperados, fruto das suas descobertas. Pode-se dizer, porém, que já chegou o fim do tempo, porque em Cristo, que subiu à direita do Pai, a humanidade encontrou o seu objetivo final. Já começaram os novos céus e a nova terra.

Apesar de toda a miséria, injustiça e monstruosidade na terra, ele já inaugurou a ordem definitiva no mundo. O que vemos com os nossos olhos pode nos sugerir o contrário, mas o mal e a morte foram, na verdade, derrotados para sempre. As suas fontes secaram; a realidade é que Jesus é o Senhor do mundo. O mal foi vencido radicalmente pela redenção que ele realizou. O novo mundo já começou.

Uma coisa, acima de tudo, parece diferente quando vista através dos olhos de fé: a morte! Cristo entrou na morte como se entra numa prisão escura, mas saiu dela pela muralha oposta. Ele não voltou por onde tinha entrado, como Lázaro, que tornara à vida para depois morrer de novo. Cristo abriu uma brecha para a vida que ninguém poderá fechar e pela qual todos podem segui-lo. A morte não é mais um muro contra o qual se parte toda esperança humana; ela se tornou uma ponte para a eternidade. Uma "ponte dos suspiros", talvez, porque ninguém gosta do fato de morrer, mas uma ponte, não mais um abismo que engole tudo. “O amor é forte como a morte”, diz o Cântico dos Cânticos (8,6). Em Cristo, ele é mais forte do que a morte!

Na sua "História Eclesiástica do Povo Inglês", Beda, o Venerável, relata como a fé cristã chegou até o norte da Inglaterra. Quando os missionários vindos de Roma chegaram a Northumberland, o rei do lugar convocou um conselho de notáveis para decidir se permitia ou não que eles divulgassem a nova mensagem. Alguns dos presentes foram a favor, outros contra. Era um inverno rigoroso, açoitado pela nevasca lá fora, mas a sala estava iluminada e aquecida. Em dado momento, um pássaro entrou por um buraco na parede, pairou assustado na sala e desapareceu por outro buraco, na parede oposta. Então, levantou-se um dos presentes e disse: “Rei, a nossa vida neste mundo é como aquele pássaro. Viemos não sabemos de onde, desfrutamos por um breve instante da luz e do calor deste mundo e depois desaparecemos de novo na escuridão, sem saber para onde estamos indo. Se estes homens podem nos revelar alguma coisa do mistério da nossa vida, devemos ouvi-los”.

A fé cristã poderia voltar ao nosso continente e ao mundo secularizado pela mesma razão por que já entrou nele antes: como a única que tem uma resposta segura para dar às grandes questões da vida e da morte.

***
A cruz separa os crentes dos não crentes, porque, para alguns, ela é escândalo e loucura, e, para outros, é poder de Deus e sabedoria de Deus (cf. I Cor 1, 23-24). Em sentido mais profundo, ela une todos homens, crentes e não crentes. "Jesus tinha que morrer [...] não por uma nação, mas para reunir todos os filhos de Deus que andavam dispersos" (Jo 11, 51 s.). Os novos céus e a nova terra são de todos e para todos, porque Cristo morreu por todos.

A urgência decorrente de tudo isto é evangelizar: "O amor de Cristo nos impele, ao pensarmos que um só morreu por todos" (II Cor 5,14). Impele a evangelizar! Vamos anunciar ao mundo a boa notícia de que "não há nenhuma condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus, porque a lei do Espírito que dá vida em Cristo Jesus nos libertou da lei do pecado e da morte" (Rm 8, 1-2).

Há um conto, do judeu Franz Kafka, que é um poderoso símbolo religioso e que assume um novo significado, quase profético, na Sexta-Feira Santa: "Uma Mensagem Imperial". Fala de um rei que, em seu leito de morte, chama um súdito e lhe sussurra ao ouvido uma mensagem. É tão importante aquela mensagem que ele faz o súdito repeti-la ao seu próprio ouvido. O mensageiro parte, logo em seguida. Mas ouçamos o resto da história diretamente do autor, com o tom onírico, de pesadelo, quase, que é típico deste escritor:

"Projetando um braço aqui, outro acolá, o mensageiro abre alas por entre a multidão e avança ligeiro como ninguém. Mas a multidão é imensa, e as suas moradas, exterminadas. Como voaria se tivesse via livre! Mas ele se esforça em vão; ainda continua a se afanar pelas salas interiores do palácio, do qual nunca sairá. E mesmo que conseguisse, isto nada quereria dizer: ele teria que lutar para descer as escadas. E mesmo que conseguisse, ainda nada teria feito: haveria que cruzar os pátios; e, depois dos pátios, o segundo círculo dos edifícios. Se conseguisse precipitar-se, finalmente, para fora da última porta - mas isso nunca, nunca poderá acontecer - eis que, diante dele, alçar-se-ia a cidade imperial, o centro do mundo, em que montanhas de seus detritos se amontoam. Lá no meio, ninguém é capaz de avançar, nem mesmo com a mensagem de um morto. Tu, no entanto, te sentas à tua janela e sonhas com aquela mensagem quando a noite vem".

Do seu leito de morte, também Cristo confiou à sua Igreja uma mensagem: "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura" (Mc 16, 15). Ainda existem muitos homens que se sentam à janela e sonham, sem saber, com uma mensagem como a dele. João, como acabamos de ouvir, afirma que o soldado perfurou o lado de Cristo na cruz “para que se cumprisse a Escritura, que diz: Hão-de olhar para Aquele que trespassaram” (Jo 19, 37). No Apocalipse, ele acrescenta: “Eis que vem sobre as nuvens e todo olho o verá; até os mesmos que o trespassaram, e todas as tribos da terra se lamentarão por ele” (Ap 1,7).

Esta profecia não anuncia a última vinda de Cristo, quando já não for o tempo da conversão, mas do julgamento. Ela descreve, em vez disso, a realidade da evangelização dos povos. Nela ocorre uma vinda misteriosa, mas real, do Senhor que traz a salvação. O seu pranto não será de desespero, mas de arrependimento e de consolação. Este é o significado da profecia da Escritura, que João vê realizada no lado trespassado de Cristo, ou seja, o texto de Zacarias 12, 10: “Derramarei sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém o Espírito de graça e de consolação; eles olharão para mim , para aquele a quem trespassaram".

A evangelização tem uma origem mística; é um dom que vem da cruz de Cristo, daquele lado aberto, daquele sangue e água. O amor de Cristo, como o da Trindade, do qual é a manifestação histórica, é "diffusivum sui", tende a se expandir e chegar a todas as criaturas, "especialmente as mais necessitadas da sua misericórdia". A evangelização cristã não é conquista, não é propaganda; é o dom de Deus para o mundo em seu Filho Jesus. É dar ao Chefe a alegria de sentir a vida fluir do seu coração para o seu corpo, até vivificar os seus membros mais distantes.

Temos de fazer todo o possível para que a Igreja nunca se pareça ao castelo complicado e assombroso descrito por Kafka, e para que a mensagem possa sair dela tão livre e alegre como quando começou a sua corrida. Sabemos quais são os impedimentos que podem reter o mensageiro: as muralhas divisórias, começando por aquelas que separam as várias igrejas cristãs umas das outras; a burocracia excessiva; os resíduos de cerimoniais, leis e disputas do passado, que se tornaram, enfim, apenas detritos.

Em Apocalipse, Jesus diz que ele está à porta e bate (Ap 3,20). Às vezes, como foi observado por nosso Papa Francisco, não bater para entrar, mas batendo de dentro porque ele quer sair. Sair para os "subúrbios existenciais do pecado, o sofrimento, a injustiça, ignorância e indiferença à religião, de toda forma de miséria."

Acontece como em certas construções antigas. Ao longo dos séculos, para adaptar-se às exigências do momento, houve profusão de divisórias, escadarias, salas e câmaras. Chega um momento em que se percebe que todas essas adaptações já não respondem às necessidades atuais; servem, antes, de obstáculo, e temos então de ter a coragem de derrubá-las e trazer o prédio de volta à simplicidade e à linearidade das suas origens. Foi a missão que recebeu, um dia, um homem que orava diante do crucifixo de São Damião: "Vai, Francisco, e reforma a minha Igreja".

"Quem está à altura dessa tarefa?", perguntava-se o Apóstolo, aterrorizado, diante da tarefa sobre-humana de ser no mundo "o aroma de Cristo"; e eis a sua resposta, que é verdade também agora: "Não é que sejamos capazes de pensar alguma coisa como se viesse de nós; a nossa capacidade vem de Deus. Ele nos fez idôneos para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito, pois a letra mata, mas o Espírito dá vida" (II Cor 2, 16; 3, 5-6).

Que o Espírito Santo, neste momento em que se abre para a Igreja um novo tempo, cheio de esperança, redesperte nos homens que estão à janela a esperança da mensagem e, nos mensageiros, a vontade de levá-la até eles, mesmo que ao custo da própria vida.

Fonte: CNBB



Via Sacra: Décima Quarta Estação-Pe Marcelo Rossi


Boa tarde irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (29 de março) o Padre Marcelo Rossi continuou a Semana Santa Orando com a Via Sacra de Jesus. O Padre colocou no Facebook a DÉCIMA QUARTA ESTAÇÃO-Jesus é sepultado, que será feita amanhã (30 de março) para as pessoas poderem acompanhar. O tema de oração: exorcismo.
Para pegar a DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO que já foi postada e que também será feita amanhã, clique aqui.
Tenha um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.
"Vitória, Tu reinarás! Ó cruz, Tu nos salvarás!"
Adriana-Devoção e Fé

DÉCIMA QUARTA ESTAÇÃO - Jesus é sepultado

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo Mateus, capítulo 27, versículos 59 à 61.

Cronista: José tomou o corpo, envolveu-o num lençol branco e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha.
Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora. Maria Madalena e a outra Maria ficaram lá, sentadas defronte do túmulo.

Do livro dos Salmos, capítulo 15, versículo 9 à 11.

Voz: Por isso meu coração se alegra e minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro. Porque vós não abandonareis minha alma na habitação dos mortos, nem permitireis que vosso Santo conheça a corrupção.
Vós me ensinareis o caminho da vida, há abundância de alegria junto de vós, e delícias eternas à vossa direita.

MEDITAÇÃO – Às vezes a vida parece-se com um longo e triste Sábado Santo. Tudo parece ter acabado, parece que triunfa o malvado, parece que o mal é mais forte que o bem. Mas a fé faz-nos ver mais longe, faz-nos vislumbrar as luzes dum novo dia para além deste dia. A fé garante-nos que a última palavra cabe a Deus: somente a Deus! A fé é, na verdade, uma pequena lâmpada,
mas é a única lâmpada que ilumina a noite do mundo: e a sua luz humilde funde-se com as primeiras luzes do dia: o dia de Cristo Ressuscitado.
Assim, a história não acaba no sepulcro, antes, explode no sepulcro: assim tinha prometido Jesus,
assim aconteceu e acontecerá!

ORAÇÃO – Ó bom Jesus, que repousastes no túmulo para de lá sair gloriosamente, fazei que a graça da Vossa cruz me ressuscite para a vida eterna. Amem!

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.


***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



quinta-feira, 28 de março de 2013

Promessas de Jesus aos Devotos da Via Sacra-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (28 de março) o Padre Marcelo Rossi continuou a Semana Santa Orando com a Via Sacra de Jesus. O Padre colocou no Facebook as Promessas de Jesus aos Devotos da Via Sacra.

Não perca a semana santa com o Padre Marcelo, no programa de rádio Momento de Fé; entre nesta abençoada corrente de orações!
Tenha um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.

Adriana-Devoção e Fé

História

Na idade de 18 anos, um jovem espanhol, chamado Estanislau, ingressou ao noviciado, na vida religiosa, este jovem fez os votos de religião que são: O cumprimento dos regramentos; avançar na perfeição cristã e alcançar o amor puro. O mês de outubro de 1926, este irmão se ofereceu a Jesus por intermédio de Maria Santíssima.
Pouco depois de ter feito esta doação heróica de si mesmo, o jovem religioso ficou doente e foi obrigado a descansar. Morreu santamente no mês de março, 1927.
Segundo o mestre de noviços, este religioso era uma alma escolhida de Deus; e que recebia mensagens do Céu. Os confessores do jovem, assim como os teólogos, reconheceram estes feitos sobrenaturais. O diretor espiritual do irmão Estanislau lhe havia ordenado escrever todas as promessas transmitidas por Nosso Senhor. Isto seria para o bem espiritual dos que fossem devotos da Via Crucis.

As PROMESSAS DE JESUS AOS DEVOTOS DA VIA SACRA

1 - Eu concederei tudo quando Me pedirem com fé, durante a Via Crucis.
2 - Eu prometo a vida eterna aos que, de vez em quando, se aplicarem a rezar a Via Crucis.
3 - Durante a vida, eu lhes acompanharei em todo lugar e terão Minha ajuda especial na hora da morte.
4 - Ainda que tiverem mais pecados que as folhas da erva que cresce nos campos, e mais que os grãos de areia do mar, todos serão apagados por meio desta devoção, a Via Crucis.
(Importante: Esta devoção não elimina a obrigação de confessar os pecados mortais. Se deve confessar antes de receber a Santa Comunhão)
5 - Os que acostumarem rezar a Via Crucis freqüentemente, terão de uma Glória extraordinária no Céu.
6 - Depois da morte, se estes devotos chegarem ao Purgatório, eu os livrarei desse lugar de expiação, na primeira terça-feira ou sexta-feira depois da morte.
7 - Eu abençoarei a estas almas cada vez que rezarem a Via Crucis; e minha benção lhes acompanhará em todas partes da terra. Depois da morte, gozarão desta benção no Céu, por toda a eternidade.
8 - Na hora da morte, não permitirei que sejam sujeitos a tentação do demônio. Ao espírito maligno lhe tirarei todo o poder sobre estas almas. Assim poderão repousar tranquilamente em Meus Braços.
9 - Se rezam com verdadeiro amor, serão altamente premiados. Quer dizer, converterei a cada uma destas almas em um recipiente vivo, onde Eu irei derramar minha graça.
10 - Fixarei Meus Olhos sobre aquelas almas que rezarem a Via Crucis com freqüência e Minhas mãos estarão sempre abertas para protegê-las.
11 - Assim como Eu fui cravado na Cruz, igualmente estarei sempre muito unido aos que Me honram, com a reza freqüente da Via Crucis.
12 - Os devotos da Via Crucis nunca se separarão de Mim porque eu lhes darei a graça de jamais cometer um pecado mortal.
13 - Na hora da morte, eu lhes consolarei com Minha presença, e iremos juntos ao Céu. A morte será doce para todos os que Me tem honrado durante a vida com a reza da Via Crucis.
14 - Para estes devotos da Via Crucis, Minha Alma será um escudo de proteção que sempre lhes prestará o auxilio quando recorram a Mim.



***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



Via Sacra: Décima Primeira, Décima Segunda e Décima Terceira Estação-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (28 de março) o Padre Marcelo Rossi continuou a Semana Santa Orando com a Via Sacra de Jesus. O Padre já colocou no Facebook as estações da Via Sacra que serão feitas amanhã (29 de março) para as pessoas poderem acompanhar. São as seguintes: DÉCIMA PRIMEIRA ESTAÇÃO-Jesus é pregado na Cruz, DÉCIMA SEGUNDA ESTAÇÃO-Jesus morre na Cruz e DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO–Jesus é descido da Cruz e entregue a sua Mãe. O tema de oração: exorcismo.
Não perca a semana santa com o Padre Marcelo, no programa de rádio Momento de Fé; entre nesta abençoada corrente de orações!
Tenha um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.

Adriana-Devoção e Fé

DÉCIMA PRIMEIRA ESTAÇÃO - Jesus é pregado na Cruz

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo Mateus, capítulo 27, versículos de 35 à 42.

Cronista: Depois de o haverem crucificado, dividiram suas vestes entre si, tirando a sorte.
Por cima de sua cabeça penduraram um escrito trazendo o motivo de sua crucificação: Este é Jesus, o rei dos judeus. Ao mesmo tempo foram crucificados com ele dois ladrões, um à sua direita e outro à sua esquerda. Os que passavam o injuriavam, sacudiam a cabeça e diziam:
Voz: Tu, que destróis o templo e o reconstróis em três dias, salva-te a ti mesmo! Se és o Filho de Deus, desce da cruz!
Cronista: Os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os anciãos também zombavam dele:
Voz: Ele salvou a outros e não pode salvar-se a si mesmo! Se é rei de Israel, desça agora da cruz e nós creremos nele!

MEDITAÇÃO – Aquelas mãos que abençoaram a todos estão agora pregadas na cruz, aqueles pés que tanto caminharam para semear esperança e amor estão agora presos ao patíbulo.
Por quê, Senhor? Por amor!
Por quê a paixão? Por amor!
Por quê a cruz? Por amor!
Porque é, Senhor, que não desceste da cruz respondendo às nossas provocações?
“Não desci da cruz porque, caso contrário, teria consagrado a força como senhora do mundo, quando é o amor (Ágape) a única força que pode mudar o mundo”.
Por quê, Senhor, este preço tão oneroso?
Para vos dizer que Deus é Amor, Amor infinito, Amor onipotente. Credes-Me?

ORAÇÃO – Ó bom Jesus, que fostes cravado na cruz, pelas horríveis dores que sofrestes em Vossas mãos e pés, perdoai as nossas más obras e os nossos maus passos.

Todos: Pai Nosso
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.



DÉCIMA SEGUNDA ESTAÇÃO - Jesus morre na Cruz

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo João, capítulo 19, versículos 25 à 27.

Cronista: Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe:
Voz: Mulher, eis aí teu filho.
Cronista: Depois disse ao discípulo:
Voz: Eis aí tua mãe.
Cronista: E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.

Do Evangelho segundo Mateus, capítulo 27, versículos 45 à 46 e 50.
Cronista: Desde a hora sexta até a nona, cobriu-se toda a terra de trevas.
Próximo da hora nona, Jesus exclamou em voz forte:
Voz: Eli, Eli, lammá sabactáni?
Cronista: o que quer dizer:
Voz: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?
Cronista: Jesus de novo lançou um grande brado, e entregou a alma.

MEDITAÇÃO – O homem pensou insensatamente: Deus morreu! Mas, se morre Deus, quem nos dará ainda a vida? Se morre Deus, o que é a vida?
A vida é Amor! Então, a cruz não é a morte de Deus, mas é o momento em que se rompe a frágil crosta da humanidade assumida por Deus e começa a inundação de amor que renova a humanidade. Da cruz nasce a vida nova de Saulo,
da cruz nasce a conversão de Agostinho, da cruz nasce a pobreza feliz de Francisco de Assis, da cruz nasce a bondade irradiante de Vicente de Paulo, da cruz nasce o heroísmo de Maximiliano Kolbe, da cruz nasce a maravilhosa caridade de Madre Teresa de Calcutá, da cruz nasce a coragem de João Paulo II, da cruz nasce a revolução do amor: Por isso a cruz não é a morte de Deus,
mas é o nascimento do seu Amor no mundo. Bendita seja a cruz de Cristo!

ORAÇÃO – Ó bom Jesus, que morrestes para salvar o mundo, concedei-me a graça de morrer com a Vossa cruz nas mãos e com o Vosso amor (Ágape) no coração.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.

 

DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO – 
Jesus é descido da Cruz e entregue a sua Mãe

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo Mateus, capítulo 27, versículos 55, 57 e 58; capítulo 17, versículos 21 à 23.

Cronista: Havia ali também algumas mulheres que de longe olhavam; tinham seguido Jesus desde a Galiléia para o servir.
À tardinha, um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus, foi procurar Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos cedeu-o.
Cronista: Enquanto caminhava pela Galiléia, Jesus lhes disse:
Voz: O Filho do Homem deve ser entregue nas mãos dos homens. Matá-lo-ão, mas ao terceiro dia ressuscitará.
Cronista: E eles ficaram profundamente aflitos.

