Apresentação de Jesus no Templo e Purificação da SS. Virgem-02 de fevereiro - Devoção e Fé - Blog Católico

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Apresentação de Jesus no Templo e Purificação da SS. Virgem-02 de fevereiro


Apresentação de Jesus no Templo e  
Purificação da Santíssima Virgem-02 de fevereiro

A Igreja comemora o duplo mistério da Apresentação de Jesus Cristo no Templo e o da Purificação da Santíssima Virgem. Foi a oferta pública e solene de nosso divino Salvador, feita a Deus, no templo de Jerusalém, 40 dias depois de seu nascimento.

Este episódio foi descrito em Lucas 2:22-40, de acordo com o evangelho, Maria e José levaram o Menino Jesus para o Templo de Jerusalém quarenta dias depois do nascimento para completar o ritual de purificação de Maria após o parto e para realizar a redenção do primogênito, de acordo com a Torá. Lucas explicitamente afirma que José e Maria escolheram a opção disponível para os pobres (os que não podiam comprar um cordeiro), sacrificando "Um par de rolas ou dois pombinhos"(Lucas 2:24). Levítico 12:1-4 indica que este evento deve se realizar quarenta dias após o nascimento de um menino, daí a Apresentação ser celebrada quarenta dias depois do Natal.

Ao trazer Jesus até o Templo, eles encontraram Simeão. O evangelho relata que Simeão recebeu uma promessa de que ele "ele não morreria antes de ver o Cristo do Senhor." (Lucas 2:26). Simeão então entoou uma oração que ficaria conhecida como Nunc Dimittis (ou "Cântico de Simeão"), que profetiza a redenção do mundo por Jesus:
"Agora tu, Senhor, despedes em paz o teu servo Segundo a tua palavra; Porque os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste ante a face de todos os povos: Luz para revelação aos gentios, E glória do teu povo de Israel.(Lucas 2:29-32)".

Simeão então profetizou a Maria: "Este é posto para queda e para levantamento de muitos em Israel, e para sinal de contradição. (também uma espada traspassará a tua própria alma), para que os pensamentos de muitos corações sejam revelados." (Lucas 2:34-35)

A idosa profetisa Ana também estava no Templo e ofereceu orações e glórias a Deus, contando a todos os que estavam por ali sobre Jesus e seu papel na redenção de Israel (Lucas 2:36-38).

História


A Festa da Apresentação é uma das mais antigas festas da Igreja. Há sermões sobre ela compostos pelos bispos Metódio de Patara († 312), Cirilo de Jerusalém († 360), Gregório, o Teólogo († 389), Anfilóquio de Icônio († 394), Gregório de Nissa († 400) e João Crisóstomo († 407).

A mais antiga referência sobre os rituais litúrgicos específicos sobre a festa foram descritos pela freira Egeria durante a sua peregrinação à Terra Santa entre 381 e 384. Ela reportou que 14 de fevereiro era um dia solene em Jerusalém, com uma procissão até a Basílica da Ressurreição de Constantino I, com uma homilia sobre Lucas 2:22 e uma Liturgia Divina. A chamada Itinerarium Peregrinatio ("Itinerário da Peregrinação") de Egeria não oferece, porém, nenhum nome específico para a festa. A data de 14 de fevereiro indica que em Jerusalém, na época, celebrava-se o nascimento de Jesus em 6 de janeiro, dia da Epifania. Nas palavras dela:

Originalmente, a festa era uma celebração menor. Mas então, em 541, uma terrível praga irrompeu em Constantinopla matando milhares. O imperador bizantino Justiniano I, em consulta com o patriarca de Constantinopla, ordenou um período de jejum e oração por todo o Império Bizantino. E, na festa do "Encontro do Senhor", organizou grandes procissões por todas as cidades e vilas, além de um serviço solene de orações (Litia) para pedir a libertação de todos os males e o fim da praga. Em agradecimento, em 542, a festa foi elevada para uma celebração mais solene e passou a ser celebrada por todo o império pelo imperador.

Em Roma, a festa aparece no "Sacramentário Gelasiano", uma coleção de manuscritos dos séculos VII e VIII associados com o papa Gelásio I, mas com muitas interpolações e algumas fraudes. É ali que aparece pela primeira vez o novo título da festa, "Purificação da Abençoada Virgem Maria". [1]

Celebrações Litúrgicas

Candelária

Era a última festa do ano cristão, que era todo marcado em relação à data do Natal. As festas móveis são calculadas em relação à data da Páscoa.
A Candelária ocorre exatos quarenta dias após o Natal. Tradicionalmente, o termo "Candelária" faz referência à prática na qual o sacerdote, em 2 de fevereiro, abençoa as velas (candeias) de cera de abelha utilizadas nos serviços religiosos do ano todo.  Em muitas igrejas, antes da celebração da santa Missa, se organiza solene  procissão, em que são levadas  as  velas acesas, símbolo de Jesus Cristo que,  apresentado a Deus no templo de Jerusalém, pelo santo velho Simeão foi saudado, como a  luz que veio para iluminar os povos.
Benção das velas: Deus, fonte e origem de toda luz, que hoje mostrastes ao justo Simeão a luz que ilumina as nações, nós vos pedimos humildemente: santificai estas velas com a vossa benção e atendei às preces do vosso povo aqui reunido. Fazei que, levando-as nas mãos em vossa honra e seguindo o caminho da virtude, cheguemos à luz que não se apaga. Por Cristo, nosso Senhor.

Citemos Gueranger: “O mistério desta cerimônia foi freqüentemente explicado pelos liturgistas desde o século VII. Segundo S. Ivo de Chatres, a cera das velas, feita do fruto das flores pelas abelhas, que a antigüidade considerou sempre como um tipo da virgindade, significa a carne virginal do Menino Deus, que não alterou a integridade da SS. Virgem Maria, nem antes nem depois do parto, como também não durante o mesmo. Na chama da vela, o santo bispo nos ensina a ver o símbolo de Jesus Cristo que veio iluminar nossas trevas… Santo Anselmo, vê na mecha, que está por baixo, a alma, e na chama que brilha na parte superior, o símbolo da divindade”. 
Saibam os fiéis que as velas bentas, antes da Missa deste dia, não o são somente para a Procissão. Constituem um “Sacramental” que, guardadas com respeito nas casas, levadas pelos fiéis “sobre a terra como sobre o mar”, como diz a Oração da bênção, atrai bênçãos particulares do céu sobre os fiéis devotos que, assim, procuram honrar o Mistério da Purificação de Maria Santíssima. Deve-se, outrossim, acender a vela benta na festa da Candelária, junto ao leito dos moribundos, como memória da imortalidade que Jesus Cristo nos mereceu, e como penhor da proteção de Maria Santíssima em hora tão importante e decisiva da existência.(Dom Antonio de Castro Mayer) [2]

Porém, após as revisões do Concílio Vaticano II, esta festa passou a dar mais importância para a profecia de Simeão, tirando importância das velas e da purificação de Maria. O papa João Paulo II ligou a festa com a renovação dos votos religiosos.

Nossa Senhora da Luz ou Nossa Senhora das Candeias. 

Nossa Senhora da Luz, Nossa Senhora da Candelária, Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora da Apresentação e Nossa Senhora da Purificação são títulos sinônimos pelos quais a Igreja Católica venera a Virgem Maria, sendo sob essa designação particularmente cultuada em Portugal apesar de sua aparência remontar às Ilhas Canárias (Espanha).
Com base na festa da Apresentação de Jesus/Purificação da Virgem, nasceu a festa de Nossa Senhora da Purificação;
A Virgem da Candelária ou Luz a apareceu em uma praia na ilha de Tenerife, nas Ilhas Canárias, na Espanha, em 1400. Os nativos guanches da ilha teriam ficado com medo e tentado atacá-la, mas suas mãos teriam ficado paralisadas. A imagem teria sido guardada em uma caverna, onde, séculos mais tarde, foi construído o Templo e Basílica Real da Candelária (em Candelária). Mais tarde, a devoção se espalhou pela América. [1]

Oração à Nossa Senhora das Candeias

Virgem Santíssima das Candeias, vós que pelos merecimentos de vosso Filho Onipotente, tudo alcançais em benefício dos pecadores de quem sois igualmente Senhora e Mãe. Vós que não desprezais as súplicas humanas e nem a elas fechais o vosso coração compassivo e misericordioso.
Iluminai-me, eu vos peço, na estrada da vida, encorajai-me e encaminhai os meus passos e as minhas orações para o verdadeiro bem.
Livrai-me de todos os perigos a que está exposta à minha fraqueza. Defendei-me de meus inimigos, como defendeste o vosso amado Filho das perseguições que sofreu sendo menino.
Não consintais que eu seja atingido por ferro, fogo e nem por peste alguma, e depois de todos estes benefícios de vossa clemência nesta vida, conduzi a minha alma para a morada dos anjos, onde com Jesus Cristo, vosso Filho e Nosso Senhor, viveis e reinais, pelos séculos.
Amém.
Oração à Nossa Senhora da Luz

Nossa Senhora da Luz, obedecendo à Lei Mosaica, levastes ao templo, vosso Divino Filho, A Luz do Mundo. Sede brilhante farol que, através das brumas e tempestades da vida, nos guie incólumes ao porto seguro do céu. Somos vossos filhos, guiai-nos! Dai-nos espírito de obediência filial a Deus ! Preservai-nos da impureza! Concedei-nos a Luz da Fé e inflamai nosso coração com o fogo divino, para sempre amarmos a Jesus e torná-lo amado por todos.
Amém


Fonte: 
Wikipédia [1]
Amor a Nossa Senhora [2]



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé