Agosto 2011 - Devoção e Fé - Blog Católico

sábado, 27 de agosto de 2011

O Significado Da Benção


O SIGNIFICADO DA BENÇÃO

Quando alguém te diz: “QUE DEUS TE ABENÇOE” não está só desejando o melhor para você, mas também atuando a seu favor. Pois quando bendizes a alguém, também estás atraindo a proteção de Deus para você.

O efeito de abençoar é multiplicador, já que é dado por Deus a seus filhos.

A bênção invoca o apoio permanente de Deus para o bem-estar da pessoa, fala de agradecimento, confere prosperidades e felicidade em toda pessoa que a recebe da nossa parte. 

A bênção começa com as relações de pais e filhos.  
Os filhos que recebem a bênção da parte dos seus pais têm um bom começo espiritual e emocional na vida. Recebem um firme propósito de amor e aceitação. 

Este princípio também se aplica na íntima relação de casais. 

As amizades se aprofundam e se fortalecem, trazendo companheirismo, saúde e esperança a todos que nunca receberam sequer uma palavra abençoada. 

O poder da vida e da morte está na Palavra. 
Ao abençoares não só está outorgando a vida aquele que a recebe, mas também aquele que também a dá. 

Por isso, hoje eu peço que Deus te abençoe, porque ao bendizê-lo de todo coração, estou bendizendo a mim mesmo.

Distribua bênçãos por onde vás, não só palavras, mas, ações. Elas retornarão a ti quando menos esperares.

Geralmente a pessoa que vive na presença de Deus, amando-O e obedecendo-O, tem o privilégio da sua Divina Bênção sempre. 

Que Deus te Abençoe.

Fonte: Mensagens do Dia (http://www.padremarcelorossi.com.br)



domingo, 21 de agosto de 2011

JMJ 2013 será no Rio de Janeiro


Bento XVI anunciou esta manhã em Madri que a próxima Jornada Mundial da Juventude se realizará em 2013, na cidade do Rio de Janeiro e entregou a um grupo de peregrinos brasileiros a "Cruz dos Jovens", que deve chegar em nosso país em 18 de setembro para uma peregrinação por toda a nação e outros países da América do Sul.
A Cruz será recebida pela arquidiocese de São Paulo de onde partirá em peregrinação para as 274 dioceses do país ao longo dos dois anos de preparação do maior evento católico para jovens do mundo.
A Comissão da arquidiocese de São Paulo, organizadora do evento, preparou uma grande festa para acolher a Cruz, que chegará às 16h ao Campo de Marte, em São Paulo. Uma missa será celebrada às 16:30h, seguida de show.


Discurso do Papa Bento XVI - (21/08/2011-Madri)

Abaixo, alguns trechos do discurso do papa, proferido logo após rezar a oração mariana do Angelus, no aeroporto Cuatro Vientos. O texto, em sua tradução em português, foi distribuído pela Secretaria de Estado do Vaticano.

Queridos amigos!

Agora ides regressar aos vossos lugares de residência habitual. Os vossos amigos vão querer saber o que é que mudou em vós depois de vos terdes encontrado nesta nobre cidade com o Papa e centenas de milhares de jovens do mundo inteiro: Que ireis dizer-lhes? Convido-vos a dar um testemunho destemido de vida cristã diante dos outros. Assim sereis fermento de novos cristãos e fareis com que a Igreja se levante robusta no coração de muitos.
Nestes dias, quanto pensei naqueles jovens que aguardam o vosso regresso! Transmiti-lhes a minha estima, particularmente aos mais desfavorecidos, e também às vossas famílias e às comunidades de vida cristã a que pertenceis.
Não posso deixar de vos confessar que estou verdadeiramente impressionado com o número de Bispos e sacerdotes presentes nesta Jornada. Agradeço-lhes a todos do fundo da alma, animando-lhes, ao mesmo tempo, a continuar cultivando a pastoral juvenil com entusiasmo e dedicação.

Post-Angelus:
Compraz-me agora anunciar que a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2013, será o Rio de Janeiro. Peçamos ao Senhor, desde já, que assista com a sua força quantos hão-de pô-la em marcha e aplane o caminho aos jovens do mundo inteiro para que possam voltar a reunir-se com o Papa naquela bonita cidade brasileira.
Queridos amigos, antes de nos despedirmos e no momento em que os jovens de Espanha entregam aos do Brasil a cruz das Jornadas Mundiais da juventude, como Sucessor de Pedro confio a todos os presentes esta insigne incumbência: Levai o conhecimento e o amor de Cristo ao mundo inteiro. Ele quer que sejais os seus apóstolos no século XXI e os mensageiros da sua alegria. Não O desiludais! Muito obrigado!

Saudação em português: 
Queridos jovens e amigos de língua portuguesa, encontrastes Jesus Cristo! Sentir-vos-eis em contra-corrente no meio duma sociedade onde impera a cultura relativista que renuncia a buscar e a possuir a verdade. Mas foi para este momento da história, cheio de grandes desafios e oportunidades, que o Senhor vos mandou: para que, graças à vossa fé, continue a ressoar a Boa Nova de Cristo por toda a terra. Espero poder encontrar-vos daqui a dois anos, na próxima Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, Brasil. Até lá, rezemos uns pelos outros, dando testemunho da alegria que brota de viver enraizados e edificados em Cristo. Até breve, queridos jovens! Que Deus vos abençoe!

-----------------------------------------------------

Até 2002, os encontros eram realizados a cada dois anos. A partir de 2005, passaram a ocorrer a cada três anos e agora, segundo o anúncio do papa, volta novamente a dois anos de diferença, para evitar que o evento coincida em 2014 com a realização da Copa do Mundo, no Brasil.
A data prevista para o evento é de 23 a 28 de julho de 2013 e a expectativa é reunir mais de dois milhões de jovens peregrinos.
"Este é o maior evento da Igreja. Juntando o número de pessoas de uma Copa do Mundo e uma Olimpíada, não dá a metade do que se dá numa Jornada Mundial da Juventude”, destaca o assessor da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB, padre Carlos Sávio Costa Ribeiro.
Nos anos entre os encontros mundiais, as Jornadas se realizam em nível diocesano em cada país.

Fontes: http://www.radiovaticana.org/bra/
              http://www.cnbb.org.br
Fotos:  http://g1.globo.com/mundo/fotos/



sábado, 20 de agosto de 2011

JMJ - Festa da Juventude Católica


JMJ Madri - Festa Jovem da Fé Católica


Como é reconfortante ver que apesar de vermos tantas notícias tristes de jovens perdidos em drogas, em caminhos tortuosos e muitas vezes sem volta, também vemos o outro lado da moeda. Com esta linda festa de fé da juventude - A Jornada Mundial da Juventude - vemos renascer a esperança de um futuro melhor. Um futuro sem guerras, com mais respeito e amor entre todos os irmãos. Como disse João Paulo II, "…a esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo."
Mas como nem tudo são flores, ao mesmo tempo sinto um aperto no coração ao ver que muitos ainda estão perdidos no mundo sujo do encardido. Ao ver jovens sem o mínimo de respeito insultando outros jovens, simplesmente por sua fé diferente. Pois por mais que falem que toda a reclamação e fúria advém da crise ecônomica do país, não consigo crêr nisso. Pois quem em sã consciência acharia ruim para um país receber jovens de várias partes do planeta, reunidos em total paz e harmonia; unidos pela fé em Jesus e a esperança de um mundo melhor? E do ponto de vista econômico, com certeza a visita de milhares de peregrinos ao país está aquecendo a fé e também a economia! 
Esta ira é a prova que estamos do lado certo! Não podemos nos envergonhar de nossa fé, não podemos escondê-la. Somos discípulos de Jesus. Com o exemplo deste lindo encontro de fé, muitos corações endurecidos poderão ser tocados e transformados.
O encardido não aguenta a força da Cruz, a força do símbolo do amor de Jesus pela humanidade e de Maria, nossa mãe que nos acompanha nesta caminhada! 
Adriana - Devoção e Fé
---------------------------------------------------------------------

Papa - melhor convivência entre cristãos e laicos 


O Papa Bento XVI já está em Reino espanhol e foi recebido por Suas Magestades enquanto a sociedade civil alimenta a polémica dos custos desta visita. O Sumo Pontífice não é alheio ao debate e as palavras que proferiu, depois de acolhido pela Rainha Sofia e pelo Rei Juan Carlos, denotaram o mal estar.
 Afirmou que “muitos jovens olham o futuro com preocupação perante a dificuldade de encontrar um emprego digno, ou por o terem perdido, ou o terem precário e inseguro.” E adiantou: " neste contexto é urgente ajudar os jovens discípulos de Jesus a permanecerem fiéis na fé sem ocultar a prória identidade cristã, num clima de respeitosa convivência com outras opções legítimas, exigindo, ao mesmo tempo, respeito pelas próprias".
Os jovens não se fizeram rogados e agitaram as bandeiras da Jornada Mundial da Juventude e dos grupos católicos representados, ecoando o slogan “juventude do papa”. Este é o terceiro encontro da Juventude Mundial católica – os anteriores foram em Colónia, em 2005 e Sydney em 2008. A festa dos peregrinos, que a passagem do Papa pode fazer crer rodeada apenas de serpentinas e cânticos, está ensombrada pelos incidentes em Madrid, desde o início do evento de seis dias.


Fonte: Euronews



Jornada Mundial da Juventude 2011


O que é a JMJ?

A Jornada Mundial da Juventude foi criada pelo Papa João Paulo II em 1985, e consiste numa reunião de dezenas de milhares de pessoas católicas, sobretudo jovens. O evento é celebrado a cada dois ou três anos, numa cidade escolhida para celebrar a grande jornada em que participam pessoas do mundo inteiro. Nos anos intermédios, as Jornadas são vividas localmente, no Domingo de Ramos, por algumas dioceses ao redor do mundo. 
Para cada Jornada, o Papa sugere um tema e nesta XXVI Jornada Mundial da Juventude de 2011 em Madri-Espanha, o tema é: "Enraizados e edificados em Cristo, inabaláveis na fé" (cf. Col 2, 7).  

Durante as JMJ, acontecem eventos como catequeses, adorações, missas, momentos de oração, palestras, partilhas e shows. Tudo isso em diversas línguas. Apesar de ser proposta pela Igreja Católica, é um convite a todos os jovens do mundo. Para João Paulo II, "…a esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo."

A Jornada Mundial da Juventude foi celebrada pela primeira vez, de maneira oficial, no Domingo de Ramos de 1986, em Roma. A partir de 1987 e depois, a cada dois anos, como regra geral, organiza-se a Jornada Mundial da Juventude em algum lugar determinado do mundo.
A cidade canadense de Toronto foi o palco do encontro de 2002 onde 800 mil pessoas encontraram-se para a última Jornada com o peregrino João Paulo II. O Papa lembrou a todos que o espírito jovem é algo que não pode ser sufocado: "Vós sois jovens e o Papa é idoso, e ter 82 ou 83 anos não é a mesma coisa que ter 22 ou 23. Todavia, ele continua a identificar-se plenamente com as vossas esperanças e as vossas aspirações. Juventude de espírito, juventude de espírito! Embora eu tenha vivido no meio de muitas trevas, sob duros regimes totalitários, tive suficientes motivos para me convencer de maneira inabalável de que nenhuma dificuldade e nenhum temor é tão grande a ponto de poder sufocar completamente a esperança que jorra sem cessar no coração dos jovens."
A XX Jornada entre os dias 16 e 21 de Agosto de 2005 em Colónia na Alemanha foi a primeira após a morte do Papa João Paulo II. O evento foi presidido pelo Papa Bento XVI na que foi a primeira viagem internacional do seu pontificado, e em que mais de um milhão de jovens se ajoelharam junto com o Papa na vigília de 20 de agosto. Nem a variedade de linguas, culturas, distanciaram os jovens um dos outros.



A Cruz e o Ícone das Jornadas

A Cruz da JMJ

A Cruz da JMJ ficou conhecida por diversos nomes: Cruz do Ano Santo, Cruz do Jubileu, Cruz da JMJ, Cruz Peregrina, muitos a chamam de Cruz dos Jovens porque ela foi entregue pelo papa João Paulo II aos jovens para que a levassem por todo o mundo, a todos os lugares e a todo tempo.
A cruz de madeira de 3,8 metros foi construída e colocada como símbolo da fé católica, perto do altar principal na Basílica de São Pedro durante o Ano Santo da Redenção (Semana Santa de 1983 à Semana Santa de 1984). No final daquele ano, depois de fechar a Porta Santa, o Papa João Paulo II deu essa cruz como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade. Quem a recebeu, em nome de toda a juventude foram os jovens do Centro Juvenil Internacional São Lourenço em Roma. Estas foram as palavras do Papa naquela ocasião:
"Meus queridos jovens, na conclusão do Ano Santo, eu confio a vocês o sinal deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Carreguem-na pelo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição de Cristo podemos encontrar a salvação e a redenção". (Sua Santidade João Paulo II, Roma, 22 de abril de 2004).
Os jovens acolheram o desejo do Santo Padre. Levaram a cruz ao Centro São Lourenço, que se converteria em sua morada habitual durante os períodos em que ela não estivesse peregrinando pelo mundo.
Desde 1984, a Cruz da JMJ peregrinou pelo mundo, através da Europa, além da Cortina de Ferro, e para locais das Américas, Ásia, África e agora na Austrália, estando presente em cada celebração internacional da Jornada Mundial da Juventude. Em 1994 a Cruz começou um compromisso que, desde então, se tornou uma tradição: sua jornada anual pelas dioceses do país sede de cada JMJ internacional, como um meio de preparação espiritual para o grande evento.



O Ícone de Nossa Senhora

Em 2003, o Papa João Paulo II deu aos jovens um segundo símbolo de fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a Cruz da JMJ: o Ícone de Nossa Senhora, "Salus Populi Romani", uma cópia contemporânea de um antigo e sagrado ícone encontrado na primeira e maior basílica para Maria a Mãe de Deus, no ocidente, Santa Maria Maior.
"Hoje eu confio a vocês… o Ícone de Maria. De agora em diante ele vai acompanhar as Jornadas Mundiais da Juventude, junto com a Cruz. Contemplem a sua Mãe! Ele será um sinal da presença materna de Maria próxima aos jovens que são chamados, como o Apóstolo João, a acolhe-la em suas vidas" (Roma, 18ª Jornada Mundial da Juventude, 2003)

O Papa Bento XVI, continuando o legado de seu predecessor, falou na cerimônia de entrega da Cruz e do Ícone da JMJ no Domingo de Ramos de 2006: "Nossa Senhora esteve presente no cenáculo com os Apóstolos quando eles estavam esperando por Pentecostes. Que ela seja vossa mãe e guia. Que ela vos ensine a receber a palavra de Deus, a valoriza-la e medita-la em seu coração (cf. Lc 2,19) como ela fez com sua vida. Que ela possa encorajar-vos a dizer o vosso "sim" ao Senhor ao viver "a obediência da fé". Que ela possa ajudar-vos a permanecer fortes na fé, constantes na esperança, perseverantes na caridade, sempre atentos à palavra de Deus".

Ao observarmos Maria no Ícone carregando seu Filho, ela nos ensina como levá-lo para o mundo.
Milhões de jovens nos últimos 20 anos participaram das Jornadas Mundiais da Juventude. Centenas de milhares mais participaram da graça do evento pelo seu encontro com a Cruz e o Ícone da JMJ. Esses símbolos são apresentados ao mundo de forma mais contundente pelos jovens que os levam não por alguns momentos ou horas, mas pelo exemplo de suas vidas cristãs diariamente.

Jornadas Mundiais da Juventude
1986 - Roma, Itália
1987 - Buenos Aires, Argentina
1989 - Santiago de Compostela, Espanha
1991 - Częstochowa, Polônia
1993 - Denver, Estados Unidos
1995 - Manila, Filipinas
1997 - Paris, França
2000 - Roma, Itália
2002 - Toronto, Canadá
2005 - Colónia, Alemanha
2008 - Sydney, Austrália
2011 - Madrid, Espanha
2013 - Rio de Janeiro, Brasil


Fonte: http://www.jmjbrasil.com.br/jmj/



sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Devoção a Santo Antônio de Pádua

 Devoção a Santo Antônio de Pádua

Nascimento em 15 de agosto de 1195 em Lisboa, Portugal
Morte em 13 de junho de 1231 em Pádua, Itália.
Padroeiro de Portugal, protetor dos pobres 
e restituidor dos objetos perdidos.

Nascido em Lisboa capital portuguesa em 15 de agosto de 1195 com o nome de Fernando de Bulhões y Taveira, filho do prefeito e oriundo de uma família nobre.
Aprendeu a fazer caridade com sua mãe Teresa e desde pequeno se interessou pela vida religiosa, sendo sua primeira atividade a de coroinha. Um de seus maiores incentivadores foi um tio, o cônego Fernando, a quem ajudava a distribuir pães aos pobres durante as missas.
Aos 15 já convicto de sua vocação, ingressou na Ordem de Santo Agostinho. Depois viveu em Coimbra como sacerdote e lá ficou sabendo do martírio de cinco freis franciscanos que haviam sido assassinados no Marrocos. Decidiu tomar o lugar deles e tornou-se membro da Ordem dos Frades Menores de São Francisco aos 25 anos.
Nessa época, Antônio já havia abandonado o nome de Fernando e usava o nome religioso pelo qual ficaria famoso.
Assim que chegou ao Marrocos, em 1221, Antônio foi acometido por uma febre e enviado de volta a Portugal. Os ventos fortes, no entanto, desviaram a rota do navio - e os rumos da vida do frade. Ele acabou desembarcando na Sicília e, a partir de então, passou a viver no sul da Itália. Em suas andanças como peregrino, chegou à cidade de Assis, onde participou de um encontro com mais de 3 mil frades que se reuniram para ouvir São Francisco. No ano seguinte, Antônio ainda era um religioso desconhecido quando foi convocado para fazer as preces durante uma cerimônia de ordenação de sacerdotes na localidade de Forli.
A missa seria realizada por um padre que havia adoecido e ninguém aceitara substituí-lo, dada a grande responsabilidade do encargo. Antônio aceitou o trabalho, demonstrando total humildade. Seu sermão foi tido como maravilhoso - e rapidamente correu entre os outros religiosos que se tratava de um notável orador. Ao saber que o jovem Antônio era também um grande conhecedor das Sagradas Escrituras, São Francisco primeiro autorizou que ele pregasse pelas cidades e depois lhe enviou uma pequena carta em que dizia: "Convém-me que leias aos frades a sagrada teologia, mas de maneira que, como sobretudo desejo, nem em ti nem nos outros se extinga o espírito de oração, conforme a regra que prometemos." Dessa forma, ele passou a ser considerado o "teólogo dos franciscanos".
Mas a vida de Antônio era realmente voltada à peregrinação. Durante três anos (1224 e 1227) ele se dedicou a viajar pela França com uma missão bem especial: foi designado para combater os "albigenses", grupo de hereges que tinha como sede a cidade de Albi. Nesse período ele teria praticado pelo menos dois milagres. Em Montpellier, França, teria recuperado um livro raro que havia sido roubado dele. Em Limoges, foi visto conversando com o Menino Jesus.
Santo Antônio viveu seus dois últimos anos em Pádua. Embora as constantes peregrinações o impedissem de passar o tempo todo naquele lugar, acabou tendo seu nome associado à cidade. Também foi ali perto que ele morreu. O frade - que sofria de uma doença de pele - piorou durante uma peregrinação. Imediatamente foi colocado em uma carroça para ser levado de volta para casa, mas os religiosos que estavam com ele aconselharam que pernoitasse no povoado de Arcela. Na mesma noite, em 13 de junho de 1231, morreu, aos 35 anos.

Canonização

Nas cidades italianas por onde Santo Antônio peregrinou ele já era conhecido como "O Santo" mesmo antes de morrer. Essa consagração popular ainda em vida é uma demonstração de seu carisma - fosse motivado por milagres ou pelo dom da oratória.
Depois da morte, a devoção ao religioso já era muito grande não apenas na Itália, mas também em outros países da Europa.
Antônio foi canonizado menos de um ano depois da morte, em 1232, pelo papa Gregório IX. A rapidez do processo se deveu ao conjunto de milagres que havia realizado em vida e por outros que ocorreram após aquela data, relatados principalmente em Portugal, na Itália e na França. 
Seus escritos e sermões lhe renderam em 1946 o título de Doutor da Igreja, concedido pelo papa Pio XII.  
Em 1263, durante a construção da basílica que o homenageia, em Pádua, seu sarcófago foi aberto. Sua língua estava intacta. Sem encontrar explicações para aquele misterioso fenômeno, os religiosos o consideraram prova material de sua santidade. A relíquia está guardada desde então, mas já pôde ser vista no Brasil. Em 1999, a peça foi trazida ao País para procissões que percorreram vários Estados.
A devoção a Santo Antônio se espalhou rapidamente pela Europa Ocidental. Tão logo os portugueses chegaram ao Brasil, quase trezentos anos após sua morte, passaram a difundir o respeito e a admiração ao franciscano. A primeira igreja brasileira dedicada a ele foi construída em 1550, na cidade de Olinda, em Pernambuco, e mais tarde deu origem ao convento Santo Antônio do Carmo. Outro marco do culto brasileiro ao frade peregrino foi a Igreja de Santo Antônio, fundada em 1592 e hoje localizada na Praça do Patriarca, no centro de São Paulo.

Milagres

*Pregação aos Peixes
No século 3, o frei Antônio era considerado um grande pregador que era capaz de converter multidões ao Cristianismo, porém, em Rímini, na Itália, havia um grupo de hereges que não lhe dava a mínima atenção. Sem perder a paciência, o jovem religioso deu as costas ao povoado e caminhou até a praia. Começou a falar voltado para a água: "Ouvi a palavra de Deus, vós, os peixes do mar, já que os infiéis não a querem ouvir." Enquanto Antônio pregava, os peixes pareciam ouvir atentamente tudo o que ele dizia. O frade falou sobre o milagre de Jonas e a baleia e sobre os preceitos cristãos. Depois concluiu: "Bendizei ao Senhor, vós, que sois também nossos irmãos." Os peixes escutaram todo o sermão e retornaram saltitantes para a água. Dessa forma, Antônio acabou convertendo muitos moradores de Rímini. 
Este é um dos feitos mais conhecidos do santo.

*O Herege e o Burrinho
Para voltar a frequentar a Igreja, um homem fez um trato com frade Antônio: "Deixarei o meu burrinho três dias sem comer, colocarei diante dele uma bela refeição e o frade mostrará a eucaristia. Se o burrinho recusar a comida e se ajoelhar, eu volto." No terceiro dia de jejum do burrinho, Santo Antônio se encontrou com o homem. Dito e feito: o burrinho se ajoelhou diante da hóstia consagrada e o homem, consternado e arrependido, voltou para a vida cristã.

*Traição na Ceia
Os devotos de Santo Antônio contam que, certo dia, o frade estava faminto e debilitado. Era Quaresma e ele fazia jejum de carne. Mas, ao chegar à casa de um herege, disse que Deus lhe daria permissão para se alimentar do que fosse servido. O anfitrião lhe preparou um prato de carne, mas guardou os ossos e os levou ao bispo para denunciar o pecado de Antônio. Ao abrir o lenço, porém, viu que eles haviam se transformado em espinhas de peixe e imediatamente se converteu.

*Ele tirou o pai da forca
Um dos milagres mais conhecidos de Santo Antônio foi a chamada bilocação (capacidade de estar em dois lugares ao mesmo tempo). Dizem que, quando estava pregando em Pádua, foi avisado de que seu pai seria enforcado em Lisboa, após uma acusação injusta de homicídio. Naquele instante, o frade teria aparecido em Portugal e, diante de várias pessoas, teria despertado a vítima do assassinato para perguntar quem o matara. Com o pai inocentado, Antônio teria retornado para sua pregação em Pádua. Acredita-se que essa história seja a origem da expressão "tirar o pai da forca".

*Pessoas Perdidas
Santo Antônio é considerado o santo dos objetos perdidos. Isso porque ele teria restituído um livro roubado e encontrado um anel desaparecido, entre outros feitos miraculosos. Por converter hereges e fazer fiéis retornarem à Igreja, muitos também recorrem a ele como restituidor das "pessoas perdidas".

*Pães Abençoados
Reza a tradição que, certo dia, o santo retirou todos os pães do mosteiro onde vivia para doá-los. Ao notar a despensa vazia, o padeiro correu até ele para anunciar o roubo. Antônio, então, sugeriu que o homem retornasse à cozinha e verificasse novamente a despensa. Para sua surpresa, viu que os cestos estavam milagrosamente lotados de pães, o suficiente para alimentar todos os frades e ainda ajudar os miseráveis.

Em 1894, o santo foi invocado por uma senhora rica e teve seu pedido milagrosamente atendido. Em agradecimento ela doou dinheiro para que a Igreja cuidasse dos pobres em nome de Santo Antônio. Desde então, os devotos colaboram com o Chamado Pão de Santo Antônio - fundo de contribuição destinado a ajudar os pobres. No dia 13 de junho, quando se festeja Santo Antônio, é realizada a bênção dos pães, que depois são guardados pelos católicos em potes de mantimentos para garantir fartura e saúde o ano inteiro.

*Santo Casamenteiro
Apenas no Brasil Santo Antônio também é cultuado como "o casamenteiro". A origem desta devoção vem das várias histórias e lendas contadas sobre ele:
- Segundo as convenções da época, a mulher que não tivesse um enxoval ficava impedida de casar. Assim, as moças pobres, sabendo da bondade do frade Antônio, o procuravam para que as ajudasse a preparar o dote, recolhendo doações. 
- No Brasil conta-se que uma jovem fez uma promessa a Santo Antônio e colocou sua imagem na janela de casa à espera do milagre de conseguir um noivo. Irritada com a demora em ser atendida, a jovem derrubou a estátua na calçada. Diz a lenda que a imagem caiu justamente na cabeça de um rapaz. Ela o socorreu e os dois se apaixonaram e casaram.
Com o tempo, além dos pedidos de casamento, surgiram as chamadas "torturas" como colocar a imagem do santo de cabeça para baixo, mergulhada na água ou virada contra a parede; e o Tira-Menino, onde o fiel separa o Menino Jesus de Santo Antônio até que a graça seja alcançada.

*Carreira Militar
Durante o Brasil Império, Santo Antônio teve uma extensa "carreira" militar. Foi soldado em Pernambuco e chegou a Tenente-Coronel, nomeado por Dom João VI. O santo era invocado por portugueses e brasileiros durante as ocupações francesa e holandesa (entre 1640 e 1710), realizando muitos milagres e trazendo a vitória nas batalhas. Com isso, recebeu simbolicamente patentes de Oficial do Exército em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Paraíba, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás. O soldo era pago aos Conventos Franciscanos e revertido à caridade. Com a República, porém, Santo Antônio entrou para a lista dos oficiais reformados.

Fonte: Revista das Religiões- 2005 



segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Assunção de Nossa Senhora aos Céus

 
Solenidade da Assunção de Nossa Senhora

Hoje, dia 15 de agosto a Igreja celebra a solenidade da Assunção de Nossa Senhora. É a terceira e última solenidade de Maria durante o ano na Igreja universal. Dia 8 de dezembro ela celebra a Imaculada Conceição e, dia 1º de janeiro, Nossa Senhora Mãe de Deus. Pelo fato de o dia 15 de agosto não ser feriado, a Igreja celebra esta festa no domingo depois do dia 15. 
Hoje, solenemente, celebramos o fato ocorrido na vida de Maria de Nazaré, proclamado como dogma de fé, ou seja, uma verdade doutrinal, pois tem tudo a ver com o mistério da nossa salvação, e sendo a Igreja, assim definiu pelo Papa Pio XII em 1950: "A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial."

Antes, esta celebração, tanto para a Igreja do Oriente como para o Ocidente, chamava-se "Dormício" (= passagem para a outra vida), até que se chegou ao de "Assunção de Nossa Senhora aos Céus", isto significa que o Senhor reconheceu e recompensou com antecipada glorificação todos os méritos da Mãe, principalmente alcançados em meio às aceitações e oferecimentos das dores.
A festa da Assunção de Nossa Senhora é uma das mais antigas da Igreja. No ano de 600 já a Igreja Católica festejava este dia de glória de Maria Santíssima. A festividade de hoje lembra como a Mãe de Jesus Cristo recebeu a recompensa de suas obras, dos seus sofrimentos, penitências e virtudes. Não só a alma, também o corpo da Virgem Santíssima fez entrada solene no céu. Ela, que durante a vida terrestre desempenhou um papel todo singular, entre as criaturas humanas, com o dia da gloriosa Assunção começou a ocupar um lugar no céu que a distingue de todos os habitantes da celeste Sião.

A Assunção de Nossa Senhora é uma verdade, que foi acreditada desde os primeiros anos do cristianismo. Eis 3 trechos de São João Damasceno, sobre o mistério da ressurreição e Assunção de Nossa Senhora: 
“Quando a alma da Santíssima Virgem se lhe separou do puríssimo corpo, os Apóstolos presentes em Jerusalém, deram-lhe sepultura em uma gruta do Getsêmani. Tradição antiqüíssima conta que, durante três dias, se ouviu doce cantar dos Anjos. Passados três dias não mais se ouviu o canto. Tento entretanto chegado também Tomé e desejando ver e venerar o corpo, que tinha concebido o Filho de Deus, os Apóstolos abriram o túmulo mas não acharam mais vestígio do corpo imaculado de Maria, Nossa Senhora. Encontraram apenas as mortalhas, que tinham envolvido o santo corpo, e perfumes deliciosos enchiam o ambiente. Admirados de tão grande milagre, tornaram a fechar o sepulcro, convencidos de que Aquele que quisera encarnar-se no seio puríssimo da Santíssima Virgem, preservara também da corrupção este corpo virginal e o honrara pela gloriosa assunção ao céu, antes da ressurreição geral” [a]

"Maria não conheceu os tenebrosos caminhos que levam ao inferno, mas disposto para ela um caminho reto, plano e seguro em direção ao céu. Com efeito, se Cristo, que é a verdade e a vida, disse: Onde eu estou, ali estará também meu servidor (Jo 12, 26), com muito mais razão, não devia morar com Ele sua própria Mãe? Assim como ela Lhe deu à luz sem dor, assim também sua morte esteve isenta de dores. Funesta é a morte dos pecadores (Sal 34, 22); daquela, ao contrário, em quem foi vencido o pecado, que é o aguilhão da morte, não teremos de dizer que a morte é o princípio de uma vida superior e indefectível? Se em verdade é preciosa a morte dos santos do Senhor Deus dos exércitos, muito mais é o glorioso translado da Mãe de Deus" (Homilia da Natividade de Maria, 3). [b]

"É aqui que o Criador de todas as coisas recebe em suas mãos a alma sacrossanta que emigra daquele corpo, que é o receptáculo em que habitou o Senhor! Com razão quis Ele prestar esta honra àquela que, embora por natureza fosse sua escrava, por uma altíssima e inefável decisão de sua bondade, ao assumir verdadeiramente nossa carne, a fez sua mãe... Os coros dos anjos, segundo cremos, contemplaram, oh" Virgem, tua saída deste mundo, por eles ansiada..."
"Os anjos e arcanjos te transladaram. Ante teu translado os espíritos imundos, que voam pelo ares, se estremeceram de espanto. Com tua passagem o ar ficou abençoado e tudo foi santificado. O céu, com gozo recebeu tua alma. As potestades celestiais saíram ao teu encontro, cantando hinos sagrados com festiva alegria e expressando-se com estas ou parecidas palavras: Quem é esta que sobe toda pura, surgindo como a aurora, formosa como a lua e brilhante com o sol? Oh! que formosa és toda cheia de suavidade! O Rei te introduziu em sua câmara, onde as potestades te escoltam, os principados te abençoam, os tronos entoam cânticos em tua honra, os querubins se maravilham e os serafins proclamam teus louvores, já que, por divina disposição, foste constituída verdadeira Mãe do Senhor" (Homilia I Da Assunção de Maria, 1.11) [b]


Fontes: http://cancaonova.com
            http://www.paginaoriente.com [a]  
            Eu sou feliz por ser católico (Pe. Marcelo Rossi) [b]

 **************
São João Damasceno:
Considerado como o último dos Padres da Igreja no Oriente, irradia com seus escritos uma luz especial. A doutrina Mariana de São João é ampla, clara e a ele se deve a elaboração dos dogmas da Assunção da Virgem Maria e da Imaculada Conceição. Ele fala sobre os pais de Maria, testemunhando o culto dos santos e o respeito que sempre a Igreja tributou à Virgem Maria e à Sant'Ana e a São Joaquim. 

 Para saber mais: São João Damasceno 



sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Faça Várias Cirurgias Plásticas!


Faça várias cirurgias plásticas...


Faça várias cirurgias plásticas:

Uma para corrigir o nariz empinado pelo orgulho e pela soberba.

Outra na correção da língua venenosa e ardilosa.

E nos lábios que demarcam sua tristeza interior.

Drenagem linfática para retirar o orgulho, a inveja e a ingratidão.

Diversos peelings profundos na culpa e no remorso.

Faça uma dermo-esfoliação nas cicatrizes deixadas pela falta de perdão e pelo ódio assim como no rancor envelhecido.

Uma máscara facial para retirar as expressões de mágoas e ressentimentos, igualmente nas asperezas da insensibilidade no trato com as pessoas.

Depois complete com uma hidratação de sorriso e alegria hidrate suas mãos todos os dias com a prática da solidariedade.

Coloque lentes coloridas da paciência iluminando o seu olhar...

Realize um implante de entusiasmo e atitude positiva.

Realce o cabelo com luzes da consciência tranqüila e da paz de espírito.

Finalize com uma hidromassagem usando sais da generosidade e pétalas da tolerância que é bom para o coração e a alma.

Observação: esses ingredientes não são encontrados nas melhores lojas do ramo.

Estão dentro de você.


Fonte: Mensagens do Dia (http://www.padremarcelorossi.com.br)



sábado, 6 de agosto de 2011

Transfiguração de Jesus - 06 de agosto


A Igreja celebra hoje, 06 de Agosto, a Festa da Transfiguração do Senhor no monte Tabor. 

A Transfiguração de Jesus na Bíblia é uma passagem descrita nos Evangelhos sinópticos em que Jesus subiu a um monte para orar com Pedro, Tiago, filho de Zebedeu, e João. Ali, tendo mudado sua aparência a ponto de tornarem brancas as suas vestes, os discípulos tiveram a visão de que Jesus estivesse conversando com os profetas Moisés e Elias.
De acordo com o relato contido no Evangelho segundo Mateus, capítulo 17, verso 2, consta que o rosto de Jesus resplandecia como o Sol, e a suas vestes tornaram-se brancas como a luz.
Esta curiosa passagem é também comentada pelo próprio Pedro, em sua segunda epístola nos versos de 17 a 18 de seu primeiro capítulo, havendo nestas quatro fontes o testemunho de uma voz que confirmava ser Jesus o Filho de Deus, conforme o relato dos Evangelhos sinópticos (Mt 17:5-6, Mc 9:7 e Lc 9:35).
Em consonância com o segredo messiânico, Jesus diz às testemunhas para não contar a visão a ninguém, até que o ele, o Filho do Homem, ressuscite dentre os mortos.

Esta festa do Senhor celebrou-se desde o começo nesta mesma data, em muitos lugares do Ocidente e do Oriente. No século XV, o Papa Calixto III estendeu-a a toda a Igreja. A liturgia recorda-nos mais de uma vez durante o ano o milagre da Transfiguração: no segundo domingo da Quaresma, para afirmar a divindade de Cristo, pouco antes da Paixão; e hoje, para festejar a exaltação de Cristo na sua glória. A Transfiguração do Senhor é, além disso, uma antecipação do que será a glória do Céu, onde veremos a Deus cara a cara; em virtude da graça, participamos já nesta terra dessa promessa da vida eterna.





Converter-se é transfigurar-se


O episódio da Transfiguração (Lucas 9,28-36) nos apresenta Jesus que deixa transparecer de seu interior, em modo sugestivo, o esplendor da sua divindade que habitualmente estava escondido sob a sua natureza humana.
Podemos ficar surpreendidos com o episódio da transfiguração: curioso, fora do normal.Podemos admitir certa utilidade do gesto: parece que os apóstolos naqueles dias estavam desanimados, necessitados de encorajamento da parte do Senhor. E assim aconteceu. Ajuda-nos o apóstolo Paulo (Filipenses 3,17-4,1): "O Senhor Jesus Cristo transfigurará o nosso mísero corpo, para conformá-lo ao seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de sujeitar a si todas as coisas". A transfiguração, que foi manifestada em Jesus sobre o monte Tabor, revela um destino que será reservado também a nós.
Este destino antecipado por Jesus aos olhos de três apóstolos a nós também diz respeito. Transfigurados como Cristo e com ele é algo que engrandece a nossa esperança na vida eterna.
Mas Paulo nos falou em termos muito explícitos de outros homens, cristãos, que são mergulhados nas coisas da terra, gloriam-se daquilo de que deveriam envergonhar-se; têm como deus o próprio ventre. Deles falou com lágrimas nos olhos, porque se comportam como inimigos da cruz de Cristo. É evidente que para esses não é pensável a Transfiguração final em Cristo.
Se queremos a transfiguração para o nosso corpo, devemos começar a transfigurar o nosso coração à semelhança do coração de Deus. Devemos colocar em harmonia com o Senhor o nosso pensamento, o nosso espírito, a nossa vida. Assim com a ajuda da apóstolo Paulo descobrimos que o episódio evangélico da Transfiguração não nos é estranho, mas nos diz respeito pessoalmente.
Seremos renovados no Senhor, mas de nossa parte devemos tornar possível a transfiguração. Santo Agostinho nos recordou que aquele que nos criou sem nós, não nos salvará sem nós. Trata-se de trabalhar, ou melhor de nos trabalhar. Sabemos aquilo que somos, e entrevemos aquilo que podemos nos tornar. O Santo Cura d´Ars dizia: "Não todos os santos começaram bem, mas todos os santos terminaram bem". O tempo nos é dado para isso, para nos consentir de crescer, de amadurecer.
Amadurecer no Senhor não é fácil, mas é belo. Aprende-se a fazer a vontade de Deus. Procura-se querer bem aos próprios caros, dar-lhes as próprias coisas, o próprio tempo, o afeto, a própria habilidade no fazer. Aprende-se a dar gratuitamente, sem requerer para cada pequena coisa uma recompensa.
Amadurecer no Senhor não é fácil, existem etapas que podemos percorrer e das quais conseguimos nos sair bem. Primeiramente é preciso aprender a conhecer o Senhor. Paulo escrevendo aos cristãos de Filipos falou da "sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor". O Senhor merece um maior interesse. Ocorre colocar-se na sua escuta. Os modos são muitos. Existem livros, ao menos o Evangelho não pode faltar em nossa casa para abri-lo e ler o que Deus tem para nos dizer.
É preciso também imitar o Senhor. Não podemos imitá-lo cumprindo os seus milagres e prodígios. São Paulo sugere aos cristãos: "Tende em vós os mesmos sentimentos que foram de Cristo Jesus". Podemos provar. Jesus mesmo nos aconselha: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração". Então devemos olhar os outros com solidariedade e fazer o que pudermos para ajudá-los com a palavra e com o empenho.
Sobretudo podemos amadurecer no Senhor, vivendo em comunhão com o Senhor Jesus. Comunhão de vida. Comunhão na oração. A transfiguração de Jesus se realizou numa situação de oração, recorda o evangelho: "Jesus tomou consigo Pedro, João e Tiago, e subiu ao monte para rezar".


Cardeal Geraldo Majella Agnelo   

Fonte: http://www.cnbb.org.br
Fonte: Wikipédia   



sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Algumas Gotas de Óleo

Algumas Gotas de Óleo 

Num quarto modesto, o doente grave pedia silêncio.
Mas a velha porta rangia nas dobradiças cada vez que alguém a abria ou fechava.
O momento solicitava quietude, mas não era oportuno para a reparação adequada.
Com a passagem do médico, a porta rangia, nas idas e vindas do enfermeiro, no trânsito dos familiares e amigos, eis a porta a chiar, estridente.
Aquela circunstância trazia ao enfermo e a todos que lhe prestavam assistência e carinho, verdadeira guerra de nervos.
Contudo, depois de várias horas de incômodo, chegou um vizinho e colocou algumas gotas de óleo lubrificante na antiga engrenagem e a porta silenciou, tranqüila e obediente.

A lição é singela, mas muito expressiva.
Em muitas ocasiões há tumulto dentro de nossos lares, no ambiente de trabalho, numa reunião qualquer.
São as dobradiças das relações fazendo barulho inconveniente. São problemas complexos, conflitos, inquietações, abalos...
Entretanto, na maioria dos casos nós podemos apresentar a cooperação definitiva para a extinção das discórdias.
Basta que nos lembremos do recurso infalível de algumas gotas de compreensão e a situação muda.

• Gotas de perdão acabam de imediato com o chiado das discussões mais calorosas. 
• Gotas de paciência, no momento oportuno, podem evitar grandes dissabores. 
• Poucas gotas de carinho penetram as barreiras mais sólidas e produzem efeitos duradouros e salutares. 
• Algumas gotas de solidariedade e fraternidade podem conter uma guerra de muitos anos. 
• É com algumas gotas de amor que as mães dedicadas abrem as portas mais emperradas dos corações confiados à sua guarda. 
• São as gotas de puro afeto que penetram e dulcificam as almas ressecadas de esposas e esposos, ajudando na manutenção da convivência duradoura. 
• Nas relações de amizade, por vezes, algumas gotas de afeição são suficientes para lubrificar as engrenagens e evitar os ruídos estridentes da discórdia e da intolerância. 

Dessa forma, quando você perceber que as dobradiças das relações estão fazendo barulho inconveniente, não espere que o vizinho venha solucionar o problema.
Lembre-se que você poderá silenciar qualquer discórdia lançando mão do óleo lubrificante do amor, útil em qualquer circunstância, e sem contra-indicação.
Não é preciso grandes virtudes para lograr êxito nessa empreitada.
Basta agir com sabedoria e bom senso.
Às vezes, são necessárias apenas algumas gotas de silêncio para conter o ruído desagradável de uma discussão infeliz.
E se você é daqueles que pensa que os pequenos gestos nada significam, lembre-se de que as grandes montanhas são constituídas de pequenos grãos de areia.

Fonte: Mensagens do Dia (http://www.padremarcelorossi.com.br)



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Nossa Senhora dos Anjos - Dia do Perdão de Assis


Nossa Senhora dos Anjos é patrona da Ordem dos Franciscanos. É no interior da basílica a ela dedicada que está a capela de Porciúncula, local especialmente caro a São Francisco de Assis e onde o santo veio a falecer. Seu biógrafo conta que Deus havia revelado a Francisco que Nossa Senhora tinha uma predileção especial pela capela.
A data de 02 de agosto para celebrar Nossa Senhora dos Anjos foi determinada por ter sido o dia em que São Francisco ali recebeu a indulgência do Dia do Perdão, que ano mais tarde veio a ser celebrado pela Igreja toda por decreto do Papa Pio XII.


Histórico:
A primeira ermida foi construída no fim do ano de 352, por quatro piedosos eremitas, vindos de Jerusalém. Tendo eles posto, nessa ermida, à veneração dos fiéis, uma relíquia do sepulcro da Santíssima Virgem, dedicaram-na a Maria, assunta ao céu, pelos Anjos, e daí se derivou o título - Santa Maria dos Anjos, ou, como nós dizemos, Nossa Senhora dos Anjos.
Cento e sessenta anos depois de construída, a referida ermida, achando-a São Bento abandonada e em ruína, a reconstrói, aumentando-a e embelezando-a, e por ser uma porçãozinha de herdade que ali tinham os beneditinos, foi chamada igreja da Porciúncula (piccola porzione).
São Francisco, que deu tanto lustro a Assis, freqüentou, quando criança, essa pequena igreja, e, vendo-a mais tarde novamente abandonada e decadente, pediu ao abade D. Tebaldo que lhe cedesse, no ano de 1208. Tendo sido satisfeito o seu pedido, restaurou-a com as próprias mãos, construindo depois, em sua vizinhança, uma cela, que preferiu a qualquer lugar, para estabelecer nela a sua morada. Depois de ter habitado nela, sozinho, durante dois anos, ouvindo, um dia, ao Evangelho da santa missa celebrada nessa capela, a recomendação de Cristo a seus discípulos – “que não levassem em suas viagens, nem dinheiro, nem alforge, nem bastão” - tomou essas palavras como norma de sua vida e como a primeira regra da Ordem dos Menores, que institui, para promover com mais eficácia a glória de Deus e a santificação das almas.
É célebre, portanto, a igrejinha da Porciúncula, por ter sido o berço da Ordem Franciscana; mas a causa principal do nome da aludida capela é a singular mercê que São Francisco alcançou - a indulgência da Porciúncula. A história da concessão dessa indulgência é a seguinte: estando São Francisco, uma noite em oração, abrasado no zelo da salvação das almas, conheceu, por uma luz superior, que Jesus e Maria estavam na Capela. Corre então para lá e, apenas entra, dá com os olhos em Jesus e Maria, no meio de uma grande multidão de anjos. A Mãe de Deus dirige-se logo a ele, animando-o a pedir alguma graça.
O seráfico Patriarca, que dava mais importância ao bem espiritual do que ao material, pede então uma indulgência plenária, isto é, a remissão de todos os pecados para aqueles que, arrependidos e confessados, visitassem aquela capela, dedicada à Rainha dos Anjos. Acedeu graciosamente o Senhor, e, mandando-lhe que a fosse pedir ao Papa, seu Vigário na terra e a visão desapareceu. Cheio de contentamento foi o Santo procurar o Papa, que era Honório III.
Admirou-se sobremaneira o Pontífice, ouvindo a narração da maravilhosa visão que tivera São Francisco; todavia, iluminado por Deus, prestou-lhe fé, e não obstante ser o pedido desacostumado e amplíssimo, concedeu a pedida indulgência, escolhendo o Pontífice o dia 2 de agosto para se fazer jus a tão singular privilégio. A bula da concessão foi expedida em 1223. Esta graça tem sido confirmada e ampliada por muitos sumos Pontífices a outros santuários da família franciscana. [1]
 
-----------------------------------------------------
Alcançarão a Indulgência Plenária:

* todas as pessoas que estando em "estado de graça" ou se confessarem, oito dias antes ou depois;
* participarem de uma Santa Missa numa Igreja nos dias mencionados e comungarem;
* rezarem um Credo, para afirmar a própria identidade cristã;
* um Pai Nosso para afirmar a própria dignidade de filhos de Deus recebida no Batismo;
* um Glória, suplicando ao Criador o benefício da indulgência,
* e rezarem também, um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória, pelas intenções do Santo Padre o Papa.

As indulgências têm o poder de apagar as consequências dos pecados (penas temporais) que já foram perdoados pelo sacramento da confissão (que perdoa a culpa). A indulgência pode ser parcial, que redime parcialmente dessa pena, ou plenária, que apaga totalmente a pena temporal dos pecados.
Poderão utilizar a Indulgência em seu benefício próprio, ou em favor de pessoas falecidas, ou em benefício daquelas que necessitam de auxílio para a conversão do coração.
Por outro lado, a Indulgência é "toties quoties", quer dizer, poderá ser recebida tantas vezes quanto a pessoa desejar (em cada ano, participando de uma Santa Missa numa Igreja e comungando, poderá fazer visitas a outras Igrejas, apenas rezando as orações recomendadas, das 12 horas do dia 1º de Agosto até o entardecer do dia 2 de Agosto, que receberá em cada Igreja, a Indulgência Plenária).
Sem dúvida, é um precioso presente que São Francisco conseguiu do Senhor, em favor de todos os corações de boa vontade que amam a Deus. [2]

Oração a Nossa Senhora dos Anjos

Augusta Rainha dos Céus e Senhora dos Anjos
vós que desde o princípio recebestes de Deus
o poder e a missão de esmagar a cabeça de satanás,
humildemente vos rogamos que envieis as legiões celestes,
para que, às vossas ordens, persigam os infernais espíritos,
combatendo-os por toda parte, confundam a sua audácia
e os precipitem no abismo. Amém!
Nossa Senhora dos Anjos, rainha dos Frades Menores,
Rogai por nós que recorremos a vós. [3]
 

Para Saber Mais: Indulgências

Fontes:
-http://www.igreja-catolica.com/ [1]
-http://www.franciscanos.com.br [2]
-http://amaivos.uol.com.br (FERRAZ, Orlando. Maria, mãe de todos os homens. Títulos que honram Nossa Senhora. 3ª ed. 2005. Novo Rumo) [3]  



A Grandeza do Silêncio


A Grandeza do Silêncio

O silêncio é doçura:
Quando não respondes às ofensas,
Quando não reclamas os teus direitos,
Quando deixas à Deus a defesa da tua honra.

O silêncio é misericórdia:
Quando te calas diante das faltas de teus irmãos,
Quando perdoas sem remoer o passado,
Quando não condenas, mas intercedes em segredo.

O silêncio é paciência:
Quando sofres sem te lamentares,
Quando não procuras consolação junto aos homens,
Quando não intervéns, esperando que a semente germine lentamente.

O silêncio é humildade:
Quando te apagas para deixar aparecer teu irmão,
Quando, na discrição, revelas dons de Deus,
Quando suportas que tuas ações sejam mal interpretadas,
Quando deixas os outros a glória da obra inacabada.

O silêncio é fé:
Quando te apagas, sabendo que é Ele ( Jesus ) quem age...
Quando renuncias às vozes do mundo para permanecer na Sua presença...
Quando te basta que só Ele te compreende.

Fonte: Mensagens do Dia (http://www.padremarcelorossi.com.br)

------------------------------------------------
Para todos os visitantes que por aqui passarem:
uma linda semana com a paz de Jesus e o amor de Maria.



Avisos

Olá irmãs e irmãos de fé! Paz e Bem!

Para ajudar, tenho colocado as orações do programa de rádio Momento de Fé, porém muitos estão se confundindo e achando que meu blog é do Padre Marcelo Rossi. Irmãs(os), este blog não é do Padre Marcelo Rossi, para que sua mensagem chegue ao padre, você terá que acessar os sites dele : 1) Padre Marcelo Rossi 2) Facebook Padre Marcelo Rossi

Obrigada - Adriana/Devoção e Fé