MEDITAÇÃO – O delito está consumado: matamos Jesus! E as chagas de Cristo reverberam no coração de Maria, visto que uma única dor abraça a Mãe com o Filho. A Piedade! Sim, a Senhora da Piedade grita, comove e fere mesmo quem já está habituado a ferir.
A Senhora da Piedade!
A nós parece-nos ter compaixão de Deus, mas ao contrário - e uma vez mais - é Deus que tem compaixão de nós.
A Senhora da Piedade!
A dor já não é desesperadora e jamais o será,
porque Deus veio sofrer connosco. E com Deus pode-se desesperar?

ORAÇÃO – Ó bom Jesus, depositado nos braços de Vossa Mãe, concedei-me a graça de viver e morrer por Vós, no seio da nossa Mãe, a santa Igreja.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.



***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



quarta-feira, 27 de março de 2013

Via Sacra: Oitava, Nona e Décima Estação-Pe Marcelo Rossi


Boa noite irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (27 de março) o Padre Marcelo Rossi continuou a Semana Santa Orando com a Via Sacra de Jesus. O Padre já colocou no Facebook as estações da Via Sacra que serão feitas amanhã (28 de março) para as pessoas poderem acompanhar. São as seguintes: OITAVA ESTAÇÃO-Jesus encontra as mulheres de Jerusalém, NONA ESTAÇÃO-Jesus cai pela terceira vez e a DÉCIMA ESTAÇÃO-Os soldados repartem entre si as vestes de Jesus. O tema de oração: Tormentos, pertubações e inquietações.

Não perca a semana santa com o Padre Marcelo, no programa de rádio Momento de Fé; entre nesta abençoada corrente de orações! 
Tenha um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.

Adriana-Devoção e Fé

OITAVA ESTAÇÃO - 
Jesus encontra as mulheres de Jerusalém

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo Lucas capítulo 23, versículos 27, 29 e 31.

Cronista: Seguia-o uma grande multidão de povo e de mulheres, que batiam no peito e o lamentavam. Voltando-se para elas, Jesus disse:
Voz: Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim, mas chorai sobre vós mesmas e sobre vossos filhos. Porque virão dias em que se dirá: Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram! Porque, se eles fazem isto ao lenho verde, que acontecerá ao seco?

MEDITAÇÃO - O pranto das mães de Jerusalém inunda de piedade o caminho do Condenado, atenua a atrocidade duma execução capital e recorda-nos que somos todos filhos: filhos saídos do abraço duma mãe.
Mas o pranto das mães de Jerusalém é apenas uma pequena gota do rio de lágrimas vertidas pelas mães: mães de crucificados, mães de assassinos, mães de drogados, mães de terroristas, mães de estupradores, mães de desequilibrados, mas sempre mães!
O pranto, porém, não basta. O pranto deve transvasar em amor que educa em fortaleza que guia, em severidade que corrige,
em diálogo que constrói, em presença que fala! O pranto deve impedir outros prantos!

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, que tão afetuosamente consolastes as mulheres de Jerusalém, consolai também e ensinai a sofrer cristãmente todos os aflitos.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.



NONA ESTAÇÃO - Jesus cai pela terceira vez

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do livro do profeta Habacuc, capítulo 1, versículos 12 e 13; capítulo 2, versículos 2 e 3.

Cronista: Não sois vós, Senhor, desde o princípio, o meu Deus, o meu Santo, o Imortal?
Senhor, vós destinastes este povo para fazer justiça, o Rochedo, vós o designastes para aplicar castigos. Vossos olhos são por demais puros para verem o mal, não podeis contemplar o sofrimento. Por que olharíeis os ímpios e vos calaríeis, enquanto o malvado devora o justo?
Voz: E o Senhor respondeu-me assim: Escreve esta visão, grava-a em tabuinhas, para que ela possa ser lida facilmente; porque há ainda uma visão para um termo fixado, ela se aproxima rapidamente de seu termo e não falhará.
Mas, se tardar, espera-a, porque ela se realizará com toda a certeza e não falhará.

MEDITAÇÃO - Pascal argutamente observou: Jesus estará em agonia até ao fim do mundo; é preciso não dormir durante este tempo. Mas, neste tempo, onde agoniza Jesus?
A divisão do mundo em zonas de bem-estar e em zonas de miséria, é hoje, a agonia de Cristo.
De fato, o mundo é formado por dois compartimentos: num compartimento desperdiça-se no outro definha-se; num morre-se de abundância e no outro morre-se de indigência; num teme-se a obesidade e no outro invoca-se a caridade.
Porque é que não abrimos uma porta? Porquê não formamos uma única mesa? Porquê não entendemos que os pobres são a cura dos ricos? Porquê? Porquê? Porque somos tão cegos?

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, pelas dores da Vossa terceira queda, tende piedade de tantos pecadores que não cessam de Vos ofender.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.



DÉCIMA ESTAÇÃO - 
Os soldados repartem entre si as vestes de Jesus

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo João, capítulo 19, versículos 23 e 24.

Cronista: Depois de os soldados crucificarem Jesus, tomaram as suas vestes e fizeram delas quatro partes, uma para cada soldado. 
A túnica, porém, toda tecida de alto a baixo, não tinha costura. Disseram, pois, uns aos outros:
Voz: Não a rasguemos, mas deitemos sorte sobre ela, para ver de quem será.
Cronista: Assim se cumpria a Escritura: Repartiram entre si as minhas vestes e deitaram sorte sobre a minha túnica (Sl 21,19). Isso fizeram os soldados.

MEDITAÇÃO - Os soldados tiram a túnica a Jesus com a violência dos ladrões e tentam roubar-Lhe também o pudor e a dignidade. 
Mas Jesus é o pudor, Jesus é a dignidade do homem e do seu corpo. E o corpo humilhado de Cristo torna-se acusação contra todas as humilhações do corpo humano criado por Deus como rosto da alma e linguagem para exprimir o amor.
Mas hoje muitas vezes o corpo é vendido e comprado nas calçadas das cidades, nas calçadas da televisão, nas casas que fazem de calçadas. 
Quando entenderemos que estamos a matar o amor? Quando compreenderemos que, sem pureza, o corpo não vive nem pode gerar a vida?

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, que tanto sofrestes ao ser despojado das Vossas vestes, tende piedade de tantos que Vos ofendem com as suas imodéstias.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.


***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



Via Sacra: Quinta, Sexta e Sétima Estação-Pe Marcelo Rossi


Bom dia irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!
Hoje (27 de março) o Padre Marcelo Rossi continuou a Semana Santa Orando com a Via Sacra de Jesus. Hoje o Padre orou contra as enfermidades físicas e espirituais. O Padre orou a QUINTA ESTAÇÃO-Jesus é ajudado por Simão de Cirene a levar a Cruz, a SEXTA ESTAÇÃO-A Verônica limpa o rosto de Jesus e a SÉTIMA ESTAÇÃO-Jesus cai pela segunda vez.
Não perca a semana santa com o Padre Marcelo, no programa de rádio Momento de Fé; entre nesta abençoada corrente de orações! 
Tenha um abençoado dia no Amor Ágape de Jesus e no Amor Materno de Maria.
 
Adriana-Devoção e Fé

QUINTA ESTAÇÃO - 
Jesus é ajudado por Simão de Cirene a levar a Cruz

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do Evangelho segundo Mateus 27, 32; 16, 24.

Cronista: Saindo, encontraram um homem de Cirene, chamado Simão, a quem obrigaram a levar a cruz de Jesus. Em seguida, Jesus disse a seus discípulos.
Voz: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me.

MEDITAÇÃO - Simão de Cirene, tu és um pequeno, um pobre,
um desconhecido agricultor, de quem não falam os livros de história. E todavia tu fazes a história!
Escreveste um dos capítulos mais belos da história da humanidade: tu levas a cruz de um Outro, tu levantas o patíbulo impedindo que esmague a vítima. Tu devolves dignidade a cada um de nós recordando-nos que só seremos nós mesmos se deixarmos de pensar em nós próprios.
Tu nos recordas que Cristo nos espera na estrada, no vão das escadas, no hospital, na prisão, nas periferias das nossas cidades.
Cristo espera-nos.!
Será que o reconhecemos?
Iremos socorrê-Lo?
Ou morreremos no nosso egoísmo?

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, pela graça que fizestes a Simão Cirineu, que Vos ajudou a levar a cruz, fazei que eu saiba ajudar os outros a levar a cruz.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.



SEXTA ESTAÇÃO - A Verônica limpa o rosto de Jesus

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do livro do profeta Isaías, capítulo 53, versículos 2 e 3.

Cronista: Cresceu diante dele como um pobre rebento enraizado numa terra árida; não tinha graça nem beleza para atrair nossos olhares, e seu aspecto não podia seduzir-nos. Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele.

Do livro dos Salmos, capítulo 41, versículos 2 e 3.

Voz: Como a corça anseia pelas águas vivas, assim minha alma suspira por vós, ó meu Deus. Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei contemplar a face de Deus?

MEDITAÇÃO - O rosto de Jesus está banhado de suor irrigado de sangue, coberto de escarros insolentes.
Quem terá a coragem de se aproximar?
Uma mulher! Uma mulher adianta-se mantendo acesa a lâmpada da humanidade e enxuga o Rosto: e revê o Rosto!
Quantas pessoas há hoje sem rosto!
Quantas pessoas são empurradas para a margem da vida, no exílio do abandono, na indiferença que mata os indiferentes.
De fato, só está vivo quem arde de amor e se inclina sobre Cristo que sofre e espera em quem sofre: hoje! Sim, hoje! Porque amanhã poderá ser tarde!

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, que no véu de Verônica deixastes impresso o Vosso rosto adorável, imprimi-o profundamente em meu coração.

Todos: Pai Nosso
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.


SÉTIMA ESTAÇÃO - Jesus cai pela segunda vez

Sacerdote: Nós Te Adoramos Senhor e Te bendizemos.
Fiéis: Porque pela tua Santa Cruz redimistes o mundo.

Do livro do profeta Jeremias, capítulo 12, versículo 1.

Cronista: Sois sumamente justo, Senhor, para que eu entre em disputa convosco. Entretanto, em espírito de justiça, desejaria falar-vos. Por que alcançam bom êxito os maus em tudo quanto empreendem? E por que razão vivem felizes os pérfidos?

Do livro dos Salmos, capítulo 36, versículos 1 e 2, e, 10 e 11.

Voz: De Davi. Não te irrites por causa dos que agem mal, nem invejes os que praticam a iniqüidade. Pois logo eles serão ceifados como a erva dos campos, e como a erva verde murcharão. Mais um pouco e não existirá o ímpio; se olhares o seu lugar, não o acharás. Quanto aos mansos, possuirão a terra, e nela gozarão de imensa paz.

MEDITAÇÃO - A nossa arrogância, a nossa violência, as nossas injustiças pesam sobre o corpo de Cristo. Pesam, e Cristo cai de novo para nos mostrar o peso insuportável do nosso pecado. Mas o que é que hoje fere, de modo particular, o corpo santo de Cristo?Certamente é dolorosa paixão de Deus a agressão contra a família.
Hoje parece estar em acto uma espécie de anti-Génesis, um anti-desígnio, um orgulho diabólico que pensa em cancelar a família. O homem quereria reinventar a humanidade modificando a própria gramática da vida tal como Deus a pensou e quis.
Mas, substituir-se a Deus sem ser Deus é a mais louca arrogância, é a aventura mais perigosa.
Que a queda de Cristo nos abra os olhos e nos faça ver de novo o rosto belo o rosto verdadeiro, o rosto santo da família.
O rosto da família de que todos temos necessidade.

ORAÇÃO - Ó bom Jesus, caído de novo sob o peso das nossas misérias, dai-me a Vossa graça para nunca mais tornar a pecar.

Todos: Pai Nosso.
Padre: Bendita e louvada seja a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiéis: E as dores de Sua santíssima Mãe.


***********************
Facebook Padre Marcelo Rossi:
**Programa Nosso Momento de Fé com Padre Marcelo Rossi: Rádio Globo Am/FM (ou internet) de segunda a sábado, das 9:05 às 10:05hs
**Se você não pode ouvir no horário, escute o programa gravado diariamente no site do Padre Marcelo Rossi; procure por Web Radio e clique escute (se for sua primeira vez, o site pedirá para você se cadastrar). 
*Site Padre Marcelo Rossi = para ouvir o Momento de Fé



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé